Portal:Auto Ginecologia/EncontrADA 2016 Vivencia de Ginecologia Autonoma

Da wiki Wikiversidade
Ir para: navegação, pesquisa
Imagens da Vivência de Ginecologia Autônoma ocorrido durante a EncontrADA, 2016. As imagens foram feitas colaborativamente entre as participantes.
Fotografia de imagens do livro "Orgasmo ao alcance de todos" - Susie Chaves de Magalhães. Foto produzida durante Vivência de Ginecologia Autônoma ocorrido durante a EncontrADA, 2016. As imagens foram feitas colaborativamente entre as participantes.
Fotografia de imagens do livro "Orgasmo ao alcance de todos" - Susie Chaves de Magalhães. Foto produzida durante Vivência de Ginecologia Autônoma ocorrido durante a EncontrADA, 2016. As imagens foram feitas colaborativamente entre as participantes.
Fotografia de imagens do livro "Orgasmo ao alcance de todos" - Susie Chaves de Magalhães. Foto produzida durante Vivência de Ginecologia Autônoma ocorrido durante a EncontrADA, 2016. As imagens foram feitas colaborativamente entre as participantes.
Imagens da Vivência de Ginecologia Autônoma ocorrido durante a EncontrADA, 2016. As imagens foram feitas colaborativamente entre as participantes.
Imagens da Vivência de Ginecologia Autônoma ocorrido durante a EncontrADA, 2016. As imagens foram feitas colaborativamente entre as participantes.
Imagens da Vivência de Ginecologia Autônoma ocorrido durante a EncontrADA, 2016. As imagens foram feitas colaborativamente entre as participantes.
Imagens da Vivência de Ginecologia Autônoma ocorrido durante a EncontrADA, 2016. As imagens foram feitas colaborativamente entre as participantes.
Imagens da Vivência de Ginecologia Autônoma ocorrido durante a EncontrADA, 2016. As imagens foram feitas colaborativamente entre as participantes.
Imagens da Vivência de Ginecologia Autônoma ocorrido durante a EncontrADA, 2016. As imagens foram feitas colaborativamente entre as participantes.
Imagens da Vivência de Ginecologia Autônoma ocorrido durante a EncontrADA, 2016. As imagens foram feitas colaborativamente entre as participantes.
Imagens da Vivência de Ginecologia Autônoma ocorrido durante a EncontrADA, 2016. As imagens foram feitas colaborativamente entre as participantes.
Imagens da Vivência de Ginecologia Autônoma ocorrido durante a EncontrADA, 2016. As imagens foram feitas colaborativamente entre as participantes.
Imagens da Vivência de Ginecologia Autônoma ocorrido durante a EncontrADA, 2016. As imagens foram feitas colaborativamente entre as participantes.

Abertura[editar | editar código-fonte]

Cada mulher se apresenta e pede a benção de uma mulher importante na sua vida e comenta uma parte que sente prazer no corpo que não seja comum.

Alguns Comentários:

- proteção na relação entre mulheres - HPV

Faz 9 anos que não toma medicinas alopáticas. Desde a primeira oficina de auto ginecologia que fez com uma mana de Brasília. A oficina foi aumentando com o tempo, e hoje ela tem 20h.

Cicatrizes[editar | editar código-fonte]

Quando a gente fala de ginecologia autonoma, alternativa ou como seja, a gente pensa em receitas com plantas, mas pela experiência de acompanhar outras meninas, percebe que os traumas e as violẽncias não podem ser ignoradas e não existe a planta mágica. Elas não vão fazer a mágica é um conjunto de coisas. E é fundamental na busca de cura das mulheres, temos que nomear as violências, para tirar elas do corpo, temos cicatrizes, elas vão ficando cicatrizes no corpo, as vezes não tão presentes no nosso consciente.

E o primeiro passo para lidar com isso com essas cicatrizes é nomear as violẽncias e depois como vamos fazer para tirar ela do corpo.

A primeira parte é a mais pesada, chama as Influências do patriarcado racista nos nossos corpos. E ele adoece!

Trouxe palavras que influenciam na saúde do nosso corpo, que é integrado. Falaremos de ginecologia, ovário, útero, buceta, peito, como quiser nomear e do corpo inteiro na verdade, porque não tá segmentado.

Nascemos com um corpo fomos jogados no feminino que é atravessado por violências específicas, essa história de ser mulher, ser sapa, ser trans e ter uma buceta, essa questão que acontecem com esse corpo e faz com que somatizemos nessas partes. Tem vários tipos de violência que a gente sofre na vida, mas tem umas específicas que somatizam nessas partes do corpo.

Somatizar as emoções que sentimos vão para partes dos corpos. Adoecemos não só pelo físico mas pelo nosso emocional, garganta dói quando não falamos não nos colocamos.

Gostaria de falar dessas coisas que influenciam a gente, o patriarcado racista fala desde sempre que somos sujas e fedidas. Existem diferença entre a opressão as mulheres brancas e da mulher negra, mas todas vão sofrer da cultura misógina que fala que somos fedidas, a buceta cheira a peixe. Nossos pelos são sujos a do homem não! A gente tem que tirar pelos. A menstrução é colocada como a coisa mais fedida e suja.

E por isso eu queimo essa idéia que somos sujas e fedidas(queimam as palavra impressas fedida / suja e o resto vai para uma cumbuca de barro), repetindo: não somos fedidas e nem sujas, nossos corpos mudam o cheiro com ciclo, com alimentação, com mudanças emocionais, etc...

O partriarcado racista fala que somos histéricas, como somos hormonais, não somos racionais, somos bipolar, não confiável muito inconstante, somos cíclicas. Crescemos desacreditadas, achamos que temos que se podar o tempo todo, e não deixamos as emoções saírem, porque não podemos parecer histérica já temos isso contra a gente e vamos se fechando.

Queimo a idéia de que somos histéricas! Podemos falar, gritar, chorar, manifestar no corpo o que quisermos chorar, rir, falar alto, rindo, baixo, alto. A mesma fala tem o mesmo valor.

Falam que somos burras desde pequena, patriarcado racista, atinge diretamente, intensidade e formas diferentes, mas de todo jeito em todas nós manifesta de formas diferentes e fala que somos burras. Não podemos fazer marcenaria, porque nossa cabeça e nosso corpo não é racional, não é matemático. E podemos ter esse conhecimento racional e outro tipo de pensamento que não esse e que é tão valioso quanto. Muitas vezes nos acusam de colocar a emoção na frente do racional. Esse mundo valoriza o conhecimento racional e ignora o instintivo intuitivo, emocional. Mas as mulheres que querem podem ter um pensamento racional. Podemos ter pensamento diferenciado e racional.

Cada uma aqui tem conhecimentos diferentes em áreas específicas. Mas cada uma tem um conhecimento valioso em algum lugar.

Alguém quer queimar a idéia de que somos burras? Pronuncia alto. Não somos burras, somos todas inteligentes.

Misoginia que é tudo isso que já falamos, considerar as coisas femininas menos válidas. A misoginia tá muito ligada a racismo por isso sempre falo em patriarcado racista que atinge diferentemente se somos brancas, negras, velhas, jovens etc. O que o patriarcado faz é colocar a gente em dois lados e tem estratégias parecidas de diminuir a gente, de acabar com sonhos e realizações múltiplas vão podando a gente de várias maneiras.

Queimo a misoginia e o racismo. Por todas as irmãs negras que não estão aqui fisicamente e que virão. Para uma vida mais saudável!

Binarismo adoece bastante a gente, chamo binarismo essas caixinhas que temos que se enquadrar desde criança. É colocado como proibido para a criança ser o que quer, se vestir assim, brincar com isso, e causa milhões de violências muito graves, é muito violenta a instalação do genero. Na verdade ninguém se enquandra nesse binarismo. Visão masculino e feminino é o binarismo, com coisas muito específicas para cada um desses padrões. Menina branca faz assim, menino negro atua assim, não só no genero. O gênero nunca está disvinculada da raça, o que se exige de uma menina branca é muito diferente do que se exige de uma menina negra. Coisas que são ridículas, não pode sentar de perna aberta, não pode cortar o cabelo, não pode jogar futebol.

Então queimo o binarismo, para ser o que quisermos e não ter esse mundo dividido a transfobia a lesbofobia, adoece muito a gente. Queimo a lesbofobia e a transfobia. Por todas as minas sapas, loucas maravilhosas que estão destruindo tudo. Parabéns. E transfobia por todas que morreram, esse ano já perdi 2 amigos. Principalmente nas escolas e as crianças que acabam não falando e ficam muito frágeis e muito vulnerável.

Patriarcado racista faz um controle estético muito forte, além da saia, bermuda, cabelo grande ou curto. E também a gordofobia, que prega que os corpos gordos são doentes, e não são, existem mil tipos de corpos e organismo, para ser um corpo doente é muito além do que entendemos hoje como obesos.

E as famílias são excrotas nessa cobrança, com todos da família a vontade para controlar o corpo das mulheres, do seu peso, do seu cabelo, da sua espinha, é muito foda, temos que achar estratégica para trabalhar isso com nossas mães, tias, tios, pais, é muito foda esse controle sobre os nossos corpos, e também por ser magra demais, o cabelo se pinta não pode, se não pinta, tá branco não pode. É surreal porque você nunca está bem, é um controle que vem de fora, óbvio que quero se olhar no espelho e se reconhecer linda!!!

Indústria cosmética vem para resolver todos os seus problemas, ela vem com desodorante vaginal, axila, buceta fede, tem que cheirar champagne com morango, vem o sabonete íntimo funciona muito bem, eles vendem falando do ph e além dos aromas todos, diferenciado para o PH da sua vagina. Ele funciona bem a amiga usou anos e não teve nenhuma infecção ficou depois de anos 3 dias sem usar e teve uma candidíase escrota, funciona bem, mas não pode ficar sem dinheiro para comprar, então ele é um controle externo do seu ph, se não tem produto você perde toda a sua própria proteção contra as bactérias.

Desodorante do suvaco a gente é suja e fedida não pode cheirar corpo, a maioria é antitranspirante, a gente sua porque elimina toxina pelo suor, várias toxinas dos alimentos, das emoções dos sapos que a gente engole, e uma das partes que mais suamos é o suvaco e daí com o antitranspirante que tapa os poros, a maioria dos cistos estão na parte lateral externa do seio, bem onde está ligada com o sistema linfático.

O corpo cheira, se você come, se está menstruada o cheiro fica mais forte, muda a alimentação o cheiro muda. Em geral ao parar de usar desodorante o primeiro mès foi foda, e fedeu muito, mas depois disso o cheiro ficou controlado. Hoje ela controla com limão, leite de magnésia ou bicarbonato. Esfrega meio limão deixa um pouco e enxagua. O cheiro forte são bactérias e passa o limão já alivia. O limão é uma coisa importante também de ingerir assim como vinagre. Não precisamos de desodorante tapando os poros. Cosmética traz também que pelos são sujos o do homem não. Os pelos da buceta funcionam para proteger e não entrar sujeira na buceta, assim como o cílias protege do olho. Cada uma tem o poder de decisão de fazer como quiser, mas ter a crítica do que te motiva a tomar a decisão.

A indústria cosmética não para por aí, não sei vocês. Mas cresci com o modelo playboy de corpos, meu modelo de buceta e cu era uma buceta branca e cu branco, labios externas maiores que internas. Me achava uma anormal, já tinha manchas e agora já tem mais ainda, meu cu é preto em volta, tem rugas, as manchas aumentam, os lábios de dentro são maiores e roxeados. Foi bom descobrir que existem outras bucetas como a minha. Até então eu achava que era um monstro. Tem creme clareador de cu e cirurgia clareadora de cú. Cirurgia reparado para a buceta, reconstituição de himen, tudo isso que a indústria cosmética oferece. Existe nas revistas pornôs, existe maquiagem para cú e buceta, isso é comum. Não existe a buceta e cú para daquele jeito, hoje tem photoshop, manipulação digital. E tem anti rugas porque não podemos envelhecer, porque você envelhece não é mais sexy, tem antirugas, e vai na loja tem todo tipo de cremes, rugas de todos lugares, quantidades e variedades para consumir para todo tipo, e para quem tem dinheiro.

Xampu e condicionadores para todo tipo de coisa, e tem creme antes, pós, depois, e mil coisas e químicas que estamos comendo. A indústria de propaganda, o que é isso. Nosso corpo não precisa de tanto químico, vamos ver umas coisas de higiene na verdade não precisamos nem de sabonete, nossa pele resseca com cremes, sabonetes, etc...

Numa oficina escutou só algo muito interessante que a Ayuverda recomenda passar no corpo só aquilo que comeria, a gente come pela cabeça pela pele, só passar também o que comeria.

Ancestralidade mágica resgatar vários saberes que temos das nossas avós, comunidades tradicionais, um desses saberes é o óleo, o óleo de coco tá na moda, mas se for nas comunidades compra direto delas, não é substituir e usar, o corpo tem seu equilíbrio e pode usar alguma coisa para ajudar. Olĺeo de mamona para cabelo, pele, se não tem acesso, até o azeite de oliva rola de passar no corpo e cabelo não precisa de tanto, o que hidrata é a água.

Não seja corpo / continue reproduzindo

temos que ser uma máquina que não para, não podemos ser corpo. Todo mundo sabe que o melhor para gripe é chá e cama, porque tem tanto antigripal, porque você não pode ligar no trabalho e falar que tá gripada e vai ficar em casa, então mete antigripal para dentro, e ajuda a gente a não ser corpo para cuidar da tripa jornada de trabalho, mãe, trabalhadora, ativista, temos jornada surreal, compromissos fora de nossos ciclos, que não acompanham o ciclo do nosso corpo, que seriam mais produtivos, mas não querem que pensemos. Não aproveita os dias que não vamos ser produtivos e os dias que serão hiperprodutivos não podemos fazer nossos horários e etc.

Se você. Está deprimida, porque temos trabalho de merda, sai na rua e sofre um monte de violéncia vê o noticiario só merda, então ficamos deprimidas, e a indústria resolve com antidepressivo. NO goiás, nas rádios tem propaganda de antidepressivo. As mulheres do campo tão consumindo, as mulheres do campo estão super consumindo. Dizer tá tudo uma merda toma isso para passar. As pessoa conversam que marca você yá usando? de tão comum que está.

Estamos queimando a indústria e não as substãncias. Porque as substâncias tem a sua importância. Desde que saiba que não é aquilo que vai resolver seu problema. São importantes e úteis.

Militância que ignora o adoecimento, o anticoncepcional veio como liberdade para as mulheres, já teve uma geração que usou anticoncepcional e está entendendo como nos adoece nos faz deixar de ser corpo. Um ativismo que adoece, tirar a culpa de ter tempo para a gente, só vou continuar o ativismo se a gente parar para se cuidar. É iimportante a gente ter esse olhar para a industria.

Para as trans é uma relação de amor e ódio. Existe o discurso de Trans é patológico e não pode acessar um hormoônio. É difícil o acesso ao hormônio e tem um zine que fala de formas naturais de estimular os hormônios.

O controle do prazer!

Desde Criança somos desistimuladas a nos tocar, se conhecer. A gente entende que saúde está separada de prazer, mas saúde é prazer. Não entender essas coisas de maneira separada, o que me faz bem me traz prazer e não o que me faz mal me dá prazer. Nosso prazer é podado de várias maneiras de sentir o prazer. Não sei se todas conhecem: Dart loger o uso do erótico como poder. Sapatão feminista negra estado unidense, tem uma tradução, pode mandar por e-mail e fala do prazer como erótico que não é o sexo, mas enorme prazer de sentir o vento, o sol na pele um livro maravilhoso e se permitir e se entregar para esse prazer, o prazer é isso da gente estar entregue de uma forma que alimente a alma, vai queimar o controle do prazer do jeito que queremos se masturbando, curtindo o sol, etc.

Reprodução- controlam o ciclo reprodutivo a maternidade obrigatória, roubaram da gente os métodos naturais de autoconhecimento, faz acreditar que o médico sabe mais do que a gente, mas ninguém sabe mais do que a própria pessoa, as terapeutas te ajudam a achar caminhos, a gente sente algo e espera que alguém te diga, a gente sabe quando não tá bem, o que precisamos, mas ignoramos, aprendemos a colocar na mão de outra pessoa, é legal procurar pessoas que ajudam a mostrar o que estamos sentindo. Como o autoexame feito pelo médico e não pela gente.

Quem se cura é a própria pessoa, a maternidade e fertilidade para ser da forma que quiser livre e leve do jeito que tem que ser.

Violência Ginecológica- Nosso corpo é hipercontrolado tem que ir na ginecologista 1 x ao mês e acontecem muitas violências que são difíceis de ser nomeadas, quando fala que é lésbica e a médica enfia o espéculo de forma violenta só porque você falou que é sapatão, você, sai sabendo que ela te violentou, você, sente e sai de lá achando que é louca que está viajando, e segue com essa cicatriz, ela tá lá, tanto o machucado do espéculo quanto a marca que simplesmente silenciei. Tem várias violências nos consultórios, as trans poucas que se arriscam a ir no ginecologista são massacradas, violentamente. Se sentiu violentada não é invenção da cabeça é uma agressão. Se desconfiamos tem algo errado.

A mentira no meio alopático é muito frequente para aceitarmos tratamentos para não contestarmos. Toda mulher que vai no consultório sai com receita para regular ciclos, a vida toda. Quem toma anticoncepcional muito tempo, para engravidar tem que fazer tratamento de fertilidade. Depois na menopausa vai fazer reposição hormonal, medicalizaçõa para uma vida. Nos tornando escravas.

A violência obstétricas para as mulheres que pariram, marcam o corpo e marcam todas nós porque nascemos de alguém que pariu e já nascemos no mundo numa violência. Sou doula. E começou a pensar nisso, a gente já nasce apanhando.

Episiotomia, totalmente desnecessária do canal vaginal até o anus que os médicos fazem para eles, para facilitar o parto, as vezes o períneo lacera no parto, mas naturalmente é muito mais fácil cicatrizar. Cesária é uma tecnologia egipcia que salva mulheres e crianças e tem sido usada como obrigatoriedade as médicas mentem, para não ir além do plantão. O toque sem concentimento e frequente, e por várias pessoas, é uma violência, é feito para medir a dilatação e tem muito profissional que acompanha parto sem toque. Mesmo assim não é tão frequente e precisa do consentimento. E vem um atrás do outro sem nem conversar com você.

Em parto normal tem medicamentos para alívio de dor na cesária tem anestesia. As mulheres negras recebem menos anestesia e quase nunca recebem os medicamentos de alivio de dor, isso é uma forma de racismo, e várias mulherse negras denunciam isso. Essas substâncias podem atrapalhar algumas tensões, porque tá tensa, mas alguns casos é necessário, a mulher que tem que escolher usar a medicação.

O cala boca! As violências verbais durante o parto são infinitas. É inacreditável, mulheres jovens, Não doeu na hora de fazer, agora aguenta! E a ocitocina sem consentimento.

Violência Sexual

Todas somos sobreviventes de violencia sexual não é motivo de vergonha nem de culpa, e isso é uma verdade. Isso mostra que não estamos sozinhas não precisamos de ter culpa e vergonha e deixar os medos para falar de nossas histórias de violências principalmente da sexual.

A violência sexual deixa marcas muito fodidas, associo hpv a violencia sexual, assim como cólica com a misognia.

Não tá falando que vamos ficar doentes em função da violência porque queremos ou por nossa culpa. Mas que temos que encarar as violências e marcas que ficaram no corpo e achar uma maneira de lidar com elas.

Tem o livro: El coraje de sanar! Ela passa. Violência sexual da infância, um livro de terapia. Ela conhece muita gente que fez. Ele mesmo é uma terapia individualizada. Propoe exercícios tem que ser acompanhada por uma pessoa de confiança que le algumas partes. Faz no seu tempo de meses a anos. Todos que fizeram acharam muito bom.

Círculos afins, são rodas de mulheres de sapas, trans, rodas de sapas negras, afins Todas nós temos parecências e diferenças, mas quando juntamos com pessoas com história um pouco mais parecida com as nossas saem coisas mais coletivas que podemos falar com mais segurança e conforto. Trabalhar violência sexual são importantes e fazer rodas para falarmos sobre essa violência e não só falar, mas trabalhar, com técnicas conhecimentos para trabalhar isso.

Teve experiência linda na guatemala com mulheres que sofreram violências sexuais, dos estupros, violentadas pelo exércitos e pela sua comunidade pelo estigma. Foram anos de rodas e buscaram na espiritualidade maia, formas de lidar com a violência. Defumação da buceta, para curar a memória da violência sexual. Para término de relação para desfazer o vínculo, pega o defumador e deixa a fumaça entrar e sair, gosta de usar ervas de artemisia, sálvia, arruda, rosa branca, Tem uma galera que segue as madres que faz a cura do útero a benção do útero. Galera que faz várias coisas, tem um horário que todas fazem juntas no brasil. Faz vaporização de cura do útero, mas com água, coloca o vapor da água, você faz um chá, cuidado com a temperatura, fica em pé e vai baixando devagar, essas mulheres maias fizeram festival pela memória, fizeram rituais no meio das comunidades delas, falando que a culpa não é delas é do agressor!

O nível de força dessa união de chegar na comunidade e falar eu fui violada e a culpa não é minha. Círculos de trans, sapas, afins como você, aumenta o nosso poder e nossa resiliência.

Limpeza importante para entender que não sou suja. A violação nos faz sentir assim. Buscar e nomear o que sentimos onde estão as cicatrizes e o que posso fazer então e não ignorar, achar que não temos essa marca.

Não ser esponja ser filtro, se ajudar a liberar e fortalecer e não deixar pesar pelas histórias, saber ouvir e não só dar atenção e conseguir ajudar sem carregar tanto. Para o ativismo é fundamental, ter empatia e até que ponto conseguimos carregar as dores do mundo, joelho e pé fode, tudo vai ficando uma merda, sabedoria em achar o equilíbrio.

Agora juntei 3 coisas juntas:

- destruição povo da terra - monocultura - alimentação desigual

tá falando não só dos povos humanos, mas também vegetal, mineral, aquáticos todos que habitam a terra e tem a ver com a agricultura, Vandana Shiva ecofeminista indiana.

As monoculturas anterior ao da terra é a monocultura da da mente que acha que tem só um caminho, um tipo de progresso e destróia diversidade de tudo, das plantas e prega que tem só um jeito de existir.

E as monoculturas reais estão adoecendo demais a gente, por exemplo aquela planta só tá desse jeito linda porque tem outras plantas nela (bromélias na árvore) tem outras coisas na terra para ser uma árvore linda, e essa diversidade alimenta a vida, e destruindo isso, você precisa de mil químicos e mesmo assim uma hora aquela terra não vai mais existir porque matou a terra com tudo isso.

Desigualdade na alimentação, os pequenos agricultores não tem incentivo como os grandes produtores, alimentaçõa é fundamental para alimentar corpo, espirito, alma, para o social, para a espiritualidade, dependemos de uma alimentação saudável, diversa, gostosa e integral.

Hoje tem um resgaste massa da agricultura familiar, distribuição de cestas, CSA (comunidade que sustenta agricultura familiar), a galera se junta e finância uma família produtora rural e paga uma cota mensal e essa famĩlia distribui tudo que essa família produz e você paga mesmo quando acontece alguma merda. E nesse caso você ajuda a agricultura familiar a lidar com esse risco e numa super produção você também sai com muito mais alimento do que aquela grana que você pagou.

Os orgânicos vindos da monoculturas trazem problemas com ele.

Tudo isso gera doenças no corpo e gera hpv, cistos, cólicas.

Sempre traz isso para a oficina, tinha cólica sul real tinha cólicas, que gritava, e tinha vontade de tirar o útero, não suportava mais. Tomava milhões de remédio alopaticos, tomou buscopan na veia, e teve retenção urinária como efeito colateral. Foi horrível.

Fez muitas coisas e hoje em dia não tem mais cólica, só um pouco de moleza. A canela e o orégano ajudam muito mas não foi só isso. Trabalhou várias coisas, parou de usar absorvente, começou a fazer auto defesa, foi marcante para não sentir cólica. A primeirva vez que não sentiu foi depois de um fim de semana de autodefesa feminista, percebeu que tinha a ver que mesmo com esse corpo sei e posso me defender. E foi isso que me ajudou com a cólica. E tinha a ver com misognia, a partir do momento que menstruou virou objeto sexual, compromisso e expectativa familiar muito forte, mil coisas vieram, menstruou com 9 anos, e todos da família falavam virou mocinha. Como assim virar mocinha, uma médica chinesa falou que era em função da relação com o pai a monstruosidade das cólicas. E depois do role da autodefesa, viu que não era só com o pai, era com o patriarcado. Por isso que traz isso, teve que trazer muita coisa na vida, fazer as pazes com a menstruação e muito trabalho de anos para falar que hoje adora menstruar.

Vai queimar as feridas não cicatrizadas para o fogo queimar ela e o fogo é uma das ferramentas os rituais são importante a cidade tirou isso da gente, a gente ritualizar ajuda a tirar do corpo a lidar com as cicatrizes, mas tem outros tipos de rituais.

Ritualizar, pegar o sangue menstrual e colocar no terceiro olho. Para dar bem vinda para a menstruação, essa relação foi fundamental, para romper com o ciclo de dor que tinha.

Ritualizar o término de uma relação, celebramos o início mas temos tanta dificuldade de lidar com o término!

[blocquote]Relato: Mantra: Eu te perdoô, eu te liberto, eu te abençoo. Tinha esse mantra para as situações da vida, mas nunca tinha falado para si! FOi libertador falar isso para minha menstruação dolorosa, para minhas situações emocionais. Fez esse exercício fazendo auto massagem eu te perdoo, eu te liberto, eu te abençoo. Eu me amo, eu me aceito como eu sou, e massageia a face, eu to sentindo ciúme, mas eu me amo eu me aceito com eu sou...[/blocquote]

Meu corpo como campo de batalha

Essa ela não queima, porque. Vai continuar... a batalha continua, com mais gente! Porque autonomia traz mais coisas.

[blocquote]Senti falta de queimar a RIVALIDADE entre as mulheres!!! Cultura que nos é colocada.[/blocquote]

Dinâmica[editar | editar código-fonte]

Grito no abismo para liberar as emoções, Imagina um abismo e grita sem som até preencher ele todo.

Depois uma dança com música alta, ajuda a liberar tensões emoções e traz a alegria de volta.

Depois de trabalhar e falar sobre tantas emoções e tantas situações que passamos, foi essencial essa atividade.

Alimentação[editar | editar código-fonte]

Vai passar mais rápida na alimentação pois não temos tanto tempo.

Coloca os alimentos do mal e os alimentos do bem e dessa vez não vai colocar os alimentos do mal, ques são basicamente aquilo que você come e se sente mal, e já tem mil informaçãos sobre o que faz mal.

Vai concentrar no que faz bem. Porque me amo vou comer aquilo que me faz bem. E o prazer? A gente pode mudar nossa forma de entender o prazer, que é uma sensação agradável no meu corpo espiritual.

Se consumo algo que vai me causar mal estar físico, porque entendo isso como prazer? Podemos mudar gostos, daquilo que gostamos, e tem vários outro que não vamos mudar. Tem hábitos que mudamos e o gosto também muda. Comida de conforto é a comida que alguém fazia para você. Quando era criança que traz memória de cuidado. Foi 15 anos veganas, e foi mágico comer gemada! Que é a comida de conforto dela. Mais do que ficar na nóia, tem uma lista infinita de jeitos de se alimentar, ligar a intuição perceber o que faz bem ou mal ao seu corpo, provar mudar hábitos é bom para entender, e experimentar, e não é um dia comer salada, passar um mês com uma alimentação completamento diferente, a mudança leva um tempo.

Diminuiu o sal na vida e passou 1 mês em abstinência sem sentir gosto nenhum, tava acostumada com coisa salgada e pouco sal parecia tudo insosso. E teve várias revoluções no paladar, as cenouras ficaram super doce, o chuchu explodia de sabor, foi quando o corpo assimilou, saiu do estado de dormência do sal, mudar hábitos nos faz perceber o que faz bem para gente.

A culpa não nos ajuda, não adianta comer e ficar não consigo me controlar, porque faço isso. Não adianta, tem que ser pró ativa para mudar, mas não conseguimos fazer tudo sempre, comeu, comeu! Não ter culpa. Tem mil coisas da indústria natural que vendem pra gente, tem coisas que eram moda e depois ficamos sabendo que são venenos. Depois vem a linhaça, fica na moda, depois ficou barata daí veio a moda da chia, tem outra indústria por trás do natureba. No começo fazia tabelas nutricionais, decorava, esquecia, não é boa para decorar esse tipo de coisa. Foi entendendo que as coisas tem nutrientes diferentes de acordo com a cor delas, então prato multicoloridos. As diferentes partes, nutrem diferententemente nosso corpo, se como raízes, folhas, frutos, tá equilibrado.

As estações estamos em conexo com isso, a terra dá para nosso corpo o que é melhor naquela estação e é mais barato, comer manga na época da manga. Nosso hábito é pensar no prato em vez de ver o que está disponível, não tenho tudo disponível o ano inteiro. Como manga quando pego no pé, a manga é cara fora de época. Pensar nas cores, estações, partes da planta, e daquilo que está perto, não precisamos de sal do himalaia, não precisamos de todas as berries. As frutinhas vermelhas, a gente tem pitanga, acerola, amora, maria pretinha. Boas especialmente para a fertilidade, não só para quem quer ficar grávida, também é criatividade é o corpo bem, tão bem que está fértil nesse sentido, produzir coisas, criar. Frutinhas vermelhas nutrem fertilidade, útero, para quem tem útero elas são incríveis.

Gergelim, onde mora (cerrado), tem muita produção e é barata, tem muito lá em cavalcante, o gergelim é especialmente bom por causa do cálcio. Tem muita teoria sobre o leite, a única espécie que toma leite após desmamar, Muita gente fala que não absorvemos a molécula do leite, outras nutricionistas vão falar que precisa de leite, mas o que vê é que muita gente tem intolerância a leite e tem galera que tem que tomar cálcio mesmo tomando muito leite. O gergelim é muito bom para cálcio, para a auto magia como chama a menopausa. Mas não é esperar chegar os 40 anos para começar a comer gergelim. O leite de gergelim é ótimo para produzir e aumentar a produção de leite, e é só bater o gergelim com água. Usam tanto cru quando torrado. Ela sempre torra e prefere, já viu muita gente falar que tem que ser torrado, mas tem gente que faz cru. Tem que bater bastante tempo, para virar o leitinho. Pode ou não coar. O ideal é consumir quebrado, socado, batido no liquidificador, gersal, pastinha, ele inteiro passa reto, não aproveitando tudo, bater ou no pilão ou o liquidificador.

Grão de bico só consome na casa das amigas, em cavalcante é difícil, mas tem muito cálcio e pode ser usado como remédio, em deficiências de cálcio.

Hibisco fonte de ferro bom para mil coisas. Bom para intestino e para infecção urinária.

A idéia de cuidar do útero e ovário é associada a gestar e parir, não só isso, isso é importante se quisermos engravidar e parir, cuidar do útero é parte do meu corpo não só para parir. A gente aprende que o útero é só para reprodução mas não é só isso, é uma parte de prazer super importante o útero dá altos prazeres para a gente, ele tem terminações nervosas.

A beterraba que é uma delícia que arrasa, além de bastante ferro é boa para comer durante a menstruação principalmente com fluxo intenso, ela é conhecida por ser auxiliar e as vezes principal forma de curar cisto e mioma. Conhece uma mulher que fez concentrado de suco de beterraba 2kg e tira o sumo com extrator ou centrifuga de beterraba, ou no liquidificador com pouca agua e depois coa. Coloca ou melado de cana ou mel, 250 ml e deixa uma noite macerando, coloca na geladeira, mas a dona flor fala que não pode colocar na geladeira. Tomar na menstruação é maravilhoso, tomava esse xarope, 2x ao dia. 2 copos, 1 de manhã e 1 a noite. Fazia atividade física e curou miomas. Vários centros de saúde de mulheres na gringa por ativistas, que atendem de forma natural, vários roles, e vários para cistos e miomas. Utilizar as folhas da beterraba também é muito bom.

Excelente suco, Beterraba gengibre limão e mel.

Amendoin – vitamina E é do útero e ovários, cuida dessa região e o amendoin é muito rico em vit E, cru assado, pastinha, cozida, afrodisíaco.

Cenoura deliciosa e incrível para retenção de líquidos, ficamos inchada antes da menstruação as vezes até as pernas ficam inchadas, em função da retenção de líquido, quem incha muito o pé. A cenoura é incrível. Hoje tem pouca retenção de líquido, mas fazia receita, 1 semana antes de menstruar toma o suco de cenoura em jejum pela manhã, com qualquer coisa jutno se quiser e ajuda com a retenção de líquido.

Banana não é nada do além e também muito boa para dores nas pernas, tem gente que tem antes de mesntruar e o potássio é bom para isso.

Coisas integrais, quando mais processadas mais elas perderam dela. As fibras dos alimentos integrais são importantes para o bolo fecal passar bem pelos Intestinos, lembrando sempre de beber água junto com as fibras :)

Falei do fígado mas o intestino é fundamental, a saúde emocional a saúde mental, kefir é bom, chuca/lavagem intestinal é bom.

Quando a gente come a gente tem que pensar o que suja muito o intestino, o queijo suja muito.

Frutas do cerrado, porque ela é de lá. E são remédios, fonte de prazer e alegria, fonte de união, a comunidade sai pra coletar fazer conserva, etc. Aproveite conheça e vão atrás dos frutos locais.

Fígado é importante filtra emoções, raiva, toxinas. Várias coisas são boas para o fígado. Substituir a carne vermelha, não precisamos, nessa quantidade que consumimos, faz mal para o corpo e o planeta.

Uma proteina boa é castanha com grão e semente é uma boa combinação para o fígado. Castanha de caju e castanha do pará no máximo 3 castanha dia um pouco tóxico, para quem tem tendência a esquizofrênia, ela desencadeia alguns surtos. Por conta do selênio.

Boas combinações:

  • Grãos - arroz feijão.
  • Sementes - gergelim, coentro.
  • Castanhas - do pará, de caju.

A semente de coentro é boa para o fígado e ajuda a regulação hormonal. Soca alho com semente de coentro para usar como tempero.

Para os fígados oss amargos caem bem bertalha, giló, Babosa, (suco, bate a parte gelatinosa apenas) a boa de tomar é a toda verde não a pintada, deixa escorrer o amarelo. Só o miolo. Pode bater com o que for.

Babosa (aloe) cortar ela e por o gel e põe na geladeira e faz supositório tanto vaginal quanto anal, para hemorróidas, etc.

Comer consciente, não comer na frente da televisão, comer é compartilhar, agradecer o alimento. Comer é um ato de nutrir, mente corpo e alma. Agradecer, olhar para como aquele alimento vai nutrir o seu organismo como ele te faz bem. É muito difícil agradecer um pozinho de miojo.

Memória de todos os alimentos que estamos consumindo. Estamos absorvendo nutrientes que vieram da terra pela raiz, o sol, a água que teve para crescer, o amor daquela pessoa que cuidou daquela planta e por isso que lutamos pela situação no campo de bem estar, de vida, de bem viver, porque reflete no que estamos comendo. Buscar plantar o que come, a planta te conhece, te cura melhor. O tempo o espaço é difícil. Mas vale o esforço na medida do possível. Nem que seja uma mudinha de tempero, com pelo menos uma planta que você cuida. Uma pimentinha que seja, guardando a casa, temperando o prato.

Dinâmica das frutas[editar | editar código-fonte]

Para sentir os cuidados com as pessoas com as amigas antes de cair, e pedir ajuda quando não estamos bem. (EXPLICAR A DINÂMICA AQUI)

Bibliografia:[editar | editar código-fonte]

  • Dart loger o uso do erótico como poder. Sapatão feminista negra estado unidense, tem uma tradução, pode mandar por e-mail
  • El coraje de sanar.
  • Seu sangue é ouro.

Links[editar | editar código-fonte]

https://crabgrass.riseup.net/saude_autonomia https://crabgrass.riseup.net/ginediy https://crabgrass.riseup.net/gynepunklab http://luaquesente.blogspot.com.br/2016/06/livros-sobre-o-feminino_9.html https://crabgrass.riseup.net/vulvasapiens http://trotulacritica.blogspot.com.br/ http://www.vulvasapiens.net/ https://uterinablog.wordpress.com/ http://gynepunk.tumblr.com/ https://www.buzzfeed.com/tatianafarah/tudo-o-que-uma-mulher-precisa-saber-para-fazer-um-aborto-dep?utm_term=.hkgJy5kZ6#.vlyEdQ3rv