Portal:Ciências Agrárias/Bacharelado em Agronomia

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Bem-Vindo ao Curso de Graduação em Agronomia!
Mantido pelo Instituto de Engenharia

Introdução[editar | editar código-fonte]

O homem deixou os costumes nômades a mais de 10 mil anos, iniciando as primeiras civilizações, este processo lento e migratório de tempo em tempos consistia em achar uma localidade onde tivesse alimento para coletar e animais para caçar, porem na medida que o tempo foi passando este hábito de "acampar" fui ficando inviável pois estava ficando difícil encontrar lugares próprios para permanecerem algum tempo. Junto com isso o homem foi se dando conta que quando descartava a parte mais dura dos frutos, as sementes, ali nascia uma nova arvore, semelhante a original de onde coletava os frutos, esse processo teve inicio na localidade onde chamamos de mesopotâmia também conhecida como crescente fértil.

Então o homem começou a agricultar, era um processo ainda meio simples, envolvia basicamente, semente, solo e água. Porem algum tempo mais tarde ainda na mesopotâmia, graças a algum crescimento populacional motivou a busca por aperfeiçoamento nas praticas agraria já exercida. Então a necessidade por qualidade e quantidade dos frutos e cereais se destacou, o homem notou que os diferentes tipo de solo, e a irrigação mais aperfeiçoada respondiam na produção. Outra pratica também se destacou e que podemos denominar como melhoramento vegetal que consiste em escolher as melhores plantas para utilizar as suas sementes no ano seguinte a fim de conquistar melhores valores quantitativo e qualitativo na produção.

Logo, o homem estava produzindo a sua comida, e a fartura era tanta que teve que começar a estocar, surge então os primeiros engenho, ainda na mesopotâmia, porem junto com isso surge os primeiros arado, com tração animal.

Por muito tempo, basicamente a produção de alimentos foi assim, porem no inicio do Séc. XIX, um alemão chamado de Justus von Liebig foi um pesquisador e químico que fez muitas contribuições a sociedade, que é a famosa Lei de Liebig, também conhecida por Lei do Mínimo é um princípio utilizado principalmente na agricultura que estabelece que o desenvolvimento de uma planta será limitado por aquele nutrientes faltoso ou deficitário, mesmo que todos os outros elementos ou fatores estejam presentes. Com este conhecimento o homem da um grande passo para o aumento na taxa de produção.

No seculo XIX a população mundial variava na casa de 2,5 bilhões de habitantes, a produção agrícola conseguia suprir esta demanda. Nesta época já se cultivava utilizando alguns aparatos muito mais desenvolvidos porem grande parte do trabalho no campo era artesanal, com muita de mão-de-obra disponível não era o problemas.

Um problema grave estava assombrando o mundo no séc. XX. No séc. XVIII Thomas Malthus havia alertado, no seu Ensaio sobre o Princípio da População, para a necessidade de um controlo forte e constantemente ativo no aumento da população, em virtude da dificuldade de subsistência que iria se manifestar. Porem a população dobrou praticamente de tamanho em menos de 1 seculo. As áreas para agricultar eram as mesmas, varias tentativas de aumentar a produção fracassou, uma pequena implementação agrícola se iniciou mas não solucionou o problema. Estudos nas áreas da física, biologia, química e solos se mostraram presentes mais intensivamente. O que resultou em uma segunda revolução agrícola, onde logo após a 1ª Guerra mundial, uma população faminta e pouca mão-de-obra a tecnologia ofereceu um "remédio".

Este "remédio" era um pacote tecnológico que consistia em uma uniformização da agricultura a fim de produzir cereais como, arroz, milho, cevada, aveia, centeio e sorgo e mais algumas cultivares, de modo geral este pacote descrevia um calendário a cumprir pelo produtor, porem tinha uma receita que deveria comprar antes de começar a plantar. Um resumo seria, um trator, arado, grade aradora, plantadora, colhedora, pulverizador, semente, herbicida, inseticida e diferentes adubos. Em posse de todos os ingredientes o agricultor iniciava o seu plantio.

Logo nos primeiros anos a sociedade viu grandes recordes na produção agrícola, e na entrada do seculo XXI a população mundial já estava perto dos 6 Bilhões, porem a agricultura mostrou-se várias vezes ineficiente, pois logo apos grandes plantios com elevada taxa de produtividade rotineiramente esta produtividade entra em colapso, seja por um inseto resistente a um inseticida, seja por uma avariação climática, uma infestação fúngica, ou doença causada por bactéria, a planta assim como nós sofre várias injurias. Ou até mesmo outras plantas não desejadas invadem o território da cultura de interesse e disputam por espaço e nutrientes, os herbicidas estão deixando de ser eficientes.

Causalizando a todas estas injurias que a planta experimenta, grandes colapsos agronômicos como por exemplo queda de produção, a ciência consegue temporariamente resolver os problemas, porem o crescimento populacional seguem em uma ordem exponencial, enquanto a taxa de produção de alimentos é linear. E pensando em estas adversidades, e sabendo que a previsão de população mundial pra 2050 esta em torno de 9,7 bilhões de pessoas a agronomia tem o desafio de produzir alimento de qualidade, sem comprometer o meio ambiente e alimentar de forma satisfatória toda a população do planeta terra.

Pré-requisitos[editar | editar código-fonte]

Plano Curricular[editar | editar código-fonte]

1º Estágio[editar | editar código-fonte]

A PRIVACIDADE E A SEGURANÇA NA REDE

A facilidade e rapidez de comunicação entre diversos lugares do mundo são uma das maiores vantagens da Internet, mas também a causadora de um grande problema para a justiça: a dificuldade de julgar atos que afetam mais de um país. A diferença entre a legislação nacional e a falta de uma legislação única para a Internet reflete na sensação de que na Internet pode-se tudo.

Segundo Albertin (2000), uma fonte potencial de problemas é a preocupação dos clientes com a privacidade e segurança, que poderia levar a uma forte reação contra fornecedores que utilizam tais sistemas ou simplesmente a sua não utilização por parte dos clientes. Alguns autores acreditam que os clientes são relutantes em entregar a seus fornecedores os dados referentes a suas informações demográficas, padrões de compra e necessidades de produtos. Infelizmente, esses dados são críticos em muitas estratégias, tais como customização em massa, relação com cliente etc.

Um aspecto amplamente citado nos sistemas on-line atuais é a segurança, apesar de muitos especialistas considerarem-no mais uma questão de percepção do que de realidade. A segurança dos sistemas on-line tem evoluído e a evolução da legislação neste campo permitirá progressivamente o desenvolvimento de melhores sistemas e sua exportação mundial (por exemplo, os sistemas de criptografia com chaves maiores).

O que se questiona, atualmente, é que a legislação no Brasil tem sido lenta em termos de atuação do código civil com relações às fraudes, os hackers. Bhimani (1996,p.29) relaciona algumas das maneiras pelas quais os problemas de segurança na Internet Comercial se manifestam: Ø Bisbilhotice: Os ataques de bisbilhotice na rede podem resultar no roubo de informações de contas, tais como números de cartões de crédito, número de contas de clientes ou informações sobre saldo e extrato de contas de clientes. Ø Espionagem de senhas: Os ataques de espionagem de senhas podem ser utilizados para se obter acesso a sistemas nos quais informações proprietárias e armazenadas, sendo que o uso crescente de algoritmos fortes de criptografia tem inibido esse tipo de ataque. Ø Modificação de dados: Os ataques de modificação de dados podem ser utilizados para modificar os conteúdos de certas transações (por exemplo, alterar o sacador em um cheque eletrônico ou alterar o valor que está sendo transferido para uma conta bancária). Ø Falsificação: Os ataques de falsificação podem ser utilizados para permitir a uma parte se mascara como uma outra. Ø Repúdio: O repúdio de transações pode causar maiores problemas com sistemas de faturamento e acordos de processamento de transações. Por exemplo , se uma parte não cumpre um acordo após o fato, a outra parte pode incorrer no custo de processamento de transações sem se beneficiar. Uma solução de segurança adequada para processamento de transação deve satisfazer aos seguintes requerimentos fundamentais de segurança: Ø Confiabilidade: Toda comunicação entre as partes está restrita àquelas envolvidas na transação. Essa confiabilidade é uma componente essencial na privacidade do usuário, assim como na proteção de informação proprietária e um inibidor para roubo de serviços de informação. Ø Autenticação: Ambas as partes têm de se sentir confortáveis e crentes de que estão se comunicando com aquela com a qual estão fazendo negócio. Ø Integridade dos dados: O dado enviado como parte de uma transação não deve ser modificado em trânsito. Ø Não repúdio. Nenhuma parte pode negar ter participado de uma transação após o fato. Ø Aplicação seletiva de serviços. Pode ser desejável que parte de uma transação seja escondida, enquanto o restante da mesma transação fique à vista.

2º Estágio[editar | editar código-fonte]

3º Estágio[editar | editar código-fonte]

4º Estágio[editar | editar código-fonte]

5º Estágio[editar | editar código-fonte]

6º Estágio[editar | editar código-fonte]

7º Estágio[editar | editar código-fonte]

8º Estágio[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]