Pesquisa:Ciência Aberta Ubatuba/Mapeamento

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Ubatuba[editar | editar código-fonte]

  • na Wikipédia
  • 82km de costa, ~10km de largura
  • 85 mil habitantes
  • um centro principal e um centrinho
  • praias pequenas e recortadas

Metareciclagem e Festival Tropixel[editar | editar código-fonte]

  • Ações desde 2010/12 (?)

Comunicação na cidade[editar | editar código-fonte]

  • Precária, sem canais de amplo alcance
  • Pessoal, pelas estradas, bicicleta
  • Grupo "Reclame Aqui Ubatuba" no Facebook

Aquário de Ubatuba[editar | editar código-fonte]

Conselhos Municipais[editar | editar código-fonte]

  • de Educação, Cultura, Meio Ambiente, Economia Solidária
  • convocação das Conferências Municipais

Instituto Oceanográfico (USP)[editar | editar código-fonte]

Rádio AM Costa Azul[editar | editar código-fonte]

Rádio Gaivota[editar | editar código-fonte]

UbatubaTEC[editar | editar código-fonte]

Centro de Tecnologia Acadêmica (UFRGS)[editar | editar código-fonte]

Grupo de Trabalho em Ciência Aberta[editar | editar código-fonte]

S.O.S. Mata Atlântica[editar | editar código-fonte]

APTA - Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios[editar | editar código-fonte]

  • http://www.apta.sp.gov.br/ A Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), vinculada à Secretaria de Agricultura e Abastecimento, tem a missão de coordenar e gerenciar as atividades de ciência e tecnologia voltadas para o agronegócio. Sua estrutura compreende os Institutos Agronômico (IAC), Biológico (IB), Economia Agrícola (IEA), Pesca (IP), Tecnologia de Alimentos (ITAL) e Zootecnia (IZ) e 15 Pólos Regionais distribuídos estrategicamente no Estado de São Paulo, bem como o Departamento de Gestão Estratégica (DGE). As Instituições de Pesquisa da APTA atendem à demanda tecnológica das várias cadeias de produção do agronegócio, utilizando seu potencial de geração e transferência de conhecimento, numa visão de desenvolvimento sustentado (foco na inovação com responsabilidade social e ambiental). Para isso, estão respaldadas pela capacitação profissional de seus pesquisadores e técnicos. Por meio de suas atividades de pesquisa e produção de bens e serviços, as Instituições da APTA contribuem para o desenvolvimento regional, para a inovação científica e tecnológica e para o fortalecimento da economia baseada no agronegócio. Pesquisa: sim

Koru[editar | editar código-fonte]

  • http://koruconsultoria.com.br/ A Koru é uma empresa de consultoria especializada em educação ambiental e estudos socioambientais. Possuímos sólida base teórica no campo da educação ambiental crítica e da pesquisa qualitativa, além de experiência neste tipo de serviço. Nosso trabalho é contextualizado na gestão ambiental e o licenciamento é uma das áreas prioritárias de atuação. Temos grande familiaridade com a abordagem exigida pelo IBAMA para os projetos de educação ambiental como medidas mitigadoras e compensatórias de impactos ambientais, em especial por meio da recente Instrução Normativa IBAMA N. 02/2012.

APA Marinha do Litoral Norte[editar | editar código-fonte]

  • http://www.ambiente.sp.gov.br/apa-marinha-do-litoral-norte/ A APA Marinha do Litoral Norte foi criada em 08 de outubro de 2008, através do decreto 53.525, com a finalidade de proteger, ordenar, garantir e disciplinar o uso racional dos recursos ambientais da região, inclusive suas águas, através do ordenamento das atividades turísticas, de pesquisa e de pesca de modo a promover o desenvolvimento sustentável. Fica assegurado na APA Marinha do Litoral Norte o desenvolvimento das atividades de segurança da navegação, sanitária, serviços portuários, etc, sob coordenação da autoridade marítima. Ficam também assegurados o uso e a prática das atividades mencionadas a seguir: pesquisa científica; manejo sustentado de recursos marinhos; pesca necessária à garantia da qualidade de vida das comunidades tradicionais, bem como aquela de natureza amadora e esportiva; moradia e extrativismo necessário à subsistência familiar; ecoturismo, mergulho e demais formas de turismo marítimo; educação ambiental relacionada à conservação da biodiversidade; esportes náuticos.

Secretaria de Meio ambiente – Ubatuba[editar | editar código-fonte]

Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento (UPD)[editar | editar código-fonte]

  • http://www.aptaregional.sp.gov.br/acesse-os-artigos-pesquisa-e-tecnologia/edicao-2011/2011-julho-dezembro/1130-a-pesquisa-inovacao-e-transferencia-de-tecnologia-na-upd-de-ubatuba/file.html A Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento (UPD) de Ubatuba, ligada ao Pólo Regional do Vale do Paraíba/APTA atua com pesquisa e desenvolvimento em plantas tropicais desde 1931. Entre as atividades que a destacaram no passado têm-se as pesquisas no melhoramento vegetal de cana-de-açúcar e de hortaliças quando foi desenvolvida a pimenta IAC-Ubatuba e os trabalhos precursores com seringueira, cacau, juçara e pupunha no Estado de São Paulo. A unidade tem como missão integrar e atuar na tecnologia e biodiversidade para alicerçar o desenvolvimento social, ambiental, cultural e econômico do litoral norte paulista. Suas linhas de pesquisa atuais abrangem estudos fitotécnicos e fisiológicos diversos incluindo o melhoramento vegetal de flores tropicais, hortaliças, plantas produtoras de palmito, cacau, seringueira e mandioca. Os trabalhos em desenvolvimento na unidade geram importantes impactos econômicos e têm a característica de ser, também, socialmente relevantes.

FUNDART - Fundação de Arte e Cultura de Ubatuba[editar | editar código-fonte]

  • http://fundart.com.br/ A FundArt é pioneira no Litoral Norte, com mais de 25 anos de atuação no campo da cultura. Tem por finalidade planejar e executar a política cultural do Município de Ubatuba por meio da execução de programas, projetos e atividades que visem ao desenvolvimento cultural. A FundArt, por meio de suas atividades culturais, realiza uma programação variada que abrange as diversas áreas e linguagens artístico-culturais. São exposições, apresentações artísticas, concursos, exibições, lançamentos, consultas a acervos, além de atividades formativas, como palestras, seminários, cursos e oficinas.

ARIES: Área de Relevante Interesse Ecológico[editar | editar código-fonte]

  • http://fflorestal.sp.gov.br/unidades-de-conservacao/arie/ Área que possui características naturais extraordinárias ou que abrigue exemplares raros da biota regional, preferencialmente declarada – pela União, estados e municípios – quando tiver extensão inferior a 5.000 ha. para a proteção das ARIEs, que têm por finalidade a manutenção dos ecossistemas naturais de importância regional ou local, deve ser regulado o seu uso admissível e/ou proibidas quaisquer atividades que possam pôr em risco a conservação dos ecossistemas, a proteção especial das espécies endêmicas ou raras ou a harmonia da paisagem. Quando estiver localizada em perímetros de APAs, integrará a zona de vida silvestre (ZVS). A Área de Relevante Interesse Ecológico é uma área com pouca ou nenhuma ocupação humana, é constituída por terras públicas ou privadas.

Secretaria de Turismo de Ubatuba[editar | editar código-fonte]

IPEMA - Instituto de Permacultura e Ecovilas da Mata Atlântica[editar | editar código-fonte]

  • http://novo.ipemabrasil.org.br/ O IPEMA - Instituto de Permacultura e Ecovilas da Mata Atlântica - é uma Organização Não Governamental sediada no município de Ubatuba, litoral norte de São Paulo. O IPEMA fomenta e difunde a permacultura para a criação de grupos sustentáveis sejam rurais ou urbanos e desenvolve trabalhos relacionados ao manejo florestal junto às comunidades tradicionais. Em seus projetos e programas, como o Programa Juçara, a organização trabalha junto às comunidades tradicionais quilombola, caiçara e indígena, com o objetivo de promover a recuperação ambiental através de princípios ecológicos para conservação da Mata Atlântica no Mosaico da Bocaina, visando o fortalecimento de arranjos produtivos da sociobiodiversidade, com o manejo sustentável da Palmeira Juçara, do Cambuci e outras espécies nativas e de uso tradicional.

Secretaria Tecnologia da Informação[editar | editar código-fonte]

  • http://www.ubatuba.sp.gov.br/prefeitura/secretaria-municipal-de-tecnologia-da-informacao/ A Secretaria Municipal de Tecnologia da Informação (SMTI) é responsável pelo estudo, planejamento, desenvolvimento e gerenciamento dos recursos de tecnologia da informação e comunicação da Prefeitura Municipal de Ubatuba. Sua missão é desenvolver ferramentas que facilitem a vida das pessoas e usar a tecnologia para transformar a vida e o trabalho dentro de nosso município.

Projeto Tamar[editar | editar código-fonte]

  • http://www.tamar.org.br/ O Projeto Tamar-ICMBio foi criado em 1980, pelo antigo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal-IBDF, que mais tarde se transformou no Ibama-Instituto Brasileiro de Meio Ambiente. Hoje, é reconhecido internacionalmente como uma das mais bem sucedidas experiências de conservação marinha e serve de modelo para outros países, sobretudo porque envolve as comunidades costeiras diretamente no seu trabalho socioambiental. Pesquisa, conservação e manejo das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no Brasil, todas ameaçadas de extinção, é a principal missão do Tamar, que protege cerca de 1.100km de praias, em 25 localidades em áreas de alimentação, desova, crescimento e descanso desses animais, no litoral e ilhas oceânicas, em nove estados brasileiros.

BIO Empreendimentos[editar | editar código-fonte]

Secretaria de Educação[editar | editar código-fonte]

Viveiro Caetê[editar | editar código-fonte]

  • http://viveirocaete.wix.com/viveirocaete O Viveiro Caetê produz plantas tropicais nativas e exóticas, com destaque à coleção de Heliconias e outras espécies de grande valor ornamental, tais como Bastão-do-Imperador e Gengíbre-magnífico. O viveiro está localizado no Sítio Caetê, em uma extensa reserva de Mata Atlântica contígua ao Parque Estadual da Serra do Mar, em Ubatuba - SP. A área florestal do Sítio Caetê é dedicada à atividades de pesquisa da flora e fauna nativa.

Trama Consultorias e Projetos[editar | editar código-fonte]

Instituto Florestal[editar | editar código-fonte]

  • http://iflorestal.sp.gov.br/ O IF é uma entidade pioneira nas ações de conservação da natureza detendo, através de sua filosofia de trabalho, posição marcante na realidade florestal paulista e brasileira, seja como gerador de atividade sustentável e econômica, seja pela proteção de áreas significativas que abrigam ecossistemas primitivos. Vinculado à Secretaria do Meio Ambiente desde 1986, o IF criou e gerenciou grande parte das áreas protegidas do estado de São Paulo, tarefa que começou a dividir com a Fundação Florestal a partir de 2007. Hoje administra 10 Estações Ecológicas, 1 Parque Estadual, 18 Estações Experimentais, 2 Viveiros Florestais, 2 Hortos Florestais e 14 Florestas Estaduais (mais de 53 mil ha), além de apoiar a gestão da Reserva da Biosfera do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo (Programa MaB-UNESCO). O Instituto Florestal é o guardião da biodiversidade do Estado de São Paulo e sua obrigação é garantir às futuras gerações tal patrimônio.

ETEC – Ubatuba[editar | editar código-fonte]

Instituto Ararêtama[editar | editar código-fonte]

  • http://araretama.com.br/?page_id=542 É uma entidade localizada na cidade de Cunha, estado de São Paulo, no cinturão de risco que circunda a Reserva Florestal. O Instituto tem projetos na área educacional, social e de preservação da Floresta.

Instituto de Pesca[editar | editar código-fonte]

  • http://www.pesca.sp.gov.br/default.php A abrangência científica do Instituto de Pesca envolve as áreas de: estudos ambientais; auto-ecologia; biologia pesqueira e análise de populações; tecnologia de cultivo de peixes, crustáceos, moluscos e macroalgas; biotecnologia e/ou melhoramento animal; tecnologia de pesca; gerenciamento pesqueiro; sócio-economia pesqueira; agregação de valor ao pescado; e tecnologia de processamento de pescado. Em termos de atividades complementares, o Instituto também atua no controle sistemático de dados estatísticos de pesca continental e marítima, implantação de fazendas-piloto de cultivo, diagnóstico e orientação de medidas profiláticas de doenças em peixes, análise de água, difusão de conhecimentos e tecnologias em pesca e aquicultura, assessoria a órgãos dos poderes legislativo e executivo para a formulação e implantação de políticas públicas para o setor pesqueiro e ações educativas e culturais através do Aquário de São Paulo e do Museu de Pesca.

Instituto Pólis[editar | editar código-fonte]

  • http://polis.org.br/ => Instituto Pólis é uma Organização não Governamental de atuação nacional e internacional. Atuamos na construção de cidades mais justas, sustentáveis e democráticas, por meio das seguintes áreas: Reforma Urbana (Direito à Cidade e Urbanismo), Democracia e Participação (Juventudes, Formação e Participação Cidadã), Inclusão e Sustentabilidade (Resíduos Sólidos, Desenvolvimento Local e Segurança Alimentar e Nutricional) e Cidadania Cultural (Convivência e Paz e Mídias Livres). Nosso objeto de trabalho concentra-se no plano das relações entre as representações da cidadania e os governos locais, nas políticas públicas e nos processos de participação popular e fortalecimento dos movimentos sociais, na organização de fóruns e redes, na análise da gestão municipal e de políticas públicas. Realizamos seminários e debates públicos, atividades de capacitação, mapeamentos socioculturais, consultorias, além da articulação de ONGs e da atuação em conselhos municipais e nacionais e em Redes e Fóruns.

Links de interesse para o projeto[editar | editar código-fonte]

  • O SIMAP (Sistema Integrado de Monitoramento Ambiental Participativo) é uma plataforma online desenvolvida para a aquisição e o gerenciamento de informações socioambientais de forma participativa. [1]