Saltar para o conteúdo

Laboratório de Jornalismo Multimídia/Elas na facu

Fonte: Wikiversidade

Avaliação[editar | editar código-fonte]

Conceito Nota
Lançamento 10
Acompanhamento 1 8.5
Acompanhamento 2 10
Conceito 10
Identidade 9.5
Consistência 10
Auto-avaliação 9.75
Média (arredondada) 9.5

Auto-avaliação[editar | editar código-fonte]

  1. O conceito do projeto foi atendido, uma vez que nos propomos a trazer experiências de universitárias por meio de um podcast, que contou com entrevistas em todos os episódios. Nesta primeira etapa, trouxemos experiências diferentes, desde o ingresso na faculdade até a vivência em cursos específicos. Na essência, o produto é de nicho, pois é direcionado para mulheres na universidade, mas também buscamos trazer serviços, oferecendo dicas e apoio. Além disso, nos propomos a criar um podcast e um Instagram conectados, o que conseguimos atingir, já que produzimos posts relacionados aos temas abordados nos episódios. Por ser um produto feito por mulheres para mulheres, ele pode ser considerado orgânico, uma vez que as entrevistadas se sentiram confortáveis para falar sobre suas dificuldades enfrentadas durante a vida acadêmica. Vale ressaltar que a equipe, assim como as convidadas, também está inserida nesse meio e compartilha das situações apresentadas. Portanto, levando em conta o que apontamos anteriormente, a nossa nota é 10.
  2. Inicialmente, as nossas métricas-chave determinavam que o esperado era que atingíssemos cerca de 200 seguidores nas redes sociais e 50 ouvintes no podcast. No entanto, não conseguimos alcançá-las, uma vez que, no Instagram, estamos com 120 seguidores e nos podcasts somamos 40 reproduções nos três episódios. Apesar de não termos atingido o que propomos no começo, estamos bastante satisfeitas com o desempenho do nosso projeto, pois os números que conseguimos não se distanciam tanto do que planejamos. De forma geral, acreditamos que não atingimos as métricas-chave devido a problemas na gestão de tempo, uma vez que todas as integrantes estagiam e também precisam conciliar com outros trabalhos da faculdade. Além disso, no começo do projeto, as nossas publicações nas redes sociais estavam seguindo o mesmo padrão, ou seja, sem muita variação na identidade visual, o que pode ter reduzido o interesse do público em escutar o podcast. Diante disso, nesse aspecto, a nossa nota é 9, pois, apesar de não atingirmos as métricas definidas no início, conseguimos um bom resultado e entregamos um projeto interessante e útil.
  3. Inicialmente, começamos o projeto seguindo os papéis e as responsabilidades indicadas para cada integrante, que haviam sido preestabelecidos no início do trabalho. No entanto, conforme a tarefa foi acontecendo, o planejamento inicial precisou ser revisto, uma vez que a rotina de cada uma das integrantes dificultava a execução de algumas das tarefas indicadas. Assim, algumas funções precisaram ser trocadas, e, o que antes era de apenas uma integrante do grupo, passou a ser feito por duas pessoas, como foi o caso das hosts do podcast. Como levamos muito em conta a disponibilidade de cada uma em cada momento do projeto, acabamos executando funções diversificadas, que possibilitou um aprendizado ainda maior durante a atividade. Reconhecemos que, apesar das mudanças, o projeto não foi afetado e conseguimos manter a qualidade dos conteúdos ajudando umas as outras. Por isso, nesse aspecto, considerando que fomos capazes de organizar o planejamento mesmo com a dificuldade em conciliar o projeto com vida pessoal, estágios e outros trabalhos da faculdade, a nossa nota é 10.
  4. O planejamento estabelecido foi respeitado, pois ele determinava que as publicações no Instagram seriam mais frequentes e o podcast seria lançado mensalmente, o que fizemos durante esses três meses. Além disso, as pautas que propusemos também foram cumpridas, sendo que, no primeiro episódio do podcast falamos sobre as principais dúvidas das calouras e das vestibulandas, no segundo episódio abordamos o tema dos estudantes que precisam se mudar para continuar a vida acadêmica e no terceiro comentamos sobre a experiência de fazer cursos que são vistos como masculinos. As publicações nas redes sociais também estão de acordo com o planejado, pois buscamos utilizá-las como uma forma de oferecer contexto e outras informações ao nosso público, tornando o podcast mais convidativo e a experiência completa.Vale ressaltar que, para todos os nossos conteúdos, contamos com convidadas que estão inseridas dentro do ambiente acadêmico e também com dados que ajudam a compreender melhor aquilo que está sendo falado. Portanto, levando em consideração que conseguimos entregar os conteúdos e pautas que foram propostos no planejamento, a nossa nota é 10.
  5. Com esse projeto, aprendemos, principalmente, a lidar com a questão multimídia, uma vez que ficamos responsáveis por criar conteúdos tanto para o Spotify, quanto para o perfil do Elas Na Facul no Instagram.  No entanto, também desenvolvemos a capacidade de fazer um podcast, já que, além de organizar os roteiros e as gravações, tivemos que ir atrás de entrevistadas, dependendo, muitas vezes, da disponibilidade delas para encaixar os horários de gravação dos episódios. Em relação ao conteúdo, também aprendemos a levantar pautas que fossem pertinentes com o tema trabalhado e se adequassem com as experiências vividas pelas convidadas, que foram honestas e compartilharam suas próprias histórias e sentimentos. Apesar de termos cumprido com o planejamento, também reconhecemos que, para tornar o projeto mais exitoso, poderíamos, se possível, ter aumentado a quantidade de posts nas redes sociais, principalmente de conteúdos que geram mais engajamento e interação com os seguidores e ouvintes do podcast, como stories e reels. Assim, avaliamos que a média total do projeto foi de 9,75.

Avaliação[editar | editar código-fonte]

Controle[editar | editar código-fonte]

Em 20/10, as métricas do projeto são:

Mídia Postagens Seguidores Plays
Instagram 11 113 2.5K
Podcast 2 - -

As métricas de produção estão um pouco abaixo do planejado.

Análise qualitativa[editar | editar código-fonte]

O podcast manteve-se informativo e dinâmico. O tema é de novo bem tratado, com as complexidades inerentes a sua escolha. A entrevistada abre-se com vocês e expõe as difíceis decisões que tomou. Há também elementos mais engraçados. A gravação está com boa qualidade. A postagem no Instagram oferece contexto, com dados e fontes, que servem para ampliar a compreensão da experiência que vocês relatam no podcast. Mas talvez pudesse ter havido também mais elementos de contexto no próprio podcast. Mais: vocês acham que teria dado para diminuir mais o tempo? Fala-se bastante em arroz e comida, né? :)

O projeto visual no Instagram melhorou muito e traz uma identidade delicada e convidativa. Parabéns.

Nota: 10

Avaliação[editar | editar código-fonte]

Controle[editar | editar código-fonte]

Em 23/9, as métricas do projeto são:

Mídia Postagens Seguidores Plays
Instagram 9 98 1.7K
Podcast 1 - -

As métricas de produção estão um pouco abaixo do planejado.

Análise qualitativa[editar | editar código-fonte]

O podcast tem dinamismo e um foco em prestação de serviço. Esses dois elementos tornam o material interessante e de fato útil para quem o escuta.

Mas o podcast precisa ter mais investimento em acabamento, em especial com mais diversidade sonora e um cuidado maior com informações de contexto. A própria vinheta de início precisa ter um trabalho maior. Também sugiro que as entrevistas sejam acompanhadas de informações que lhes sirvam de contexto, como um perfil do caso que será relatado e até eventualmente antecipando algumas das informações que serão apresentadas, talvez até destacando o que é dito (por exemplo, sobre as estratégias de estudo) num contexto em que se recupera o que especialistas dizem sobre o assunto abordado. Um podcast precisa ser pensado como uma arquitetura de informação.

O Instagram é bom, com bom número de carrosséis, mas:

  • pode ter mais investimento em material multimidiático, com reels que têm dado ótimo retorno;
  • pode ter mais variação na identidade visual, especialmente porque é difícil diferenciar cada postagem.

Também (1) adotem uma estratégia sistemática de marcarem pessoas e conteúdos de interesse -- vocês têm um foco em prestação de serviço, que deve ajudar vocês a marcarem --; (2) adotem uma estratégia de trazerem mais informações também sobre materiais complementares a serem vistos sobre o tema do podcast; (3) adotem como regra-base pelo menos 5 hashtags por postagem; e, quando tiverem um número suficiente de seguidores, (4) façam pesquisas de opinião, para tornar o espaço mais interativo.

Nota: 8,5

Reunião do primeiro semestre[editar | editar código-fonte]

O foco é dar voz a "meninas", num modelo participativo, estabelecendo ponte entre que entra e quem já entrou. Tem foco de prestação de serviço.