Introdução à Telefonia por IP utilizando Asterisk/Telefonia IP e VoIP no mundo empresarial

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Telefonia IP e VoIP no mundo empresarial[editar | editar código-fonte]

A tecnologia de VoIP vem sendo adotada há vários anos pelas empresas em redes de dados privadas para reduzir os custos de telefonia entre suas filiais. O sinal de voz analógico é convertido para o formato digital e passa pela rede de computadores de uma companhia com matriz em São Paulo e filiais em outros estados, por exemplo, reduzindo sensivelmente os gastos com ligações interurbanas.

Para Colcher; et.al.(2005), isso é possível porque a VoIP utiliza a infra-estrutura de dados ao mesmo tempo em que mantém a analógica (aparelhos telefônicos convencionais).

Já a telefonia IP utiliza aparelhos de telefone especiais. Estes se conectam diretamente à rede de computadores, recebendo voz, dados e até imagens, promovendo uma integração completa entre as redes de dados e a de voz (GRECCO, 2004).

O VoIP está presente nos dias atuais em grandes corporações como a General Motors do Brasil - GM, Ford, entre outras. Estas empresas estão buscando novas tendências e soluções. Entretanto as empresas precisam abordar aspectos que são fundamentais para o sucesso de seu projeto. A empresa tem que saber qual é a situação atual da sua infra-estrutura, pois um projeto que gera tantas mudanças, necessita de um orçamento alto para se realizar tal investimento. É preciso alinhar as expectativas quanto ao que se deseja implementar e ao que se propõe o projeto em questão.

Análise para viabilidade de implementação Telefonia IP e VoIP:

  1. A empresa deve fazer um levantamento completo e detalhado de informações referentes aos ambientes de voz e dados, desde a topologia (tipos de redes), modelo e estado dos equipamentos instalados, os custos operacionais atuais, quantidade de movimentação de tráfego entre as localidades.
  2. Identificar as necessidades e oportunidades referente ao inventário feito englobando a infra-estrutura, redução de custo, implantação de novos serviços e aplicações, redução de custos operacionais, redução dos custos para chamada de Discagem Direta a Distância (VoIP), redução de custo envolvendo mudanças físicas, mobilidade, gerenciamento e faturamento centralizados e incremento de capacidade de áudio conferencia.
  3. Avaliar se a qualidade de serviço suportada no ambiente (equipamentos) de rede é ou não adequada, avaliar a capacidade da equipe técnica interna e dos fornecedores com tecnologias convergentes, avaliar o impacto na infra-estrutura atual.
  4. Definir as estratégias que serão adotadas, quer dizer, se o projeto terá como foco única e exclusivamente a redução de custo, se irá aumentar as funcionalidades de comunicação ou simplesmente aumentar o retorno sobre o investimento. Também quem conduzirá o projeto, a empresa ou será contratado o serviço por uma empresa terceira.
  5. Monta-se um desenho final afim de se fazer os ajustes necessários abordando todos os componentes de hardwares e softwares envolvidos.

Nas grandes empresas a utilização ocorre quase sempre da mesma forma. No caso da GM existe um servidor (PABX - IP) ligado a um switch que envia os dados em pacotes, transmitindo o sinal que fica encarregado de distribuir o sinal para o desktops alimentando ao mesmo tempo o telefone (aparelho especial fornecido pela Siemens - que é responsável pelo serviço) onde o usuário conseguirá se utilizar de muitos serviços como conferências, transferências de chamadas, viva voz, e ao mesmo tempo usar seu computador normalmente, e tudo isso sendo alimentado única e exclusivamente por um único cabo de rede. Um exemplo da estrutura da telefonia VoIP pode ser visto na figura abaixo.



EsquemaVoIPempresas.png
Figura 1: Sistema de telefonia VoIP agregado a telefonia convencional.



Na Ford os principais motivos que levaram à implementação do VoIP foram o alto custo de manutenção dos multiplexadores, uma grande alocação de banda estática, implementação e configurações complexas e limitações dos canais de vozes sem contar o alto custo ligações de Discagem Direta a Distância e Discagem Direta Internacional. Depois de sua implementação foram reduzidos os números de multiplexadores e o esquema montado pela empresa no seguimento de telefonia ficou de fácil entendimento até para pessoas leigas no assunto, o sistema de VoIP que interliga a empresa não só aqui no Brasil, mas em todo o mundo, muitas vezes até sem utilização de provedores de telefonia, conseguindo efetuar ligações de Ford para Ford com custo zero.

Mas também existem outros modelos de negócios que se utilizam desse tipo de tecnologia. A revista Info edição 228 fez uma reportagem com um antigo bancário que é sócio de um negócio onde são criadas ovelhas em uma fazenda em Uberlândia. Nessa fazenda eles se utilizam um serviço pré-pago de voz sobre IP que possibilita fazer ligações, mas não de recebê-las. Sua tarifa sai mais barata e traz maior agilidade ao negócio.Explica a revista Info que nesse caso o funcionamento também é simples, pois as ligações se iniciam por IP e seguem até o ponto mais próximo do destinatário, após isso migram para a rede pública, onde nessa hora um robô criado pela empresa que presta o serviço pesquisa as tarifas mais baixas entre as operadoras disponíveis fazendo a ligação.

Por aspectos como os relacionados acima que grandes e pequenas empresas visando a economia utilizam VoIP como solução em tecnologia. Nayara F. Lessa (discussão) 03h51min de 9 de abril de 2013 (UTC)

Referências:[editar | editar código-fonte]

LAGO JUNIOR, Antônio Carlos; FEITEIRA, Carlos Henrique; CRISTOFOLI, Fulvio. VOIP: Benefícios e Implementação. Disponível em: < http://stoa.usp.br/cristofoli/files/349/1813/VOIP+-+Benef%C3%ADcios+e+Implementa%C3%A7%C3%A3o.pdf > Acesso em: 05 Abr 2013.

ARRUDA FILHO, Emílio José Montero; DHOLAKIA, Ruby Roy. Uso de convergência tecnológica sem regulamentação apropriada: VOIP e competitividade. Disponível em: < http://www.ebah.com.br/content/ABAAAApbIAI/uso-convergencia-tecnologica-sem-regulamentacao-apropriada-voip-competitividade> Acesso em: 05 Abr 2013.