Saltar para o conteúdo

Projeto Autonomia Alimentar

Fonte: Wikiversidade

Esta é uma página para documentação do projeto Cooperação Vida e Alimento.

Participantes[editar | editar código-fonte]

  • Guel
  • Vivian
  • Lia
  • Foz
  • Rafa
  • Aparecida
  • Aline
  • Luis

Objetivo[editar | editar código-fonte]

Criar uma comunidade autônoma de alimentação e saúde do corpo e da alma que discute as relações de produção-propriedade e consumo da vida, visando a multiplicação desse modelo. Resgatar o uso de hortaliças não convencionais, mais adaptadas ao nosso clima e solo e muitas vezes mais nutritiva que hortaliças "importadas". Promover saúde através da alimentação livre de agrotóxicos.

Apresentação[editar | editar código-fonte]

Nós temos um sonho

de empoderamento sobre o nosso alimento e vida autonomia do sentimento

traga uma muda de sua companhia um prato de comida e uma ferramenta essa cooperação alimenta

Histórico[editar | editar código-fonte]

Diante da vontade de ter uma alimentação que prioriza alimentos livres de agrotóxicos e dos altos preços dos alimentos orgânicos encontrados no mercado, foi pensada uma cooperação (cooperativa) que vise viabilizar a auto produção alimentar de um grupo organizado.

Foi pensado alguns modelos trazidos pelos participantes como CSA (bancando um agricultor), produção num terreno na cidade (alugado, permuta, linha de transmissão, etc), produção em uma área próxima da cidade contando com a ajuda de um trabalhador rural.

E o projeto sempre contou com a vontade e o sonho de ser aliado ao envolvimento dos participantes da cooperação com o plantio, colheita, pragas e perrengues que uma produção caseira e orgânica enfrenta, outra vontade de todos os participantes é que o projeto fosse lúdico e didático, priorizando a produção de material didático voltado também para as crianças e sempre que possível organizar encontros culturais com música, dança, atividades recreativas e educacionais.

No viés de uma vida mais saudável possibilitada pelos alimentos orgânicos livres de químicos e rico em nutrientes e vitaminas, e de possíveis qualidades "não conhecíveis" como o Prana (energia de vida) adquirido pelos alimentos no cultivo manual, com respeito e amor, o projeto acredita na importância de realizar práticas que aumentem o poder individual e de vida, como yoga, massagens, capoeira, medicinais alternativas, práticas ritualísticas e danças tradicionais.

Metodologia[editar | editar código-fonte]

Inicialmente com os participantes do curso, e com o tempo abrir para mais interessados. O cultivo será realizado de forma ecológica e orgânica, sem agrotóxicos, fertilizantes, ou sementes transgênicas. Também cultivaremos uma área no sistema de Agrofloresta. Os custos serão divididos entre os cooperativistas, assim como as tarefas e responsabilidades. Uma pessoa autonoma será contratada para cuidar do cultivo durante a semana, e fornecerá nota fiscal pelo serviço.

Benefícios e Considerações[editar | editar código-fonte]

. Alimentos orgânicos a baixo custo . Interação com a natureza . Troca de experiências

Considerações: aberta a novos integrantes, mas com limitação futura.

Planta do Terreno[editar | editar código-fonte]

O projeto será realizado em um ára rural a uma hora da cidade de São Paulo capital, na cidade de Campo Limpo Paulista. A área pertence à família do cooperativista Guel Bernucci. A área a ser cultivada é extensa - suficiente para uma cooperação entre várias pessoas. O local também já teve ovelhas, e tem um lago extenso. É possível chegar de trem até Campo Limpo Paulista, pegar um ônibus até perto do sítio e caminhar meia hora até o local. A viagem de bicicleta talvez seja uma opção. Em breve disponibilizaremos as distâncias, custos, e se é possível embarcar com a bicicleta. As instalações do sítio tem capacidade para receber várias pessoas, embora a ida precise ser combinada com antecedência, e está sujeita à liberação da família, que usa a casa como local de lazer-descanso.

Pesquisação[editar | editar código-fonte]

Foi realizado um encontro na casa da Lia, no qual fizemos um pequeno multirão com as mudas, ferramentas, e energia que as trouxeram. Durante o processo, foram gravadas entrevistas com os participantes, onde cada um expressava de que forma o participante se compromete com o projeto e de que forma o projeto tem a contribuir para a pessoa.

Colaboradores[editar | editar código-fonte]

  • Mariana
  • Marcos
  • Nadia

Indicadores de Sucesso[editar | editar código-fonte]

  • Auto-sustentabilidade alimentar com gasto equivalente ao gasto com alimentos não orgânicos
  • Auto-realização
  • Multiplicação do modelo
  • Comprometimento das pessoas
  • Auto-apoio
  • Realização de material didático

Registro dos Encontros[editar | editar código-fonte]

- 06/06/13 na subpereitura da Lapa: formação dos grupos e rodada de sonhos.
- 12/06/13 na casa da Lia: reconhecimento do terreno inicial.
- 16/06/13 na casa da Lia: higienização do terreno, início do plantio da horta, Pesquisa ação
- 20/06/13 na subpereitura da Lapa: alteração do local potencial para plantio, no sítio do Guel, em Campo Limpo Paulista.
- 07/07/13 no sítio do Guel. Reconhecimento do terreno e definição dos locais de plantio.

Desejo de Espécies[editar | editar código-fonte]

PERENES[editar | editar código-fonte]

  • Azedinha(50 a 60 dias após o plantio)
  • Ora Pró Nobis (trepadeira - 2 a 3 meses após o plantio - poda de 3 em 3 meses)
  • Beldroega (50 a 60 dias após o plantio)
  • Bertalha (60 a 90 dias após o plantio)
  • Capuchinha (50 dias após o plantio)
  • Dente de Leão
  • Fisalis
  • Groselheira (ou vinagreira - arbusto até 3mt, folhas/ramos 60 a 90 dias, flores 150 a 180 dias)
  • Moringa Olerífera (árvore médio porte)
  • Almeirão da Terra
  • Caruru (60 dias após plantio)
  • Serralha (50 a 60 dias após a semeadura - colheita se repete a cada 30 dias)

HORTALIÇAS[editar | editar código-fonte]

  • Alface (21 dias)
  • Rúcula (21 dias)
  • Agrião (21 dias)
  • Rabanete (21 dias)
  • Abóbora (2 meses)
  • Mandioca (6 meses)
  • Couve
  • Beringela
  • Milho (diversas variedades)
  • Couve Flor
  • Brócolis
  • Abóbora
  • Batata Doce
  • Feijão
  • Cenoura
  • Ervilha-torta
  • Pepino
  • Alcachofra
  • Jiló
  • Tomate Cereja
  • Chuchu
  • Cará do Ar (trepadeira - 7 a 9 meses após o plantio)
  • Aspargo
  • Chuchu de vento (trepadeira - 100 dias após plantio)
  • Abobrinha
  • Acelga
  • Aipo (ou salsão)
  • Alcachofra
  • Alface
  • Alfafa
  • Almeirão
  • Aspargo
  • Berinjela
  • Bertalha (Basella rubra)
  • Brócolos
  • Cebola, família da
  • Alho
  • Alho poró Allium porrum
  • Cebola, Cebola-roxa
  • Chicória
  • Chuchu (Sechium edule)
  • Couve
  • Couve-de-bruxelas
  • Couve-flor
  • Couve-galega
  • Endívia
  • Erva-doce (a folha do chá) ou funcho
  • Escorcioneira
  • Espinafre
  • Feijão
  • Feijão Azuki
  • Feijão Fava
  • Feijão Lentilha
  • Feijão-preto
  • Feijão Soja
  • Feijão Vagem
  • Fruta-pão
  • Jiló
  • Maxixe
  • Milho
  • Pepino
  • Pimentão
  • Pimenta-verde
  • Pimenta-vermelha
  • Pimenta Jalapeño
  • Pimenta Malagueta
  • Pimenta Páprica
  • Quiabo
  • Batata doce
  • Beterraba
  • Cenoura
  • Gengibre
  • Mandioca ou aipim (Manihot esculenta)
  • Nabo
  • Rabanete
  • Rábano
  • Repolho
  • Rúcula
  • Taioba (Xanthosoma sagittifolium)
  • Tomate
  • Batata
  • Jicama
  • Mandioquinha ou batata-baroa
  • Taro
  • Inhame

RIZOMAS[editar | editar código-fonte]

  • Bardana
  • Inhame (6 a 7 meses após plantio - pode ficar 3 meses na terra após isso)
  • Cará
  • Gengibre
  • Araruta (6 a 7 meses após o plantio)
  • Maxixe
  • Jacatupé (5 a 7 meses após o plantio)
  • Mangarito (6 a 8 meses após o plantio)
  • Taioba (rizoma 7 a 8 eses
  • batata doce branca e roxa

TEMPEROS[editar | editar código-fonte]

  • Açafrão (mais de sombra)
  • Alecrim
  • Alfavaca
  • Alho Poró
  • Cebolinha
  • Salsa (salsinha, salsão e salsa japonesa)
  • Coentro
  • Estragão
  • Funcho
  • Hortelã
  • Jurubeba (árvore pequeno porte 3 a 5 mt - colheita começa de 4 a 6 meses após plantio)
  • Louro (árvore médio porte)
  • Malvariço
  • Manjericão (verde, roxo)
  • Manjerona
  • Nirá
  • Orégano
  • Poejo
  • Sálvia
  • Urucum
  • Tomilho

PIMENTAS[editar | editar código-fonte]

  • Dedo de moça
  • de Bode
  • Cumari
  • Biquinho
  • Pimentão verde, vermelho, amarelo
  • do Reino (trepadeira perene)

FRUTÍFERAS[editar | editar código-fonte]

  • Goiabas (vermelha, branca), Araças e outras Eugenias (Produzem o ano todo)
  • Jaboticaba
  • Limão tahiti
  • Banana (nanica, prata, outro e da terra)
  • Amora
  • Maracujá (azedo, doce)
  • Morango
  • Romã
  • Videira
  • Limão Rosa
  • Mamoeiro (formosa e papaya)
  • Lichia
  • Pêra
  • Framboesa
  • Pupunha
  • Mexerica
  • Carambola
  • Abacate (longo prazo)
  • Manga (longo prazo)
  • Jaca (longo prazo)
  • Pitanga
  • Amora-preta (Morus nigra; Moraceae)
  • Cornelian cereja (Cornus mas; Cornaceae)
  • Figo (Ficus spp. Moraceae)
  • Jujuba (Ziziphus zizyphus; Rhamnaceae)
  • Azeitona (Olea europea; Oleaceae)
  • Romã (Punica granatum; Punicaceae)
  • Tâmara (Phoenix dactylifera; Arecaceae)
  • Uva, que é chamada passa ou sultana quando está desidratada (Vitis spp.; Vitaceae)
  • Ugli.
  • Caquis.
  • Cidra (Citrus medica) - Fruta originária da Ásia
  • Laranja, das quais :
  • Citrus sinensis, espécie doce
  • Citrus aurantium, espécie amarga
  • Lima (Citrus aurantifolia) (BR: Limão)
  • Limão (Citrus limon)
  • Lima-cidra (Citrus aurantifolia x medica) (é um importante híbrido interespecífico da Lima (Citrus aurantifolia) e da Cidra (Citrus medica))
  • Tangelo ou tangerina-pomelo (Citrus reticulata x paradisi) é também outro importante híbrido interespecífico da tangerina (Citrus reticulata) com o pomelo (Citrus maxima).
  • Tangerina (Citrus reticulata), clementina (Citrus reticulata var. clementina)
  • Tangor (Citrus reticulata x sinensis) é também outro importante híbrido interespecífico da tangerina com a laranja doce
  • Toranja (Citrus grandis)
  • Ugli, um híbrido
  • Abacate (Persea americana; Lauraceae, da América Central
  • Caqui (Diospyros kaki; Ebenaceae), da Ásia
  • Chirimóia (Annona cherimola; Annonaceae)
  • Cunquate (Fortunella spp.; Rutaceae)
  • Feijoa (Feijoa sellowiana; Myrtaceae), do sul do Brasil
  • Goiaba (Psidium guajava; Myrtaceae), do Brasil
  • Longan (Euphorianthus longan; Sapindaceae)
  • Lichia ou (Alichia) (Litchi chinensis; Sapindaceae)
  • Jabuticaba (Myrciaría cauliflora ou Plinía trunciflora; Myrtaceae), da Mata Atlântica brasileira
  • Macadâmia ou nogueira-do-havaí ou noz-australiana (Macadamia integrifolia; Proteaceae ), da Austrália
  • Maracujá (Passiflora edulis e outras espécies de Passiflora spp.; Passifloraceae)
  • Marmelo (Cydonia oblonga e Chaenomeles spp.)
  • Nêspera (Mespilus germanica), da Ásia
  • Noz-pecã (Carya illinoensis; Juglandaceae)
  • Tamarillo (Cyphomandra betacea; Solanaceae)
  • Abacate (Persea americana), da América Central
  • Ananás ou Abacaxi (Ananas comosus ou Ananas sativus; Bromeliaceae), da América Central e México
  • Abiu (Lucuma caimito; Sapotaceae), da Amazônia
  • Abiu-cutite (Pouteria macrophylla)
  • Abiu-do-cerrado (Pouteria ramiflora)
  • Abiu-piloso (Pouteria torta)
  • Abiu-preto (Pouteria ramiflora; Sapotaceae), Amazônia e Centro-Sul do Brasil
  • Abiu-roxo (Chrusophyllum cainito)
  • Aboirana (Pouteria venosa)
  • Abricó (Mammea americana; Clusiaceae)
  • Abricó-da-flórida
  • Abricó-da-praia (Lambramia bojeri ou Mimusopsis commersonii)
  • Abricoteiro-do-mato (Mimusops elengi; Sapotaceae)
  • Abutua-grande (Chondrodendron platiphyllum)
  • Açaí (Euterpe oleracea; Palmae), da Amazônia
  • Acaíba (Spondias mombin)
  • Acara-uba (Gynerium sagittatum)
  • Acerola (Malpighia glabra; Malpighiaceae), das Antilhas
  • Achachairu (Garcinia humilis)
  • Achuá (Sacoglottis guianensis), do Brasil
  • Acumã (Syagrus flexuosa)
  • Acuri (Scheelea phalerata)
  • Aguaí-guaçu (Pouteria gardneriana)
  • Ajarí (Glycoxilon pedicillatum)
  • Ajuru (Chrysobalanus icaco), do Brasil
  • Ajuru-preto
  • Araçá.
  • Bacupari.
  • Bananas.
  • Fruta-pão.
  • Akee ou Castanheiro da África (Blighia sapida)
  • Alfarroba (Ceratonia siliqua; Fabaceae)
  • Algarobo (Prosopis ruscifolia), do Brasil
  • Algodãozinho
  • Amanina
  • Amapá (Parahancornia amapa; Apocynaceae)
  • Amarula
  • Ameixa-brava
  • Ameixa-da-caatinga
  • Ameixa-da-mata
  • Amêndoa (Amygalus communis)
  • Amendoeira-da-praia (Terminalia catappa), da Índia e Malásia
  • Amendoim-de-árvore ou Castanheira-da-praia (Bombacopsis glabra); Bombacaceae do Brasil
  • Amendoim-de-bugre
  • Amora-do-mato
  • Anajá
  • Angá
  • Angúria
  • Anona-lisa
  • Apuruí
  • Araçá (Psidium cattleianum, Psidium araça; Myrtaceae). do Brasil
  • Araçá-boi (Eugenia stipitata; Myrtaceae), do Brasil
  • Araçá-cagão (Annona cacans), da Mata Atlântica e do Cerrado do Brasil
  • Araçá-da-serra (Calycoreotes acutatus), do Brasil
  • Araçá-de-água
  • Araçá-de-anta (Bellucia grossularioides), do Brasil
  • Araçá-de-anta-vermelha
  • Araçá-do-mato
  • Araçá-do-rio-grande
  • Araçá-roxo (Psidium rufum; Myrtaceae), do Brasil
  • Araticum
  • Aroeira-vermelha (Schinus terebinthifolius; Anacardiaceae), várias formações vegetais do Brasil
  • Babaçu (Orbignya speciosa; Palmae), Amazônia e Mata Atlântica na Bahia
  • Bacaba (Oenacarpus distichus), Amazônia
  • Bacupari (Rheedia brasiliensis ou Rheedia gardneriana; Gutiferaceae ou Garcinia brasiliensis/Garcinia cochinchinensis Clusiaceae), do Brasil
  • Bacupari-miúdo (Posoqueria acutifolia), do Brasil
  • Bacuri (Platonia insignis)
  • Banana e a variante banana-da-terra (Musacea spp.; Musaceae), da Ásia
  • Bapeba (Pouteria bullata e Pouteria pachycalyx), do Brasil
  • Bapeba-da-restinga (Pouteria grandiflora)
  • Baru (Dipteryx alata), das matas e cerrados do Brasil Central. Espécie ameaçada.
  • Goiabas.
  • Graviola.
  • Biribá (Rolinia mucosa; Annonaceae)
  • Brejaúva (Astrocaryum aculeatissimum), Mata Atlântica
  • Buriti (Mauritia flexuosa; Palmae), brejos de várias formações vegetais
  • Fruta-pão (Artocarpus altilis; Moraceae)
  • Burmese uva (Baccaurea ramiflora ouBaccaurea sapida; Euphorbiaceae)
  • Cabeluda (Eugenia tomentosa; Myrtaceae)
  • Cacau (Theobroma cacao; Malvaceae), da Amazônia
  • Cagaíta (Eugenia dysenterica; Myrtaceae), cerrados brasileiros
  • Cajá (Spondias mombín; Anacardiaceae), do Brasil
  • Cajá-grande (Spondias venulosa; Anacardiaceae), do Brasil
  • Cajá-manga (Spondias dulcis; Anacardiaceae)
  • Cajá-redondo (Spondias macrocarpa; Anacardiacea), do Brasil
  • Caju (Anacardium occidentale; Anacardiaceae), da região costeira do N e NE do Brasil
  • Cajuí (Anacardium giganteum; Anacardiaceae), do Brasil
  • Cambucá (Plinia edulis)
  • Camu-camu (Myrciaria dubia; Myrtaceae), também chamada guavaberry, da Amazônia
  • Caqui-do-cerrado (Diospyros hispida), do Brasil
  • Caqui-do-mato (Diospyros brasiliensis), do Brasil
  • Carambola (Averrhoa carambola; Oxalidaceae), também chamada star fruit, da Ásia
  • Carnaúba (Copernicia prunifera), NE do Brasil e Pantanal
  • Castanha-da-áfrica (Blighia sapida ou Cupania sapida; Sapindaceae)
  • Castanha-do-pará ou castanha-do-brasil (Bertholletita excelsa; Lecythidaceae), da Amazônia
  • Catolé (Syagrus cearensis)
  • Cempedak (Artocarpus champeden; Moraceae)
  • Chupa (Gustavia speciosa; Lecythidaceae)
  • Coco (Cocos nucifera; Palmae)
  • Cuieira (Crescentia cujete L.), da Amazônia
  • Cuiarana (Buchenavia tomentosa), do Brasil
  • Cumaru (Dipteryx odorata), do Brasil
  • Cupuaçu (Theobroma grandiflorum; Sterculiaceae)
  • Curiola (Pouteria ramiflora), do cerrado brasileiro
  • Damasco (Prunus armeniaca)
  • Dendê (Elaeis guineensis; Palmae) da África
  • Durião (Durio spp.; Bombacaceae)
  • Embaúba-vermelha (Cecropia glaziovii)', do Brasil
  • Feijoa ou Goiabeira-serrana (Acca sellowiana; Myrtaceae), do sul do Brasil
  • Groselha preta.
  • Jabuticabas.
  • Jacas.
  • Mangas.
  • Fruta-da-condessa (Annona reticulata; Annonaceae )
  • Fruta-de-tatu (Chrysophyllum soboliferum; Sapotaceae), do cerrado brasileiro
  • Fruta-do-conde (Annona squamosa; Annonaceae )
  • Goiaba (Psidium guajava; Myrtaceae), do Brasil e América tropical
  • Graviola (Annona muricata; Annonaceae ), também chamada guanabana da América Central
  • Groselha preta (Ribes nigrum)
  • Groselha vermelha (Ribes rubrum)
  • Grumixama (Eugenia brasiliensis; Myrtaceae), da Mata Atlântica pluvial do Brasil
  • Guabiju (Myrcianthes pungens; Myrtaceae), da Mata Atlântica brasileira, nas florestas de altitude do S e SE
  • Guabiroba (Campomanesia eugenioides), do Brasil
  • Guabiroba-branca (Campomanesia neriiflora), do Brasil
  • Guabiroba-da-mata (Campomanesia xanthocarpa), do Brasil
  • Guaçatunga (Casearia decandra), do Brasil
  • Guaçatunga-grande (Casearia rupestris), do Brasil
  • Guaraná (Paullinia cupana; Sapindaceae) da Amazônia
  • Guariroba (Syagrus oleracea; Palmae), SE e NE do Brasil
  • Ibapobó (Melicoccus lepidopetalus), do Brasil
  • Ingá (Inga cylindrica), do Brasil
  • Ingá-branco (Inga laurina), do Brasil
  • Ingá-cipó (Inga edulis), da Amazônia
  • Ingá-dedo (Inga sessilis), do Brasil
  • Ingá-ferradura (Inga cylindrica), do Brasil
  • Jaboticabarana (Plinia rivularis; Myrtaceae), do Brasil
  • Jabuticaba (Myrciaria cauliflora; Myrtaceae), da Mata Atlântica brasileira
  • Jaca (Artocarpus heterophyllus; Moraceae), também chamada nangka, da Ásia
  • Jaci (Attalea butyracea), da Amazônia
  • Jambo (Eugenia malaccensis; Myrtaceae), da Índia
  • Jambolão (Eugenia jambolana; Myrtaceae), da Índia
  • Jaracatiá (Jacaratia spinosa), do Brasil
  • Jarana-mirim (Lecythis chartacea), do Brasil
  • Jatobá (Hymenaea courbaril;Leguminosae Caesalpinoideae), do Brasil
  • Jenipapo (Genipa americana; Rubiaceae), do Brasil
  • Jimbão ( Eugenia Jimbolina); Myrtaceae), do Brasil
  • Juçara (Euterpe edulis; Palmae), do Brasil
  • Fruto-de-keppel (Stelechocarpus burakol; Annonaceae)
  • Jutaí (Dialium guianense), do Brasil
  • Langsat (Lansium domesticum; Meliaceae), também chamada longkong ou duku
  • Licuri (Syagrus coronata; Palmae), da Mata Atlântica brasileira
  • Lobeira (Solanum lycocarpum; Solanaceae), do cerrado do Brasil
  • Louro-branco (Porcelia macrocarpa), do Brasil
  • Macaúbas.
  • Maracujás vermelhas.
  • Marolo.
  • Murici.
  • Pitanga.
  • Mabolo, (Diospyros discolor; Ebenaceae) também conhecido como um velvet persimmon
  • Maçã-de-água (Eugenia/Syzygium aquem; Myrtaceae )
  • Maçaranduba (Manikara huberi), do Brasil
  • Maçaranduba-mirim (Manikara salzmannii), do Brasil
  • Macaúba (Acrocomia aculeata; Palmae), das matas do N ao SE brasileiros
  • Mamão (Carica papaya; Caricaceae), da América Central
  • Mamão-do-mato (Carica quercifolia; Caricaceae), do Brasil
  • Mamica-de-cadela (Brosimum gaudichaudii), do cerrado brasileiro
  • Mamoncillo (Melicoccus bijugatus; Sapindaceae), também conhecido como quenepa ou genip
  • Manga (Mangifera indica; Anacardiaceae) da Ásia
  • Mangaba (Hancornia speciosa; Anacardiaceae)
  • Mangostão ou Mangostin (Garcinia mangostana; Gutiferae ou Hypericaceae) da Ásia
  • Mapati (Pourouma cecropifolia), do Brasil
  • Maracujá (Passiflora sp.; Passifloraceae)
  • Marajá (Pyrenoglyphis maruja), da Amazônia
  • Marang (Artocarpus odoratissima; Moraceae), do tipo da fruta-pão
  • Fruta-manteiga-de-amendoim (Bunchosia argentea;Malpighiaceae)
  • Mari (Geoffroea striata), do Brasil
  • Maria-preta (Diospyros obovata), do Brasil
  • Marmelada-nativa (Alibertia edulis), dos campos da Amazônia
  • Marmelinho (Diospyros inconstans), do Brasil
  • Marmelinho-do-campo (Alibertia sessilis), do Brasil
  • Marolo (Annona crassiflora), do Brasil
  • Monguba (Pachira aquatica), da Amazônia
  • Murici (Byrsonima crassifolia), do N e NE do Brasil
  • Murici-da-mata (Byrsonima stipulacea), do Brasil
  • Murici-do-cerrado (Byrsonima coccolobifolia), do Brasil
  • Murici-miúdo (Byrsonima spicata), do Brasil
  • Murici-pequeno (Byrsonima verbacifolia), do Brasil
  • Olho-de-boi (Zizyphus oblongis), do Brasil
  • Murmuru (Astrocaryum ulei), da Amazônia
  • Murumuru (Astrocaryum murumuru), da Amazônia, principalmente Pará e Ilha de Marajó
  • Pau-de-jacu (Pourouma guianensis), do Brasil
  • Pepino-do-mato (Ambdania acida), do Brasil
  • Pequiarana (Caryocar microcarpum; Caryocaceae), do Brasil
  • Pequi (Caryocar brasiliense; Caryocaceae), do cerrado brasileiro
  • Perta-güela (Gomidesia affinis), do Brasil
  • Pimenta-de-macaco (Xylopia aromatica), do cerrado brasileiro
  • Pindaíba (Dugetia lanceolata), do Centro-Oeste, SE e S do Brasil
  • Pinha-da-mata (Rollinia sericea; Annonaceae), do Brasil
  • Pitanga (Eugenia uniflora; Myrtaceae) da Mata Atlântica brasileira
  • Pitaya (Hylocereus spp.; Cactaceae)
  • Pitomba (Talisia esculenta; Sapindaceae), do cerrado brasileiro
  • Physalis ou Camapu ou Capote ou Saco de bode (Physalis peruviana; Solanaceae)
  • Pupunha (Bactris gasipaes; Palmae), da Amazônia
  • Quina (Strychnos pseudo-quina), do Brasil
  • Rambutão ou Rambutan (Nephelium lappaceum; Sapindaceae, do Sudeste Asiático
  • Salak (Salacca edulis; Arecaceae)
  • Sapota (Pouteria sapota; Sapotaceae)
  • Sapota-do-solimões (Matisia cordata), da Amazônia
  • Sapoti (Achras/Manilkara zapota; Sapotaceae)
  • Caimito (Chrysophyllum caimito; Sapotaceae)
  • Sapucaia (Lecythis pisonis), da Mata Atlântica brasileira
  • Saputá (Salacia elliptica), do Brasil
  • Seriguela (Spondias purpurea), do Brasil
  • Sombra-de-touro (Acanthosyris spinescens)
  • Sorvinha (Couma utilis), da Amazônia
  • Tamarindo (Tamarindus indica; Caesalpiniaceae), da Ásia
  • Tapiá (Crateva tapia), do Brasil
  • Tatajuba (Bagassa guianensis), do Brasil
  • Uricuru (Attalea phalerata), da Amazônia
  • Umari (Poraqueiba sericea), do Brasil
  • Umbu (Spondias tuberosa; Anacardiaceae)
  • Umiri (Humiria balsamifera), do Brasil
  • Uvaia (Eugenia uvalha; Myrtaceae), da Mata Atlântica brasileira
  • Uxi (Endopleura uchi), do Brasil
  • Xixá, fruta indígena do Brasil


MEDICINAIS[editar | editar código-fonte]

  • Espinheira Santa
  • Babosa
  • Arnica
  • Bálsamo
  • Boldo (peludo, do chile)
  • Calêndula
  • Camomila
  • Canela (árvore)
  • Capim limão
  • Cavalinha (áreas úmidas)
  • Chá (árvore)
  • Chapéu de couro
  • Cidrão
  • Tanchagem
  • Confrei
  • Embaúba
  • Erva Baleeira
  • Erva Cidreira
  • Erva de Bicho
  • Erva de Santa Maria
  • Espinheira Santa
  • Estévia
  • Folha da Fortuna
  • Ginkgo (árvore grande porte)
  • Grajiru (crajiru)
  • Guaco
  • Melão de São Caetano
  • Mil Folhas
  • Pariparoba
  • Erva Macaé

A

  • bacateiro: diurética, cálculos renais, fígado, rins, bexiga.
  • Abutua/Cóculos: Cálculos renais, cólicas uterinas, fígado.
  • Agoniada: Inflamações de útero, ovários e menstruações difíceis.
  • Alcaçuz: Bronquite, tosse, laringite, rouquidão.
  • Alcachofra: Diminui o colesterol, digestivo, hepático.
  • Alecrim: estimulante, circulatório, tônico capilar e inalaçã
  • Alecrim do Campo: Tônico, vias respiratórias e banhos relaxantes.
  • Alfafa: Baixa o colesterol, osteoporose, raquitismo, relaxante.
  • Alfavaca: Rins, prisão de ventre, aftas, bronquite, gripes fortes.
  • Alfazema: Calmante, asma, gases, rinite, analgésica nas dores.
  • Algodoeiro: Hemorragia uterina, regras profusas, reumatismo.
  • Ameixa folhas: Prisão de ventre, laxativo médico, azia.
  • Amor do Campo: Afecções das vias urinárias e rins, prostatite.
  • Angélica: Cólicas, gases, digestiva, nevralgias, enxaquecas.
  • Angico: Diarréia, desenteria, gripes. Uso externo: Lavagens e gargarejos.
  • Aniz Estrelado: Relaxante, insônia, gases (infantil e adulto).
  • Aperta Ruão: Mau hálito, fígado, diarréia, hemorragias.
  • Aquileia-Mil Folhas: Analgésica, febrifuga, bactericida, menopausa.
  • Arnica: Anti-inflamatória, reumatismo, artrite, artrose, dores.
  • Arueira: Diurética, ciática. Uso externo: Contusões, icterícia.
  • Arruda: Amenorréia. Uso externo: Varizes, flebites, abcessos, erisipela.
  • Artemisia: Nevralgia, cólica menstrual, vermes, circulatória.
  • Assa Peixe: Expectorante, tosse, resfriados, diurético, cicatrizante
  • Avenca:Afecções catarrais, bronquite, tosse, laringite.
  • Bálsamo: Incontinência urinária, expectorante. Uso externo: Afecções da pele.
  • Ban Chá: Desintoxicante, digestivo, colesterol e emagrecedor.
  • Barbatimão: Gastrite, úlceras. Uso externo: Cicatrizante, lavagem íntima.
  • Bardana: Desintoxicante, depurativo, cicatrizante, colesterol.
  • Batata de Purga: Laxativo energético, depurativo.
  • Betula: Gota, colesterol, triglicérides, ácido úrico, dores.
  • Boldo do Chile: Hepatoprotetor, fígado, pâncreas, vesícula.
  • Buchinha do Norte: Uso externo para inalação contra a sinusite.
  • Bugre/Porangaba: Ácido úrico, gota, depurativo, emagrecedor.
  • Cabreúva: Diabetes, reumatismo, coluna, gota, contusões.
  • Cactus: Cardiotônico, contra palpitações, síndromes cardíacas.
  • Cajueiro: Diabetes, colesterol, triglicérides, depurativo.
  • Calendula Flor: Cicatrizante, calos, verrugas, frieiras, manchas.
  • Cambará: Expectorante, balsâmico, tosse e gripes.
  • Cambuí: Anti-hemorrágico, é usado nas vias respiratórias.
  • Camomila: Estomacal, nas cólicas das crianças e enxaqueca.
  • Cannabis: Efeito antiemético, podendo ser usado no alívio do enjoo e depressão relacionados com o câncer. Analgésico. Reduz significativamente a pressão intraocular e o fluxo lacrimal em pacientes com glaucoma.
  • Cana do Brejo: Diurético, anti-inflamatório, cistite, próstata.
  • Canela: Estimulante, gripes, resfriados, febres.
  • Capim Cidrão - Erva Cidreira: Trata insônia, agonia, palpitações.
  • Capim Rosário: Depurativo das vias urinárias.
  • Carapiá: Afrodisíaco, irregularidades do fluxo menstrual.
  • Cardo Santo: Febrífugo, coqueluche, asma, bronquite, estomacal.
  • Carqueja Doce: Hepatoprotetora, digestiva, diurética, emagrecedora.
  • Carqueja Amarga: Depurativa, emagrecedora, colesterol, diabetes.
  • Carrapicho: Dores lombares, males da bexiga, rins.
  • Carobinha: Deputativa, antialérgica, disenteria, prostatite.
  • Cordão de Frade: Febre reumática, dores musculares, e circulação.
  • Carvalho Casca: depurativo, cicatrizante, Interno e Externo.
  • Cascara Sagrada: Laxativo, emagrecedora, trata a bílis e baço.
  • Casca d'anta-abóbora: Trata a anemia, fraqueza digestiva, vômitos.
  • Casca de Impurana: Balsâmica das vias respiratórias, colites.
  • Casca de Laranja: Relaxante, digestiva, aromática.
  • Castanha da Índia: Má circulação, flebite, hemorróidas e varizes.
  • Catinga de Mulata: Artrite, artrose, gota. Uso Externo: Psoríase, piolhos.
  • Catingueira: Depurativo, afrodisíaco. Uso Externo: Eczema, impingem, erisipela.
  • Catuaba: Energético, falta de memória, afrodisíaco.
  • Cavalinha: Diurético, ácido úrico, circulação, hipertensão, rins.
  • Cedro: Febres altas, desenterias, fraqueza orgânica. Uso externo: Dores musculares.
  • Centaurea - Fel da Terra: Inapetência, estômago, febre alta, hepatite.
  • Centella Asiática: Celulite, gordura localizada, circulatória, caimbras.
  • Chá Preto: Estimulante, digestivo, tônico.
  • Chapéu de Couro: Depurativo, colesterol, diabetes, gota, ácido úrico.
  • Chapéu de Napoleão - Aguai: Semente energética, uso externo comprovado.
  • Cinco Plantas: Espécies diuréticas.
  • Cipreste/Tuia: Disenteria, corrimento. Uso Externo: Feridas, úlceras, verrugas, calos.
  • Cipó Azougue: Depurativo, eczemas, feridas, furúnculos, herpes.
  • Cipó Cabeludo: Cistite, nefrite, uretrite, não elimina a albumina.
  • Cipó Caboclo: Orquite, hemorróidas, flebites, erisipela.
  • Cipó Cravo: Estomacal, gastrite, azia, gases.
  • Cipó Cruz Cainca: Reumatismo, diabetes, ácido úrico, inchaço.
  • Cipó Cruzeiro: Reumatismo, artrose, artrite, coluna, tendenite.
  • Cipó Prata: Areias e cálculos de rins e bexiga, dores.
  • Cipó Suma: Depurativo, furúnculos, acne, eczema, afecções mucosas.
  • Coentro Grão: Digestivo, gases intestinais, colite.
  • Composto Emagrecedor: Combinação de onze espécies medicinais, atuando como desintoxicante, depurativa, diurética, laxante brando.
  • Composto Energético: Combinação de espécies tônicas e estimulantes.
  • Coro-Onha - Olho de Boi: Uso Externo: Sementes energéticas para hipertensão.
  • Curcuma: Fígado, vias urinárias, icterícia, bronquite.
  • Damiana: Incontinência urinária, impotência, tônico e estimulante.
  • Dente de Leão: Depurativo, desintoxicante, laxante brando.
  • Douradinha: Diurética, depurativo, afecções cutâneas, ácido úrico.
  • Endro Dill: Cólicas, calmante leve, aumenta o leite materno.
  • Erva Baleeira: Reumatismo, artrite, artrose, dores musculares.
  • Erva de Bicho: Tratamento de hemorróidas e úlceras, varizes, uso interno/externo.
  • Erva Doce: Gases intestinais, cólicas, estimulante.
  • Erva Passarinho: Moléstias pulmonares. Uso Externo: Eczemas, sarna.
  • Erva Santa Maria: Vermífuga, parasitas intestinais, laxativo.
  • Erva São João - Mentrasto: Antidepressivo, males da menopausa, dores musculares, colites e cólica menstrual.
  • Erva Tostão - Pega Pinto: Afecções urinárias, fígado e baço.
  • Espinhera Santa: Gastrite, úlcera, calmante das paredes estomacais.
  • Estigma de Milho: Hidratante dos rins e cólica renal.
  • Eucalipto: Desinfetante das vias respiratórias e balsâmico.
  • Fava de Santo Inácio - Gengiroba: Icterícia, hepatite, purgante.
  • Flor de São João: Vitiligo.
  • Fedegoso: Laxante, depurativo. Uso Externo: Afecções da pele.
  • Feno Grego: Diabetes, digestivo, laxante brando.
  • Fucus Vesiculosus: Disfunções da tireóide, vesícula, obesidade.
  • Funcho: Gases, digestivo e relaxante.
  • Garra do Diabo: Reumatismo sangüíneo, esporão, gota, desintoxicante.
  • Genciana: Fraqueza orgânica, anemia, tônico estimulante de apetite.
  • Gervão: Tônico estomacal, fígado, pâncreas, depurativo.
  • Gengibre: Asma, bronquite, rouquidão, colesterol.
  • Gingko Biloba: Atua nos radicais livres. Oxigenação cerebral.
  • Goiabeira: Combate a diarréia e afecções da garganta.
  • Graviola: Diabetes, colesterol, emagrecimento.
  • Guaco: Expectorante, tosse, bronquite e resfriados.
  • Guaraná: Estimulante físico e mental.
  • Guassatonga: Gastrite, úlcera, depurativo, cicatrizante, herpes.
  • Hamamelis: Favorece a circulação, varizes, trombose, hemorróidas.
  • Hibiscus - Rosella: Antifebril, digestivo, relaxante, obesidade.
  • Hipérico: Antidepressivo.
  • Hortelã: Espasmos, náuseas, azia, relaxante, dispepsia nervosa.
  • Imburama Sementes: Tônico, gastrite, tosse, expectorante, asma.
  • Ipecacuanha: Desenteria, catarros do pulmão, bexiga, garganta.
  • Ipê Roxo/Pau-d'arco: Arterioesclerose, fortifica o sangue, úlceras.
  • Jambolão: Eficaz no tratamento do diabetes.
  • Japecanga: Depurativo, diurético, sífilis, reumatismo.
  • Jasmim Folhas: Digestivo, alcoolismo, cardiotônico, circulatório.
  • Jasmim Flor: Relaxante, digestivo, insônia.
  • Jatobá: Balsâmico, bronquite, laringite, orquite.
  • Jarrinha: Nevralgias, dores musculares e artríticas, estimulante.
  • Jequitibá: Uso externo: gargarejos, aftas, anjina, amigdalites.
  • João da Costa: calores da menopausa, trata o útero e ovários.
  • Juá: saponáceo natural, anticaspa uso externo.
  • Jurema preta: uso externo: feridas, cancros, úlceras, erisipelas.
  • Jurubeba: hepatoprotetor, vesícula, pâncreas, baço, intestinos.
  • Kumell: Diurético, cólicas, estomacal.
  • Levante: Febres, congestão nasal, expectorante.
  • Limão Bravo: Friagem, tosse, bronquite, resfriados.
  • Linhaça: Laxante brando, gases intestinais.
  • Lobelia: Desinfetante das vias respiratórias, tabagismo.
  • Losna: Falta de apetite, diabetes, fígado, pâncreas, bílis, mau hálito.
  • Lotus: Emoliente catarral, antitossígeno, rinite, laringite.
  • Louro: Amenorréia, nevralgia, cólicas estomacais e menstruais.
  • Lúpulo: Calmante, insônia crônica.
  • Maçã: Digestivo, relaxante, debilidade estomacal.
  • Macela: Antidiarréica, fígado, pâncreas, colite, vesícula.
  • Malva Branca: Gengivite, garganta, abcessos e desinfetantes.
  • Mamica de Cadela: Dores de dente e ouvido. Uso interno e externo vitiligo.
  • Manjericão: Anti-inflamatório, garganta, tosse, digestivo.
  • Maracujá: Calmante, sedativo leve, insônia, alcoolismo.
  • Marapuama: Tônico nervino, afrodisíaco, impotência sexual.
  • Mate: Tônico cerebral, estimulante, digestivo, diurético.
  • Melão de São Caetano: Regulariza o fluxo menstrual. Uso externo: piolhos.
  • Melissa - erva cidreira: Cardiotônica, calmante, gastrite crônica.
  • Mentruz/Mastruço: Fortalecedor pulmonar, gastrite, cicatrizante.
  • Menta: Digestivo, espasmos, cálculos biliares.
  • Milomens: Afecções das vias urinárias, prostatite, diurético.
  • Mulungu: Sedativo, insônia crônica, alcoolismo, asma.
  • Mutamba: Afecções do couro cabeludo e queda de cabelo. Uso externo.
  • Noz de Cola: Debilidade física, mental e sexual, estimulante.
  • Nogueira: Trata útero, bexiga, inflamação dos ovários.
  • Noz Moscada: Estomacal, cólicas, arrotos, soluços, hipertensão.
  • Nó de Cachorro: Estimulante geral e afrodisíaco.
  • Oliveira: Regula os intestinos e pressão arterial.
  • Pacová: Vermífugo, trata gastralgia e estômago.
  • Plama Cristi: Emoliente do intestino, auxilia no emagrecimento.
  • Panacéia: Depurativo, afecções de pele, sífilis, diurético.
  • Para Tudo: Reconstituinte digestivo, evacuações sanguinolentas.
  • Parietaria: Cálculos renais e retenção urinária.
  • Pariparoba: Fígado, vesícula, baço, gastralgia e azia.
  • Parreira Brava: Males do fígado e digestão, reumatismo e cólicas.
  • Pau Ferro: Diabetes, diminuindo o volume da urina e sede.
  • Pau Pereira: Digestão difícil, estomacal, prisão de ventre.
  • Pau Tenente - Quassia: Hepaprotetos, oxiúridos, diabetes.
  • Pata de Vaca: Diabetes, depurativa, diurética.
  • Pedra Ume Caá - Insulina Vegetal: eficaz no diabetes.
  • Peroba: Trata a epilepsia, histeria, asma, coqueluche.
  • Pfafia Panic-Ging Seng: Energético, colesterol, diabetes.
  • Picão: Icterícia, hepatite, boca amarga, alergias. Uso interno e externos.
  • Pimenta de Macaco: Digestiva, afrodisíaco.
  • Pitanga: Febre, ácido úrico, diabetes, colesterol.
  • Pixuri: Usado nas paralisias e derrames. Uso externo picada de inseto.
  • Poejo: Expecetorante, gripes, resfriados, tosse crônica e asma.
  • Pulmonária: Trata pneumonia, tuberculose, enfizema pulmonar.
  • Pulsatila: Corrige o fluxo menstrual, cólicas.
  • Quebra Pedra: Cálculos renais, dores lombares, próstata, cistite.
  • Quina Quina: Tônico amargo, hepaprotetor, antidiabético. Uso externo: queda de cabelo.
  • Quixaba: Cistos de ovário, inflamações no útero, corimento.
  • Romã Casca: Afecções da laringe, faringe, cicatrizante.
  • Rosa Branca: Inflamações uterinas, rins. Uso Externo: Banhos.
  • Rosa Rubra: Uso Externo: Trata mucosas, olhos, úlceras.
  • Rubi: Ácido úrico, reumatismo, anti-hemorrágico.
  • Ruibarbo: Vermífugo, laxativo, adstringente. sacaca Sabugueiro Flor: Febre, resfriados, catapora, sarampo, escarlatina.
  • Sálvia: Tônico mental, digestivo eficaz, males da menopausa.
  • Salsaparrilha: Altamente depurativo, colesterol, ácido úrico, acne.
  • Samambaia: Dores reumáticas, artrite, gripes fortes.
  • Sapé: Retenção urinária, fígado. Uso Externo: Dentição de neném.
  • Sassafraz: Depurativo, dores artríticas, inchações.
  • Sene Folhas - Folículos: Laxativo, regulador intestinal, obesidade.
  • Sete Sangrias: Depurativo, hipotensor, colesterol.
  • Stevia: Trezentas vezes mais doce que o açúcar, para diabéticos.
  • Sucupira Sementes: Reumatismo agudo, osteoporose, laringe.
  • Tanchagem: Gargarejos, gengivites, purifica o sangue.
  • Tayuia - Cabeça de Negro: Psioriase, erisipela, interno/externo.
  • Tília: Antidepressivo, espasmódico, calmante.
  • Tomilho: Tônico estomacal, desinfetante das vias respiratórias.
  • Umbauba: Diabetes, bronquite e tosse.
  • Unha de Gato: Depurativa, febres altas, reumatismo, tumores, convalescência.
  • Unha de Vaca: Diurética, diabetes, depurativa.
  • Urtiga: Menstruação irregular. Uso Externo: Irritações e corrimentos.
  • Urucum: Anemia, cardiotônica, colesterol. Uso Externo: Bronzeador natural.
  • Uva Ursi-Ursina: Areias de rins, e bexiga, ácido úrico, próstata.
  • Valeriana: Calmante, insônia crônica, stress, labirintite.
  • Velame do Campo: Escrofulose, ganglios, eczemas, depurativa.
  • Verbasco: Bronquite, catarros crônicos, artrite, e hemorróidas.
  • Verbena: Hepatoprotetora, enxaqueca, digestiva, relaxante.
  • Zedoaria: Gastralgias, estomatites, úlceras, mau hálito.
  • Zimbro: Anti-Séptico das vias urinárias, cálculos renais, febres.

FLORES e MEELÍFERAS[editar | editar código-fonte]

  • Alfazema
  • Mirra (Limonete)
  • Dália (pode ser consumida a flor em saladas)
  • Margarida (também comestível e medicinal)
  • Hibisco
  • Sabugueiro

OUTROS[editar | editar código-fonte]

Cogumelos (são fungos, não plantas)

 Shiitake

BIOMASSA E ADUBO VERDE[editar | editar código-fonte]

  • Alfafa (se come principalmente brotos e fixa nitrogênio)
  • Feijão de porco
  • Feijão Guandu
  • Crotalária
  • Lablab

CONTROLE DE PRAGAS[editar | editar código-fonte]

  • Girassol
  • Gergelim (para formigas)
  • Fumo

OUTRAS UTILIDADES[editar | editar código-fonte]

  • Bucha
  • Foi previsto a destinação de uma área para ser plantado mandioca pensando no uso das folhas para a fabricação da multimistura.
  • Foi exposto o desejo de produzir mel. Temos a infra-estrutura e técnica necessárias.
  • Produção de ovos orgânicos, visando a produção de esterco animal - o esterco de galinhas é o o esterco animal mais rico.

Cronograma[editar | editar código-fonte]

Dia 7/7 - Primeiro encontro no local onde será iniciada a cooperação vida e alimento. Discutiremos como se organizar, onde plantar, quanto precisaremos e qual a área necessária para corresponder a essa demanda, e em quanto tempo teremos atingido nosso objetivo.

. Fase I Implementação dos canteiros de hortaliças e frutíferas no sistema de lazanha em volta do lago com sementes e mudas de propriedade do grupo.

. Fase II Implementação de Agrofloresta em uma área de aproximadamente 300 m2.

. Fase III Implantação da produção de massa verde - plantio de mandioca, feijão guandú, milho, feijão de corda e outros (atual espaço do pasto).

. Fase IV - Implantação do sistema de distribuição da colheita em São Paulo.

Currículo Profissionais[editar | editar código-fonte]

APARECIDA KAZUMI ONZEKI Formada em economia pela FEFASP - 1983 Atualmente trabalha na MASTER SYSTEM IND. E COM. LTDA Trabalhou: SONY IND. E COM. LTDA CONSTRUTORA TODA DO BRASIL S/A BANCO AMÉRICA DO SUL S/A Último curso que participou: 10000 mulheres: empreendedorismo e novos negócios da FGV.


Links[editar | editar código-fonte]

- Outras Experiências interessantes: