Envelhecimento cutanio

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Envelhecimento cutâneo


O envelhecimento ou senilidade é um processo natural que se inicia desde o nascimento, é resultante de alterações homeostáticas que levam a modificações fisiológicas em todos os órgãos e tecidos do corpo.

A pele enquanto órgão externo é a que mais rapidamente evidencia sinais do processo de envelhecimento, através de alterações macroscópicas da sua morfologia como enrugamento, flacidez, desidratação e hiper ou hipopigmentação que se tornam, mais evidentes a partir da terceira idade.

Genericamente são considerados dois tipos de envelhecimento: cronológico e ambiental.

Envelhecimento intrínseco ou cronológico é influenciado por fatores cronológicos, fototipo de pele, funcionamento endócrino, genética, fatores imunitários e vasculares.

Com o avançar da idade vão ocorrendo alterações orgânicas como menor funcionalidade do DNA e RNA, com diminuição da diferenciação celular, da síntese de proteínas, hemoglobina e andrógenos, diminuição da contracção muscular e redução da bioeletricidade celular, fatores que conduzem ao envelhecimento da pele.

Na epiderme verifica-se uma diminuição do número de células por camada, com aumento da permeabilidade da mesma. Ao nível da derme, decorrente de um desequilíbrio entre formação/degradação, ocorre degeneração de elementos celulares e extracelulares, como diminuição da diferenciação de fibroblastos, diminuição da produção de fibras de colagénio e elastina bem como de glicoproteínas e proteoglicanos.

As alterações orgânicas referidas levam a diminuição da atividade ganglionar, diminuição das trocas metabólicas por achatamento das papilas dermo-epidérmicas com endurecimento dos capilares e fibras de colagénio. A pele torna-se fina, seca e enrugada.

A perda de tecido adiposo e a perda de massa muscular decorrente do processo de envelhecimento associada à redução de atividade física, conduz a um agravamento dos sinais externos de envelhecimento. Por volta dos 80 anos, o individuo já perdeu aproximadamente 50% da massa muscular.


Também o excesso de mímica é um fator relacionado com o envelhecimento precoce, contribuindo para a instalação de rugas de expressão.

Envelhecimento extrínseco ou ambiental - Associado a fatores como exposição solar, tabaco, stress, poluição, condições climáticas, hábitos alimentares e de sono, desordens emocionais e uso incorreto de cosméticos/medicamentos conduzem a um agravamento acentuado do envelhecimento biológico, devido ao efeito tóxico dos radicais livres, que destabilizam as moléculas do organismo, implicando alteração da atividade celular, com consequências nefastas como mutações e necroses.

As células, as proteínas bem como os componentes extracelulares como o ácido hialurónico da pele são frequentemente alvo da ação dos radicais livres, sofrendo a alterações morfológicas da pele como rugas profundas, manchas senis, queratoses actínicas, ou até mesmo a cancro da pele.

Rugas


A partir dos 30 anos começam a instalar-se os primeiros sinais de envelhecimento, devido a uma queda gradual do metabolismo basal, com acúmulo de gordura na camada subcutânea e perda da ação muscular, começando nesta década a instalar-se flacidez.

Posteriormente e por diminuição da atividade mitótica e diminuição da produção de sebo decorrente da queda das hormonas andrógenas próximo da menopausa a pele torna-se mais fina e seca, ficando mais suscetível ao aparecimento das rugas.

As rugas são formadas pela diminuição da espessura da epiderme, derme e camada subcutânea, bem como degeneração das fibras elásticas e colágenas da derme. Têm como base as linhas de tensão da pele.

A avaliação clínica permite classificá-las como superficiais quando desaparecem com o estiramento da pele, são essencialmente decorrentes do envelhecimento cronológico ou caso contrário são classificadas como profundas, que se devem maioritariamente à exposição solar. Podem ainda ser classificadas como estáticas (estão sempre presentes), dinâmicas (surgem com a repetição do movimento) ou gravitacionais (resultantes de flacidez, culminando com ptose da pele por ação da gravidade).

As rugas não podem ser evitadas, embora existam medidas para preveni-las e minimiza-las.

Recursos terapêuticos no envelhecimento:

De todos os tratamentos existentes, a prevenção do fotoenvelhecimento através de fotoproteção é indubitavelmente o método mais eficaz;

Antioxidantes exógenos, vitaminas E, A e C, oligoelementos como o magnésio e o selénio presentes em alimentos como vegetais neutralizam a ação dos radicais livres sobre moléculas normais; Cinesioterapia e electroestimulação, aumentando o metabolismo e oxigenação tecidular, permitindo prevenção da flacidez muscular; Peelings químicos; Terapia de Indução de Colagénio (dermaroller); Eletrolifting; Radiofrequência; Terapias trasdérmicas com princípios ativos anti-envelhecimento como Vitaminas A e C, oligoelementos, DMAE; Procedimentos médicos (preenchimentos e lifting facial). Artigo com Tags dermato funcional, envelhecimento, flacidez, rugas Por Dermato Funcional em Patologias 17.09.2012