Economia das Mídias

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A disciplina Economia das Mídias (código JOR-041) faz parte do currículo básico do Bacharelado em Jornalismo da Wikiversidade e é oferecida para alunos do 4º período. O pré-requisito é Realidade Nacional. É uma disciplina obrigatória que vale 4 créditos.

Professor[editar | editar código-fonte]

  • inscreva-se aqui como professor desta disciplina caso tenha interesse em ministrá-la

Objetivos[editar | editar código-fonte]

Proporcionar ao aluno um entendimento fundamental da economia política da informação e comunicação, tendo como foco de estudo a estrutura de propriedade das empresas de comunicação, a políticas públicas de comunicação e a produção e circulação da informação como atividade econômica. Oferecer elementos para análise do cenário midiático nacional e as relações de poder que nele se desenvolvem. Permear as análises com exemplos concretos do Brasil, Portugal e dos PALOP.

Ementa[editar | editar código-fonte]

Economia política da informação e comunicação. Produção e circulação da informação como atividade econômica. Estrutura de propriedade das empresas de comunicação. Políticas públicas de comunicação. Os sistemas tecnológicos e políticos de radiodifusão no Brasil. Ações do Terceiro Setor e de organismos internacionais.

Conteúdo programático[editar | editar código-fonte]

Economia política da informação e comunicação[editar | editar código-fonte]

  1. Conceitos fundamentais de macro e microeconomia aplicados à comunicação.
  2. Análise da economia da empresa jornalística.
  3. As relações de interdependência entre a imprensa, o poder político e o poder econômico.
  4. Comunicação enquanto campo de poder político.
    1. Discursos legitimadores do poder e seus espaços de visibilidade.
    2. Repercussões sociais da comunicação e da mídia.
    3. Comunicação, política e democracia.
    4. Esfera e opinião públicas.
  5. A mídia na sociedade pós-industrial.
    1. A expansão tecnológica, a difusão informativa e a ética de consumo.
    2. As possibilidades de recepção crítica.
    3. Novas configurações da política na sociedade midiatizada.
    4. Governança da Internet.
  6. Os sistemas tecnológicos e políticos de radiodifusão no Brasil.
    1. Marco regulatório de comunicação e telecomunicações.
    2. Distinção da legislação brasileira entre radio/teledifusão e telecomunicações.
    3. Os Correios e Telégrafos.
    4. A TV por assinatura.
    5. A Internet brasileira.

Produção e circulação da informação como atividade econômica[editar | editar código-fonte]

  1. Condicionantes políticos e culturais.
    1. Constrangimentos sociais no exercício da comunicação.
    2. Comunicação e relações de poder.
    3. Comunicação e forças produtivas.
  2. A política de divulgação dos mídia.
    1. Comercialização dos produtos de mídia impressa.
    2. Circulação da mídia impressa e veiculação em mídia eletrônica e digital.
  3. As estratégias para a reprodução das relações de poder.
    1. Mídia eletrônica e hegemonia cultural.
    2. A mediação ideológica na programação das redes de TV.
    3. A construção da realidade como espetáculo: a teoria de simulacro e a produção de sentido no discurso televisivo.

Estrutura de propriedade das empresas de comunicação[editar | editar código-fonte]

  1. Os grandes grupos empresariais no campo da comunicação de massa.
    1. Globo, RBS, Folha, Abril, OESP, Record/Universal, RPC, Rômulo Maiorana, Sarney, ACM.
    2. Anteriores: Associados, Bloch/Manchete, JB.
  2. As redes de comunicação.
  3. As agências internacionais de notícias.
  4. Análise da concorrência.
  5. Segmentação, concentração e propriedade cruzada.

Políticas públicas de comunicação[editar | editar código-fonte]

  1. Comparação da PPCom brasileira com EUA, Europa e outros países da América Latina
  2. A política de concessões e o papel do Estado na regulação do uso comercial dos canais de rádio e TV.
  3. Definições das estruturas de poder do Estado e os poderes específicos da comunicação.
  4. O programa GESAC (Governo Eletrônico).
  5. As campanhas de "cidades digitais".
  6. A ação governamental na gestão da Internet.

Ações do Terceiro Setor e de organismos internacionais[editar | editar código-fonte]

  1. Observatório da Democratização da Comunicação (ODC)
  2. Campanha Internacional pelo Direito à Informação (CRIS)
  3. Programa Internacional do Desenvolvimento das Comunicações (IPDC-ONU)
  4. Apropriação pela indústria cultural e vanguarda política.

Metodologia de aula[editar | editar código-fonte]

  • aulas expositivas
  • debates com participação dos alunos
  • discussões dos temas apresentados
  • exibição de filmes, projeções, áudio e material multimídia
  • visita a locais

Avaliação[editar | editar código-fonte]

  • prova escrita dissertativa
  • seminário temático em grupo
  • trabalho monográfico individual

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • ALEXANDER, A, OWERS, J. and CARVETH, R., HOLLIFIELD, A., & GRECO, A. (2004). Media Economics: theory and practice. Mahwah, NJ (EUA): Lawrence Erlbaum Associates.
  • BRITTOS, Valério Cruz (org.). Comunicação, Informação e Espaço Público: exclusão no mundo globalizado. Rio de Janeiro: Papel&Virtual, 2002.
  • BRITTOS, Valério Cruz. "Circulação Internacional e Distorções Comunicacionais no Capitalismo Global". In: Revista de Economía Política de las Tecnologías de la Información y Comunicación, vol. VIII, nº 6, Aracaju, setembro–dezembro de 2005.
  • BRITTOS, Valério Cruz. JAMBEIRO, Othon. BENEVENUTO JR., Álvaro. (org.). Comunicação, Hegemonia e Contra-Hegemonia. Salvador: EdUFBA, 2005.
  • CROTEAU, D. and HOYNES, W. (2005). The Business Media: corporate media and the public interest. Thousand Oaks, CA: Pine Forge Press.
  • GARNHAM, Nicholas. Capitalism and Communication: global culture and the economics of information (1990) Fred Inglis
  • GOLDING, Peter; MURDOCK, Graham (orgs.). The Political Economy of the Media. Cheltenham (Reino Unido)/Brookfield (EUA): The International Library of Studies in Media and Culture, v. I, 1997a. + v. II, 1997b.
  • JAYAWEERA, N. The Political Economy of the Communication Revolution and the Third World. Singapura: 1986.
  • LICHTER, S.R. & ROTHMAN, S.. “Media and Business Elites”. Public Opinion, 4, 1981 (nº 5).
  • LOZANO, José-Carlos. Latin America: media conglomerates. in: ARTZ, Lee. KAMALIPOUR, Yahya R. (orgs.). The Media Globe: trends in international mass media. [xerox; SoniaV]
  • MARX, Karl. "The Opinion of the Journals and the Opinion of People". in: The Civil War in the United States. New York: International Publishers, 123-7, 1974. (originalmente publicado em Die Presse, 31 december 1861).
  • MARX, Karl. Introdução a uma Contribuição para a Crítica da Economia Política. 1859.
  • MOSCO, Vincent. The Political Economy of Communication: rethinking and renewal. Londres: Sage, 1996. [Suzy?]
  • SILVA, Arlindo. A espetacular história de Silvio Santos. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.
  • SINGER, Paul. Aprender economia. São Paulo: Contexto, 2001.
  • SPARKS, Colin. Communism, Capitalism, and the Mass Media. Londres: Sage, 1998.
  • SPLICHAL, Slavko. Media Beyond Socialism: theory and practice in post-socialist countries. Westview, 1994.
  • THUSSU, Daya Kishan. Media on the Move: global flow and contra-flow. Londres: Routledge, s/a. [xerox; SoniaV]