Mitose

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Prófase, Prometafase, Metáfase, Anáfase e Telofase.

É um processo de divisão celular, observável ao M.O. durante o qual ocorre essencialmente a duplicação dos cromossomas e sua distribuição às células-filhas, ou seja, a célula-mãe dá origem a duas células-filhas, recebendo cada uma delas um jogo cromossómico igual ao da célula-mãe, mantendo-se inalterável o número de cromossomas específicos (2n –> 2n cromossomas) O processo de divisão mitótica compreende morfologicamente duas etapas cinéticas. A primeira caracteriza-se pela formação dos núcleos-filhos e tem o nome de nucleocinese. A segunda, quase simultânea com a primeira, origina a separação do citoplasma para formar duas células-filhas, designa-se citocinese. A duração e viabilidade da mitose varia com o tipo de célula, de organismo e de tecido e é dependente de variações, quando sujeitas ou submetidas a diferentes factores (ex.: temperatura) Apesar da mitose ser um processo contínuo, geralmente considera-se por uma questão de facilidade, que esta decorre morfológica e cineticamente numa sequência de etapas, subdivididas em cinco fases, designadas por: Prófase, Prometafase, Metáfase, Anáfase e Telofase.

  • Prófase
    • É a etapa mais longa da mitose;
    • É visível um aumento do volume nuclear;
    • Ocorre a condensação gradual dos longos e finos filamentos de cromatina até à individualização dos cromossomas, já mais encurtados e espessos com forma de bastonete, possibilitando assim o seu visionamento no M.O;
    • A membrana nuclear vai desaparecendo gradualmente.
    • Os dois pares de centríolos, localizados na região perinuclear, formando cada um, um centrossoma, começam a deslocar-se em sentidos opostos no pt:citoplasma perinuclear, ficando um par de centríolos em cada pólo da célula.
    • Quando os centríolos alcançam os pólos da célula o Invólucro nuclear quebra e os nucléolos iniciam a sua dissipação e gradualmente vão desaparecendo no nucleoplasma.
    • A carioteca fragmenta-se;
    • Inicia-se o aparecimento do fuso acromático (sistema de microtúbulos proteícos que se agrupam e formam fibrilas, unindo os dois pares de centríolos);
    • os cromossomos prendem-se às fibras do fuso;
  • Prometafase
    • Fase intermédia em que ocorre o início da desorganização (ruptura) do invólucro nuclear .
    • Os cromossomas prometafásicos continuam o seu encurtamento e espessamento.
    • Com o desaparecimento completo do invólucro nuclear e do nucléolo, cada cromossoma inicia o seu processo de orientação e deslocamento para o plano equatorial do fuso.
    • Os cromatídeos ligados às fibrilas do fuso através dos centrómeros.
  • Metáfase
    • Os cromossomas atingem a máxima condensação;
    • O fuso acromático completa o desenvolvimento e as fibras do fuso mitótico ligam-se aos cinetocoros (centrómero) dos cromossomas (as outras fribrilas ligam os dois centríolos);
    • Os cromossomas encontram-se alinhados no plano equatorial do fuso acromático (plano equidistante dos dois pólos da células), por meio dos seus centrómeros, constituindo a Placa equatorial.
    • Os cromatídeos tornam-se mais distintos por ligeiro afastamento dos seus braços, ficando apenas aderentes na região do centrómero.
  • Anáfase
    • As fibrilas encurtam-se e começam a afastar-se;
    • Clivagem dos centrómeros, com consequente separação dos cromossomas metafásicos;
    • Afastamento dos cromatídeos (cromossomas-filhos) para os pólos - ascensão polar - deslocando-se para os centríolos, seguindo a direcção dos túbulos do fuso;
    • Aumento da distância entre os pólos da célula;
    • Consequente alongamento da célula. Ao separarem-se do seu cromossoma, cada um dos dois cromatídeos dum mesmo cromossoma torna-se num cromossoma monocromatídeo constituído apenas por uma molécula de DNA/proteínas.

Este período, corresponde à separação física do citoplasma durante a divisão celular, nomeadamente entre o fim da anafase e na telofase, que resulta na individualização das duas células-filhas; Este processo difere conforme a célula for animal ou vegetal.

Na célula animala citocinese consiste no estrangulamento do citoplasma. No fim da mitose formam-se, na zona do plano equatorial, um anel contráctil de filamentos proteicos que, na citocinese, contraem-se e puxam a membrana plasmática para dentro até que as duas células-filhas se separam.

Na célula vegetal a parede celular não permite o estrangulamento do citoplasma; em vez disso é formada na região equatorial uma nova parede celular. Para isso vesículas provenientes do complexo de Golgi alinham-se no plano equatorial e formam uma estrutura que é a membrana plasmática das células-filhas. Mais tarde, por deposição de fibrilas de celulose forma-se nessa região a parede celular.