Wikiversidade:Divisões de ensino

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Esta página faz parte do arquivo histórico e deve ser desconsiderada para qualquer outra finalidade.

Favor não editá-la nem criar ligações para ela.


Artigo informativo
O que se segue é um artigo informativo sobre a Wikiversidade lusófona. Prefira utilizar a página de discussão antes de fazer uma modificação que altere o contexto.


É necessário definir um organigrama global que permitirá classificar as intervenções. Este organigrama tem várias finalidades.

Os dados dos problemas[editar código-fonte]

O papel da arquitetura da Wikiversidade[editar código-fonte]

A arquitetura deve servir para construir unidades lógicas na Wikiversidade.

Em primeiro lugar, deve permitir ao leitor situar-se nas páginas. Assim, a arquitetura deve ser o mais padronizada possível: assim por exemplo a noção de capítulo deve ser a mesma em todas as matérias. É por conseguinte importante que a arquitetura seja exposta e comentada.

Depois, ela deve permitir um progressão lógica em seu aprendizado. Assim, uma lição pode ser decomposta em capítulos e eles mesmos decompostos em secções. O aprendiz saberá que no capítulo "N" as secções se encadeiam numa ordem e que após a última secção, a sequência se encontrará no capítulo seguinte.

Por último, o organigrama deve também permitir individualizar cada elemento que constitui então uma unidade lógica que pode ser apreendida independentemente do resto das páginas. Assim, a pessoa interessada apenas por um tema deve poder ler uma lição como um todo e ter no fim da sua lição uma visão exaustiva do tema estudado.

Os níveis de aprendizagem[editar código-fonte]

É evidente que o conhecimento é apreendido por etapas. Deve-se tratar diferentemente de um mesmo assunto de acordo com o nível do leitor. Ora, o editor que não conhece o leitor deve se antecipar à heterogeneidade do público encontrado indicando ele mesmo o nível da intervenção.

Daí vem o problema de saber qual andar da arquitetura efectuar a distinção. Por exemplo: deve-se numa lição redigir capítulos de diferentes níveis, ou é necessário fazer uma lição de iniciação à matéria e outra de aprofundamento e por último uma de especialização? Pode-se também imaginar fazer a distinção nos níveis mais elevados da arquitetura e de criar subconjuntos multitemáticos que correspondem cada um a um dos níveis. Em resumo três métodos principais aparecem:

  1. Uma divisão a partir dos mais grandes andares da arquitectura. Retornaria criar "colégio" dos "liceus" e as "universidades" nos quais far-se-iam a divisão das matérias. É o que foi escolhido parcialmente na Wikiversidade (WV) hispanófona com a criação de uma escola primária e uma escola secundária, seguidamente de uma universidade como tal.
  2. A nível inferior, ou seja matérias e lições, sob forma de lições de níveis diferentes. Assim na matéria "Física" faz-se lições diferentes para tratar de Temperatura, Termodinâmica, Abrandamento de Joule e de Gay-Lussac, e Estatística de Maxwell-Boltzmann.
  3. Ou mais baixo ao nível, na lição de análise financeira, redige-se um capítulo que "começa" sobre o interesse da análise, um capítulo "confirmado" sobre as matemáticas actuariais em finança, um capítulo "iniciado" sobre a dinâmica de despesas, um capítulo "iniciado" sobre a dinâmica da dívida... O leitor lê então os capítulos um após os outros e eles formam uma progressão.

Destes métodos, o mais claro e mais simples parece ser a solução intermediária. Com efeito, permite conservar a articulação lógica de uma mesma lição o que não acontece na terceira proposta através dos vários níveis numa mesma lição.

A primeira proposta coloca o problema de não agrupar todas as lições de uma matéria sob um mesmo conjunto lógico, então se é potencialmente possível para as formações de um nível primário ou secundário, não o é mais para as formações de nível universitário. Por conseguinte, esta solução poderia ser utilizada apenas à margem, em complemento a outra.

O tratamento dos anexos[editar código-fonte]

Uma intervenção, quando bem feita, é concebida para ser um conjunto lógico, pode ter referências externas. Pode-se contar com vários tipos de referências:

  • Elementos de bibliografia
  • Fontes
  • Ligações para outra lição ou um outro capítulo para aprofundar o assunto
  • Ligações para definições, artigos enciclopédicos ou citações nos outros projetos do ambiente wikimedia.

As ligações externas devem ser limitadas, como é o caso para os outros projectos de wikimedia. É necessário então utilizar um tratamento uniforme destas referências nos artigos.

Proposta de definição de arquitetura[editar código-fonte]

Architecture-de-la-Wikiversité.png

De acordo com os três métodos principais de divisão apontados na seção acima, cada um deles tem suas vantagens e desvantagens, cada um adequando-se melhor a um caso específico. Deste modo a divisão na wikiversidade será feita de dois modos : "Ensino Superior e Avançado" e "Formação Básica e Casos Especiais".

A divisão como um todo será feita em três partes, "Meta-estrutura", "Unidades pedagógicas" e "Segmentação".

A primeira parte "Meta-estrutura" vai variar de dois modos, dependendo do nível de graduação, usando o método mais eficaz dentre os três expostos anteriormente.

Meta-estrutura[editar código-fonte]

Esta estrutura vai variar em dois grupos, conforme as subseções abaixo.

Definição[editar código-fonte]

É ela que é apresentada na página principal. Define os grandes eixos de distribuição das intervenções. Deve permitir ao visitante situar-se na Wikiversidade. Cada divisão pode seguidamente ser objecto de uma página com a sua dinâmica limpa: notícias, sabia que?, ...

Ensino Superior e Avançado[editar código-fonte]

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Ensino Superior

O método mais vantajoso de divisão é a divisão por temas, como apresentado no segundo método dos níveis de aprendizagem.

Este método é melhor aproveitado para o ensino superior e avançado, quando os cursos são separados por temas.

Por ordem decrescente:

Para organizar o ensino cada Instituto tem uma página específica para discutir o ensino:

  • Coordenadorias - As coordenadorias coordenam as páginas dentro do Instituto que tem o mesmo nível de graduação, como "Ensino Superior", "Doutorado e Pós-Doutorado", além de "Ensino Básico", "Cursos técnicos" e similares. É responsabilidade da Coordenadoria verificar se o material está escrito na linguagem e no nível adequado para o nível de graduação a que se destina.

Formação Básica e Casos Especiais[editar código-fonte]

Para o Ensino Fundamental e Ensino Médio as escolas ensinam o básico de cada uma das grandes matérias, falando assim um pouco sobre cada uma das áreas de ensino. Deste modo o melhor método é o primeiro apresentado, fazendo a divisão por grau de graduação, e juntando no mesmo local as matérias do mesmo grau.

Este caso é aplicável tanto para a Formação Básica, como para o Preparatório para Concursos e Educação para a terceira idade

Deste modo o Instituto será a área (Formação Básica, Concursos, Terceira Idade, Alfabetização) e terão coordenadorias de acordo com o nível de graduação (Fundamental / Médio, Concursos de nível Médio / Superior, Educação para a Terceira idade no Fundamental / Médio).

Estes institutos não terão departamentos, usando apenas os departamentos de outros institutos através de parcerias entre eles.

O método de ensino, curso, lições e similares será o mesmo que o usado para o Ensino Superior e Avançado.

A Unidade Pedagógica[editar código-fonte]

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Cursos Grupo de lições, Lições
Definição[editar código-fonte]

É neste andar que fazem-se as divisões fundamentais entre as lições. É a partir de este nível de arquitectura que constroem-se os conjuntos lógicos no qual evolui o aprendiz.

Proposta[editar código-fonte]

Por ordem decrescente:

  • Cursos - Cada Instituto vai ministrar cursos sobre determinado tema divididos pelo nível de graduação. Cada curso está ligado a um Instituto, um ou mais departamentos, e a uma coordenadoria. Os cursos devem ter uma certa independência entre si, podendo ser estudado qualquer um dos cursos de determinado nível de graduação, embora alguns cursos possam ter um pré-requisito recomendando primeiro estudar um curso de nível anterior.
  • Lições - A página principal de cada curso terá uma lista das lições que serão ensinadas. Quando um curso tiver um número razoável de lições sobre um mesmo tema elas podem ser agrupadas formando os Grupos de lições. As lições devem seguir uma ordem de acordo com a progressão de dificuldade e aprofundamento.

A segmentação[editar código-fonte]

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Capítulos e Subdivisões

Definição[editar código-fonte]

Consiste em dividir cada lição em pequenos unidades. Cada unidade de tamanho modesto pode ser estudada antes de passar à uma outra unidade. Mas perante a multiplicidade dos intervenientes, uma segmentação permite editar uma pequena parte da lição sem estar a retocar a lógica global da lição. Idealmente, a segmentação básica (o capítulo) deve corresponder à uma página de Wiki.

Proposta[editar código-fonte]
  • Um capítulo; exemplo: a vida política francesa de 1870 para 1884, a vida política francesa de 1884 para 1914, a vida política francesa de 1914 para 1936, a vida política francesa de 1936 para 1940, a vida política francesa de 1940 para 1946
    • Cada capítulo (que é com efeito uma página de wiki) pode então ser estruturado dentro sob a forma de secções e parágrafos. No fim do capítulo, uma secção indica as fontes.
  • Um anexo em cada lição recapitula todas as referências externas (relações, bibliografia, ...)
A página de lição

Cada lição deveria ser introduzida por uma página sumário. Esta página deve conter:

  • O título da lição
  • O seu nível, Instituto, Departamento e Coordenadorias responsáveis, e pré-requisitos aconselhados (com ligações internas)
  • Um curto texto de apresentação da lição, o que é, a finalidade da lição e as perguntas abordadas
  • A lista dos capítulos e uma relação para o anexo sumário

Ver também[editar código-fonte]