Educação Aberta/Ensino infantil, abertura e pesquisa baseada em design

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Resumo[editar | editar código-fonte]

A linguagem ocupa um papel central nas relações vivenciadas por crianças e adultos. A inserção na cultura letrada inicia muito antes do período de escolarização, no convívio familiar e social, e tem continuidade com a educação formal. Refletir sobre o processo de alfabetização e letramento na infância demanda compreender que o ensino e aprendizagem da linguagem escrita é muito mais que a aquisição de um código de transcrição e sim a apropriação dos seus usos sociais, da natureza e do funcionamento desse sistema de representação.

As múltiplas linguagens demandam repensar as práticas de leitura e escrita na sala de aula. Neste sentido, é preciso redimensionar o ensino e aprendizagem na perspectiva dos multiletramentos e da sua manifestação na cultura digital. Esses fenômenos apontam para novas formas de escrita e de leitura do texto (na inserção de dados utilizando teclados em telas em dispositivos móveis ou através de um teclado físico num laptop, ou na leitura da transcrição de audio em um vídeo). Experiências com as múltiplas linguagens envolvendo as novas mídias são potenciais para o desenvolvimento de uma cultura multiletrada na escola e de novas possibilidades para o letramento.

Pretendemos com este trabalho construir, em colaboração com os professores, uma intervenção que amplie a formação da cultura letrada na educação infantil, com o objetivo de atenuar as tensões presentes na transição desta etapa para o ensino fundamental. É importante enfatizar que o interesse dessa proposta não é preparar as crianças para serem futuros ‘alunos’ nem de alfabetizar de forma explícita, mas oportunizar experiências que envolvam a leitura e escrita para que elas desenvolvam interesse em participar da cultura escrita.

A pesquisa apóia-se nos pressupostos teórico-metodológicos da Pesquisa Baseada em Design (Design-Based Research; DBR), uma abordagem de investigação com foco no desenvolvimento de intervenções que possam ser realizadas e integradas às práticas educacionais. A escolha por essa abordagem justifica-se por DBR apresentar grande potencial gerador de estratégias de interação e colaboração na busca de soluções práticas para os problemas da educação, ao mesmo tempo que visa contribuir para o desenvolvimento de conhecimento teórico-metodológico.

As intervenções tem como obejtivo reunir alunos do início do primeiro ano do fundamental, portanto recém egressos do ensino infantil e alunos do terceiro ou quarto ano, portanto, inseridos na cultura da linguagem escrita para que possam desenvolver atividades conjuntas. Para os primeiros, será uma oportunidade de experimentação e exploração da linguagem escreita. Para os últimos, uma oportunidade de aprimoramento e exploração dos multiletramentos. O projeto não define, a priori, o formato da intervenção que será decido em consulta e parceria com os docentes envolvidos, no entanto buscaremos desenvolver uma intervenção fundamentada na literatura, que envolva a noção de multiletramento e que promova um interessa na cultura escrita.

O contexto da pesquisa será um Centro de Educação Infantil da rede pública de ensino do Distrito Federal. Participarão do estudo professoras do 2º período e crianças na faixa etária entre 4 a 5 anos.