Portal:ATOPOS/Congresso Net-ativismo/I/Net ativismo e práticas de consumo

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Proposta[editar | editar código-fonte]

O tema deste GT busca abranger as práticas netativistas relacionadas a marcas ou empresas, que sofrem influência direta do consumidor em seu posicionamento, atendimento, processos e produto final. Assim, a procura entender a nova dinâmica de mercado que emergiu com a cultura de redes, a qual proporcionou o nascimento de um novo perfil de consumidor, o consumidor digital ou “prosumidor”: sujeito ativo, capaz não só de consumir, mas de produzir e difundir sua opinião em escala global. Nesta nova ordem, a ideia de que a indústria detém o poder é invertida, pois o consumidor (prosumidor) gera demandas, e por meio de práticas netativistas, exerce pressão e faz exigências diretamente aos responsáveis. Essas exigências podem ter em seu fundamento os mais diversos temas, como qualidade dos produtos, direito dos animais, preservação do meio ambiente, responsabilidade social. Trata-se da expressão de um novo tipo de mercado na qual a indústria não da mais as cartas, pois a troca de opiniões e experiências dos prosumidores tem alcance ilimitado e gera repercussão em grande escala, influenciando outros consumidores e consequentemente a forma de agir e postura das grandes empresas. Esta forma de consumo ativista está intimamente relacionada ao exercício da cultura participativa, característica essencial da sociedade pós-moderna e ligada ao novo paradigma ecológico que emergiu com as redes digitais. As novas formas de participação online evidenciam a chegada de um futuro diferente, no qual o consumidor ganha o poder de modificar o produto, o sistema e até mesmo a sociedade. Assim, o GT de “netativismo e práticas de consumo” visa colocar em discussão o novo papel que os consumidores assumem no contexto de redes, relacionando práticas netativistas e surgimento de uma nova dinâmica de mercado e paradigmas sociais.