Portal:Formação Intermediária/Língua Portuguesa/Adjunto adnominal

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Adjunto adnominal é o termo que caracteriza e/ou define o nome sem intermediação de um verbo. As classes de palavras que podem desempenhar a função de adjunto adnominal são adjetivos, locuções adjetivas, pronomes, numerais e artigos. Ele é uma expressão que acompanha um ou mais nomes conferindo-lhe um atributo. Trata-se, portanto, de um termo de valor adjetivo que modificará o nome a que se refere.

Os adjuntos adnominais não determinam ou especificam o nome. Eles apenas conferem uma nova informação ao nome e por isso são chamados de modificadores.

Exemplos[editar | editar código-fonte]

  • No desfile, duas meninas vestiam calças e camisetas verdes.
  • O jogo de futebol foi suspenso até segunda ordem.
  • O espetáculo coreográfico foi suspenso até segunda ordem.
  • O passeio era demorado e filosófico.
  • Nosso velho mestre sempre nos voltava à mente.
  • O menino comprou dois carros.

Confusão com predicativo[editar | editar código-fonte]

É importante notar que o adjunto adnominal pode estar em qualquer parte da oração e dá uma característica constante ao substantivo. Já o predicativo só se encontra no predicado, e dá uma característica momentânea ao substantivo. Podemos diferenciar um do outro substituindo a estrutura sintática por -o, -os, -a, -as. Veja os exemplos:

  • Busquei o caderno velho. --> Busquei-o.

Note que a estrutura o caderno velho pode ser substituída por -o. Isso caracteriza o adjunto adnominal.

  • Considero sua decisão triste. --> Considero-a triste

Note que a estrutura sua decisão triste não pode ser substituída inteiramente, caracterizando o predicativo, que nesse caso é o predicativo do objeto, pois se refere ao substantivo decisão.

Confusão com complemento nominal[editar | editar código-fonte]

É comum as pessoas fazerem confusão ao tentar classificar essas estruturas sintáticas. Uma dica é: sempre notar que o adjunto adnominal só trabalha para o substantivo (concreto ou abstrato), enquanto o complemento nominal pode trabalhar para o substantivo abstrato, adjetivo e advérbio. Quando uma estrutura que se está em dúvida quanto sua classificação estiver trabalhando para um adjetivo ou advérbio, certamente será complemento nominal.

Quando a estrutura estiver relacionada a um substantivo, basta olhar se este substantivo "existe" sem o auxílio de um complemento. Se existir, a estrutura é classificada como adjunto adnominal, se não, complemento nominal. Vejamos exemplos:

  • necessidade de atenção – note que necessidade não "existe" sem o complemento de "de atenção". Isso caracteriza o complemento nominal;
  • chuva fria – note que chuva "existe" sem complemento, fria pode ser retirado, sem alterar o significado do substantivo. Isso caracteriza o adjunto adnominal.