Introdução à Bioquímica/Constituintes estruturais dos sistemas vivos/Glícidos

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa



Glícidos[editar | editar código-fonte]

Os glícidos, também denominados hidratos de carbono, carbo-hidratos ou carboidratos, glúcidos, sacarídeos ou glicídios, são moléculas contendo vários grupos químicos funcionais hidroxilo e um aldeído ou cetona, ou polímeros hidrolisáveis constituídos por tais moléculas. São o grupo de moléculas existentes em sistemas vivos mais abundantes na Terra.

Os glícidos têm diversas funções, sendo as mais relevantes as funções estruturais e de armazenamento energético, especialmente na forma de polissacarídeos. São sintetizados através do processo fotossintético, entrando na composição de seres não fotossintéticos pela cadeia alimentar. Constituem a fonte primária de energia dos seres vivos.

O glícido mais comum é a glicose, que desempenha um papel fundamental na respiração celular e na fotossíntese.

Nomenclatura e composição química[editar | editar código-fonte]

Quimicamente, os glícidos são definidos como poli-hidroxi-aldeídos ou poli-hidroxi-cetonas. A designação "hidratos de carbono", hoje caída em desuso, provém do facto de a estrutura base dos glícidos ser uma cadeia de carbonos aos quais se encontram ligados átomos de oxigénio e hidrogénio na mesma proporção existente na molécula de água (ou seja, dois átomos de hidrogénio e um de oxigénio para cada átomo de carbono). Esta proporção é descrita pela fórmula empírica (CH2O)n. Nalguns casos, os glícidos podem conter azoto ou enxofre.

Classificação[editar | editar código-fonte]

Monossacarídeos[editar | editar código-fonte]

Os monossacarídeos têm fórmula estrutural (CH2O)n, em que "n" pode variar de 3 a 7:

  • Triose: C3H6O3
  • Tetrose: C4H8O4
  • Pentose: C5H10O5
  • Hexoses: C6H12O6
  • Heptoses: C7H14O7,

sendo os mais importantes as pentoses e hexoses. Alguns dos monossacarídeos mais relevantes fisiologicamente incluem a glicose, a frutose, a galactose e a manose.

Para os seres vivos, as pentoses mais importantes são a ribose e a desoxirribose, que entram na composição química dos ácidos nucleícos, os quais comandam e coordenam as funções celulares.

As hexoses são monossacarídeos de 6 carbonos, que obedecem à fórmula geral C6H12O6. As hexoses mais importantes são a glicose, a frutose e a galactose, principais fontes de energia para os seres vivos. Ricas em energia, as hexoses constituem os principais combustíveis das células. São naturalmente sintetizadas na fotossíntese, processo de absorção de energia da luz; a reacção geral é:

6 CO2 + 6 H2O -> C6H12O6 + 6O2

Oligossacarídeos[editar | editar código-fonte]

Oligossacarídeos são pequenos polímeros constituídos por um reduzido número de monossacarídeos, tipicamente dois (dissacarídeos) ou três (trissacarídeos), normalmente não mais de dez. Oligossacarídeos mais longos estão geralmente associados a proteínas (glicoproteínas).

Exemplos de dissacarídeos incluem a sacarose e a lactose. A rafinose é um trissacarídeo comum.

A sacarose, o "açúcar de cana" ou de beterraba, é constituído por uma molécula de glicose ligada a uma frutose. A maltose é um dissacarídeo, pois é formada por duas moléculas de glicose. A lactose é encontrada somente no leite. Resulta da união de uma glicose com uma galactose.

Polissacarídeos[editar | editar código-fonte]

Os polissacarídeos são cadeias longas, lineares ou ramificadas, de monossacarídeos. Os polissacarídeos mais importantes são o amido, a celulose e o glicogénio. O amido e o glicogénio actuam como reservas energéticas, enquanto que a celulose é um glícido estrutural. Outro polissacarídeo estrutural é a quitina, um componente fundamental do exoesqueleto de insectos.

Ao contrário dos mono e dos dissacarídeos, os polissacarídeos são insolúveis em água.