Educação Aberta/Sexualidade e Gênero no Ensino

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O objetivo desse trabalho foi construir um material didático como um recurso aberto, no intuito de orientar professores de Ciências e Biologia sobre questões relacionadas a sexualidade e gênero. O material construído foi um vídeo em formato de entrevista com o protagonismo de mulheres e homens LGBTs.

Vídeo[editar | editar código-fonte]

O vídeo foi feito em formato de entrevista, editado em software livre (Kdenlive) e publicado com uma licença livre.

Link para acesso ao vídeo: https://vimeo.com/377998376

Motivação para o projeto[editar | editar código-fonte]

Esse projeto teve origem a partir de pesquisas bibliográficas que revelaram a inabilidade dos professores de Ciências e Biologia em trabalhar esses temas com os alunos e a falta de materiais didáticos adequados para a abordagem do tema. Abordar a sexualidade humana ainda é considerado um tabu e os professores não são habilitados durante sua vida acadêmica a trabalharem tais temas. Levar assuntos relacionados a sexualidade e gênero para a sala de aula ajuda a combater e desmistificar tabus e preconceitos, por isso esse projeto vem na tentativa de facilitar a discussão sobre esses temas pelos professores com seus alunos, visto que a figura do educador é de mediar o conhecimento, é necessário que ele se preocupe com as questões sociais que estão a sua volta, como a sexualidade, o gênero e a quebra de tabus e desconstrução de preconceitos.

Processo de Criação[editar | editar código-fonte]

Para a criação do vídeo o projeto foi dividido em algumas etapas:

  1. Seleção dos participantes.
  2. Elaboração das perguntas para a entrevista.
  3. Marcação dos dias para filmagem.
  4. Filmagem da entrevista.
  5. Edição do vídeo em software livre.
  6. Publicação do vídeo em plataforma de acesso aberto.

Perguntas utilizadas na entrevista[editar | editar código-fonte]

1. O "lugar de fala" representa a busca pelo fim da mediação: a pessoa que sofre preconceito fala por si, como protagonista da própria luta e movimento. Considerando a sua realidade, o que significa para você ser lésbica, gay, bissexual e transsexual?

2. Considerando o cenário político atual brasileiro e as políticas LGBT, como é para você ser lésbica, gay, bissexual e transsexual?

3. Na sua vivência escolar, algum professor abordou assuntos de gêneros e sexualidade em sala de aula? Se sim, como foi?

4. Como você acha que a escola pode ajudar a reparar e diminuir preconceitos em relação a diversidade sexual e de gênero?

Criadores[editar | editar código-fonte]

Bruno Ferreira

Manuela Melo