Referências Bibliográficas: mulheres e escrita

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

As referências abaixo foram sistematizadas a partir dos cursos A escrita como caminho: curso anual para mulheres, Curso intensivo de escrita para mulheres e Oficina de escrita para Mulheres Negras, facilitados por Bianca Santana.

ADICHIE, Chimamanda Ngozi. Americanah. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

AGUIAR, Marli de Fátima. Tecendo memórias e histórias.São Paulo, 2016.

ALEKSIÉVITCH, Svetlana. A guerra não tem rosto de mulher. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

ALI, Ayaan Hirsi. Infiel: a história de uma mulher que desafiou o Islã. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

ALLENDE, Isabel. A Ilha sob o mar. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

ARENDT, Hannah. Entre o Passado e o Futuro. São Paulo: Perspectiva, 2014.

ARRAES, Jarid. As lendas de Dandara. Porto Alegre: Livro Editora Livre, 2015.

BEAUVOIR, Simone de. Le deuxième sexe. Paris, Gallimard, 2003.

______________________. Memórias de uma moça bem comportada. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2017.

_____________________. A força da idade. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2010.

_____________________. A força das coisas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1995.

____________________. A mulher desiludida. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015.

BELLI, Gioconda. A mulher habitada. Rio de Janeiro: Record, 2000.

BENATTI, Luciana. MIN, Marcelo. Parto com amor: em casa, com parteira, na água, no hospital. Histórias de nove mulheres que vivenciaram o parto humanizado. São Paulo: Panda Books, 2011.

BETTANIA, Maria. Caderno de poesias. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2015.

BOJUNGA, Lygia. Retratos de Carolina. Rio de Janeiros: Casa Lygia Bojunga, 2008

BOLEN, Jean Shinoda. As deusas e a mulher: nova psicologia das mulheres. São Paulo: Paulus, 1990.

_____________________. A sincronicidade do Tao. São Paulo: Cultrix, 1993.

BOSI, Ecléa. Memória e Sociedade: lembranças de velhos. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

____________. Tempo vivo da memória: ensaios de psicologia social. Ateliê Editorial, 2003.

BRAH, Avtar. Cartorafías de la diáspora: identidades en cuestión. Madrid: Traficante de sueños, 2011.

BRUM, Eliane. O olho da rua: uma repórter em busca de literatura da vida real. São Paulo: Globo, 2008.

BUTLER, Judith. Relatar a si mesmo: crítica da violência ética. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015.

CANDEIAS, Mariana Piky. Frederico Fellini, o gato com um olho de cada cor. São Paulo, Editora Evoluir, 2012.

CÁRDENAS: Teresa. Cachorro Velho. Rio de Janeiro: Pallas, 2010.

CARNEIRO, Sueli e CURY Cristiane. O poder feminino no culto aos orixás. Revista de Cultura Vozes, 1990. Disponível em: https://www.geledes.org.br/wp-content/uploads/2015/05/Mulher-Negra.pdf

CARNEIRO, Sueli. Matriarcado da miséria. Correio Braziliense, p. 5, 2000. Disponível em: https://www.geledes.org.br/o-matriarcado-da-miseria/

CÉSAR, Ana Cristina. Poética. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

EBOHON, Giulia. Habitando memórias: a participação das mulheres no MTST. Trabalho de conclusão de curso em jornalismo. São Paulo, Faculdade Cásper Líbero, 2014.

HILL COLLINS, Patricia. Rasgos distintivos del pensamiento feminista negro. Feminismos negros, una antología, 2012, p. 99-134.Disponível em: https://www.traficantes.net/sites/default/files/pdfs/Feminismos%20negros-TdS.pdf

CHIZIANE, Paulina. As andorinhas. Belo Horizonte: Nandyala, 2013.

DAVIS, Angela. Mulheres, raça e classe. São Paulo: Boitempo, 2016.

_____________. Mulheres, cultura e política. São Paulo: Boitempo, 2017.

GOSSMANN, Elisabeth et all.Dicionário de teologia feminista. Rio de Janeiro: Vozes, 1996.

ESTÉS, Clarissa Pinkola. Mulheres que correm com os lobos. Rio de Janeiro, Rocco, 1994.

_______________________. Libertem a mulher forte: o amor da mãe abençoada pela alma selvagem. Rio de Janeiro: Rocco, 2012.

EVARISTO, Conceição. Becos da Memória. Ilha de Santa Catarina: Editora Mulheres, 2013.

______________________. Olhos D'Água. Rio de Janeiro: Pallas, 2015.

_____________________. Ponciá Vicêncio. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2003.

_____________________. Insubmissas lágrimas de mulheres. Rio de Janeiro: Malê, 2016.

FEDERICI, Silvia. Caliban and the witch: women, the body and primitive accumulation. New York: Autonomedia, 2004.

________________. O feminismo e as políticas do comum em uma era de acumulação primitiva. In: MORENO, Tica. Feminismo, economia e política: debates para a construção da igualdade e autonomia das mulheres. São Paulo: SOF, 2014.

FERRANTE, Elena. A amiga genial. São Paulo: Biblioteca azul, 2016.

_________________. História de um novo sobrenome. São Paulo: Biblioteca azul, 2016.

_________________. História de quem foge e quem fica. São Paulo: Biblioteca azul, 2016.

FIGUEIREDO, Eurídice. Mulheres ao espelho: autobiografia, ficção, autoficção. EdUERJ, 2013.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Lembrar, escrever, esquecer. São Paulo, Editora 34, 2006.

GATTAI, Zélia. Anarquistas graças a Deus. Rio de Janeiro: Record, 1986.

GONÇALVES, Ana Maria. Um defeito de cor. Rio de Janeiro: Record, 2006.

GOYTACA, Camila. Até breve, José. São Paulo, 2015.

GUIMARÃES, Geni. Leite do peito. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2001.

__________________. A cor da ternura. São Paulo, FTD, 1989.

GUTMAN, Laura. A maternidade e o encontro com a própria sombra.

_______________. A biografia humana: uma nova metodologia a serviço da indagação pesoal. Rio de Janeiro: Best Seller, 2016.

GYASI, Yaa. O caminho de casa. Rio de Janeiro, Rocco, 2017.

HIRATA, Helena. LABORIE, DOARÉ. SENOTIER. Dictionnaire critique du féminisme. Paris, Puf, 200.

HIRSCH, Sonia. Só para mulheres. Rio de Janeiro: Corre Cotia, 2000.

HOLTHAUSEN, Ieve. ANDRADE, Naíla. CAMPELLO, Victoria. Mandala Lunas 2017. Porto Alegre, 2017.

hooks, bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2013.

____________. Feminism is for everybody: passionate politics. New York, Routledge, 2015.

hooks, BRAH, SANDOVAL, ANZALDÚA. Otras inapropriables: feminismos desde las fronteras. Madrid: Traficantes de suenõs, 2004.

JAFFE, Noemi. Posfácio de WOOLF, Virginia. Um teto todo seu. São Paulo: Tordesilhas, 2014.

LANDES, Ruth. A cidade das mulheres. Civilização brasileira, 1967. Disponível em: https://drive.google.com/open?id=0B8v6QTHcbEOESS1qUTBMd2NnMlU

LESSA, Patrícia. GALINDO, Dolores. Relações multiespécies em rede: feminismos, animalismos e veganismo. Maringá: Eduen, 2017.

LEE, Rita. Uma autobiografia. São Paulo: Globo, 2016.

LISPECTOR, Clarice. Descoberta do mundo. Rio de Janiero: Francisco Alves, 1996.

LOPES, Martha. Em carne viva. São Paulo: Kayá Editora, 2014.

JESUS, Carolina Maria de. Quarto de despejo: diário de uma favelada. São Paulo: Abril Educação, 2006.

KEHL, Maria Rita. Deslocamentos do feminino. São Paulo: Boitempo, 2016.

KILOMBA, Grada. Plantation memories: episodes of everyday racism. Münster: Unrast, 2008.

KOFES, Suely. Mulher, mulheres: identidade, diferença e desigualdade na relação entre patroas e empregadas domésticas. Campinas: Editora da Unicamp, 2001.

LEE, Rita. Uma autobiografia. São Paulo: Flobo, 2016.

LEOPOLDINA. Cartas de uma imperatriz. São Paulo: Estação Liberdade, 2006.

LISPECTOR, Clarice. A descoberta do mundo. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1994.

__________________. Correspondências. Rio de Janeiro: Rocco, 2002.

LUCINDA, Elisa. Vozes guardadas. Rio de Janeiro: Record, 2016.Rio de Janeiro: Record, 2014.

LUFT, Lya. O tempo é um rio que corre.

LUXEMBURGO, Rosa. Cartas: volume III. São Paulo: Editora da Unesp, 2011.

MARTINEZ, Monica. Jornada do heroi: a estrutura narrativa mítica na construção de histórias de vida em jornalismo. São Paulo, Anablume, 2008.

MEIRELES, Cecília. Cecilia de bolso: uma antologia poética. Porto Alegre: L&PM, 2009.

MIRANDA, Ana. Xica a Silva: A Cinderela Negra. Rio de Janeiro: Record, 2016.

MORENO, Tica. Feminismo, economia e política: debates para a construção da igualdade e autonomia das mulheres. São Paulo: SOF, 2014.

MORLEY, Helena. Minha vida de menina. São Paulo: Companhia de bolso, 2016.

MORRISON, Toni. Amada. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

MURDOCK, Maureen. The Heroine's Journey. Colorado: Shambhala Publications, 1990.

NICHOLS, Sllie. Jung e o tarô: uma jornada arquetípica. São Paulo: Cultrix, 2007.

PERROT, Michelle. Práticas da memória feminina.Revista Brasileira de História. São Paulo, n. 18, p.9-18, 1989. Disponível em: http://site.anpuh.org/?lang=pt-br

PICCHIA, Beatriz del. BALIEIRO, Cristina. O feminino e o sagrado: mulheres na jornada do heroi. São Paulo: Ágora, 2010.

POLESSO, Natalia Borges. Amora. Porto Alegre: Não Editora, 2015.

POTIGUARA, Eliane. Metade cara, metade máscara. São Paulo: Global, 2004.

PRIMAVESI, Ana Maria. A convenção dos ventos: agroecologia em contos. São Paulo: Expressão Popular, 2016.

RAGO, Margareth. A aventura de contar-se: feminismos, escrita de si e invenções da subjetividade. Campinas: Editora da Unicamp, 2013.

REZENDE, Maria Valéria; Outros cantos. São Paulo: Alfaguara, 2016.

ROMIO, Priscila. Além dos quartos: coletânea erótica negra Louva Deusas. São Paulo, 2015.

ROCHA, Carolina. O sabá do sertão: feiticeiras, demônios e jesuítas no Piauí Colonial (175 - 1758). Jundiaí, Paco Editorial, 2015.

ROTH, Greene. Mulheres, comida e Deus: uma estratégia inspiradora para quase tudo na vida. São Paulo: Lua de Papel, 2010.

QUEIROZ, Nana. Presos que menstrual: a brutal vida das mulheres tratadas como homens nas prisões brasileiras. Rio de Janeiro: Record, 2015.

SANTANA, Bianca. Quando me descobri negra. São Paulo: Sesi-SP Editora, 2015.

SANTINI, Sylvia. Apontamentos. São José do Rio Preto: Traços e ideias, 2015.

SERZEDELLO, Juliana. Identidades políticas e raciais na sabinada. São Paulo, Alameda, 2013.

SOUZA, Elizandra. FAUSTINO, Carmen. Antologia Poética Pretextos de Mulheres Negras. São Paulo: Mjiba.

SATRAPI, Marjane. Persépolis completo. S;ao Paulo, Companhia das Letras, 2007.

SILVA, Cidinha da. Sobreviventes! Rio de Janeiro: Pallas, 2016.

SILVA, Francisca Souza da. Ai de vós! Diário de uma doméstica. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1983.

SMITH, Zadie. NW. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

SOARES, Marli Pereira. Marli Mulher: "Tenho pavor de barata, de policia não". Rio de Janeiro, Avenir, 1981.

SOMÉ, Sobonfu. O Espírito da Intimidade: ensinamentos ancestrais africanos sobre maneiras de se relacionar. São Paulo: Odysseus, 2003.

TELLES, Lygia Fagundes. As meninas. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

TIBURI, Marcia. Como conversar com um fascista: reflexões sobre o cotidiano autoritário brasileiro. Rio de Janeiro: Record, 2015.

VIDAL, Titi. Cartas de tarô e imagens na mídia: uma comparação. In: GOTTLIEB, Liana. Comunicação em cena, volume 5. São Paulo: Scortecci, 2014.

WALKER, Alice. A cor púrpura. Rio de Janeiro: José Olympo, 2016.

WEIL, Simone. A condição operária e outros estudos sobre opressão. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

WERNECK, Jurema. MENDONÇA, Maisa. WHITE, Evelyn. O livro da saúde das mulheres negras: nossos passos vêm de longe. Rio de Janeiro: Pallas, Criuola, 2006.

WOODMANSEE, Martha. JASZI, Peter. The construction of authorship: textual appropriation in law and literature.Duke University Press, 1994.

WOOLF, Virginia. O valor do riso e outros ensaios. São Paulo: Caosac Naif, 2014.

_______________. Um teto todo seu. São Paulo: Tordesilhas, 2014.

YEMONJÁ, Mãe Beata de. Caroço de dendê: a sabedoria dos terreitos, como ialorixás e babalorixás passam conhecimentos a seus filhos. Rio de Janeiro, Pallas, 2008.

YOUNG, Fernanda. A mãe esquerda de vênus. São Paulo, Globo.

ZELIC, Helena. Constelações. São Paulo: Patuá, 2016.