Jogo 2014/Aula 3

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

27 de Março, 2014

Aula 03,trio 2 Pedro Junior,Renata Marins e Tiemi 

I.Tema e Objetivo da Aula[editar | editar código-fonte]

O tema da aula foi a história cultural do brinquedo e a influência do brinquedo no desenvolvimento infantil.

O objetivo da aula foi apresentar a importância do brinquedo, e suas diferenças culturais com relação ao passado e os dias de hoje.

II.Materiais e Espaços Utilizados[editar | editar código-fonte]

Nessa aula o espaço utilizado foi a sala de aula por ser uma aula mais conceitual e o material utilizado foi o data show e os textos apresentados pelo trio responsável e pelo professor.

III.Método Didático[editar | editar código-fonte]

Uma aula conceitual do módulo Jogo, servindo mais para a explanação do assunto abordado na aula.

IV.Descrição das Atividades/Discussões e Dúvidas dos alunos[editar | editar código-fonte]

Primeira Parte da Aula: NOTÍCIA[editar | editar código-fonte]

No início da aula o professor apresentou a notícia Brinquedo de criança, lucro de gente grande, e apresentou a seguinte questão:

"Você, como educador físico foi chamado para um trabalho na brinquedoteca de um hospital, quais brinquedos você indicaria?. Vocês indicariam o uso de bonecas Barbies?

Essa questão possibilitou diversas discussões, como de alguns itens relacionados abaixo:

- A Barbie como sonho de toda menina, elas almejam ser igual a Barbie.
- Apesar de quase todas as meninas terem Barbie em sua infância, nem todas se espelharam nela e quiseram ser como ela.
- Como a imagem "perfeita" da Barbie pode influencia na autoestima da criança que não se acha tão bonita como ela, mas gostaria de ser?.
- Influenciar a criança ao consumo, fazendo com que ela queria comprar itens de imagem, para ficar mais parecida com a Barbie.

"O consumo está ligado a um desejo de status, de imagem e o que ela significa. E para controlar isso é preciso de uma força interna, é preciso entender o seu EU."

AUD008

Audio da explicação do professor sobre o texto


Segunda parte da aula : APRESENTAÇÃO DO 1º TEXTO LIDO PELO TRIO[editar | editar código-fonte]

A segunda parte da aula se constitui na apresentação do texto História Cultural do Brinquedo (Benjamin), que apresentava as seguintes ideias:

- Lembrando questões levantadas na aula 2, inicialmente os brinquedos eram produzidos de maneira artesanal, posteriormente os brinquedos começaram a ser produzidos em grande escala por fábricas e o mercado capitalista começou a influenciar na criação dos brinquedos.
Brinquedo Artesanal
- Antigamente o brinquedo era usado como um objeto para unir a família, hoje em dia o brinquedo é usado para substituir a participação dos pais no desenvolvimento da criança"
- Quanto mais um brinquedo imita a realidade, mais longe a criança está da brincadeira viva.
- O brinquedo faz a criança se transformar.
- A graça da brincadeira para a criança é poder repetir tudo, experimentar novamente. " Tudo seria perfeito se pudéssemos fazer duas vezes - Goethe (filósofo alemão)."
- A brincadeira está na origem de todos os hábitos, e estes devem ser incorporados no pequeno ser através de ritmo de versos e canções.

Ao término da leitura o trio apresentou algumas questões para reflexão:

- O que é o brinquedo na realidade?
- O brinquedo tanto pode ser um instrumento de desenvolvimento para a criança, como um inibidor de sua imaginação. Como escolher um brinquedo que seja favorável para o desenvolvimento da criança?
- O brinquedo foi algo importante na sua formação quando criança e reflete ainda hoje em sua vida?

Terceira parte da aula : APRESENTAÇÃO DO VÍDEO PELO PROFESSOR[editar | editar código-fonte]

Na terceira parte da aula o professor apresentou o vídeo Jogando no Quintal - Jogo de Improvisação de Palhaços.

Nesse jogo os palhaços foram divididos em dois grupos de três integrantes, cada grupo tinha que pegar um objeto na plateia e a partir disso criar três cenas diferentes, dando ao objeto funções diversificadas, excluindo sua real função. Esse jogo teve a intenção de mostrar como fortalecer e trabalhar com a imaginação e improvisação das pessoas.

Quarta parte da aula : APRESENTAÇÃO DO 2º TEXTO LIDO PELO TRIO[editar | editar código-fonte]

A quarta parte da aula se constitui na apresentação do texto A Formação Social da Mente (Vigotski), que apresentava as seguintes ideias:
- Todas as crianças possuem necessidades de ação. O que diferencia a necessidade de brincar de outras é que na brincadeira a criança cria uma situação imaginária.
- As crianças pequenas com até três anos desejam satisfazer seus desejos imediatamente. Nessa idade elas brincam sem separar a situação imaginária do real.
- Os desejos não realizáveis da criança, foram as necessidades que criaram as brincadeiras.
- Toda situação imaginária contém regras, de forma oculta. E todo jogo com regras contém, de forma oculta, uma situação imaginária.
- Na brincadeira a regra torna-se um desejo.
- Para a criança exercer o autocontrole para alcançar um objetivo gera uma fonte de prazer.
- As situações imaginárias e intenções voluntárias aparecem nas crianças quando elas começam a brincar. Nesse sentido o brinquedo pode ser considerado uma atividade condutora que determina o desenvolvimento da criança.

- Num sentido, no brinquedo a criança é livre para determinar suas ações, no outro essa liberdade é ilusória, uma vez que suas ações estão subordinadas ao significado do objeto.

A partir da leitura do texto o trio propôs a seguinte questão:

- Sem o brinquedo a criança poderia desenvolver seu senso de vivência, de regras e habilidades?.

V. Temas Interdisciplinares[editar | editar código-fonte]

Durante a apresentação do primeiro texto o trio fez uma referência ao texto Emoções:biologia ou cultura? de Claudia Rezende e Maria C. Coelho, que foi discutido durante a aula do módulo de IS. Pois durante a explicação do texto do módulo Jogos, surgiu a questão:A criança tem noção da emoção que ela está sentindo ao brincar?

E ao fazer referência ao texto de IS, podemos ver que a talvez a criança não saiba definir a emoção, ela está sentindo mas não sabe dizer o que é, até o momento em que uma pessoa adulta, nomeie aquela emoção presente na brincadeira da criança.

VI. Conclusões[editar | editar código-fonte]

Ao final da leitura do artigo pelo professor e a apresentação dos textos pelo trio ao decorrer da aula. Pode-se perceber que o brinquedo sempre foi algo muito presente na vida de uma criança, e tem um papel fundamental na formação dela. Antigamente as tradições familiares no quesito do brinquedo eram muitos diferentes do que vemos nos dias atuais. A industria hoje domina e quer dominar o brinquedo e a brincadeira, tornando-os meros objetos de comercio e lucro. A criança usa a brincadeira para desenvolver sua imaginação, seu autocontrole, aprender a viver em um mundo de regras, onde a fantasia da brincadeira um dia acaba.

VI. Pesquisas Bibliográficas[editar | editar código-fonte]

Brinquedo de criança, lucro de gente grande - Luiz Paulo Juttel - Jornal da Unicamp, 2008
História Cultural do Brinquedo - Walter Benjamin - 1928
A Formação Social da Mente - Vigotski - 1962
Emoções:biologia ou cultura? - Claudia Rezende e Maria C. Coelho