Portal:ATOPOS/Reunião dia 05 de abril de 2014

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

EM ELABORAÇÃO

Reunião_Atopos_05/04/2014

Pauta: Linhas de Pesquisa Participantes: Local: Bistrô da Casa das Rosas, av. Paulista Particpante: Iara R. Centauro 262 - BH Hora: 10 às 12 h

Início: 10h33, lembrado pela Dora

Digital EcoLab poderá absorver algumas linhas de pesquisa Massimo falará sobre o Temático desenvolvido com a equipe do STI A partir disso como desenvolveremos nossas projetos e atividades.

Massimo inicia a apresentação. Nome ambicioso. Tinha duas possibilidades: mínimo massimo. É um pesquisador. O que os outros fazem ali? Aperfeiçoar a comunicação atópica (comprar um microfone tipo pzm para colocar no centro da mesa).

Cada coordenador pode dizer de sua linha Iara apresenta o Dianoia Dora fala sobre o euteleia – impacto da digitalização na economia. Analisar plataformas colaborativas de empresas (Google, Unilever eoutras). Desenvolveram bibliografia básica e pesquisa com 7 empresas. Final: publicação lançada no final do ano passado. Com a publicação o assunto encerrou-se. O desenrolar seria a análise do comportamento do consumidor. Dois fenômenos: 1- crowdsourcing que significa um potencial de ameaça às empresas. 2- novo consumidor internauta. Netativismo do consumidor. Existe conversa para juntar as duas linhas de pesquisa. Andre pergunta sobre doações. Dora informa que o dinheiro está todo na Arco. Tem sobra de 26 mil e poucos reais. Pagaram taxa de 10 porcento para a Arco (Fundação conveniada com a ECA). Faz contratos e gere o financeiro. As empresas não estão usando o financiamento para desconto. Dora informa que 5% foram o para Atopos (± 14 mil). O dinheiro que sobrou foi doado pelas empresas para a elaboração do Portal do Atopos.

Erick – navio astronave Aion. principal pesquisa: Netativismo. Era um projeto de pesquisa do Massimo e depois virou internacional (Portugal, Franca e Itália) após a pesquisa: seminário e congresso (final de 2013). Como o projeto da Dora o do Aion também se encerrou. Estão fazendo a prestação de Contas para Fapesp. Daqui pra frente: construção de observatório de netativismo. Parceiros: alguns querem analisar netativismo em geral. Outros do consumidor. Portugal vai realizar congresso netativismo. Eles também querem criar um observatório. Massimo vai pra lá (Porto) em duas semanas. Financiamento, modelo operacional, bibliografia. Discussão em stand by esperando uma definição coletiva (com parceiros internacionais) para depois definir como o navio astronave se inserirá no Atopos.

Ju faz ponderações. Nao ouvi. Fernanda: Ecolab - criar a inteligência conectiva para que as comunidades façam a gestão autônoma. Antes vamos criar conteúdo. Pesquisa e estruturação do observatório já estão cumpridas em parte. Agora é uma atividade de extensão.

Erick retoma: Massimo fará contato no Magreb também. Netativismo é um conceito grande para trabalhar solto. É importante definir o escopo dos parceiros. Fruto da pesquisa e do Congresso: anais do congresso e livro - em fase de coleta de artigos – até 30/04

? Dora pergunta quais atopinos farão envio de artigo, data formato. Ela quer saber se de fato os organizadores do livro querem os artigos para que possa se planejar. Erick diz que mandou orientações, mas que fará novo envio. Artigo de diversos autores. Ideia do Massimo: usar a divisão do netativsimo, expor as temáticas discutidas no congresso.

Massimo explica a proposta do livro: será dividido em 3 partes – Teórica: maf, pierre levy, ... 2: relato da pesquisa nos 4 países _ frança cadu e outros, italia: pireddu, Portugal: Marina e ... A mesa do Brasil foi lastimável. Sem nenhuma reflexão. Apenas relatos. Por isso foi proposto por Massimo a participação de atopinos. Mesas internacionais com casos da: America, mesa específica sobre o Brasil (cabem quatro artigos), Europa, Magreb, Brasil. Espaço aberto no livro para os atopinos: estudo de casos no Brasil.

Dora clama por esclarecimentos das condições para publicação. Diz que o netativismo do consumidor: nao tem um caso incrível. Tem vários pequenos casos. Erick diz que, diante das novas orientações, é possível estender um pouco o prazo de entrega. Massimo pede um resumo (5 linhas) para que avaliem (até o dia 07/04). Dora pergunta se a resposta será dada no mesmo dia. Erick e Massimo discutirão na terça, 08/04.

Postagem na wiki do Atopos, seguindo a sugestão do Abdo. Erick vai notificar por e-mail.

Ecosofia – Ju e Fernanda. Uma das primeiras linhas do Atopos. Nasceu decorrente da pesquisa patrocinada pela Petrobras. Confecção do livro Redes Digitais e Sustentabilidade. Realizaram dois seminários em 2011 e 2012. Com participação do Eli, do Erick e outros. Patrocínio de várias empresas. Formularam o curso Redes Digitais e Sustentabilidade. Trabalho árduo. Investigação com a USP, FUSP. Primeira turma. Segunda contou com trabalho árduo da Fernanda para conseguir os alunos. Atopinos atuando como tutores. Massimo apresentou a estrutura do curso.

Daqui pra frente: compromisso com a nova turma. O ecolab nasceu dentro do ecosofia. Fe, Adriana, Eli e Ju têm pesquisas inseridas no ecosofia. André é um colaborador e está definindo sua linha (de acordo com a pesquisa do doutorado). Ecosofia em Portugal e Paris.

Fernanda pede ao Massimo para atualizar o status. Erick pergunta sobre seminários, congressos. Fê fala que a partir de agosto 2014 inauguraremos o Ecolab.

André: definimos o nome? Resposta: Sem nome por enquanto.

Ecolab: Massimo: toda a experiência tem a ver com uma concepção de pesquisa que é o navio astronave: navega por mar, céu e dentro das pessoas. Nova forma de fazer pesquisa em contexto altamente complexo. Explorar mundo desconhecido por haver necessidade de defesa. É legítimo. Metáfora para pensar uma pesquisa concebida em direção ao externo e ao interno.

Massimo fala da abertura do Atopos também no mundo árabe. Epistemologia ao mesmo tempo ocidental e árabe (elementos do deserto, da cultura africana). Recebeu convite do Bragança para organizar o observatório do netativismo na Universidade Lusófona do Porto. Esta universidade está em vários países de língua portuguesa. Já articulou uma equipe com pesquisadores...... e Marina (atopos). Propôs também organizar o segundo seminário netativsimo na universidade do Porto. A ser avaliado. Erick vai pra Europa por 2 ou 3 anos. .... Relacionamento aberto com a namorada tal como o livro de Umberto Eco..... rs

Dimensão/ lógica de elemento emergente. Na usp, o Ecolab representa novo modelo de universidade. Ligado a tudo que o ecosofia produziu. Função: criar um novo tipo de profissional, criador de redes que conecta diferente atores para criar redes de sustentabilidade... a partir disso o atopos se abriu ao mercado. M. foi convidado pelo diretor do STI e da pró-reitoria de extensão a coordenar um projeto. Lembra o contexto de oposição à digitalização do ensino na USP. Mudanças ocorreram a partir da reflexão teórica do USP 2.0

Consequência de tudo isso foi o convite para M. coordenar o Temático (em uma forma xamanica). Abdo ajudou muito. Odonto, Ewout (Física), Saude, computação (Leonidas). O projeto está pronto. Dia 09/04 farão ultima reunião. Diálogo da universidade e sociedade através das redes. Política de extensão da universidade. Proposta de modelo de ação em rede. 3 possibilidades de interação: disseminativa – e-aula, curso...; de diálogo – aconselhamento a distância, diálogo online. Ava é uma rede, forma de diálogo. 3- modelo de criação de redes com atores de diversas naturezas para produzir juntos, disseminar... Temático dura 4 anos: arquitetura teórica para entender como dialogar com a sociedade por meio da rede

Abdo critica as 3 partes. Interfaces da universidade e a sociedade. Uma coisa não determina a outra: disseminação e rede. Acha que existem universidades como a Open que pensa algo parecida.

André fala da experiência da UF do sul da Bahia


M. fala que Brasil poderia desenvolver modelo acadêmico inovador. Síntese do europeu e americano. Incorporar saberes nao acadêmicos, por exemplo.

Ecolab ja esta agregando atores diferentes. Não estamos propondo consultoria.

Quem está trabalhando com culturas locais está convidado/a a criar uma linha. Contribuição verdadeira de um centro de cultura.

Idoso e religião. Budismo conversando com catolicismo. Mariana pergunta o que faremos daqui pra frente, quais linhas permanecerão, integração dos atopinos, Ju fala da necessidade de planejamento, de informar o atopos, auto gestão de cada linha.

Proposta de criação de uma linha de cultura. Ecolab é um projeto com finalidade de extensão. Abdo comenta que precisamos tomar cuidado. Abdo propõe reinterpretação das linhas de pesquisa incorporando a extensão não como objetivo, mas como característica.

O que as linhas de pesquisa querem fazer? Erick diz como vê o funcionamento do ecolab Atopos tem rigidez institucional – interaçao com professores da eca. Já o Ecolab tem o caráter de um espaço de laboratório. Capacidade técnica (laboratório) financeira (recursos). Espaço de produção das demandas para atender pesquisas e coletivas. Não é o caso de falar agora se a linha está vinculada ou não.

Massimo: Ecolab tem projeto pronto, não separa empiria da teoria. Agregado que busca também o conhecimento. Não é só uma extensão das linhas de pesquisa. Ecolab vai ter um local. Provavelmente dentro do STI.

Linhas de pesquisa tem que ter projetos, ter coisas próprias. Abdo: Ecolab passa a ser categoria.

Eliete: ecolab ainda está se constituído. Não tem nem nome ainda. Tem uma serie de elementos que ainda não estão no horizonte.

Descrever a linha de pesquisa, como ela se insere no ensino, pesquisa, extensão.

Vamos mandar e-mail sobre linhas, agendar reunião e também para definir interface das linhas com o ecolab. Erick diz que Netativismo depende da reunião em Portugal.

Data vai contemplar tempo para linhas discutirem. Dora questiona se atopos não deve definir quais são as linhas que interessam? Quais setores que consideramos importante criar nos próximos cinco anos.