Norma padrão da língua portuguesa/Palavras do cotidiano

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa



Estudando frases e nomes: palavras do cotidiano


É essencial que além do cuidado com o determinante e com a escrita da palavra, tenha-se também com o significado.

Gírias, pejorativo e vocábulos de uso popular[editar | editar código-fonte]

As gírias não são admitidas na norma padrão da língua, e muito menos o pejorativo. Mas, e como fazer para substituí-los? Na função fática, um simples oi, tudo bem? pode substituir e aí? beleza?. Na função referencial, ela era uma cobra peçonhenta, em norma padrão torna-se ela era mentirosa.

Abreviações, contrações e supressões de fonemas[editar | editar código-fonte]

Sempre o melhor é utilizar palavras escritas por extenso em vez de abreviações. As que são aceitas pela norma padrão são as mais comuns, como r. (rua), av. (avenida), etc, e nunca aquelas que são conhecidas como abreviações do internetês, como vc (você), q (que), pq (porque), p/ (para), etc. Também não são permitidas as contrações cadê (onde + está), pra (para + a), pro (para + o), etc, ou qualquer forma aglutinada que não inclua uma preposição ou o pronome outro e flexões. Nunca retire parte de uma palavra, existe apenas uma forma (salvo raros casos) de palavra na norma padrão (exemplo: estou, está, estamos, estão, e não, to, tá, tamo, tão).

Estrangeirismo e regionalismo[editar | editar código-fonte]

Prefira não utilizar palavras de outras línguas, use a tradução ou a forma aportuguesada, se existir (exemplo: shampoo -inglês- → xampu -português). Com o regionalismo (salvo se o texto for destinado somente aos leitores daquela região), indique, entre parentêses ou traços, as demais formas regionais (exemplo: macaxeiraaipimmandioca).

Expressões e provérbios[editar | editar código-fonte]

Expressões e provérbios são considerados lícitos na língua (exceto se possuirem gírias ou pejorativo), deve-se evitar aqueles que são de determinada região (salvo se qualquer falante da língua possa entender - exemplo: melhor uma pássaro na mão que dois voando, talvez nem todos falantes da língua portuguesa conhecam-no, mas qualquer falante pode entendê-lo).

Interjeições e onomatopeias[editar | editar código-fonte]

As interjeições que não são pejorativas e as onomatopeias são consideradas licitas. Quanto às onomatopeias, seria melhor estarem entre aspas.