Wiki na Escola: Roteiro temático

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Proposta do Material Didático[editar | editar código-fonte]

Roteiro temático desenvolvido em plataforma digital colaborativa (Wiki).

Objetivos[editar | editar código-fonte]

  1. Estimular a análise crítica sobre as questões presentes no cotidiano dos estudantes, na escola, comunidade, etc, a partir de roteiros de trabalhos temáticos.
  2. Incentivar a utilização da internet e linguagens multimídia em sala de aula como alternativa aos livros didáticos e cadernos de apoio, contribuindo para aumentar o interesse e compreensão dos temas a serem trabalhados.
  3. Incentivar e capacitar os alunos/escola a utilizar os projetos Wiki (Wikiversidade, Wikipédia, Wikilivros, etc...) para documentação dos conteúdos que vêm trabalhando em sala de aula, trabalhando a construção colaborativa e o incentivo ao diálogo para resolução de questões;


Para isso são organiozados encontros em cada instituição de ensino, onde fazemos uma palestra de introdução ao movimento, oficinas de edição, trabalhos de interação aula-wiki, mostrando o "como fazer" aos professores, bem como discussões sobre construção colaborativa livre.

Público alvo[editar | editar código-fonte]

Ensino fundamental II e ensino médio, em escolas que dispõem de laboratório multimídia.

Escolha do material/ferramenta[editar | editar código-fonte]

O uso da Internet em experiências com projetos educacionais em todos os níveis de ensino demonstra que tal recurso origina ambientes de aprendizagem muito diferentes das tradicionais aulas presenciais, no que se refere aos papéis dos professores e alunos, ao fluxo das informações, ao grau de autonomia e participação dos alunos e ao desenvolvimento de competências complexas (Padilha, 2000) [1] (Moran, 1997)[2].

Sendo a internet uma realidade muito presente na vida dos estudantes e, curiosamente, pouco explorada como estratégia de aula, representa uma importante ferramenta para fins educacionais, proporcionando um elevado grau de interação entre docente e discente, e entre os discentes; sendo um novo paradigma educacional em que o discente é o protagonista o processo de ensino-aprendizagem, promovendo a autonomia face à enorme quantidade e diversidade informacional do mundo contemporâneo. nesse contexto, a internet facilita a motivação dos alunos pelas possibilidades inesgotáveis de pesquisa e novidades que oferece, tão embora essa grande disponibilidade de material também apresente suas desvantagens, exigindo cuidado ao consultá-los. A linguagem da colaboração é essencial em qualquer projeto educacional. Surge não apenas como um veículo de produção de conhecimento, como também, uma alternativa às relações envolvidas na produção de conhecimento.

À medida que mais e mais estudantes tenham acesso às Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), em especial as redes sem fio, as oportunidades de colaborar, participar e definir o modo como o conhecimento pode ser organizado, aumentam significativamente. Estas possibilidades também aumentam o poder de colaboração em comunidades na Internet e envolvem mais os estudantes e professores, mobilizando-os para inovar no âmbito do ensino-aprendizagem. Assim como está revolucionando a mídia, a cultura e a economia, a nova web (a de colaboração) está fortalecendo profundamente o trabalho como modo de produção colaborativa, mudando os locais de trabalho e o próprio ser humano. Como exemplo, temos a tecnologia dos wikis, que está originando novas formas de colaboração no trabalho escolar e transformando nossos quefazeres educativos cotidianos, na perspectiva da co-autoria dialógico-problematizadora.

O termo wiki é utilizado para definir o software colaborativo que cria coleções de páginas interligadas formando um hipertexto ou uma hipermídia, representando um Recurso Educacional Aberto (REA). Um software colaborativo é definido como um sistema baseado em computador que auxilia grupos de pessoas envolvidas em tarefas comuns (ou objetivos). Um wiki permite a edição colaborativa de documentos com uma linguagem "simples" e eficaz, por meio de um navegador web e são verdadeiras mídias hipertextuais, com estrutura de navegação não-linear, onde cada página geralmente contém um grande número de ligações para outras páginas.

Plataformas colaborativas como wikis, acrescentam outras perspectivas ao processo de ensino-aprendizagem, proporcionando novas maneiras de realizar as atividades de estudo, agregando dimensões como planejamento colaborativo de projetos com aplicações e funcionalidades específicas, nos quais professores e alunos podem trabalhar em rede, colaborativamente, sobre um tema. Segundo Dias (2005) [3], simples navegação num universo de informação em rede não se traduz numa aprendizagem efetiva, sendo necessário da parte do aprendente um envolvimento nas atividades e tarefas em curso; por outras palavras, supõe uma atitude de abertura à participação ativa.

Desse modo, o ensino de práticas colaborativas envolve tecnologias orientadas colaborativamente. Por isso, as plataformas colaborativas são a oportunidade de desenvolvimento de uma nova perspectiva de ensino-aprendizagem orientadas, não somente para a disponibilização e transmissão de conteúdos, mas para os contextos de produção colaborativa de conteúdos científico-tecnológicos no âmbito dos processos colaborativos dialógico-problematizador em rede.



Estudo de Caso[editar | editar código-fonte]

EMEF Desembargador Amorim Lima[editar | editar código-fonte]

Referências Bibliográficas[editar | editar código-fonte]

  1. PADILHA, M. A. S., 2000. O fazer pedagógico em ambientes virtuais de estudo: contribuições para a educação a distância. In: Congresso da Sociedade Brasileira de Computação, 22, 2000, Curitiba; Workshop de Informática na Escola, 4, Anais. Pontifícia Universidade Católica do Paraná
  2. MORAN, J. M., 1997. Como utilizar a Internet na educação. In: Revista Ciência da Informação, vol. 26, maio-agosto 1997, pp. 146-153.
  3. DIAS, P. 2005. Desenvolvimento de objectos de aprendizagem para plataformas colaborativas. Actas do VII Congresso Iberoamericano de Informática Educativa. Monterrey, México, p.182

Participantes[editar | editar código-fonte]

  • Julio Avanzo Neto
  • Francisco d'Albertas Gomes de Carvalho
  • Mariana Zampol
  • Kauê Senger
  • Rafael Melhem
  • Thiago Rosa
  • Malka Wertzner