Saltar para o conteúdo

Laboratório de Jornalismo Multimídia/Favolivros

Fonte: Wikiversidade

Avaliação[editar | editar código-fonte]

Conceito Nota
Lançamento 10
Acompanhamento 1 9.5
Acompanhamento 2 8
Conceito 9.5
Identidade 9
Consistência 7.5
Auto-avaliação 9.5
Média (arredondada) 9

Autoavaliação do grupo[editar | editar código-fonte]

Vocês atenderam ao conceito que pretendiam realizar? Justifique por que sim e por que não.[editar | editar código-fonte]

Atendemos ao conceito que propusemos no início da elaboração do projeto. O Favolivros foi exitoso em se constituir num veículo multimídia que aborda literatura para o nicho do público jovem. Trouxemos conteúdos de linguagem simples e acessível, que dialogam de maneira informal com o internauta, mas sem deixar de lado o rigor jornalístico — este se observa na seleção das pautas, apuração e elaboração das postagens.

O Favolivros se destacou por sua abordagem afetiva. As postagens, embora não se constituam primordialmente como opinativas, atingem o leitor no âmbito da emoção, em especial as de Setembro Amarelo e do Dia da Poesia.

Ao decorrer do projeto, o Instagram se consolidou como principal plataforma do Favolivros, tendo alcance e engajamento mais expressivos do que o TikTok. A identidade visual do projeto se materializou com mais sucesso no Instagram, sobretudo nos posts carrossel, onde a paleta de cores e o layout eram muito adequados ao público e à intenção do projeto. A cor amarela (que remete aos favos de mel e liga todas os posts do Instagram) contribui para trazer o sentimento de alegria e aconchego que marcam o Favolivros.

NOTA: 10

Vocês atingiram a suas métricas-chave? Justifique por que sim e por que não.[editar | editar código-fonte]

Não conseguimos atingir as métricas-chave definidas no início do projeto devido a diferentes razões. Em primeiro lugar, acreditamos que fomos ambiciosos demais no início do trabalho, especialmente por se tratar de um projeto de apenas três meses. Consideramos esta a principal razão para o não-atingimento. Além disso, só entendemos melhor o funcionamento das redes escolhidas após o início do projeto, especialmente no Tik Tok. Nesta rede social, por exemplo, entendemos que a quantidade de visualizações é uma métrica mais considerável do que o número de seguidores.

Contudo, mesmo não atingindo o número esperado, acreditamos que tivemos um bom crescimento nas duas redes sociais, atingindo o público que esperávamos com um conteúdo de qualidade. Também pudemos entender melhor o funcionamento das redes e o algoritmo delas.  No Instagram, por exemplo, percebemos que atingimos um público maior quando postamos reels – isso indica que a rede tem priorizado mais a entrega desse tipo de conteúdo. Já no Tik Tok, tivemos maior entrega quando investimos mais nas hashtags e nas descrições dos vídeos.

NOTA: 9

Vocês respeitaram os papéis e responsabilidades indicados? Justifique por que sim e por que não.[editar | editar código-fonte]

Sim, cumprimos com todas as responsabilidades indicadas. Entretanto, ao longo do processo, os papéis se tornaram mais distribuídos. A princípio, a Catharina seria responsável pelo design; a Lívia pela elaboração de conteúdo, com montagem de pauta e roteiro; a Giulia pelo contato com as fontes necessárias e com o público; a Isadora pelo planejamento e organização; e o Silvio pela edição e publicação.

Todavia, no decorrer do processo, as atribuições se diversificaram, com integrantes realizando distintas funções, a depender da disponibilidade e das habilidades pessoais envolvidas na execução das tarefas. Dessa forma, embora houvesse uma função prévia de cada integrante (quase como um “diretor do segmento”), na prática, houve certa alternância das atividades. Isso favoreceu que todos adquirissem o mínimo de conhecimento em ao menos uma ferramenta (como editores de vídeo ou processos de publicação no Instagram e TikTok), ou ainda ampliassem habilidades (como lidar com trabalho em equipe e com técnicas de apuração, organização e edição).

NOTA: 10

Vocês respeitaram o planejamento indicado? Justifique por que sim e por que não?[editar | editar código-fonte]

Nós nos baseamos no planejamento original para organizar as postagens e o adaptamos conforme as condições e contextos exigiam. Modificamos algumas das pautas presentes na primeira sugestão para que estas encaixassem melhor nas atualidades que emergiram ao longo do processo e compensamos a ausência de alguns posts para o instagram com mais reels. Em questão de pesquisa e conteúdo, acreditamos que conseguimos aprofundar mais do que esperávamos, num primeiro momento, os temas que abordamos por meio do Favolivros. Um exemplo disso seria a entrevista que conseguimos com uma escritora premiada da literatura brasileira, que gerou diversas discussões em um vídeo. Poderíamos, talvez, melhorar a frequência de stories, com novas dinâmicas, e a interatividade dos tiktoks, para um maior engajamento; mas, num projeto com extensão temporal maior, seria algo a ser melhor adequado espontaneamente conforme um ritmo constante e uniforme fosse estabilizado. Olhando para trás, poderíamos ter montado um cronograma de frequência para cada conteúdo/pauta e, assim, atingirmos mais eficientemente o engajamento desejado.

NOTA: 9

O que vocês aprenderam com este projeto? O que mudariam para torná-lo mais exitoso?[editar | editar código-fonte]

Apesar de não obtermos resultados próximos aos que projetamos no início, aprendemos que as redes sociais são uma forma inovadora e de alto alcance para veicular informações.

Além disso, tivemos a oportunidade de compreender um pouco mais sobre os mecanismos oferecidos pelas redes, como por exemplo: a plataforma de vídeo do TikTok – que possibilita a edição dos vídeos pelo aplicativo e oferece mecanismos de acessibilidade – o Instagram que permite a interação com seguidores pelos stories, e que também possui recursos para melhorar a acessibilidade, além de um recurso semelhante ao TikTok, o Reels, um pouco mais limitado, que não nos impediu de entregar conteúdo.

Nos aprofundamos em alguns aplicativos de criação, que possibilitaram a elaboração da identidade do Favolivros, e uma edição aprofundada dos conteúdos em vídeo feitos por nós.

Para finalizar, no penúltimo vídeo tivemos a oportunidade de gravar em campo, o que possibilitou uma experiência jornalística cativante e de qualidade, em que pudemos sentir como é o ritmo da vida de um jornalista.

MÉDIA FINAL: 9.5

Avaliação[editar | editar código-fonte]

Controle[editar | editar código-fonte]

Em 20/10, as métricas do projeto são:

Mídia Postagens Seguidores Plays
Instagram 8 102 5K
TikTok 8 21 1.1K

As métricas de produção estão um pouco abaixo do planejado.

Análise qualitativa[editar | editar código-fonte]

O projeto continua excelente: bons conteúdos, boa multimídia, boa identidade visual. O engajamento cresceu significativamente. Mas houve uma perda de regularidade nas postagens, aparentemente.

Uma sugestão é que tragam, nos reels e tiktok, informações básicas que garantam informação textual básica também sobre o que estão mostrando. Muitos jovens fazem buscas por exemplo no tiktok, e poderiam aproveitar essa tendência para engajar mais, com descrições mais informativas.

O desafio, como eu disse da vez passada, continua sendo como humanizar mais a experiência dos livros. Vejam que até um autor entrou em contato com vocês: como trazer isso mais para dentro das publicações?

Nota: 8

Avaliação[editar | editar código-fonte]

Controle[editar | editar código-fonte]

Em 21/9, as métricas do projeto são:

Mídia Postagens Seguidores Plays
Instagram 6 63 1.4K
TikTok 5 14 704

As métricas de produção estão dentro do planejado.

Análise qualitativa[editar | editar código-fonte]

O Instagram e o TikTok são ótimos. A comunicação em ambos é direta, orientada a publicações gerais e diversas, seguindo pautas que buscam se conectar a questões atuais (ex: Independência) e sugestões. O reel sobre a independência está ótimo (mas poderia ter tido mais sonorização e material visual, né). Alguns desafios do projeto:

  • como garantir jornalismo? A expectativa é que a comunicação seja sempre direcionada à coleta de informações com método -- por exemplo, achei boas as listas de livros, mas como chegaram a seu conteúdo? --, mas daria para apurar e expor o método de apuração em outras pautas. Por exemplo, no carrossel sobre o jornalismo literário, de onde vem a informação?
  • como ampliar a experiência visual e sonora? É uma identidade do projeto e talvez devam investir um pouco mais em definir sua marca sonora, apesar de a marca sonora ser marcante. Também seria interessante variarem um pouco mais os aspectos visuais, dentro dos limites que estabeleceram para a identidade visual. As imagens com favos vão se tornar maçantes, penso. No TikTok, podem investir mais nas ferramentas de edição: algumas vezes usaram bem -- e tiverem mais impacto --, mas em outras foi pouco!
  • como engajar mais? Sugiro que adotem uma estratégia mais sistemática de marcarem as personalidades, materiais, espaços, livros, editoras que estejam cobrindo. Quanto mais conseguirem marcar, por exemplo produtos, mais conseguirão chegar a novos públicos. Também precisam ter mais cuidado com hashtags e também as indicações para todos verem.

Sugiro avaliarem também trazerem um conteúdo mais humanizado sobre os livros também, mencionando alguns aspectos marcantes das obras. Com isso, farão uma resenha mais aprofundada, que trará mais qualidade informativa.

Nota: 9.5

Reunião de 22 de agosto[editar | editar código-fonte]

Projeto é nascente, tem algumas postagens. Tem várias ideias, com boa organização. Planejamento de postagens; tem divisão de semana por enfoque. Última semana é entrevista. Público dá resposta boa. Primeiro post: recepção foi boa, mais eficiente do que se imaginou. Tem um crescimento orgânico.

Terá story quando haverá postagem.

Reunião do primeiro semestre[editar | editar código-fonte]

Ausência de Isadora

  • "A gente gosta de ler. Consome conteúdo literário na internet. Falta jornalismo nesse nicho, mais focado no entretenimento: método". O foco é portanto trazer viés jornalístico para esse ambiente. "Não é achismo." Informar sobre o que está acontecendo, trazer lançamentos, resenhas. "Menos pessoal. Trazer discussões sobre livros. Falar com pessoas do meio, para pedir influências."
  • Público é jovem. "É uma pessoa que já lê. Não é um conteúdo para quem sabe nada. Dez por ano. Homem ou mulher. Consome música, séries. Não lê jornal. Vê o Twitter."