Coletivo Ubuntu

Fonte: Wikiversidade
Crystal Clear filesystem trashcan full.png Esta página foi proposta para eliminação, em pedidos de eliminação de páginas.

Evite editar, pode no entanto adicionar um comentário a esta proposta de eliminação.

Quem somos?[editar | editar código-fonte]

O Coletivo Ubuntu tem se constituído como um grupo de estudantes que não restringe sua atuação ao movimento estudantil, estando aberto para construção de projetos junto a outros setores do povo. Acreditamos que o ser humano deve abandonar o individualismo, o antropocentrismo e o egoísmo, coisa que nesse momento histórico não pode se fazer em plenitude sem a adoção de uma postura de luta contra as formas de opressão dadas, combinadas a luta pelo fim da sociedade capitalista que aprofunda essas contradições nos antagonismos intrínsecos a ela. Frente a esses objetivos, adotamos e buscamos dar nova significação a postura Ubuntu. Neste sentido, trabalhamos em duas frentes que julgamos importantes para a essa mudança de postura.

Entendemos que o o racismo, tendo o negro como alvo, nasceu e foi alicerce para um dos negócios mais lucrativos do capitalismo e as cicatrizes do negócio não se fecharam até hoje pois o racismo continua se reinventando, escravizando pessoas, países e continentes, e matando. O racismo só pode ser combatido se todas e todos, independente de sua cor, se empenharem em discutir a questão racial, entendendo o contexto histórico em que se origina o racismo e como ele se reinventa a cada dia. Devemos uns tomar consciência do peso histórico que carregamos nas costas e ocuparmos os meios de comunicação; outras e outros devemos nos reconhecer como privilegiados(as) socialmente por termos nascido com tal cor em tal lugar, em tempos racistas e não podemos permanecer confortáveis com injustiças tão profundas, devemos nos colocar ao lado da luta protagonizada pelos nossos irmãos e irmãs negras.

Além disso sabemos que a América Latina toda compartilha um passado no qual os braços e a terra foram explorados e saqueados constantemente desde os tempos da conquista do novo mundo. Hoje vemos que a região guarda características essenciais do ponto de vista da geoestratégia do sistema em sua nova fase e por isso tem-se o interesse de manter e aprofundar o sofrimento dos povos sem o qual o modelo econômico em crise já não pode se manter. Para que não seja esse também nosso futuro, devemos nos organizar e construir um futuro de solidariedade e de aliança entre todos os povos latino-americanos, desde o Rio Bravo até a Terra do Fogo. Isso só será possível se o povo tomar os meios de comunicação (e educação) da burguesia local que se alia aos interesses do imperialismo da outra América. Não podemos seguir entendendo a história como querem contar os dominadores. Não podemos continuar suportando a injustiça que sofrem os povos latino-americanos, a xenofobia e o racismo bebem da mesma fonte. Necessitamos promover uma educação e comunicação que nos lembre que a América Latina é nossa grande pátria!

Curta nossa página Coletivo Ubuntu no Facebook.

Reuniões todas as terças às 18h, no Diretório Acadêmico Abrahão de Moraes (DAAM) - Rua Piauí, nº87 (Subsolo) - São Paulo

Para entrar em contato: Facebook do Coletivo Ubuntu

Frente Negra[editar | editar código-fonte]

Na frente negra, o Coletivo atua debatendo a questão racial e produzindo comunicação anti-racista.

Cronograma[editar | editar código-fonte]

O cronograma estabelece a ordem em que os temas serão discutidos, mas não necessariamente a data, pois um tema pode se estender por mais de um encontro.

Etnia, Raça e Racismo[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

UMA ABORDAGEM CONCEITUAL DAS NOÇÕES DE RAÇA, RACISMO E ETNIA - KABENGELE MUNANGA

Material de estudo complementar:

AS RELAÇÕES COTIDIANAS E A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NEGRA - RICARDO FRANKLLIN FERREIRA & AMILTON CARLOS CAMARGO. 2011

NEGRITUDE E IDENTIDADE NEGRA OU AFRODESCENDENTE: UM RACISMO AO AVESSO? - KABENGELE MUNANGA. 2012

O RACISMO COMO ARMA DE DOMINAÇÃO - GRUPO DE ESTUDOS E AFRICANIDADES –GRUPO KILOMBAGEM. 1994

O EFEITO DO SEXO: POLÍTICAS DE RAÇA, GÊNERO E MISCIGENAÇÃO - OSMUNDO DE ARAÚJO PINHO

O que é ser negr@?[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

Material de estudo complementar:
CASS (Longa-metragem)

Negritude, Branquitude e Branqueamento[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

Material de estudo complementar:


Relações Afetivas Inter-raciais[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

Material de estudo complementar:


Relações Raciais na Escola[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

Material de estudo complementar:


Prática Culturais Antirracistas[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

Material de estudo complementar:


Quilombos no Período Escravocrata e Pós-abolição[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

Material de estudo complementar:


Raça e classe como tática e estratégia de luta contra o racismo[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

Material de estudo complementar:


Manifestações Culturais Afro-latinoamericanas[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

Material de estudo complementar:


Banco de dados com materiais de estudo[editar | editar código-fonte]

Dropbox - Frente Negra



Frente Latinoamericana[editar | editar código-fonte]

Cronograma Frente Latinoamericana:[editar | editar código-fonte]

Sempre tentar relacionar com hoje


1-Identidade Latina - americana[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:
Ruy Mauro Marini e a dialética da dependência (Documentário)

Material de estudo complementar:


2-Povos Précolombianos - Geral[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

Material de estudo complementar:


3-Resistência Indígena- TUPAC AMARU, Bolívia e Brasil (hoje)[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

Material de estudo complementar:


4-Desenvolvimento do Capitalismo - contemplar tipos de exploração[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

Material de estudo complementar:


5-Independências- Haiti e outros países que foram revoltas populares[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

Material de estudo complementar:


6-Guerras Interiores- do Paraguai, do Chaco e do Pacífico (reflexos hoje)[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

Material de estudo complementar:


7-Ditaduras - Vargas e Perón (contemplar 2 guerra) Reflexos hoje[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

Material de estudo complementar:


8-Ditaduras Civis-Militares- contemplando movimentos e redemocratização[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

Material de estudo complementar:


8.1-Guerra Fria/Imperialismo EUA[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

Material de estudo complementar:


8.2- América central= México, Nicarágua, Guatemala, El Salvador[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

Material de estudo complementar:


8.3- Caribe= Revolução Cubana, Jamaicana, Haitiana[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

Material de estudo complementar:


8.4- América do Sul (todas)[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

Material de estudo complementar:


9- Governos atuais: Venezuela, Cuba, Equador, Bolívia, Colômbia, Haiti, Uruguai, Brasil, Nicarágua, Argentina[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

Material de estudo complementar:


10-Blocos Econômicos e Políticos: SELAC, SIBA(?), MERCOSUL, UNASUL, OEA, IRSSA, ALBA[editar | editar código-fonte]

Material de estudo principal:

Material de estudo complementar: