Teoria musical

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

como linguagem universal para aplicação em todos os instrumentos musicais.

Primeira Fase[editar | editar código-fonte]

Nesta fase, os diversos pontos que envolvem o entendimento do sons musicais são colocados em aulas e micro aulas, para que o som seja compreendido na sua origem, evolução e na aplicação de seus mais variados conceitos.

Origem do Som[editar | editar código-fonte]

  • As vibrações de corpos elásticos produzem ondas sonoras (som) com frequências medidas em Hertz (Hz), esses corpos são chamados de fontes sonoras. Leia "Os Fundamentos da Física - Ramalho, Nicolau e Toledo", página 477.
  • As ondas sonoras audíveis possuem frequência entre 20Hz e 20.000Hz, e podem ser periódicas ou aperiódicas. As vibrações periódica são os sons agradáveis, ou os sons musicais, e as vibrações aperiódicas são os sons desagradáveis, os ruídos. Leia "Bonjorno e Clinton - Física Fundamental", página 412.
As ondas sonoras audíveis produzidas com vibrações periódicas possuem frequências e intervalos.
  • Intervalo é a distância, ou relação, entre as frequências analisada pela física, sendo i (intervalo) e f (frequência).

Tomando como exemplo os intervalos de uníssono (i 1) e oitava (i 2) e duas frequências imaginárias, f 1 e f 2:

  • Uníssono (i 1): quando f 2 é igual a f 1 //Conclusão: dois sons com a mesma frequência.
  • Oitava (i 2): quando f 2 é igual a 2 f 1 //Conclusão: dois sons, o segundo com o dobro da frequência em relação ao primeiro.
Exemplo com a frequência 440Hz, que recebe o nome de Lá:
  • Uníssono (i 1): f 2 = 440Hz = f 1.
  • Oitava (i 2): f 2 = 2 . 440Hz = 2 f 1.

Série Harmônica[editar | editar código-fonte]

A percepção da variedade de sons e frequências produzidas por um corpo em vibração levaram o homem ao estudo desse fenômeno. A série harmônica é uma sequência infinita (série) de sons e frequências produzidos a partir de qualquer frequência inicial chamada frequência fundamental .

Oitava[editar | editar código-fonte]

Oitava é o nome dado ao intervalo entre duas frequências, cuja razão intervalar é 2. É o segundo harmônico, considerando a fundamental como o primeiro.

A oitava de uma frequência fundamental de 110Hz mede 220Hz (110 x 2 = 220).

Oitava acima e oitava abaixo:

  • Uma frequência que tem o dobro em relação à outra, está oitava acima.
  • Uma frequência que tem metade em relação à outra, está oitava abaixo.

As frequências na tabela abaixo recebem o nome de Lá. Observe que o Lá 440Hz está oitava acima do Lá 220Hz, e oitava abaixo do Lá 880Hz. Esse mesmo Lá 440Hz está duas oitavas acima do Lá 110Hz, e duas oitavas abaixo do Lá 1760Hz.

27,5Hz 55Hz 110Hz 220Hz 440Hz 880Hz 1760Hz 3.520Hz

Os sons da série harmônica se estendem por várias oitavas acima de sua frequência fundamental e são reorganizadas dentro da primeira oitava para constituição e formação de escalas musicais dando início à problemática histórica da afinação. Sobre este assunto, leia o livro "O Baixo Contínuo no Brasil" do músico e pesquisador Marcelo Fagerlande, da página 137 à 141.

Quinta[editar | editar código-fonte]

Quinta é o nome dado ao intervalo entre duas frequências, cuja razão intervalar é 1,498, usando o temperamento igual. É o terceiro harmônico, considerando a fundamental como primeiro.

A quinta de uma frequência fundamental de 110Hz mede 164,78Hz (110 x 1,498 = 164,78), com origem oitava acima (329,56Hz).

O ciclo das quintas (ou círculo das quintas) deriva-se desse processo de razões de 1,498 calculado sobre uma frequência fundamental, e sobre seus resultados subsequentes, até obter-se as doze frequências que serão chamadas de notas musicais. A tabela acima, com oito frequências correspondentes à nota Lá, inicia-se com 27,5Hz e termina com 3.520Hz. Usando o processo do ciclo das quintas, partindo da primeira frequência da tabela acima(27,5Hz), encontraremos a última frequência dessa tabela (3.520Hz), ou um número muito aproximado por causa das redução de casas decimais. Esta última nota está sete oitavas acima da frequência inicial (27,5Hz), e todas as oitavas possuem as doze frequências que recebem nome de notas musicais.

  • Lembre-se que as frequência oitava acima (dobro do valor) e oitava abaixo (metade do valor), recebem os mesmos nomes de notas musicais.


Propriedades do Som[editar | editar código-fonte]

Os fatores que implicam na qualidade do som são: altura, intensidade e timbre. Esses fatores estão relacionados com as propriedades das ondas sonoras, e são eles que nos permitem diferenciar os sons de diferentes instrumentos musicais. A duração do som é uma propriedade sonora e está ligada à escrita musical em todas as suas formas.

Altura[editar | editar código-fonte]

A altura é a percepção de sons graves e agudos, frequências baixas e altas, medidas em Hz.

Duração[editar | editar código-fonte]

A duração de uma nota é representado por figuras de valores que determinam a duração de uma nota em relação a outra; a velocidade da execução dessas notas se chama andamento, que é medida e sinalizada em ppm, existe um padrão universal para esses andamentos escrito no idioma italiano, com nomes e velocidades correspondentes, chamados indicadores de andamentos.

Intensidade[editar | editar código-fonte]

Intensidade é força empregada na emissão da nota, é medida em decibel e sua representação é feita pelos sinais de dinâmica escritos no idioma italiano.

Timbre[editar | editar código-fonte]

O timbre é a qualidade sonora que nos permite distinguir os sons, independente da sua altura, intensidade ou duração. Sons com altura, intensidade e duração iguais, produzidos por instrumentos diferentes, podem ser identificados pela variação do timbre característico.

Escala Temperada[editar | editar código-fonte]

Escala Bem Temperada, Escala Temperada, Temperamento Igual e Temperamento, são nomes dados a um esquema que divide a "oitava" em doze partes iguais, ou doze semitons iguas. Então, entre uma nota Lá e outra, oitava acima ou oitava abaixo, exitem doze intervalos iguais. Este é o sistema no qual a música ocidental centraliza toda a sua produção atual, em todos os gêneros, com aspecto cultural ou comercial.

  • Na tabela abaixo estão as frequências entre 261,6 Hz e 523,2 Hz (uma oitava acima), e seus respectivos nomes de notas musicais.
Ordem das notas 10ª 11ª 12ª 1ª...
Nomes das notas Dó#/Réb Ré#/Mib Mi Fá#/Solb Sol Sol#/Láb Lá#/Sib Si
Frequências 261,6 277 293,5 311 329,6 349,2 370 392 415,1 440 466,2 493,8 523,2
Razões intervalares 1 1,059 1,122 1,189 1,260 1,335 1,414 1,498 1,587 1,682 1,782 1,888 2
nº de Semitons 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

Afinação[editar | editar código-fonte]

A afinação dos instrumentos é feita com base na frequência 440Hz, chamada de nota Lá (Lá 440); partindo dessa referência, o "temperamento" atua como um regulador de frequência, cujo objetivo é estabelecer doze intervalos iguais nas oitavas existentes dentro da extensão dos sons audíveis.

Escala Diatônica[editar | editar código-fonte]

A "Escala Temperada" proporciona equilíbrio aos intervalos existentes entre as notas, e a "Escala Diatônica" estabelece um padrão para utilização desses intervalos e notas, a partir de cada uma das doze notas da Escala Temperada.

  • Diatônica: prefixo grego dia (movimento através) + sub feminino tônica (primeira nota de uma escala)

Escala Natural[editar | editar código-fonte]

Segunda Fase[editar | editar código-fonte]

As aulas desta fase apresentam os elementos utilizados na confecção da escrita musical para execução de suas partes, que são, melodia harmonia e ritmo.

Música[editar | editar código-fonte]

Pauta ou Pentagrama[editar | editar código-fonte]

Pauta com linhas e espaços suplementares

Terceira Fase[editar | editar código-fonte]

A música é dividida em três partes, melodia, harmonia e ritmo. As aulas desta fase se concentram na compreensão e na construção da melodia.

Escalas[editar | editar código-fonte]

Escala Maior[editar | editar código-fonte]

A Escala Maior é formada por intervalos maiores ou justos, em relação à tônica, (2ªMaior, 3ª Maior, 4ª Justa, 5ª Justa, 6ª Maior, 7ª Maior, 8ª Justa). Escala maior natural de dó

Escalas Menores[editar | editar código-fonte]

O que caracteriza uma escala maior são os intervalos de terça, sexta e sétima maiores; e as escalas menores, os intervalos de terça, sexta e sétima menores. A escala menor se divide em três: Menor Natural, Menor Harmônica e Menor Melódica. As escalas menores se diferem da escala maior por terem intervalo de terça menor em relação à tônica.

Escala Menor Relativa[editar | editar código-fonte]

Escala maior e relativa menor

Escala Menor Natural[editar | editar código-fonte]

A Escala Menor Natural, também chamada de Modo Eólio, é formada iniciando-se a partir da sexta nota (sexto grau) de uma Escala Maior (Modo Jônico). A escala de Dó Maior iniciada da nota lá (lá, si, dó ré, mi, fá, sol e lá) é a escala menor natural de lá (Lá Menor Natural).

Escala menor natural de lá

Escala Menor Harmônica[editar | editar código-fonte]

A Escala Menor Harmônica difere da Escala Menor Natural por ter a sétima maior em relação à tônica, por uma necessidade harmônica, já que o sétimo grau maior é a sensível, necessária para a resolução de encadeamentos de acordes.

Escala menor harmônica de lá

Escala Menor Melódica[editar | editar código-fonte]

A escala menor melódica tem ascendentemente, a sexta e a sétima maiores e, descendentemente, a sexta e a sétima menores, pela facilidade que se tem de cantar esses graus, e por motivos melódicos, como evitar o intervalo de segunda aumentada existente entre a sexta e a sétima nota da escala menor harmônica.

Escala menor melódica de lá

Quarta Fase[editar | editar código-fonte]

As aulas desta fase se concentram na compreensão e na construção da harmonia.

Para construir a Harmonia é preciso conhecer a Escala diatônica e os intervalos.

Quinta Fase[editar | editar código-fonte]

As aulas destana execução do ritmo.