2.2 A Procura

Fonte: Wikiversidade

Regressar à disciplina Introdução à Microeconomia

Regressar ao Capítulo 2: Procura e Oferta


A Curva da Procura[editar | editar código-fonte]

A Curva da Procura corresponde à valorização marginal que os consumidores fazem do bem. De novo aplica-se o conceito de pensamento na margem e na valorização de uma unidade adicional do bem. A curva da procura representa por isso o acréscimo de valor máximo que o consumidor está disposto a pagar para obter mais uma unidade do bem.

Normalmente a curva é decrescente uma vez que há medida que mais unidades do bem são disponibilizadas, menor a nossa valorização até ao ponto em que não necessitamos de mais unidades do bem. Nesse ponto (em que o acréscimo de valor é 0), a procura intersecta com o eixo do X, que representa as quantidades. Indicando por isso a quantidade máxima que o consumidor está disposto a adquirir quando o preço é igual a zero.

Parte-se também do princípio que o consumidor é price-taker. A sua decisão de comprar mais ou menos unidades não vai influenciar o preço do mercado.


Procura.png

A imagem de cima representa uma curva da procura. É senso comum (e a curva mostra precisamente isso) que se subirmos o preço a quantidade procurada diminui, e se baixarmos o preço a quantidade procurada aumenta. O ponto de equílibrio será determinado a partir da intersecção com a curva da Oferta (algo que será analisado no capítulo 3). Neste caso, partindo que o equilíbrio é o representado no gráfico, a despesa do consumidor é representada pela área a azul.


Determinantes da Procura[editar | editar código-fonte]

São determinantes da procura os seguintes factores:

  • Bens Substituíveis
  • Bens Complementares
  • Rendimento
  • Moda (alteração nas preferências do consumidor)
  • Expectativas.


Se o preço de um bem substituto (bem com características semelhantes: ex: laranja e tangerina) baixar, os consumidores comprarm mais esse bem e diminuem a compra do bem inicial.

Se o preço de um bem complementar (bem que complementa o nosso: carro e a gasolina) baixar, os consumidores irão comprar mais de ambos os bens, uma vez que só se encontra utilidade com os dois bens e não apenas com um.

Se o rendimento disponível das famílias diminuir a quantidade procurada dos bens irá diminuir.


Alterações no preço correspondem a alterações NA curva da procura.

Alterações num dos determinantes correspondem a alterações DA curva da procura: expansões ou contracções.

Procura alteraçoes.png

Procura de mercado[editar | editar código-fonte]

Até agora falámos na procura de um consumidor. Contudo, em economia para definir um preço não criamos um equilíbrio para cada consumidor mas sim um equilíbrio para cada mercado. Sendo que cada mercado é constituído por vários consumidores é necessário agregar as suas curvas da procura individuais de modo a obter uma curva da procura de mercado!

É muito importante ter noção de que as curvas da procura AGREGAM-SE SEMPRE PELAS QUANTIDADES!

Se todos os consumidores tiverem preferências idênticas, teremos apenas que multiplicar as curvas da procura individuais pelo número de consumidores.


Exemplo: Numa cidade a curva da procura de cada habitante para o consumo dde bolos é P=10-Q. A cidade tem 100 habitantes. Calcule a curva de procura de mercado.

Nesta situação temos primeiro que colocar a função em ordem às quantidades: Q=10-P.

Depois é apenas multiplicar esta expressão pelos 100 habitantes e iremos obter: Q=1000-100P.

Esta é a procura de mercado que será utilizada para o cálculo de equilíbrios.


Se os consumidores tiverem preferências diferentes é necessário dividir a procura em ramos. O primeiro ramo com a soma das procuras de todos os grupos que consomem até ao ponto X. (Q = Q1 + Q2). O outro ramo terá apenas o grupo que consome para lá do ponto X (Q = Q1).

Esta situação ocorre várias vezes em situações de preços não-lineares e valorizações diferentes num meesmo grupo de pessoas!


Avançar para a próxima secção: 2.3 A Oferta