Engenharia e ambiente/5.5.3 Identificar riscos a vida e doenças causadas pela poluição hídrica associada a processos produtivos industriais

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Riscos a vida e doenças causadas pela poluição hídrica[editar | editar código-fonte]

A poluição da água é um dos maiores perigos à saúde, afinal, não podemos sobreviver sem beber água e, se ela estiver poluída, pode causar sérios problemas à saúde ao ser ingerida. Os vários tipos de poluentes afetam a saúde humana de diferentes formas. Alguns micro-organismos, como bactérias, que podem se desenvolver naturalmente na água ou serem introduzidas com os tipos de poluição citados, podem causar sérias doenças aos seres humanos. Febre tifoide, cólera, hepatites, disenteria e pólio são alguns exemplos de doenças causadas por patógenos na água. Essas doenças são principalmente perigosas para crianças e são responsáveis por quase 60% da mortalidade infantil no mundo, principalmente em países em desenvolvimento e que não possuem uma rede adequada de tratamento de água e esgoto.

Poluentes químicos não causam doenças de forma direta, porém, eles proporcionam grandes danos à saúde a longo prazo, mesmo em níveis baixos de concentração. Esses poluentes acabam sendo consumidos acidentalmente por peixes e são acumulados em seus tecidos. Quando esses peixes são consumidos, os poluentes acabam entrando no nosso corpo - no futuro, doenças podem surgir a partir dessa alta concentração

Consequências da poluição hídrica[editar | editar código-fonte]

A principal causa da poluição das águas é o desenvolvimento desenfreado das atividades econômicas, sobretudo nas cidades, com o aumento da deposição indevida de rejeitos advindos do sistema de esgoto e saneamento.As consequências da poluição das águas são diversas. A primeira, como já dissemos, é a perda dos recursos hídricos para consumo. Além disso, vale lembrar que esses locais são o habitat de várias espécies, algumas delas em risco de extinção.

Outro efeito da poluição hídrica é a ocorrência de um fenômeno chamado de eutrofização da água. Esse processo consiste na presença excessiva de nutrientes oriundos de produtos químicos que contaminam os rios, provocando a proliferação desenfreada de algas e cianobactérias, que impedem a entrada de luz nos ambientes fluviais e reduzem a disponibilidade de oxigênio na água, o que pode gerar a morte de incontáveis espécies.

Para combater a poluição das águas, é preciso intensificar as campanhas de conscientização ambiental, promover medidas de controle e fiscalização, além de se realizar o correto manejo dos resíduos sólidos e o tratamento da água. É necessário, pois, que sejam adotadas medidas sustentáveis, sobretudo no sentido de garantir esse e outros recursos naturais para as gerações futuras.

Exemplos[editar | editar código-fonte]

Compostos presentes em efluentes industriais e seus principais efeitos nos corpos de água e na saúde do ser humano:

Pesticidas organoclorados: largamente utilizados na lavoura, em concentrações acima dos limites toleráveis acarreta envenenamento, dor de cabeça, distúrbios gastrointestinais, danos ao fígado, rins e sistema nervoso e efeitos cancerígenos.

Solventes orgânicos aromáticos: o benzeno é cancerígeno e em águas de abastecimento se deve a contaminação por tintas, plástico e medicamentos.

Hidrocarbonetos Aromáticos: causadores de câncer. Sua presença em águas de abastecimento se deve a contaminação por resíduos da queima de matéria orgânica e derivados de petróleo.

Trihalometanos: sua formação se dá pela reação do cloro com certos compostos orgânicos presentes em águas naturais. Os THM podem ser cancerígenos.

Fenóis: Utilizado na manufatura de desinfetantes, resinas, e indústria química e farmacêutica. O fenol na água reage com o cloro produzindo gosto e cheiro “de remédio”.

Solventes halogenados: utilizados na indústria de plásticos, tintas e corantes. Potencialmente cancerígenos e alguns deles causadores de danos ao fígado e rins

Herbicidas fenoxiácidos clorados: utilizados na agricultura para controle de plantas daninhas são carreados para os rios e lagos, contaminando a água.

Agentes tensoativos: Provocam formação de espumas e gosto ruim; não são nocivos à saúde.

Cobre: Irritações gastrointestinais

Alumínio: Adicionado à água durante o tratamento, é prejudicial à aparência da água.

Cloretos: Indica eventual contato com esgoto doméstico.

Ferro total: Aparecimento de cor; mancha a roupa e utensílios domésticos.

Dureza: Provoca o aumento do consumo de sabões e incrustações nas tubulações.

Manganês: Afeta a cor e o sabor da água.

Sulfatos: Em concentrações elevadas tem efeito laxativo.

Sólidos totais dissolvidos: Prejudicial ao paladar e pode ter efeito laxativo.


Glossário[editar | editar código-fonte]


Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Doenças Causadas Pela Água Contaminada <http://gbcengenharia.com.br/blog/tag/doencas-causadas-pela-agua-contaminada/> Acessado em 17 de maio 2017.

Poluição hídrica <http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/poluicao-das-aguas.htm>Acesso em 17 de maio de 2017.