Portal:9o ano 2014 - Língua Portuguesa - Colégio I. L. Peretz/Allan e Alexandre Kocinas

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Diário de Bordo[editar | editar código-fonte]

05/11 Fizemos a apresentação do livro João Bolão.

06/11 Fizemos até a metade do livro João Bolão.

13/11 Falamos do sonho de João.

15/11 Terminamos João Bolão.

16/11 Reparamos o João Bolão e fizemos o Cão dos Baskervilles.

18/11 Reparamos o que foi pedido pelo Moré.

João Bolão[editar | editar código-fonte]

Introdução[editar | editar código-fonte]

João Bolão é um romance infantil escrito por Ricardo Filho,em 2008 e publicado em 2011, com ilustrações de Angelo Abu da Editora Melhoramentos. O livro trata de um tema muito comentado atualmente na sociedade: o bullying. João era um garoto que tinha tudo para ser feliz. Tinha um cachorro, era estudioso, tinha uma casa bonita e recebia todo o carinho dos pais, mas algo sempre o deixava irritado: o bullying que sofria devido ao seu sobrepeso e por isso ficou conhecido como João Bolão.

Enredo[editar | editar código-fonte]

João sempre teve um sonho: Ele gostaria muito de fazer parte do time de futebol de sua escola, mas sua obesidade não deixava, pois era lento, os garotos de sua escola eram bem melhores que ele e os meninos sempre achavam que gordo não sabia jogar bola.

Sempre quando algo o deixava irritado, João se fechava em seu quarto. Ora escutava músicas em seu iPod, ora conversava com seus amigos no MSN. Além de jogar bola, o hobbie de João era conversar com seus dois amigos no MSN. Telminha era sua melhor amiga e era com quem mais se abria para falar de sua vida e de seu problema, pois Telminha também era obesa. O papo com Paulinho era sempre sobre futebol, sempre que o time de João, Santos, ganhava do de seu amigo, Vitória, era sempre a maior gozação.

Certa noite, João teve um sonho. Ele começou sonhar como se estivesse jogando uma partida pelo clube da colônia libanesa, o time visitante. O jogo estava 1 a 0 para o time de João, mas estava dando muita confusão no jogo e o time de João foi expulso de campo pelo time da casa, nesse exato momento, João acordou e foi para a escola.

Na escola, surgiu uma oportunidade para João. Marcos, o craque do time da escola, chamou João para jogar um jogo, já que Cajado estava doente, o Toninho estava quase repetindo de ano e o Pedrinho estava machucado. João não pensou duas vezes e aceitou.

Chegou o dia do jogo. O time de João venceu, ele foi o craque da partida e marcou dois gols, sendo um de falta e outro de pênalti.

No final do livro, Telminha veio visitar João e eles tiveram o primeiro beijo. Além disso, Marcos perguntou a João se a garotada poderia continuar chamando ele de João Bolão, mas agora não por ser gordo, por jogar um bolão.

O Cão dos Baskervilles[editar | editar código-fonte]

Introdução[editar | editar código-fonte]

O livro Cão dos Baskervilles (em inglês, The Hound of the Baskervilles), é um romance escrito por Sir Arthur Conan Doyle em 1902, com adaptação de J.R Parks, ilustrações de Vinod Kumar e da editora Farol HQ.

Desta vez, os principais personagens de Conan Doyle, Sherlock Holmes e Dr. Watson, vão investigar o mistério de um cão que de geração em geração vem assombrando e matando cada membro da família Baskerville em sua respectiva mansão. A primeira vítima do cão é Sir Hugo Baskerville, primeiro herdeiro da família, e a última foi Sir Charles Baskerville.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Há quinhentos anos, o Solar dos Baskerville abriga a família de mesmo nome e é assolado por um passado sombrio: Hugo Baskerville, notório escudeiro que havia sido o dono da mansão durante a guerra civil de meados do século XVII[1], teria sido morto por um suposto cão diabólico. A partir de então, surge a lenda em torno desse cão — com fogo saindo dos olhos e da boca —, que passa a assombrar a família, matando cada um dos membros que se arriscam a habitar o solar. A história teria sido confirmada após o falecimento de Sir Charles, que sofria do coração e teria morrido de susto ao ter sido abordado pelo lendário animal.

Já em 221B Baker Street, o Dr. Mortimer, antigo amigo de Charles, pede ajuda a Holmes para desvendar o mistério do cão dos Baskerville, mostrando-se preocupado com a vida do novo morador do solar, Sir Henry Baskerville, sobrinho e herdeiro de Sir Charles, provavelmente destinado a sofrer o mesmo fim de seu tio.

Tudo começa no pântano da mansão de SIr Charles BaskervIlle. Dr. Mortimer apresenta o caso a Sherlock Holmes, famoso detetive, e fica intrigado, Holmes conhece o unico herdeiro de Sir Charles e sua imensa fortuna. Ao sair do Canadá e chegar em Londres, Sir Henry percebe que há um bilhete, anônimo, em sua cama, alertando sobre o pântano da Mansão de Baskerville. Holmes deduz que Sir Henry estava sendo seguido pois ninguém mais saberia onde Hernry estaria hospedado.

Quando Henry e Dr. Mortimer foram embora da casa de Sherlock, ele e Watson seguem-os e notam que mais uma pessoa também estava , tentaram ir atras dele porém não o alcançaram, mas souberam em que taxi ele estava e pediram ajuda para localizá-lo. No momento em que retorna para o hotel, Sir Henry teve outra bota roubada. Holmes começa a perceber que deve estar lidando com um cão real (pelo perfume da bota usada). Quando a conversa se volta para o homem do táxi, Mortimer diz que Barrymore, o servo de Baskerville Hall, tem uma barba e um telegrama, é enviado para verificar o seu paradeiro.

Decidiu-se que, com Holmes investigando em Londres outros casos, Watson acompanharia Sir Henry Baskerville e informa por telegrama em detalhe. A visita de John Clayton, que estava dirigindo o táxi com o homem de barba negra, é de pouca ajuda. Ele diz que o homem havia se identificado como Holmes, para a surpresa e diversão do Holmes real.

Mortimer, Watson e Sir Henry partiram para a Mansão Baskerville no fim de semana seguinte. Os soldados vasculham a área, à procura de um assassino que escapou chamado Selden. Barrymore e sua esposa desejam sair da Mansão Baskerville assim que é conveniente, e o Salão é, em geral, um lugar sombrio. Watson tem problemas para dormir naquela noite, e ouve uma mulher chorando. A próxima manhã, Barrymore nega que era sua esposa, que é uma das duas únicas mulheres da casa. Watson vê a Sra. Barrymore depois na parte da manhã, no entanto, e observa clara evidência de que ela estava de fato chorando.

Watson descobre que o telegrama não foi efetivamente entregue nas mãos de Barrymore, por isso não é mais certeza de que ele estava no Hall, e não em Londres. No caminho de volta, Watson conhece Jack Stapleton, um naturalista familiarizado com o pântano. Eles ouvem um gemido que os camponeses atribuem ao cão, mas Stapleton atribui ao clamor de um ouriço , ou possivelmente o povoamento pântano. Watson não está sozinho por muito tempo antes de Beryl Stapleton, irmã de Jack, se aproxima dele. Confundindo-o com Sir Henry, ela urgentemente avisa para deixar a área, mas deixa cair o assunto quando seu irmão retorna.

Sir Henry em breve encontra Senhorita Stapleton e torna-se romanticamente interessado nela, apesar das intervenções do irmão. Watson encontra outro vizinho, o Sr. Frankland, um advogado de idosos. Barrymore atrai grande desconfiança, como Watson e Sir Henry vê-lo tarde da noite a pé com uma vela em um quarto vazio, segurando até a janela e, em seguida, sair. Percebendo que o quarto tem uma vista na charneca, Watson e Sir Henry determinam descobrir o que está acontecendo.

Enquanto isso, durante o dia, Sir Henry continua a perseguir Beryl Stapleton até que seu irmão é executado em cima deles. Mais tarde, ele explica ao barão desapontado que não era pessoal, ele estava com medo de perder o seu único companheiro. Para mostrar que não há ressentimentos, ele convida Sir Henry para jantar com ele e sua irmã na sexta-feira.

Sir Henry e Watson vão para encontrar o condenado, apesar do mau tempo e som assustador do cão. Eles vêem Selden, mas é incapaz de pegá-lo.Watson avista a sombra de um outro homem em pé, mas ele também se afasta Barrymore ficou chateado quando ele descobre que eles tentaram capturar Selden, mas quando um acordo for alcançado para permitir que Selden pudesse fugir do pais, ele está disposto a retribuir o favor.

Frankland acaba de ganhar dois casos de direito e convida Watson para ajudá-lo a comemorar. Barrymore havia dito anteriormente a Watson que outro homem viveu na charneca além de Selden, e Frankland involuntariamente confirma isso, quando ele mostra a Watson através de seu telescópio a figura de um menino carregando alimentos. Watson sai de casa e encontra a habitação de pedra pré-histórica onde o homem desconhecido foi ficando, entra, e vê uma mensagem informando sobre suas próprias atividades. O homem desconhecido prova ser Holmes. Ele manteve sua localização em segredo para que Watson não seria tentado a sair e então ele seria capaz de aparecer em cena de ação no momento crítico.Relatórios de Watson ter sido de muita ajuda para ele descobriu que Stapleton é realmente casado com a mulher posando como Miss Stapleton. Como eles trazem a conversa ao fim, eles ouvem um grito medonho. Eles correm em direção ao som e encontrar um corpo, confundi-la com Sir Henry. Eles percebem que é realmente o fugitivo Selden, o irmão da Sra. Barrymore, vestido com roupas velhas do barão. Selden tinha caído sobre rochas altas e agarrou seu pescoço após o desembarque, o que, aparentemente, o matou. Então Stapleton aparece e, enquanto ele faz desculpas para a sua presença, Holmes anuncia que vai voltar para Londres no dia seguinte, suas investigações tendo produzido nenhum resultado.

Holmes e Watson voltaram para Baskerville Hall, durante o jantar, os olhares de detetive apontam para o retrato de Hugo Baskerville. Chamando Watson depois do jantar ele cobre o cabelo para mostrar o rosto, revelando sua semelhança impressionante com Stapleton. Isto fornece o motivo do crime - com Sir Henry indo embora, o Stapleton poderia reivindicar a fortuna Baskerville, sendo claramente um Baskerville.

Sob a ameaça de avançar nevoeiro, Watson, Holmes, quando o barão deixa e sai do outro lado da charneca, Stapleton deixa o cão solto. Holmes e Watson conseguem derrubá-la antes que possa ferir Sir Henry sério, e descobrir que sua aparência infernal foi adquirida por meio de fósforo. Eles acham Sra. Stapleton amarrada e amordaçada em um quarto no andar de cima de Merripit House. Quando ela é liberada, ela diz-lhes de esconderijo de Stapleton, uma ilha no fundo do Grande Grimpen Mire. Eles olham para ele no dia seguinte, sem sucesso, e ele é dado como morto, tendo perdido o equilíbrio e ser sugado para as profundezas sujas e sem fundo da lama. Holmes e Watson só são capazes de encontrar e recuperar bota de Sir Henry usado por Stapleton para dar pistas do cão e encontrar seus restos na lama.

Algumas semanas mais tarde, Watson e Holmes foram perguntados sobre o caso Baskerville. Holmes revela que, embora acredita-se que morreu solteiro, Rodger irmão mais novo de Sir Charles Baskerville havia se casado e tinha um filho, também chamado de Rodger. Seu filho havia se casado com uma beleza local, Beryl Garcia. Depois de desvio de dinheiro público na Costa Rica, que tomou o nome Vandeleur e fugiu para a Inglaterra com ela, onde ele usou o dinheiro para financiar um Yorkshire na escola. Infelizmente para ele, o tutor que ele havia contratado morreu de consumo , e depois de uma epidemia da doença matou três estudantes da própria escola falhou. Agora, usando o nome de Jack Stapleton, Baskerville / Vandeleur fugiu com sua esposa para Dartmoor. Ele, aparentemente, apoiou-se por roubo, engajar-se em quatro grandes roubos e pistolling em uma página que o surpreendeu. Tendo aprendido a história do cão, ele resolveu matar os restantes Baskervilles para que ele pudesse entrar na herança como o último da fila. Ele não tinha interesse na propriedade e simplesmente queria o dinheiro da herança. Ele comprou o cão e escondeu-se no lamaçal no local de uma mina de estanho abandonado.

Stapleton seguido Sir Henry, em Londres, e também roubou o seu novo arranque, mas depois ele retornou, já que não tinha sido usado e, portanto, não tinha cheiro de Sir Henry. Holmes especulou que o engraxate tinha sido subornado para roubar uma bota velha de Henry em seu lugar. O cão persegiu Selden a sua morte, em uma queda, porque ele estava vestindo roupas velhas de Sir Henry e, assim, tinha seu cheiro nele. Na noite em que o cão atacou Sir Henry, a esposa de Stapleton havia se recusado a ter qualquer papel na trama de Stapleton, mas sua batida marido abusivo e amarrou a um poste para impedi-la de avisá-lo.

O cão havia atacado Holmes e Watson, e então aparece Stapleton com uma arma apontada para Holmes, e contou toda a trama, que ele foi responsável pela morte de sir Charles para assumir a emensa fortuna dos Baskerville, para o cão parecer um fantasma ele foi coberto com fósforo.

  1. http://bakerstreet.wikia.com/wiki/Hugo_Baskerville_I