Filosofia da mente: Monismo

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa



De acordo com o tipo mais conhecido de monismo, mente e corpo são uma e a mesma coisa. Assim, haveria pelo menos duas espécies de monismo, o monismo que reduz o corpo à mente e o monismo que reduz a mente ao corpo.

O monismo que reduz o corpo à mente é conhecido como imaterialismo, e foi defendido por George Berkeley e pelos behavioristas.

O monismo que reduz a mente ao corpo é conhecido como materialismo, e foi e continua sendo defendido por diversos filósofos, psicólogos e cientistas cognitivos.

Outra variante de monismo é o chamado monismo neutro, defendida inicialmente por W. James e, depois, por B. Russell (embora não por muito tempo). Segundo esse tipo de monismo, há uma substância indeterminada, nem física nem mental, que tem, entretanto, propriedades físicas e mentais. Quando Russell defendeu essa posição ele considerou que a mente e a matéria não são espécies últimas de entidades, mas construções lógicas de um base metafisicamente neutra. (James defendeu sua posição em "Does Consciousness Exist?" (1904) -- publicado em Essays in Radical Empiricism, New York ande London:1912 --; Russell tentou, em The Analysis of Mind(1921) -- London and New York: Routledge,1994 -- uma reformulação do monismo neutro.)