Educação Aberta/Netflix

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Infográfico sobre o Netflix

A Netflix é um serviço de vídeos, ou seja, após realizar a assinatura, você pode ver qualquer série, filme ou documentário do catálogo através de um dispositivo conectado a internet: isso inclui TVs, celulares, tablets e computadores. O acesso é ilimitado. Você pode assistir quantas horas de programação quiser.

Introdução[editar | editar código-fonte]

A Netflix tem algumas opções de planos, cada um com um valor diferente. O plano básico custa atualmente R$ 21,90 por mês. Ele permite apenas um acesso, e as imagens não tem qualidade HD. O plano padrão custa R$ 32,90 e te dá acesso ao HD, ou seja, os vídeos são exibidos em uma qualidade melhor. Além disso, você pode acessar a conta em dois dispositivos simultaneamente (dá para dividir a conta com alguém, se quiser). O plano mais caro custa R$ 45,90 e se chama premium. Ele é ideal para famílias, por exemplo, já que permite quatro acessos simultâneos. Isso significa que até quatro pessoas podem assistir diferentes programas, em diferentes dispositivos, tudo ao mesmo tempo. Essa modalidade também dá acesso ao Ultra HD, onde as imagens terão uma qualidade ainda maior[1].

A Netflix oferece um mês gratuito para todos que assinam ou desejam experimentar a plataforma[2].

A Netflix conta atualmente com 125 milhões de assinantes no mundo todo, 7,41 milhões a mais do que há três meses, quando analistas esperavam um crescimento limitado a 6,3 milhões. Desse total, 119 milhões são pagos, e 6 milhões correspondem a pessoas que estão em período de teste do serviço, que durante o primeiro mês de uso é gratuito. Dos 125 milhões de assinantes, 68,3 milhões vivem fora dos Estados Unidos, e dos 7,41 milhões novos assinantes, apenas 1,96 milhão vive no país onde o serviço está baseado[3].

Cada país tem seu próprio conteúdo. Sendo assim a Netflix possui 247 catálogos, sendo a grande parte diferentes um do outro, para atender seus mais de 190 países. O Brasil, por exemplo, tem pouco mais de 3.500 títulos, estando na frente de países como Canadá e qualquer país da Europa[4].

Fundadores: Marc Randolph, cofundador e primeiro CEO da Netflix. Reed Hastings, cofundador e atual CEO da empresa[5].

O que faz[editar | editar código-fonte]

A plataforma online faz transmissão para os seus clientes de séries, filmes e documentários por meio de aparelhos conectados à internet. Por exemplo, é possível assistir ao conteúdo da Netflix diretamente no celular (por meio do aplicativo), tablet, computador, notebook e até pela televisão. Segundo o site oficial da marca, “com a Netflix, você tem acesso ilimitado ao conteúdo, sempre sem comerciais. Aqui você sempre encontra novidades. A cada mês, adicionamos novas séries de TV e filmes”[6].

Os dados são coletados a partir das contas disponibilizadas por cada usuário, para que a Netflix tenha uma forma de controle de usuários e também de formas de pagamento e para isso eles estudam o perfil de cada usuário.

Porque coleta dados[editar | editar código-fonte]

A Netflix conhece os perfis de seus clientes e reconhece os dispositivos que usa para se conectar à internet: modelo e marca de televisão, smartphone ou tablet que usa em cada ocasião, navegador de internet e endereço IP de seu terminal. Também sabe as palavras que escreve no buscador do serviço para acessar as séries e os filmes oferecidos quando aciona a busca (e também quando não aciona). Sabe ainda seu histórico de buscas, os produtos que mais gosta, as notas que dá a cada produção e, claro, como paga pelos serviços[7].

Possui um registro do número de horas de conteúdo audiovisual que viu desde a abertura da conta, quantos programas e séries consumiu e quanto pagou[7].

Em 2015, a companhia tornou pública uma estatística que mostra o momento exato em que os usuários se "engancham" a alguma série. É o chamado "episódio gancho". Ou seja, a partir de poucos dados pessoais, como nome, e-mail e dados para faturamento, somam-se os metadados gerados pela navegação e a gigante do entretenimento é capaz de construir um perfil comercial que define os usuários em diferentes categorias de hábitos de consumo e interesses[7].

Como funciona[editar | editar código-fonte]

Assinaturas[editar | editar código-fonte]

É claro que aquele dinheirinho que pagamos todo mês pra Netflix faz parte da sua receita, mas não banca todas as produções, direitos autorais entre outros gastos sozinho. Hoje no total, o serviço já tem mais de 104 milhões de assinantes em 190 países, e ainda tem muito para expandir pois ainda não está presente em países como a China[8].

Segundo pesquisas hoje, o serviço streaming lucra mais do que emissoras nacionais como SBT. [Ref.8]

Marketing indireto[editar | editar código-fonte]

Esse ponto é muito simples, conhecido como product placement. Se você vê a marca de um produto dentro de uma série, filme, novela, game ou até mesmo no post daquele digital influencer, pode ter certeza que ela não está lá de graça. Na maioria das vezes, quando é feito da maneira certa, você não repara conscientemente que aquela marca está ali, mas ela tem presença no seu dia a dia e isso é muito relevante para o fortalecimento do branding. Com a Netflix é claro, esse tipo de investimento é feito nas suas séries originais[8].

Essa estrategia também é um dos motivos da Netflix investir mais em conteúdos originais, pois além de trazer novos assinantes eles também trazem mais dinheiro para a empresa[8].

Alternativa[editar | editar código-fonte]

Libreflix - https://libreflix.org/

Créditos[editar | editar código-fonte]

Ana Karla de Araújo Costa

Vanessa de Araújo Silva

Yasmin Aparecida da Trindade Pereira

Isabela Ribeiro de Carvalho

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Correio Brasiliense. Netflix: quanto custa, como funciona e onde assinar. Como assinar?. Publicado em 17/04/2017 | 10:00. Disponível em: http://blogs.correiobraziliense.com.br/proximocapitulo/netflix-como-assinar/ . Acesso em: 15/06/2019
  2. Missão Conexão. Você sabe como funciona a Netflix? Aprenda tudo sobre a plataforma!. Publicado em 19 de março de 2019. Disponível em: https://www.minhaconexao.com.br/blog/como-funciona-a-netflix/. Acesso em 15/06/2019
  3. Netflix tem mais assinantes que o previsto no primeiro trimestre de 2018. Postado em 16/04/2018 21:00. Disponível em: https://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2018/04/16/interna_internacional,952119/netflix-tem-mais-assinantes-que-o-previsto-no-primeiro-trimestre-de-20.shtml. Acesso em: 15/06/2019
  4. Maximiliano Meyer. História da Netflix. 21/01/2016 - atualização: 21/07/2016 13:30. Disponível em: https://aminoapps.com/c/umbrellaacademybrasilpt/page/blog/historia-da-netflix/3m6l_GXFBugJbB8GVbZQ6gvrNYBXWwG05ohV . Acesso em: 15/06/2019
  5. Netflix. 12 de junho de 2019. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Netflix. Acesso em: 15/06/2019.
  6. Pollyana Batista. Netflix: descubra como funciona este serviço. Em 25/07/2018. Disponível em: https://www.estudopratico.com.br/netflix-como-funciona/. Acesso em: 15/06/2019
  7. 7,0 7,1 7,2 BBC Brasil-Tudo que a Netflix sabe sobre você (e por que quer saber tanto). O que você vê... e o que quer ver– 2017 – Disponível em: lhttps://www.bbc.com/portuguese/geral-39832577. Acesso em: 15/06/2019
  8. 8,0 8,1 8,2 Karymy Gonçalves. Curiosidades: Como a Netflix ganha dinheiro?. 20 Fevereiro, 2018. Disponível em: http://www.rtvdigitalfilms.com.br/blog/curiosidades-como-a-netflix-ganha-dinheiro/. Acesso em: 15/06/2019