Coleta de sangue venoso

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Dentro de um laboratório de análises clínicas, a maioria dos exames são feitos a partir de uma amostra de sangue venoso. Portanto, saber as técnicas de coleta é de suma importância, embora a prática só venha com a experiência.

A amostra

Do ponto de vista da sua constituição, o sangue é considerado um “sistema” complexo, constituído de elementos sólidos ou figurados (hemácias, leucócitos e plaquetas), substância líquida (soro ou plasma) e elementos gasosos (O2 e CO2). Para obtê-lo, os profissionais devem realizar o que chamamos de coleta de sangue, punção venosa ou venipunção.

Pré-coleta: Anamnese

Antes de realizar o exame, o laboratório deve informar ao paciente a respeito do exame que ele irá se submeter, além de dar instruções como a necessidade de jejum, cuidados com a alimentação (caso não seja exigido jejum), horário de funcionamento de coleta entre outros. O paciente por sua vez deve informar ao laboratório pontos importantes, como por exemplo a utilização de algum medicamento.

Após isto, o paciente é cadastrado no laboratório.

Tubos de Coleta

Os tubos de coleta são diferenciados pela cor, por possuírem diferentes anticoagulantes para diferentes testes.

(COR, ANTICOAGULANTE, MECANISMO DE AÇÃO, AMOSTRA OBTIDA, APLICAÇÕES)

Roxo:EDTA, Liga cálcio, Sangue total ou plasma, Exames de hematologia/CD4+/CD8+/carga viral/hemoglobina glicosilada

Azul:Citrato de sódio, Liga cálcio, Sangue total ou plasma, Exames de coagulação

Vermelho:com ou sem ativador de coágulo, Acelera a coagulação, Soro, Exames sorológicos/bioquímicos/hormonais

Amarelo:Ativador de coágulo, Acelera a coagulação, Soro, Exames sorológicos/bioquímicos/hormonais

Verde:Heparina, Inibe Trombina, Sangue total ou plasma, Exames bioquímicos

Cinza:Fluoreto de sódio com EDTA, Inibe degradação de glicose, Plasma, Exames de glicose/lactato

Preparação do paciente

Deve-se sempre conferir a identidade do paciente e, após isto devemos explicar a ele os procedimentos de coleta que serão realizados; etiquetando os tubos na frente dele.

Garroteamento

O garrote é utilizado durante a coleta de sangue para facilitar a localização das veias, tornando-as proeminentes. Deve ser colocado no braço do paciente próximo ao local da punção (4 a 5 dedos ou 10 cm acima do local de punção); sendo que não deve ser deixado no braço do paciente por mais de 1 minuto. Logo após a punção, devemos retirar ou afrouxar o garrote, pois o garroteamento prolongado pode acarretar 4, 5 alterações nas análises, por exemplo: cálcio.

Seleção da veia a ser puncionada

A regra básica é examinar bem o paciente. As características da veia poderão ser reconhecidas através do apalpamento das mesmas e um exame visual. Em princípio, qualquer veia pode ser puncionada, desde que apresente bom calibre, flexibilidade e integralidade. As veias de maior calibre e, consequentemente as de mais fácil coleta, estão localizadas no braço; mas se não encontrar, podemos nos dirigir à mão e ao pé. Nunca devemos aplicar “tapinhas” no local escolhido para a punção, principalmente em idosos, pois se forem portadores de ateroma poderá haver deslocamentos das placas acarretando sérias consequências. Não devemos escolher lugares com terapia ou hidratação intravenosa, locais com cicatrizes ou queimadura, perto de onde foi realizado uma mastectomia, cateterismo ou qualquer outro procedimento cirúrgico, áreas com hematomas, abscessos, que já sofreram trombose (pouco flexíveis) e com múltiplas punções recentes.

Materiais necessários para todos os tipos de coleta de sangue

. Gaze ou algodão hidrófilo

.Álcool etílico a 70%

Tubos de coleta 4.

Etiquetas para identificação de amostras

Estante para tubos

Descarpack para desprezar material perfurocortante

Lixo seco

Lixo infectante

Garrote

Luvas descartáveis

Stopper

Seringa

Agulha

Materiais para coleta de sistema a vácuo 1. Garrote 2. Stopper 3. Tubos de coleta 4. Agulha especial para procedimento a vácuo 5. Adaptador para agulha (canhão) OBS I:Texto em itálico Existem vários tipos de agulhas. Os comprimentos e diâmetros das agulhas são expressos em milímetros (mm); por exemplo: uma agulha de 25x0,8 mm corresponde a 25 mm de comprimento e 0,8 mm de diâmetro. OBS II:Texto em itálico As agulhas para procedimento à vácuo, possuem além da descritas, características a mais. Em uma extremidade está o bisel que fará a punção; na outra o bisel está recoberto por uma camada de borracha na qual irá penetrar no tubo. Entre as extremidades há uma rosca a ser colocada no adaptador da agulha

Materiais para coleta por punção digital 1. Cartão de coleta com círculos demarcados em papel-¬filtro e área para identi-ficação da amostra 2. Lanceta 3. Suporte para secagem do papel-filtro.

Técnica para coleta de sangue venoso 1. Verifique se você possui todos os materiais necessários 2. Higienize as mãos 3. Chame o paciente pelo nome completo, conferindo ao chegar ao local de coleta 4. Peça-o para se acomodar na cadeira 5. Informe ao paciente todos os procedimentos que serão feitos 6. Ordene o material a ser utilizado 7. Identifique os tubos na frente do paciente 8. Coloque as luvas descartáveis 9. Posicione o braço do paciente na braçadeira 10. Analise o braço do paciente (sem garrote ainda) 11. Escolha o calibre da agulha 12. Garroteie e escolha o local da punção (se precisar, peça ao paciente para que abra e feche a mão) 13. Faça a antissepsia no local 14. Retire a capa da agulha e imediatamente faça a punção com o bisel da agulha voltado para cima num ângulo de 30˚(caso exista a flacidez no local da coleta, estique a pele com os dedos para ¬fixar a veia). 15. Retire o sangue 16. Solte o garrote 17. Com algodão seco por cima da agulha, retire-a 18. Peça para o paciente segurar o algodão seco fazendo pressão sobre o local 19. Descarte a agulha no descarpack 20. Coloque o sangue no tubo e homogeneíze por inversão 21. Coloque o tubo na estante para tubos 22. Quando parar a hemorragia, coloque o stopper no local da punção 23. Oriente o paciente a ficar com o braço esticado por no mínimo 5 minutos para evitar hematomas 24. Retire as luvas e descarte no lixo infectante 25. Acompanhe o paciente a sair da sala de coleta 26. Organize o local