Introdução à Matemática Financeira/Juros Compostos

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O Juro Composto ou Capitalização Composta é um regime de capitalização especial, onde, ao final de cada período de capitalização, o juro do período é somado ao capital para formar o capital do próximo período. É a modalidade de capitalização mais difundida em financiamentos, empréstimos, títulos de capitalização.

Montante[editar | editar código-fonte]

Seja um capital , aplicado a uma taxa por períodos.

Ao final do primeiro período, teremos como montante o valor , acrescido o juro, que é calculado como :


Ou, de forma compacta


No final do segundo período de capitalização, o valor do montante é o montante do período anterior, acrescentado dos juros:


Desta vez, o fator comum que podemos isolar é :


Ou, de forma compacta,


Para períodos, a equação do Montante torna-se:


Compare=se esta equação com a equação do montante do juro simples:


Fator de Capitalização[editar | editar código-fonte]

A expressão é chamada de fator de capitalização, e antes do advento de calculadoras com a capacidade de calcular , costumava ocupar páginas e mais páginas no final dos livros de Matemática Financeira.

Juro[editar | editar código-fonte]

Sabemos que, não importa qual a modalidade de capitalização adotada, a equação que relaciona montante, capital e juro é sempre a mesma:


Isolando o juro:


Substituindo o montante pela sua equação:


ou


Seria esta a equação a utilizar para calcular o Juro, porém como a parte mais difícil corresponde à computação de , o usual é calcular o montante, e subtrair dele o capital para obter o juro.

Taxas Equivalentes[editar | editar código-fonte]

Taxas equivalentes são aquelas que aplicadas ao mesmo capital C, durante o mesmo intervalo de tempo, produzem o mesmo juro.

Por exemplo: Uma taxa de 12% ao ano é equivalente a uma taxa de 0,95% ao mês. Já uma taxa mensal de 1% é equivalente a 12,68% ao ano.

Taxa nominal e taxa real[editar | editar código-fonte]

Uma taxa que é dada em período de tempo diferente do qual é capitalizada é chamada de taxa nominal. O caso mais comum de aparecimento destas taxas é a expressão da taxa anual, mas cuja capitalização é mensal.

Neste caso para se chegar a taxa real de juros é preciso dividir a taxa nominal pelo número de períodos de capitalização que compreendem se igualam ao período expresso na taxa nominal e elevalo a estes n períodos.

Por exemplo: Uma taxa de 12% ao ano capitalizados mensalmente, corresponde a uma taxa de 1% ao mês que é equivalente a 12,68% ao ano. Se a mesma taxa nominal de 12% ao ano fosse capitalizada semestralmente teriamos uma taxa real de 6% ao semestre, o equivalente a 12,36% ao ano.