Utilizador:Isabela Filardi/Redação hipertextual

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Tarefa 1:

O post “O PACOTE DE MORO 1: ele diz hoje, não antes, a coisa certa sobre caixa dois e corrupção. Mas, de fato, é contraditório” de Reinaldo Azevedo, em seu blog, fala sobre a diferença entre o posicionamento do juiz, e do ministro Sérgio Moro em relação ao caixa dois.

O texto conta com elementos hipertextuais que complementam e contribuem com o entendimento da matéria, como imagens, vídeos e hyperlinks.

https://www.youtube.com/watch?v=G-Y_aLnBQVo&feature=youtu.be

O primeiro link é um vídeo do, até então, juiz Sérgio Moro, na época da operação Lava Jato, no qual ele afirma que “caixa dois” é um ato de corrupção em época de eleições. Reinaldo Azevedo provavelmente usou este recurso hipertextual para dar mais veracidade ao seu texto e melhorar o entendimento do leitor, pois é possível ver exatamente como foi a cena, em vez de apenas ler um trecho do discurso de Sérgio Moro.

https://www.youtube.com/watch?v=ACxl_0iqeSo&feature=youtu.be

O segundo link contrapõe o primeiro e apresenta o ministro Sérgio Moro afirmando que caixa dois é crime, mas que não pode ser considerado corrupção. O vídeo é muito relevante na construção da matéria pela mesma razão do link anterior, ele passa credibilidade e permite que o leitor entenda melhor o conteúdo e associe esse vídeo ao outro. É um hyperlink necessário e, provavelmente, Reinaldo Azevedo o colocou por essa razão.

O jornalista também mencionou em sua matéria projetos que o ministro Sérgio Moro criou e, para isso, disponibilizou por meio de hyperlinks a explicação de cada um deles.

- Um projeto de lei que muda o Artigo 350 do Código Eleitoral e criminaliza o caixa dois

https://www3.redetv.uol.com.br/blog/reinaldo/wp-content/uploads/2019/02/o-pacote-de-moro-1-ele-diz-hoje-nao-antes-a-coisa-certa-sobre-caixa-dois-e-corrupcao-mas-de-fato-e-contraditorio.pdf

- Um projeto de Lei Complementar que altera competências da Justiça eleitoral

https://www3.redetv.uol.com.br/blog/reinaldo/wp-content/uploads/2019/02/o-pacote-de-moro-1-ele-diz-hoje-nao-antes-a-coisa-certa-sobre-caixa-dois-e-corrupcao-mas-de-fato-e-contraditorio-1.pdf

- Um projeto-ônibus que trata de todas as outras mudanças, entre elas: execução das penas depois de condenação em segunda instância ou de condenação pelo tribunal do júri; mudança no regime de cumprimento de pena para crimes graves ou de corrupção, instituição do sistema de barganha e novo entendimento sobre a legítima defesa e a ação policial

https://www3.redetv.uol.com.br/blog/reinaldo/wp-content/uploads/2019/02/o-pacote-de-moro-1-ele-diz-hoje-nao-antes-a-coisa-certa-sobre-caixa-dois-e-corrupcao-mas-de-fato-e-contraditorio-2.pdf

Esses três links têm o intuito de informar o leitor a respeito dos projetos do ministro e explicar, de uma maneira mais completa, no que eles implicam e interferem. Essa hipertextualidade é necessária e muito mais eficiente do que apenas uma menção de Reinaldo Azevedo sobre as propostas de Moro.

O último hyperlink da matéria https://www3.redetv.uol.com.br/blog/reinaldo/o-pacote-de-moro-2-grave-no-texto-e-a-licenca-para-matar-moro-acerta-quando-nega-moro-e-erra-quando-endossa-moro/, leva a outro post do blog de Azevedo, com o título de “O PACOTE DE MORO 2: Grave no texto é a licença para matar. Moro acerta quando nega Moro e erra quando endossa Moro”, que é uma continuação da primeira matéria. Nessa segunda parte, Reinaldo continua apontando mudanças feitas pelo Sérgio Moro na Constituição e afirma que a maioria não é coerente, inclusive indo contra ao que o juiz pregava há um tempo atrás. Isso explica o final do texto: Moro acerta quando desmente Moro. Ele só erra quando referenda Moro.


Tarefa 2: Maduro em uma crise sem fim

Presidente venezuelano perde controle e crise social, política e econômica explode em seu país

A Venezuela está vivendo uma forte crise desde o final do governo do ex-presidente Hugo Chávez, que deixou para Nicolás Maduro um mandato complicado de ser exercido. O país, que possui um PIB de aproximadamente 90% por venda de petróleo , entrou em uma gigante crise econômica em 2014 por conta da queda de seu preço no território venezuelano.

O governo, já na época de Maduro, passou a fazer, então, o controle artificial da inflação , que era basicamente decretar aos comerciantes o preço que eles poderiam cobrar por suas mercadorias, porém, a matéria prima de que eles precisavam continuava no valor anterior a esse decreto, o que levou os comerciantes à falência e os influenciou a fechar seus estabelecimentos.

Para evitar que a população morresse de fome, o governo decidiu distribuir cestas básicas, porém, uma hora o dinheiro acabou e a inflação subiu absurdamente. Atualmente a crise está tão preocupante, que faltam ítens básicos no supermercado, como alimentos e produtos de higiene.  

Alguns países estão querendo intervir com ajuda humanitária , como é o caso dos EUA e do Brasil, porém Maduro não aceita por medo de uma intervenção na política do país. Juan Guaidó, presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, quer derrubar a ditadura de Maduro a qualquer custo e fala até sobre intervenção militar, a única forma de tirá-lo do poder.