Portal:Grupo de Estudos em Português para o ensino fundamental/Débora e Lívia

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Diário de Bordo[editar | editar código-fonte]

30/08

Hoje começamos a fazer nosso trabalho, mas perdemos grande parte da aula, pois a internet não estava funcionando em nosso computador. Apesar disso, fizemos uma pequena parte do verbete do livro Germinal.

13/09

Hoje novamente continuamos nosso enredo do livro Germinal, mas dessa vez aproveitamos o tempo da aula, e com isso fizemos muito mais do que fizemos aula passada.

18/09

Hoje continuamos a escrever o enredo do livro Germinal, também com grande produtividade e aproveitamento do tempo da aula. Além disso, arrumamos a formatação da página.

10/10

Hoje fizemos mais duas partes de nosso trabalho. Estamos quase acabando! Além disso, começamos a fazer o texto de nosso outro livro, que se chama "O Rei Arthur".

18/10

Hoje terminamos de fazer o trabalho do livro Germinal!!! Mas ainda falta terminar o livro O Rei Arthur. Como já começamos, não será muito trabalho. Aproveitamos bem a aula de hoje, e terminamos bem no último minuto.

13/11

Hoje continuamos o resumo do livro Rei Arthur e estamos quase no final.

Germinal[editar | editar código-fonte]

Texto retirado. Jorgemaks (discussão) 20h35min de 25 de novembro de 2013 (UTC)

O Rei Artur[editar | editar código-fonte]

Após a morte do rei, a população se desesperou pois o trono estava vazio e a falta de um rei significava a falta de leis e isso causava devastação, sequestros, roubos e etc. Sem um soberano justo e forte nao havia esperança, apenas certeza de mais escuridão e medo. Nessa escuridão, via-se andando um mago cujo o nome era Merlim, ele tinha muitos poderes, entre eles, o poder de ver o futuro, ele via um novo rei que poderia salvar tudo. Merlim viu o rei nascer e logo o levou para longe do mal e do perigo. O mago foi foi até Londres e ao chegar lá viu uma multidão aguardando desesperadamente a coroa da Inglaterra. O dia estava quieto, não se ouvia nada além se o pio de uma coruja, o mago, também quieto, apressou seu passo até chegar a Grande Igreja, sentou-se no adro e esperou até que ao amanhecer um cortejo de monges, conduzidos por um bispo entro no adro e foram cumprimentados por Merlim. O mago apontou para o lado com o dedo apontando para uma espada pesada e reluzente, transvasasse no bloco de mármore onde se podia ler " ONDE ESTÁ O HOMEM CAPAZ DE TIRAR Q ESPADA DA PEDRA ELE É O LEGÍTIMO REI DA INGLATERRA" A cidade toda ficou perplexa, inclusive um grupo de comandantes rivais e suas tropas, que encantados foram rapidamente tentar tirar a espada, não havia exceção, todos teriam o direito de tirar a espada, não importa a a classe a que pertença. Apesar te muitas tentativas, ninguém teve sucesso em sua tentativa, até a hora do por do sol, quando um homem alto e forte, porém humilde, puxou a espada sem força e sem dor. Em meio a tanta indignação, o novo rei, Arthur, foi levado a um lugar desconhecido, onde foi criado em segredo até fazer 18 anos e estar totalmente pronto para assumir o trono. A notícia de que havia um novo rei se espalhou rapidamente, a partir de então o silêncio acabaria, o novo rei prometia acabar com tudo de ruim que havia. Além de alguns chefes, a Inglaterra toda apoiava Arthur. Depois de sua coroação, Arthur foi conversar com o mago para que arranjasse uma nova arma, digna de um rei e lá foram eles, procurar uma nova espada até que encontraram Niume, a senhora do lago que lhe ofereceu uma linda espada, chamada Excalibur, Arthur pegou a espada se sentindo honrado e ouviu as importantes palavras de Niume, dizendo que enquanto ele tivesse a bainha, ficaria a salvo e sem ferimentos, mas se ele perdesse, teria de tomar muito cuidado nas batalhas. Guinevere, filha unica do rei Leodegrance, logo encantou Arthur com sua beleza e em pouco tempo, ela se tornaria a noiva de Arthur e depois, sua esposa. E foi em uma igreja bem pequena, nos arredores de Camelot, que Guinevere e Arthur se casaram. Após o casamento, houve um baquete para os convidados e todos festejaram o novo casal! Algum tempo se passou e Rei Arthur já não procurava mais o magico Merlim para contar suas inconfidências, agora era sua noiva quem o ouvia a noite toda. O magico triste começou a pensar que mesmo depois de sete seculos de vida, ele nunca tinha encontrado o amor e talvez essa seria sua hora certa. Procurou por todos os cantos do reino, até mesmo os mais sombrios, por uma mulher a sua altura, mas para onde quer que ele olhasse, só conseguia pensar na Sra Nimue, a senhora do lago, que ofereceu a espada ao Rei Arthur. Até um dia que ele correu até o lago para encontra-la e quando a encontrou, ele gritou "eu te amo" e obteve como resposta, uma simples risada. Nimue pediu paciência, pois o tempo poderia fazer com que o amor fosse reciproco. No final, a Távola Redonda se desfez e o Rei Arthur morreu, dando como um lema a cidade "Uma vez Rei Arthur, sempre Rei Arthur!".

Personagens[editar | editar código-fonte]

Merlim O mago é conselheiro e amigo de Artur. Antevê a subida do rapaz ao poder e sua ruína ao se casar com Guinevere. Provavelmente, sua figura foi inspirada nos druidas, antigos sacerdotes celtas que tiveram grande poder na Inglaterra até o século 1 d.C.

Guinevere Casa-se com Artur, mas acaba se apaixonando por Lancelot. Esse romance é um dos motivos da ruína de seu marido. Condenada à morte pelo rei, é salva por Lancelot e acaba se tornando uma freira.

Lancelot Melhor cavaleiro da Távola Redonda e grande amigo de Artur. Apaixona-se contra a vontade pela rainha Guinevere. Quando o rei descobre, foge do reino e passa a peregrinar pelo mundo.

Morgana Meia-irmã de Artur, tem uma relação incestuosa com o irmão, da qual nasce Mordred. Foi educada pela líder das senhoras da ilha de Avalon, local onde, segundo algumas versões, Artur aguarda o melhor momento de voltar à Inglaterra.

Mordred O filho de Artur com a meia-irmã Morgana tenta dar o golpe em seu pai. Os dois se enfrentam na batalha de Salisbury, onde ele fere gravemente o rei antes de ser morto.

Cavaleiros da Távola Redonda Entre os seguidores de Artur estavam Galahad, Percival, Gawain, Lancelot, Owen, Tristão e Bors.