História do Jornalismo

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A disciplina História do Jornalismo faz parte do currículo básico do Bacharelado em Jornalismo da Wikiversidade e é oferecida para alunos do 2º período. O pré-requisito é História da Comunicação.

Objetivos[editar | editar código-fonte]

Contextualizar historicamente o surgimento da imprensa no mundo e nos países lusófonos. Promover o debate sobre o papel da imprensa ao longo da História na contemporaneidade. Demonstrar e discutir a ação do jornalista na história, ressaltando as mutações da profissão, vinculando o trabalho jornalístico às transformações da sociedade capitalista. Analisar os condicionamentos enfrentados pelos jornalistas e as opções adotadas nas diversas conjunturas históricas. vidas de varias pessoas mudam por causa desse jornal

Ementa[editar | editar código-fonte]

Estudo do jornalismo enquanto produção e circulação da informação no capitalismo a partir do século XVI, nos momentos de rupturas e de tensões sociais, com destaque para conjunturas da história a partir do século XVIII.

Conteúdo programático[editar | editar código-fonte]

Pré-Jornalismo[editar | editar código-fonte]

  1. História dos conceitos, técnicas e organizações jornalísticas.
  2. Função social, política, econômica e cultural do jornalismo.
  3. O jornalismo como história em feitura permanente: narrativa do presente.
  4. Desenvolvimento dos meios de comunicação e impacto nos acontecimentos sociais.
  5. A pré-história da imprensa.
    1. Os primórdios do jornalismo: relatos de viajantes na Antigüidade.
    2. A Acta Diurna romana.
    3. Os trovadores medievais como cantadores de notícias.
    4. A invenção da tipografia e da prensa móvel (Gutenberg).

Gênese do Jornalismo[editar | editar código-fonte]

  1. Século XVI ao XVIII
    1. A evolução da tipografia.
    2. Ambiente socioeconômico e religioso na transição da Idade Média para a Idade Moderna.
    3. O Renascimento, a Reforma e as novas necessidades de informação.
    4. Condições históricas do surgimento e formação de um público leitor.
    5. As primeiras gazetas e corantos (Países Baixos e Alemanha).
    6. Diversificação da imprensa nos séculos XVII e XVIII.
      1. Criação dos primeiros impressos periódicos com conteúdo noticioso.

Jornalismo Pré-Industrial[editar | editar código-fonte]

  1. Século XVIII
    1. A revolução industrial e as grandes invenções.
    2. Imprensa e transformações históricas na modernidade: Revolução Inglesa (1688) e início do capitalismo.
    3. Os jornalistas na Revolução Francesa, nas Guerras Napoleônicas e na ascensão da burguesia.
      1. O L'Ami du Peuple.
  2. Século XIX (até c.1870)
    1. Da fase romântica à fase industrial.
    2. Transição para os jornais impressos diários.
    3. Evolução dos regimes políticos e seus efeitos na imprensa.
    4. Predomínio dos padrões franceses.
    5. O jornalismo de campanha: manifestos e virulência em folhas artesanais.
    6. A imprensa popular: pasquins e tablóides.
    7. O jornalismo e as lutas da classe operária na Europa (cartistas, socialistas, anarquistas).
    8. O jornalismo e os nacionalismos europeus.
      1. O caso Dreyfuss.

Jornalismo Industrial[editar | editar código-fonte]

  1. Século XIX (pós-1870)
    1. A era dos grandes jornais.
    2. A evolução dos processos de comunicação impressa.
    3. Inovações tecnológicas na produção de jornais:
      1. Introdução da máquina a vapor na impressão.
      2. O linotipo e a impressão a quente.
    4. As agências de notícias.
    5. O telégrafo.
    6. A imprensa sensacionalista e o aumento das tiragens.
    7. Luz elétrica, telefone e rádio: notícias imediatas.
    8. A produção industrial de jornais e o surgimento do lide.
    9. O modelo estadunidense de jornalismo: lide, objetividade, descrição e serviço.
    10. Imprensa e expansão capitalista dos EUA nos séculos XIX-XX.
  2. Século XX
    1. A Primeira Guerra Mundial.
    2. Os jornalistas e a esquerda: a Revolução Russa de 1917.
    3. Imprensa e ascensão do nazi-fascismo.
    4. Imprensa e Grande Depressão.
    5. O surgimento do jornalismo no rádio.
    6. O jornalismo de esquerda europeu: o Libération, o L'Humanité, o Il Manifesto.
    7. O jornalismo no mundo socialista: do agitprop à contra-informação. O Pravda. A TASS. A Xinhua. A Tanjug.
    8. Da imprensa à mídia: influência e polarização na Guerra Fria (1945-1989)
    9. Jornalismo e controle da informação em fins do século XX.

Jornalismo Pós-Industrial[editar | editar código-fonte]

  1. Século XXI
    1. Jornalismo, globalização e mercado.
    2. O advento das novas tecnologias.
    3. A Internet e seu alcance mundial.
    4. Fim da bipolaridade e abandono da objetividade: a imprensa estadunidense na invasão ao Iraque (2003)
    5. Novas tecnologias e alternativas para o jornalismo (imprensa alternativa, micro-empresas, twitter etc.)
    6. Jornalismo fora da mídia: jornalismo cidadão, jornalismo colaborativo, wikijornalismo
    7. Censura e liberdade de imprensa.

História da Imprensa no Brasil[editar | editar código-fonte]

  1. História do Jornalismo no Brasil: periodização, temas e personagens.
    1. Relações entre imprensa e poder no Brasil.
    2. Nascimento tardio da imprensa brasileira em relação à América Hispânica.
    3. Proibição das prensas e folhas de notícias pré-1808.
    4. O surgimento da imprensa no Brasil Colônia: Correio Braziliense x Gazeta do Rio de Janeiro
    5. Imprensa áulica, panfletária e artesanal.
    6. Papel da imprensa na independência.
    7. Desenvolvimento da imprensa durante o Primeiro Reinado.
      1. D. Pedro I e a Censura.
      2. Papel da imprensa na abdicação de D. Pedro I.
    8. Imprensa brasileira durante a Regência e o Segundo Reinado
      1. Papel da imprensa na Maioridade.
      2. Suspensão da Censura sob D. Pedro II.
      3. Imprensa dos coronéis, bacharéis e menestréis.
      4. Dependência técnica e cultural da imprensa brasileira.
      5. Jornalismo e desenvolvimento capitalista no Brasil
      6. Papel da imprensa na proclamação da República.
    9. Jornalismo brasileiro durante a República Velha, Tenentismo e Revolução de 30.
      1. Imprensa das elites e imprensa dos trabalhadores.
      2. Panorama da imprensa sob a censura do Estado Novo.
    10. Imprensa brasileira na República Nova
      1. Ascensão do império de Assis Chateaubriand (Associados).
      2. Reformas do Diário Carioca e do Jornal do Brasil.
      3. Transformações originadas pelo rádio e pela televisão....
      4. Desenvolvimento da atividade profissional do jornalista no Brasil.
        1. Constituição de um mercado de trabalho e ação política e social.
        2. Das associações corporativas aos sindicatos profissionais.
    11. Imprensa brasileira no Regime Militar e Redemocratização
      1. Os jornalistas e o golpe de 1964: opções ideológicas e profissionais.
      2. Jornalistas brasileiros exilados.
      3. Panorama da imprensa sob a censura da Ditadura Militar.
      4. Jornalistas brasileiros e resistência à (ou colaboração com a) Ditadura.
      5. Criação dos cursos de Comunicação Social no Brasil.
      6. Lei da Imprensa, regulamentação da profissão e exigência do diploma.
      7. Ascensão do império de Roberto Marinho (Globo).
      8. Movimentos sindicais e greves de jornalistas nos anos 1980.
      9. A mídia e o processo de redemocratização: das Diretas às eleições de 1989.
      10. Informatização das redações e mudança do perfil dos jornalistas brasileiros.
  2. Características da imprensa brasileira na atualidade.
  3. Relação com a realidade brasileira.

História da Imprensa em Portugal[editar | editar código-fonte]

  1. Primeiras gazetas em lisboa.
  2. Imprensa pombalina e Censura.
  3. Os jornais e a Guerra Peninsular.
  4. A imprensa e a Revolução do Porto.
  5. A imprensa e as Guerras Miguelinas/Liberais.
  6. A "Lei das Rolhas".
  7. O nascimento do Diário de Notícias.
  8. A imprensa republicana no início do século XX.
  9. A Censura salazarista.
  10. Criação da Radiotelevisão Portuguesa (RTP).
  11. A Rádio Renascença e a Revolução dos Cravos.
  12. A ascensão da SIC.

História da Imprensa nos PALOP[editar | editar código-fonte]

  1. Angola: a ANGOP e a cooperação internacional com os não-alinhados.
  2. Moçambique:
  3. Guiné-Bissau: atividade jornalística de Amílcar Cabral.
  4. Cabo-Verde:
  5. São Tomé e Príncipe:

Metodologia de aula[editar | editar código-fonte]

  • aulas expositivas
  • debates com participação dos alunos
  • discussões dos temas apresentados
  • exibição de filmes, projeções, áudio e material multimídia

Avaliação[editar | editar código-fonte]

  • prova escrita dissertativa
  • trabalho monográfico individual

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • BAHIA, Juarez. Jornal: história e técnica (vol. 2). São Paulo: Ática, 1990.
  • BALZAC, Honoré de. Os Jornalistas. São Paulo: Abril Cultural, 1981.
  • CAPALDI, Nicholas. Da Liberdade de Expressão, Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1974.
  • CAPELATO, Maria Helena R.. Imprensa e História do Brasil. São Paulo: Contexto/Edusp, 1988.
  • CLARK, Walter. Campeão de Audiência. São Paulo: Best Seller, 1988.
  • COSTA, Cristiane. Pena de aluguel: escritores jornalistas no Brasil 1904-2004. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.
  • CRUZ, Heloisa de Faria. São Paulo em papel e tinta: periodismo e vida urbana 1890-1915. São Paulo: Edusp/Fapesp, 2000.
  • DARTON, Robert e ROCHE, Daniel (orgs.). Revolução Impressa: A Imprensa na França, 1775-1800. São Paulo: EdUSP, 1996.
  • EMERY, Edwin. História da Imprensa nos Estados Unidos. Rio, Lidador, 1965.
  • EMERY, Edwin & Michael Emery. The Press and America: An Interpretative History of Mass Media. Nova Jérsei, Prentice Hall, 1978.
  • GODECHOT, Jacques et alii. Histoire Générale de la Presse Française. P.U.F., 5 vol.
  • HERZ, Daniel. A História Secreta da Rede Globo. Porto Alegre: Tchê, 1987.
  • LE GOFF, Jacques (org.). A História Nova. 2ª ed., trad. Eduardo Brandào, SP, Martins Fontes, 1993.
  • LENIN, V. I.. La Información de Clase. 3ª. ed., México, Siglo Veintiuno Editores, 1978.
  • MARCONDES FILHO, Ciro. Jornalismo: a saga dos cães perdidos. São Paulo, Hacker Editores, 2000.
  • MARTINS, Ana Luiza. LUCA, Tania Regina de (orgs.). História da Imprensa no Brasil. São Paulo: Contexto, 2008.
  • MARTINS, Rocha. Pequena História da Imprensa Portuguesa. Lisboa: Editorial Inquérito, 1942.
  • SODRÉ, Nelson Werneck. História da Imprensa no Brasil. São Paulo: Martins Fontes, 1966.
  • SOUSA, José Manuel Motta de. VELOSO, Lúcia Maria. História da Imprensa Periódica Portuguesa: subsídios para uma bibliografia. Coimbra: Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra, 1987.
  • TENGARRINHA, José. História da Imprensa Periódica Portuguesa. Lisboa: Portugália, 1965.
  • Imprensa em Portugal até ao século XVII. in: Infopédia (online). Porto: Porto Editora, 2003-2009. [Consult. 2009-03-24]. Disponível em http://www.infopedia.pt/$imprensa-em-portugal-ate-ao-seculo-xvii.

Reportagens Históricas[editar | editar código-fonte]

  • BERNSTEIN, Carl & Bob Woodward. Todos os Homens do Presidente. Rio, Francisco Alves, 1978.
  • HIME, Gisely. O jornalista Zola e o Caso Dreyfus (l894-1906) : Reflexões sobre o exercício do jornalismo (manuscrito)
  • MITTERAND, Henri. Zola Journaliste, Paris, Armand Colin, 1962.
  • REED, John. Dez Dias que Abalaram o Mundo. S.P., Edições Sociais, 1965.
  • CAPOTE, Truman. In Cold Blood (A Sangue Frio), Random House, Estados Unidos, 1966.