Oficina de Investigação Filosófica na Educação

Fonte: Wikiversidade


Yellow-bg.svg
HSBook.svg
Ementa

Bem vindo ao curso Oficina de Investigação Filosófica na Educação

  * As complexas relações entre educação, saber e poder.
  * O que significa experiência?
  * O pensar como experiência e filosofia.
  * A experiência pedagógica moderna: objetificação da experiência e infância.
  * Experiência e subjetividade.

II Fundamentação

  Parte-se do pressuposto de que a investigação filosófica na educação pode contribuir com a assunção de uma postura investigativa dos profissionais em formação em relação a concepções e práticas educativas (pedagógicas ou não), bem como com a reflexão crítica relativa ao conhecimento, à vida social e em relação a si mesmos. Esse pressuposto está diretamente ligado à noção de experiência do pensar a ser tomada como elemento central da disciplina, envolvendo os participantes em situações de elaboração, colocação e investigação de problemas conceituais relacionados à educação de uma perspectiva filosófica.
  A idéia é, portanto, a de que na disciplina se possa vivenciar a experiência do pensar como investigação reflexiva, crítica e criativa, levando-se em conta conceitos problemáticos acerca da prática filosófica e da prática educativa. Essa experiência deve envolver tanto a problematização e reflexão de situações vividas como de leituras específicas, além da produção coletiva e individual detextos (filosóficos) orais e escritos. 

III Objetivos

  - Vivenciar a experiência do pensar como investigação filosófica na educação,   considerando alguns conceitos problemáticos no campo educativo.
  - Perceber e compreender a Filosofia como possibilidade prática no campo da investigação em Educação.
  - Refletir sobre o valor e o sentido da experiência do pensar na educação e na constituição da subjetividade, dialogando com alguns autores da história da Filosofia.

IV Conteúdo programático 1 De onde vim? (Educação, mundo, escola e experiência do pensar)

  1.1 Da criança ao adulto e o caminho inverso
      1.1.1 Aprender, escola, disciplina, autoridade
  1.2 Ignorância e sabedoria: perguntar e calar

2 Quem sou? (filosofia, subjetividade e experiência do pensar)

  2.1 “Conhece-te a ti mesmo” – a experiência da pergunta e do diálogo desde Platão
  2.2 “Penso, logo existo” - a experiência da dúvida, da análise e da reflexão desde Descartes
  2.3 “A verdade é um batalhão de metáforas mortas” - a experiência da criação desde Nietzsche
  2.4 A experiência do pensar desde Deleuze

3 Para onde vou? (filosofia na educação: aspectos filosófico-pedagógicos)

  3.1 Educação e escola
  3.2 Educação e subjetivação: ser e devir
  3.3 Ser e ser professor sendo
  3.3.1 Ensinar, escola, disciplina, autonomia

V Bibliografia CHAUÍ, M. de S. Convite à Filosofia. 7. ed. São Paulo: Ática, 2000. DELEUZE, G. Diferença e Repetição. Rio de Janeiro: Graal, 1988. DESCARTES, R. Meditações Metafísicas. 2. ed. São Paulo: DIFEL, 1973. FOUCAULT, M. Microfísica do Poder. 14. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1999. HEIDEGGER, M. Que é isto – a filosofia? In: Conferências e escritos filosóficos. 2. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1983. KOHAN, W. O.; LEAL, B.; RIBEIRO, Á. A Filosofia na Escola Pública. Petrópolis: Vozes, 2000. ______. Infância. Entre Educação e Filosofia. Belo Horizonte: Autêntica, 2003. LARROSA, J. O enigma da infância ou o que vai do impossível ao verdadeiro. In: Pedagogia Profana. Belo Horizonte: Autêntica, s/d. NIETZSCHE, F. Além do bem e do mal: prelúdio a uma filosofia do futuro. São Paulo: Cia das Letras, 1992. PLATÃO. Apologia de Sócrates. Brasília: UnB, 1995. RANCIÈRE, J. O mestre ignorante. Belo Horizonte: Autêntica, 2002/1985.