Reportagens do JOA/In Park e Marcela Schiavon

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Paraíso perfumado

     Rua da Consolação, famosa por lustres e luminárias. Teodoro Sampaio, conhecida como Rua dos instrumentos musicais. Rua São Caetano, paraíso para noivas. Já a Rua Silveira Martins é apelidada por Rua das Essências ou Circuito das Essências. Nela, há uma infinidade de lojas especializadas em vender artigos para a fabricação de perfumes, sabonetes, cosméticos, velas, essências nacionais e importadas, pigmentos, corantes, óleos, embalagens e materiais para banho, limpeza e perfumaria.

     Localizado próximo à Praça da Sé, o lugar existe há muitos anos (algumas lojas são centenárias) e, lá, comercializam- se produtos tanto por atacado quanto por varejo. Paraíso das Essências, Fonte das Essências, Principal Essências & Embalagens, Fragrância das Essências, Casa das Essências, não importa por onde você passe, sairá perfumado. Segundo vendedores, para fazer sabonetes e produtos de limpeza, é necessário colocar duzentos mililitros de essência para cada litro de água.
     O processo de fabricação dos perfumes, preferidos pelo público, é semelhante, mas com eles o método é um pouco mais complicado. Carla, vendedora da loja PolyStar Comércio de Essências, afirma que: “é necessário comprar a base preparada para o perfume (que contém álcool, propileno e fixador). Para cada meio litro é preciso adicionar cem mililitros de alguma essência, a que você preferir. São diversas as opções. Depois, é só colocar em um frasco escuro e esperar por sete dias”. Realmente, existem marcas famosas de perfume como por exemplo Hugo Boss, Nina Ricci, Calvin Klein. São universos de escolhas.
     Luana, funcionária da mesma loja, explica que: “o público, de maneira geral, é formado por lojistas que vem do interior. Mas também têm comerciantes que ficam no centro, vendendo os perfumes em embalagens parecidas com as originais. Essas pessoas normalmente compram essências sem muita qualidade, mais baratas, para conseguirem vender por um preço baixo também, pirateando as marcas verdadeiras”. É preciso usar a imaginação para criar produtos artesanais e personalizados, como aromatizantes, por exemplo. Para isso, os pequenos mercados da rua costumam ter de tudo um pouco. Palitinhos de madeira, embalagens coloridas, frascos de plástico, vidro, claros e escuros.
     Quase todos os estabelecimentos possuem sites. Neles é possível comprar qualquer artigo virtualmente e conhecer os processos de fabricação. No entanto, quando você escolhe adquirir uma mercadoria por lá, a parte mais importante e delicada fica no meio do caminho, cheirar. Embora não seja possível avaliar as essências no corpo, já que há muitos avisos para que o teste seja feito apenas pelo cheiro, é quase imprescindível sentir o aroma presente em cada frasquinho aproximando o nariz da tampa. Esse, aliás, é um hábito muito comum para quem costuma a frequentar a região.

Por: In Young Park e Marcela Schiavon