Portal:Engenharia/Bacharelado em Engenharia de Petróleo

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Bem-Vindo ao Curso de Graduação em Engenharia de Petróleo!
Mantido pelo Instituto de Engenharia

Introdução[editar | editar código-fonte]

Engenharia de petróleo é a área da engenharia que trata de todos os ramos relacionados à produção de hidrocarbonetos, que podem ser óleo ou gás natural. As atividades são divididas geralmente em duas grandes áreas: upstream refere-se às atividades de exploração e produção e downstream refere-se às atividades de refino e distribuição.

A Engenharia de petróleo normalmente é dividida em seis áreas básicas:

  • Engenharia de reservatórios;
  • Engenharia de perfuração;
  • Engenharia de completação;
  • Processo de produção;
  • Economia do petróleo;
  • Tecnologia offshore;

Além das áreas acima descritas a engenharia do petróleo envolve uma ampla gama de conhecimentos, sendo que podemos destacar fortes interações com as áreas de Geologia/Geofísica; Química e Engenharia Química, além de Automação e Controle.

No Brasil, a profissão do engenheiro de petróleo é reconhecida pelo CONFEA – Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia – na sua Resolução nº 218, de 29 de junho de 1973. Essa resolução, em seu art. 16, estabelece que o engenheiro de petróleo está habilitado a desempenhar todas as 18 atividades estabelecidas para o exercício profissional da engenharia, "referentes a dimensionamento, avaliação e exploração de jazidas petrolíferas, transportes e industrialização do petróleo; seus serviços afins e correlatos".

Pré-requisitos[editar | editar código-fonte]

As disciplinas obrigatórias compreendem as matérias de formação básica (matemática, física, química, informática)...

Plano Curricular[editar | editar código-fonte]

A. Engenharia de Reservatórios Engloba as seguintes atividades: determinação das propriedades petrofísicas das rochas reservatório e das propriedades dos fluidos da formação produtora de óleo e gás; estimativa da reserva; acompanhamento, planejamento e desenvolvimento de campos; interpretação de resultados de testes de pressão; simulação e previsão de comportamento de reservatórios de óleo e gás; métodos de recuperação.

B. Engenharia de Poço

B.1. Perfuração Contempla as atividades relacionadas ao projeto e perfuração, propriamente dita, do poço que faz a comunicação do reservatório com a superfície. O projeto do poço determina as várias fases de perfuração, envolvendo a seleção da técnica apropriada (para a perfuração, cimentação e revestimento do poço), do tipo de sonda, da unidade de perfuração, dos vários equipamentos (brocas, colunas de perfuração e revestimento, ferramentas de monitoração e controle de trajetória do poço, ferramentas de perfilagem, etc.) e dos fluidos de perfuração. No projeto e execução do poço são considerados os fatores econômicos e, principalmente, os aspectos de segurança inerentes à operação.

B.2. Completação Trata da preparação do poço para produção, envolvendo técnicas de isolamento das zonas produtoras e testes de vazão e pressão do poço. Dependendo-se do potencial produtor do reservatório, vinculado às propriedades petrofísicas da rocha e das propriedades dos fluidos do reservatório, há necessidade da utilização de técnicas de estimulação química (acidificação), mecânica (fraturamento hidráulico) ou químico-mecânica, para se aumentar a produtividade do poço. C. Processo de Produção Envolve o projeto, monitoração e garantia do fluxo de óleo/gás, do reservatório até a superfície, na planta de superfície, e o envio para os sistemas externos de transporte, ou armazenagem. Na linha de produção, são estudadas as propriedades de fluidos e comportamento de fases, fluxo de óleo e/ou gás no reservatório, escoamento multifásico no poço e nos dutos de produção, instalações de produção terrestres e marítimas, separação de óleo, gás e água, métodos de elevação artificial (bombeio de petróleo no caso de poços sem surgência natural), automação e controle de processos, sistemática de projeto de desenvolvimento de campo e gestão de produção. D. Economia do Petróleo Visa entender e diagnosticar a dinâmica de evolução das indústrias de petróleo e gás no Brasil e no Mundo, nas dimensões econômica, tecnológica e institucional. Compreende também o estudo dos instrumentos analíticos necessários para formular políticas e estratégias de ação para as empresas e outras instituições ligadas a estas indústrias. Algumas das competências relacionadas a Economia do Petróleo incluem: administração financeira, administração da produção, gerenciamento de projetos, controle de qualidade, análise de risco, otimização de sistemas.

Considerando o forte direcionamento das atividades da indústria petrolífera no Brasil para a produção no mar, bem como a importância das questões referentes ao Trabalho do Homem na indústria e suas fortes interações com o meio ambiente curso de Engenharia de Petróleo adiciona às quatro áreas tradicionais da engenharia de petróleo, apresentadas acima, duas novas áreas, a de tecnologia para explotação de petróleo no mar e a de Saúde, Segurança no Trabalho e Meio Ambiente.

E. Tecnologia para Explotação de Petróleo no Mar Trata do desenvolvimento de métodos e ferramentas para a definição, caracterização, dimensionamento e avaliação de sistemas flutuantes (navios, plataformas, estruturas oceânicas flutuantes, embarcações especiais etc) ou submarinos, utilizados para a exploração e produção de petróleo no mar.

F. Saúde, Segurança no Trabalho e Meio Ambiente A compatibilização entre a garantia da produção de petróleo e gás e as necessidades de um desenvolvimento sustentável conduz à necessidade de considerar como atores importantes o Homem e o Meio Ambiente. Esta área trata das questões relacionadas ao estudo de fatores humanos e a analise ergonômica do trabalho bem como da gestão ambiental da produção de petróleo e gás.


1º Período[editar | editar código-fonte]

  • Introducao a Economia:

Evolução da Ciência Econômica. Diferentes escolas de pensamento: fase pré-científica; do Mercantilismo às escolas modernas. Conceituação: problemas econômicos e necessidade humana. Trocas diretas e indiretas: fluxo circular da economia. Governo: suas funções econômicas. Empresas privadas: forma jurídica e financiamento. Contabilidade social: medidas dos agregados: a concepção clássica e a concepção keynesiana. Moeda: diferentes instituições financeiras, bancos comerciais. Política monetária e política fiscal: monetaristas e keynesianos. Setor externo: balanço de pagamentos. Noções de microeconomia: mercado e preços. O consumidor: procura e utilidade. Produção e custo. Visão alternativa dos custos. Estrutura de mercado.

  • Fundamentos da Engenharia de Petróleo:

Historia e economia do petroleo. Como a terra foi formada. Origens do petroleo e sua acumulacao. As atividades da industria: exploracao, performance e desenvolvimento de reservatorios, perfuracao e completacao de pocos, avaliacao de formacoes, elevacao natural e artificial, processamento, transporte, distribuicao. Sistemas de producao de petroleo. Contratos e regulamentacao. Nocoes de etica e profissionalismo.

  • Geologia para Engenheiros:

Revisao dos elementos basicos. Nocoes de petrografia e sedimentologia. Investigacao do terreno e amostragem. Elementos basicos de prospeccao geofisica. Geologia aplicada as obras civis.

  • Fundamentos de Quimica Orgânica e Quimica do Petroleo:

Estrutura Atômica. Estrutura molecular. Química do carbono. Estrutura do metano. Alcanos, alquenos e hidrocarbonetos aromáticos. Forças intermoleculares. Propriedades físicas. Origem do petróleo e gás natural. Composição do óleo cru. Classificação dos óleos crus. Frações de destilação do petróleo e principais usos. Processos básicos de uma refinaria. Principais operações de transformação de produtos de petróleo em uma refinaria. Visão geral da indústria petroquímica.

  • Computação I:

Introdução: História da computação. O impacto do computador no trabalho do engenheiro. Aplicações. Componentes básicos de um computador. Introdução à Lógica da Programação: Linguagens de programação. Linguagem de máquina, montagem e alto nível. Compiladores, interpretadores e esquemas híbridos. Informação e Dados. Noção de dado como informação codificada: Bits e bytes. Codificação de números (sistemas de numeração) e caracteres. Cadeias de caracteres. Lógica, sequência lógica e instruções. Conceito de algoritmos, estruturas de dados e programas. Elementos de programação: O computador como calculadora. Programa armazenado. Condições: Predicados e valores booleanos. O comando if. Algoritmos e estruturas de dados sequenciais: O comando while. Listas. O comando for. Strings e tuplas. Dicionários. Arquivos. Programação estruturada: Subrotinas (funções). Recursão. Estruturas de dados abstratas. Módulos e bibliotecas. Programação orientada e objetos.

  • Calculo Diferencial e Integral I:

Sequências Numéricas; Limites; Continuidade; Cálculo e Aplicação das Derivadas; A Integral Definida; Técnicas de Integração: Logaritmo e Exponencial; Aplicações de integrais definidas; Integral Imprópria.

2º Estágio[editar | editar código-fonte]

  • Sistemas Projetivos:

Sistemas de Projeção, Sistema Mongeano. Seções Planas. Métodos Descritivos. Aplicações em Vistas Ortográficas, Cortes e Seções. Axonometria: Perspectivas Isométricas e Obliqua.

  • Fisica Experimental I - A:

Introdução à medida:como medir;como expressar corretamente os valores medidos;estimar a precisão de instrumentos.Dispersão de uma medida:controle de grandezas físicas numa experiência;como caracterizar a dispersão de um conjunto de dados por um indicador apropriado.Cinemática unidimensional: desenvolvimento intuitivo e operacional dos conceitos de velocidade e aceleração.Representação e análise gráfica.leis de Newton;como definir operacionalmente a inércia e um corpo;relação massa inercial-massa gravitacional.Colisões unidimensionais elásticas,semi-elásticas e inelásticas;modelo teórico de uma colisão unidimensional.

  • Fisica I - B:

Introducao. Vetores. Velocidade e aceleracao vetoriais. Os principios da dinamica. Aplicacoes das leis de Newton. Trabalho e energia mecanica. Conservacao da energia. Momento linear e conservacao do momento linear. Colisoes. Rotacao e momento angular. Dinamica de corpos rigidos. Forca que varia inversamente ao quadrado da distancia (gravitacao).

  • Computação II:

Programação orientada a objetos com a linguagem Python: classes, instâncias, mensagens e métodos. Objetos como encapsulamento de algorítmos e estruturas de dados. Atributos de classe (variáveis de instância). Notação ponto. Construtores. Polimorfismo. Herança e redefinição de métodos das sub-classes. Sobrecarga de operadores (métodos "mágicos"). Exceções: A classe Exception e suas subclasses. Tratamento de exceções: blocos try, except e finally. Comando raise para lançar uma exceção. Exceções pré-definidas. Módulos, escopos e espaçoes de nomes. Pacotes. Arquivos texto e arquivos binários em Python. Funções para abrir, fechar, ler, gravar e reposicionar arquivos. Lendo e escrevendo linhas. Módulo pickle para gravar e ler objetos serializados em arquivos. Interfaces gráficas (GUI) em Python. Pacotes para aplicações matemáticas e em engenharia: numpy (vetores, matrizes, álgebra lienar) e matplotlib (aplicações gráficas).

  • Calculo Diferencial e Integral II:

Equações diferenciais ordinárias de primeira ordem e equações diferenciais ordinárias de segunda ordem com coeficientes constantes. Curvas e vetores no plano. Vetores no espaço tridimensional e geometria analitica solida: retas e planos. Cilindros e superfícies de resolução, superfícies quadráticas. Regras da cadeia, curvas de nivel. Derivadas direcionais e gradientes; plano tangente e reta normal e superficie; diferencial, superficie de nivel. Maximos e minimos e multiplicadores de Lagrange.

  • Algebra Linear II:

Sistemas de equações lineares e Eliminação Gaussiana. Matrizes e determinante. Espaços vetoriais Euclidianos. Geometria dos espaços vetoriais de dimensão finita. Transformações lineares. Espaços vetoriais com produto interno. Ortogonalidade e mínimos quadrados. Autovalores e autovetores. Teorema espectral. Aplicações à solução de Equações Diferenciais Ordinárias e em Geometria Euclidiana.

3º Estágio[editar | editar código-fonte]

  • :

'


  • :

'


  • :

'


  • :

'


  • :

'


  • :

'


  • :

'


  • :

'


  • :

'


AGUARDAR, EM CONSTRUÇÃO . . .

4º Estágio[editar | editar código-fonte]

5º Estágio[editar | editar código-fonte]

6º Estágio[editar | editar código-fonte]

7º Estágio[editar | editar código-fonte]

8º Estágio[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]