Manual de Ciência Aberta/Casos/Laboratório Nacional de Luz Síncrotron

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS) integra o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) e opera a única fonte de luz Síncrotron da América Latina e um conjunto de instrumentações científicas para análise dos mais diversos tipos de materiais, orgânicos e inorgânicos. [1]

O desenvolvimento de ferramentas científicas livres no LNLS é uma iniciativa espontânea de um grupo de pesquisadores, inspirados por ação semelhante no CERN. O engenheiro de controle Daniel Tavares comenta que o grupo está apenas no começo do desenvolvimento de ferramentas livres e que, ainda que não seja uma política da instituição, o sucesso do projeto será uma prova de conceito que mostrará que o modelo de aberto é mais eficiente ao ponto de contagiar outros grupos. A questão dos princípios de compartilhamento dos códigos é a motivação mais relevante para a ação do grupo, mas o engenheiro afirma que, rotineiramente, é preciso apelar para o argumento da eficiência de projeto para convencer outras pessoas a adotar o modelo aberto.

Atualmente o grupo trabalha no desenvolvimento de um hardware para medir a posição e corrigir o feixe de um acelerador de partículas em conjunto com uma empresa polonesa, pois não localizaram possíveis parceiros no Brasil. O projeto segue os princípios do CERN e utiliza padrões industriais - o que permite a sua adoção por outros laboratórios e aumento da adoção e do impacto da ferramenta em ambiente de pesquisa. Todas as informações do projeto, incluindo wikis, esquemas da placa e alterações estão disponíveis em um repositório público chamado OR Repository, mantido pelo CERN. O repositório GIT é utilizado para o desenvolvimento colaborativo.

Tavares comenta que deveria haver maior cooperação entre o pessoal da computação e outras áreas para o desenvolvimento de softwares, especialmente no que se refere à ferramentas de design. Essa é uma preocupação do LNLS e do CERN, que está tentando captar U$ 300 mil para desenvolver o Kicad - um software de desenho de ferramentas científicas que não foi adotado pelo LNLS, pois foi considerado pouco amigável.

Video[editar | editar código-fonte]

Palestra realizada pelo engenheiro de controle Daniel Tavares no dia 7 de junho de 2013 durante o Encontro Nacional do Grupo de Trabalho em Ciência Aberta.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS)