Discussão:O Futuro da Informação/USP 2011

Fonte: Wikiversidade

Sobre o curso[editar código-fonte]

Solstag este curso possui avaliação por ser uma disciplina dentro da USP ? Será aberto para não alunos USP ? Abraços, DanielBF.

Oi Daniel. Isso mesmo, será uma disciplina do Departamento de Computação no Instituto de Matemática e Estatística (IME-USP). Ela encontra-se aberta sim para alunos especiais e também para ouvintes. Veja alguns detalhes neste blog post. No caso de matrícula como aluno especial, é bom entrar em contato com a secretaria de pós-graduação do IME o quanto antes, pois há prazos. Qualquer dúvida escreva-me pela página de usuário. Um abraço! --Solstag 06h41min de 15 de Julho de 2011 (UTC)

Aula 4[editar código-fonte]

Tirei meu comentário sobre o vídeo do TED da Khan Academy quando vi que ele é a primeira coisa na página oficial da instituição :) --Lbiazon 13h39min de 26 de Agosto de 2011 (UTC)

Escolhendo o tema das próximas aulas[editar código-fonte]

Olá pessoal, deixem abaixo suas sugestões e interesses sobre os temas das próximas aulas. Abraços, --Solstag 04h22min de 3 de Setembro de 2011 (UTC)

  • Por exemplo, eu acho que a aula sobre modelos político-econômicos da informação devem ficar ainda para depois de vermos mais alguns exemplos, como cultura ou economia. Também ando pensando que seria interessante uma aula sobre técnicas computacionais para organização distribuída (ou como projeto de alguém!?), para estudarmos o protocolo bittorrent, suas alternativas e aplicações (freenet, bitchat), e algumas questões de criptografia importantes para gerar tanto identidade quanto anonimato dentro - e fora - da Internet. --Solstag 05h30min de 3 de Setembro de 2011 (UTC)
  • Eu gostaria de ver um pouco mais sobre política e como toda essa coisa de construção colaborativa, open source, que são meio subversivas ao sistema vigente, afetam a sociedade do ponto de vista mais macro. Por exemplo as discussões no Reino Unido sobre restrições à internet visando conter manifestações sociais. Como esse "novo paradigma", que não está vinculado ao dinheiro necessariamente, afeta o mundo globalizado capitalista e como as políticas nacionais estão lidando com isso. Pato
  • Achei bem interessante essa idéia da aula sobre técnicas computacionais e criptografia, além de achar que esses assuntos nos levarão naturalmente a outros temas, então minha sugestão é que esses sejam os próximos temas. Evertonts

Legal, a aula sobre técnicas é uma ideia nova então preciso de mais um tempinho para organizar o material. E sugestões são bem vindas. Já a aula sobre política, eu costumo pensar ela mais para o final, mas não vejo problema em adiantá-la. Façamos isso na próxima semana então :) Abraços, --Solstag 08h25min de 9 de Setembro de 2011 (UTC)

  • Acho interessante a discussão sobre aprendizagem colaborativa em redes sociais. Gosto de pensar as competências informacionais para organizar esquemas de aprendizagem colaborativa. Meu tema de pesquisa relaciona-se à aprendizagem colaborativa na Educação. Considero também oportuno discussões sobre a gestão da informação científica. O campo da Ciência da Informação em sua interface com a pesquisa em saúde já apresenta um considerável volume de publicações que pode subsidiar a reflexão sobre a gestão de espaços de produção colaborativa de conhecimento.

--MCeci 22h07min de 11 de Setembro de 2011 (UTC)

  • Acho muito interessante o tema sistemas complexos adaptativos e redes complexas. Estou aguardando bastante esta aula, mesmo que não seja uma das próximas. Além disso, gostaria muito que o tema dos modelos político-econômicos não ficasse de fora!

--SílviaSS 21h59min de 17 de Setembro de 2011 (UTC)

  • O tema político-econômico é muito importante para o desenvolvimento de novos modelos que garantam o acesso à comunicação sem restrições e como isso se dá na esfera pública e na informação veiculada dia-a-dia que alimenta a mídia de massa na Internet.

--*Celia Rosa 21h de 18 de Setembro de 2011 (UTC)

A sociedade excitada[editar código-fonte]

Alê, esse é o livro que falei. Sinopse: Sensação significou originariamente nada mais do que “percepção”. Hoje, associa-se à sensação tudo o que atrai magneticamente a percepção: o espetacular. Aquilo que não é capaz de chamar a atenção quase não é percebido. Esse est percipi — Ser é ser percebido. Christoph Türcke acompanha, em sua obra seminal, a transformação da sensação em uma forma de intuição do ser humano moderno, num padrão de comportamento, num foco de uma sociedade inteira. Ele reconstrói a história do significado do conceito de sensação e com ela a transformação do mundo moderno numa sociedade excitada, na qual choques audiovisuais são aplicados como injeções e a sensação avança para ser a medida da percepção e da ação. A filosofia da sensação de Türcke é uma contribuição central para a teoria da sociedade de hoje. Abraços, Pietro Roveri 20h49min de 26 de Setembro de 2011 (UTC)