Práticas Corporais 2014/Aula 6

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

23 de Setembro de 2014,

Grupo: Kelvin Tanaka, Tânia Freitas e Matheus Morais.

I. Tema e Objetivo da Aula[editar | editar código-fonte]

Tema: Métodos de Educação somática: Pilates.
Objetivo: Possibilitar uma maior aproximação com o Pilates, através de conteúdo teórico-prático.

II. Materiais e Espaço Utilizado[editar | editar código-fonte]

Espaço utilizado: Studio Pilates Clarisse Kabbach
Materiais: Projetor multimídia, vídeos, livro “A Pilates’s Primer: The millennium edition"
Aparelhos: Reformer, Cadillac, High chair, Wunda chair, Arm chair, Lader barrel, Spine corrector, Mini barrel, Wall unit, Guillotine, Pad-o-pull, entre outros.

III. Método Didático[editar | editar código-fonte]

Aula Teórica: expositiva ministrada pela professora Clarisse Kabbach, que utilizou vídeos relacionados ao Pilates juntamente com seus conhecimentos e experiência sobre a modalidade.

Aula Prática: ministrada pela professora Clarisse Kabbach, que demonstrou exercícios de Pilates Solo, orientando sobre posicionamento e execução dos exercícios, e também mostrou os aparelhos usados no studio.

IV. Fotos[1][editar | editar código-fonte]

V. Descrição das Atividades[editar | editar código-fonte]

1° parte: Foi feita uma introdução do Pilates, contando sua história através de um vídeo interativo de desenho animado [[1]]. Mostrou como o método surgiu, contando a jornada de Joseph Pilates. A professora depois falou sobre o tema, com base em seus conhecimentos e experiência teórica prática. Contou sobre os benefícios, dentre eles aumento da memória e equilíbrio corporal, melhora do desempenho em atividades funcionais diárias (não só ter um corpo em forma segundo os padrões da sociedade), fortalecimento, aumento de propriocepção, flexibilidade, padrão respiratório, coordenação, fluidez de movimento, etc. Também falou sobre o Pilates a importância da parte prática, não se limitando apenas ao conhecimento teórico, pois a na prática você aprende à transmitir as informações melhor para seus alunos. Porém, alertou para o cuidado da utilização de técnicas que não são Pilates. Disse que o método foca na qualidade do exercício ao invés de quantidade, sendo voltado para todos os públicos, porém tendo que respeitar a individualidade biológica de cada um. Alguns músculos bastante trabalhados são: transverso, reto do abdômen, multífidos, adutores, etc. Falou sobre sua experiência com Pilates e sobre sua formação. Sua primeira formação foi com a Physio Pilates [[2]] onde adquiriu um amplo repertório. A segunda formação foi com a Criah Movimento [[3]] aonde aprendeu a didática. Comentou que formação e capacitação são imprescindíveis para trabalhar com Pilates e que um bom curso teria não menos do que 450 horas.

2° parte: Começou uma parte mais prática com os alunos, para depois voltar para o conhecimento teórico da área.

  • Primeiro exercício: “Mãos nas costelas, inspirar aumentando a caixa torácica, expirar, contraindo os abdominais”
  • Segundo exercício: “Deitado (de preferência). Estica o esqueleto, espreguiça, flexiona os joelhos, com a coluna neutra no chão (de forma natural), alinhar púbis com umbigo, pés apoiados. Inspira pelo nariz, expira pela boca (deixar o ar sair pela garganta). Costas empurram o chão na inspiração, inspira grande, expande caixa torácica e costelas abrem.

Já na expiração desliza o esterno para dentro e para baixo,afunda costelas, contrai os abdominais. Fazer algumas repetições. Ela voltou à falar sobre a área de Pilates, trabalhando com isso por exemplo na saúde de um idoso (pode e deve fazer, inclusive na osteoporose, osteopenia), dentro de um limiar de dor suportável. Mas precisa ter conhecimentos sobre sistema imunológico, digestório, muscular, nervoso, linfático, etc. Aqueles que podem trabalhar com isso são basicamente profissionais de saúde: fisioterapia, educação física, nutricionista, assistente social, etc. O pilates solo, que foi o que foi feito com as turmas, é mais difícil do que com equipamento, justamente pelo fato de não ter aparelho para ajudar. E na academia, o sistema para Pilates não é bom, pois há dificuldades na frequência de alunos, concentração para os exercícios, desenvolvimento do programa. A professora Clarisse, então, mostrou um vídeo de Joseph Pilates[[4]] aplicando alguns exercícios baseados nos métodos que criou.

3° parte: A professora nos mostrou melhor os equipamentos do studio, contando mais detalhadamente sobre cada um deles, como cada aparelho podia ser utilizado e regulado e a grande variedade de exercícios que podiam ser feitos em cada equipamento. Por fim, fechou a aula, agradecendo e deixando as portas abertas para quem se interessar melhor pela modalidade.

VI. Histórico do Pilates[editar | editar código-fonte]

Nasceu em 1880 na Alemanha e foi uma criança muito doente teve asma, bronquite, raquitismo e febre reumática e para melhorar sua condição física se dedicou à prática de atividades físicas como mergulho, lutas, esqui, ginástica e com isso aos 14 anos já apresentava uma ótima forma física.[2][3] Agregou todas as suas experiências ao seu método que posteriormente seria criado. Também se interessava por fisiologia e anatomia e pesquisou formas de se exercitar ocidentais, orientais e até buscou inspiração na Grécia antiga. Usou todos estes conhecimentos como base para criar a “Contrologia”.[2][3] Em 1912 mudou-se para Inglaterra onde foi lutador de boxe, artista circense e professor de auto defesa. Assim que houve a Primeira Guerra Mundial ele foi recluso junto aos prisioneiros de guerra no campo de concentração de Lancaster por ser alemão.[3]

Começou a adaptar seu conhecimento de exercícios físicos recuperando os feridos das guerra. Adaptou também exercícios para os acamados retirando as molas das camas e colocando-as na cabeceira para que as pessoas as utilizassem. Essa ideia posteriormente iria dar origem a muitos dos aparelhos de Pilates que se utilizam de molas de forças diferentes para a realização dos exercícios. Seu trabalho foi devidamente reconhecido quando houve uma epidemia do vírus Influenza e nenhum de seus pacientes foi infectado.[2][3]

Após a Guerra foi convidado para aplicar treinamento para a polícia cidade de Hamburgo na Alemanha. Em 1926 mudou-se para os EUA onde inaugurou seu primeiro estúdio e continuou a aplicar seu método que chamou a atenção do público da dança como Rudolf Von Laban, Martha Graham e George Balanchine. Na sua viagem para vir para os EUA conheceu sua esposa Clara e juntos inauguraram seu primeiro estúdio.[2][3] Alguns estudantes de Pilates começaram a abrir seus próprios estúdios e disseminar o método ensinado.[2]

Pilates faleceu aos 87 anos devido a um incêndio em seu estúdio e inalou fumaça tóxica. Sua esposa Clara continuou com seu trabalho após sua morte. Em 1970 foi criado o “The Pilates Studio” fundado por Romana Kryzanowska que foi aluna de Pilates, era ex dançarina e tinha uma séria lesão no tornozelo que foi curada pela prática. Assim que Clara Pilates faleceu ela foi autorizada a usar a metodologia e desta forma Pilates virou uma marca. No Brasil Alice Becker Denovaro foi a primeira a se certificar da marca e com o passar do tempo outras pessoas foram se apropriando e se utilizando do método e da prática sendo que isso se arrasta até os dias atuais.[2]

Pilates acreditava que agente estressantes prejudicavam a saúde das pessoas como por exemplo, trânsito, pressão econômica, poluição entre outros. Ele foi uma das primeiras pessoas a fazer uma abordagem holística do corpo e vê-lo como um todo e inserido no meio ambiente.[3]

VII. O Que é o Método Pilates[editar | editar código-fonte]

Pilates é um método de exercícios que integra o corpo e a mente com o dia-a-dia da pessoa, aumentando a capacidade de movimentos, controle, força, equilíbrio muscular e consciência corporal, se dividindo em exercícios de solo e aparelho.[3] Através de seus princípios básicos, busca desenvolver o equilíbrio músculo-esquelético, a respiração apropriada e o alinhamento postural. Os exercícios combinam o controle da musculatura abdominal com a facilidade de movimento e a concentração, princípio que Joseph Pilates enfatizou como responsável por restaurar o corpo em seu verdadeiro equilíbrio.[2]

VIII. O Que Envolve o Método Pilates[editar | editar código-fonte]

Princípios[3]:

  • Relaxamento
  • Concentração
  • Alinhamento
  • Respiração
  • Coordenação
  • Resistência

IX. Benefícios[3][editar | editar código-fonte]

  • Aumenta força
  • Dá maior controle muscular
  • Integra corpo e mente
  • Melhora a capacidade respiratória
  • Aumenta a energia
  • Dá maior flexibilidade
  • Harmoniza os movimentos diários
  • Alonga, tonifica e define a musculatura
  • Melhora o condicionamento físico e mental
  • Corrige a postura
  • Dá maior consciência corporal
  • Reestrutura o corpo
  • Aumenta o equilíbrio e a coordenação
  • Previne lesões
  • Tratamento na pós-reabilitação

X. Execução dos Exercícios[editar | editar código-fonte]

Os exercícios devem ser feitos respeitando os limites do corpo, trabalhando de uma forma confortável, sem sentir dores que impossibilitem a realização do exercício. O foco é na qualidade e não na quantidade do exercício, fazendo os exercícios de forma perfeita e precisa com um máximo de 10 repetições. Eles devem ser feitos de forma relaxada, concentrada, controlada, para ganho de força e resistência muscular. A conexão corpo e mente é muito importante, prestando atenção também na respiração, na contração abdominal e na postura correta. Os movimentos devem ser combinados durante a aula, com flexão, extensão e rotação, respeitando a progressividade do treino, indo do fácil para o difícil.[3]

XI. Faixa Etária[editar | editar código-fonte]

Não existe restrição quanto à faixa etária que pode fazer uso da prática do pilates. A prática apresenta benefícios como um todo seja qual for a idade do praticante, apenas sendo necessário adaptar a aula como por exemplo: para crianças montar uma aula com um caráter mais lúdico. O método se adapta conforme o aluno.

XII. Área de Conhecimento[editar | editar código-fonte]

Qualquer um da área da saúde que tenha feito um curso certificado do método.

XIII. Profissionais Habilitados[editar | editar código-fonte]

Não há uma legislação vigente que regule a utilização do método por um ou outro profissional.

XIV. Formação e Capacitação[editar | editar código-fonte]

São essenciais, sendo que um bom curso de Pilates dura aproximadamente 450 horas.

XV. Aula Solo x Equipamentos[editar | editar código-fonte]

Os exercícios de solo são de um maior nível de dificuldade de execução, já que não tem a presença do equipamento para ajudar.

XVI. FICHAMENTO DOS TEXTOS[editar | editar código-fonte]

Método Pilates Condicionamento do Corpo - Um Programa para Toda a Vida[2]

Joseph Humbertus Pilates desde sua infância teve problemas de saúde. Tinha asma, bronquite, raquitismo e febre reumática e para melhorar sua condição física se dedicou à prática de atividades físicas como mergulho, lutas, esqui e ginástica. Agregou todas as suas experiências com atividade física que teve no decorrer da vida a criação de seu método. Já foi boxeador profissional e trabalhou também como artista de circo. Durante a Primeira Guerra Mundial foi recluso ao campo de concentração de Lancaster e atuou como enfermeiro recuperando os feridos da guerra. Começou a adaptar recuperando os feridos das guerra. Começou a adaptar exercícios para estas pessoas, inclusive para os acamados retirando as molas das camas e colocando-as na cabeceira para que as pessoas as utilizassem. Seu trabalho foi reconhecido quando houve uma epidemia do vírus Influenza e nenhum de seus pacientes foi infectado. Após a Guerra foi convidado para aplicar treinamento para a polícia cidade de Hamburgo na Alemanha. Conheceu Rudolf Von Laban que incorporou seu método na dança. Em 1926 mudou-se para os EUA onde inaugurou seu primeiro estúdio. Atraiu inicialmente o público da dança, inclusive Martha Graham. Desta forma, estudantes de Pilates começaram a abrir seus próprios estúdios e disseminar o método. Faleceu aos 87 anos devido a um incêndio em seu estúdio e inalou fumaça tóxica. Sua esposa Clara continuou com seu trabalho após sua morte. Em 1970 foi criado o “The Pilates Studio” fundado por Romana Kryzanowska. Ela foi aluna de Pilates, era ex dançarina e tinha uma sério lesão no tornozelo que foi curada pela prática. Assim que Clara Pilates faleceu ela foi autorizada a usar a metodologia e desta forma Pilates virou uma marca. No Brasil Alice Becker Denovaro foi a primeira a se certificar da marca e com o passar do tempo outras pessoas foram se apropriando e se utilizando do método e da prática sendo que isso se arrasta até os dias atuais.

“Contrologia”: a arte do controle, foi criada e definida por Pilates como o controle consciente de todos os movimentos musculares do corpo. Uma correta utilização e aplicação dos mais importantes princípios das forças que se aplicam a cada um dos ossos do esqueleto, com o completo conhecimento dos mecanismos funcionais do corpo, e o total entendimento dos princípios de equilíbrio e gravidade aplicados a cada movimento, no estado ativo, em repouso e dormindo. Assim, sua função busca desenvolver o corpo da melhor forma possível, acompanhado de um vigo físico e mental renovado. Os exercícios devem ser executados adquirindo um ritmo natural e uma coordenação associada com as atividades de seu subconsciente. Ademais, Pilates e Miller dizem que nossos corpos sofrem desequilíbrios posturais como resultado de não termos desenvolvido uniformemente todos os músculos, ao trabalharmos o corpo somente com movimentos diários mecânicos e posturas prejudiciais. Então, ao estimular milhares de células musculares, a “Contrologia” ativa novas áreas e estimula um funcionamento maior da mente. Desta forma, Pilates indicou que nem a mente nem o corpo poderiam ser considerados com supremacia; um não poderia ser sacrificado à existência do outro, mas deveria se estabelecer o equilíbrio, a fim de que eles possam estar coordenados o melhor possível para o bem-estar geral.

Essa “arte do controle do corpo” foi concebida e testada com a ideia de que a “circulação é o que cura”, ou seja, exercitar todos os músculos para melhorar a circulação do sangue faz que a corrente sanguínea carregue um volume maior e sangue mais rico em oxigênio para alimentar todas as fibras e tecidos do corpo. Assim, um sangue “puro” passaria a ser dirigido para todas as fibras, particularmente para os vasos capilares, que acionam instantaneamente os órgãos corporais e as glândulas.

A “Contrologia” é baseada em alguns princípios básicos de controle do corpo: - Principio da Concentração: “Concentre-se nos movimentos corretos CADA VEZ QUE VOCÊ EXECUTA OS EXERCÍCIOS, para que você não os faça impropriamente e, desta forma, perca todos os seus benefícios[4]. A utilização de imagens mentais possibilita à pessoa a acessar com mais eficiência o sistema anatômico, mesmo que essa nunca tenha tido alguma experiência no assunto, utilizando-se da visualização das sensações e realizando os movimentos da melhor maneira, essa é uma técnica utilizada por Siller (2000)[5]. Hall (1998)[6] ainda diz que, “a concentração em cada movimento do corpo proporciona um aumento da propriocepção através de um continuo feedback de respostas motoras sinergéticas”. - Principio da Centralização: os exercícios de Pilates requerem suporte e controle do tronco em conjunto com movimentos dinâmicos das extremidades. Assim, Pilates cunhou o termo powerhouse (o centro de força), como a região que compreende grupos específicos de músculos no centro do corpo, os quais formam a estrutura de suporte entre as áreas da cintura escapular e pélvica, o m. reto abdominal, m. transverso do abdômen, m. glúteo máximo, m.m. oblíquos internos e externos e músculos da parte inferior das costas. Com isso, fortalece-se a postura e ainda, acreditava Pilates, pode prevenir a obesidade abdominal.

- Principio da Fluidez: a movimentação parte de um centro fortalecido e flui para as extremidades com refinamento, sem movimentos rígidos, não muito rápidos nem muito lentos, mas com controle e suavidade. - Principio da Respiração: a “respiração correta” seria a completa inalação e exalação de ar. Acreditava ser possível estimular todos os músculos a uma atividade muito maior, ao mesmo tempo em que o corpo poderia tornar-se abundantemente carregado de oxigênio “puro” e “fresco”. - Principio da Precisão: a essência desse principio é, utilizar-se de poucas repetições de cada exercício e uma execução com qualidade. Ela deve ser mantida para evitar o risco de lesão. - Principio do Controle: responsável pela qualidade do movimento, juntamente com o principio da precisão, possui importância na prevenção de lesões. Cada movimento executado deve ser meticulosamente calculado e planejado, pois é desta maneira que se consegue reduzir o risco de lesão durante a atividade física, preparando o corpo para as atividades diárias da mesma forma que um atleta se prepara para um evento esportivo. - Principio do Relaxamento: é considerado um fator importante quando ocorre a tendência a um controle excessivo.

O Método Pilates possui ainda o tipo da Aula de Solo ou Pilates Mat Class. Os exercícios dessa técnica servem de base e complemento para os exercícios em aparelhos, buscando, sobretudo, o fortalecimento da musculatura abdominal. Focando sua execução correta, fortalecendo a musculatura envolvida, evita a pratica de movimentos descontrolados que diminuam a eficiência do exercício, além de propiciar o surgimento de lesões. Essa técnica começa através de pequenas amplitudes, onde se aumenta gradualmente os movimentos e amplia suas possibilidades. Dividida em níveis: básico, intermediário, avançado e super avançado. Os exercícios são executados de acordo com as necessidades, habilidades e limitações de cada um. Assim, o aluno com alguma patologia pode executar o exercício, de forma adaptada, junto ao grupo, não necessitando fazer uma aula individualizada. Os tipos de exercícios promovem certas funções, como: resistência, flexibilidade, fortalecimento, coordenação, massagem, controle, respiração, alinhamento, equilíbrio e estimulação do controle dos movimentos pelo “centro de força” do individuo. A parte final da aula é uma volta à calma, buscando-se um estado de relaxamento e “paz interior”, visando à recuperação metabólica e descontração da musculatura estimulada.

Pilates no Brasil: Corpo e Movimento[3] Joseph Pilates:

Nasceu em 1880 na Alemanha e foi uma criança muito doente. Para melhorar a saúde praticou ginástica, esqui, boxe e luta romana sendo que aos 14 anos já exibia excelente forma física. Juntamente a isso ele se interessava por fisiologia e anatomia e pesquisou formas de se exercitar ocidentais, orientais e até buscou inspiração na Grécia antiga. Todo esse estudo posteriormente se tornaria seu método que foi chamado de “Contrologia”. Em 1912 mudou-se para Inglaterra onde foi lutador de boxe, artista circense e professor de auto defesa. Assim que houve a Primeira Guerra Mundial ele foi confinado junto aos prisioneiros de guerra por ser alemão e lá desenvolveu exercícios para manter seus companheiros saudáveis até mesmos aqueles que estavam acamados se utilizando das molas das camas para realizar os exercícios. Seu trabalho foi reconhecido quando houve uma grande epidemia e nenhum de seus “alunos” adquiriu.

No fim da Guerra voltou para a Alemanha e continuou a aplicar seu método que chamaou a atençao do público da dança como Rudolf Von Laban, Martha Graham e George Balanchine.

Resolveu morar nos Estados Unidos e na sua viagem se mudar conheceu sua futura esposa Clara. Resolveram abrir um estúdio juntos onde chamou a atenção não só de bailarinos como de qualquer pessoa que almejava uma vida mais saudável. Pilates acreditava que agente estressantes prejudicavam a saúde das pessoas como por exemplo, trânsito, pressão econômica, poluição entre outros. Ele foi uma das primeiras pessoas a fazer uma abordagem holística do corpo e vê-lo como um todo e inserido no meio ambiente.

O que é o método Joseph Pilates: É um método de condicionamento físico que integra o corpo e a mente ampliando a força, capacidade de movimentos, concentração, amplitude e consciência corporal. Durante as aulas do pilates o indivíduo redescobre o seu próprio corpo, percebendo um corpo mais, forte, consciente e equilibrado. Porém para obter todos esses benefícios o praticante deve ser disciplinado. O pilates pode ser praticado tanto em solo quantos nos aparelhos. Seu método original trabalhava a retificação da coluna, contração do abdômen, glúteos e do assoalho pélvico ( que Pilates chamava de powerhouse). Ele acreditava que todo movimento deve ser sair do abdômen e estava correto. Hoje em dia, a única correção é que é melhor trabalhar não com a retificação da coluna e sim respeitando as suas curvaturas.

Uma das grandes vantagens do Pilates é que ele é feito com prazer e além de todos os benefícios também aumenta a auto estima. Ou seja, você não precisa sofrer e suar necessariamente para obter bons resultados físicos. Essa é uma ideia que oferece grande contribuição para a Educação Física vinda de Pilates.

Princípios do método Joseph Pilates:

  • Relaxamento: Antes de começar os exercícios relaxe e deixe que a tensão acumulada saia do seu corpo, deitado e respirando profundamente.
  • Concentração: A cada movimento o corpo e a mente devem trabalhar juntos, desta forma a pessoa cria maior consciência do movimento.
  • Alinhamento: Realizar os exercícios sempre com a postura correta para restaurar o equilíbrio muscular e alinhar as curvaturas da coluna.
  • Respiração: Respirar de forma eficaz para que seu corpo receba a quantidade suficiente de oxigênio inspirando pelo nariz e expirando pela boca.
  • Coordenação: Os movimentos são realizado em harmonia e de forma lenta. É a perfeita combinação entre o corpo e a mente.
  • Resistência: Quando os exercícios são executados com perfeição é um indício de que a força e resistência muscular aumentaram.

Benefícios do método Joseph Pilates: Dentre inúmeros benefícios, alguns que podemos citar são: aumento de força, maior controle muscular, integração do corpo e mente, aumenta flexibilidade, capacidade respiratória, corrige postural, melhora consciência corporal, aumenta a auto estima e alivia o estresse.

Dicas para fazer os exercícios de forma perfeita: Deve-se respeitar o limite do corpo; parar o exercício caso sinta alguma dor; pensar na qualidade dos exercícios em vez da quantidade; buscar perfeição nos movimentos; ter fluidez; verificar a postura correta e a respiração; entre outros.

Posições técnicas fundamentais: Respiração: É o grande diferencial do pilates. A respiração profunda traz diversos benefícios ao organismo, ele estimula as células, aumenta oxigenação no sangue e ajuda a relaxar a musculatura. Deve-se respirar o mais profundo e consciente possível.

Posição da pelve: Deve ser mantida em posição neutra entre a inclinação posterior e anterior.

Posição da Caixa Torácica: Deitado de costas relaxar a caixa torácica mas com a musculatura abdominal ativada dando ênfase na respiração e não desestabilizando a pelve.

Posição da Escápula: A estabilização serve para que não sobrecarregue costas e ombros as posturas de protração, retração, elevação e depressão da escápula deve ser observado em todos os exercícios.

Aquecimento:

O aquecimento proposto é compostos por exercícios de respiração, movimento pélvico, liberação do quadril, rotação da coluna, gato, rolamento de quadril, isolamento da escápula, círculos com os braços, movimento de cabeça e elevação e depressão da escápula.

Exercícios:

O livro traz a descrição e explicação de 52 exercícios diferentes de pilates solo. Descreve a posição, respiração, o número de repetições, objetivo do exercício, algumas modificações caso necessário e adaptações além de fotos da realização correta dos exercícios.

'Questões'

  1. Durante a aula, é necessário dividir os alunos por um certo critério? (idade, nível de treinamento)
  2. O Pilates ainda chama a atenção e é usado pelo público de dançarinos?

XVII. Discussão e Dúvidas dos Alunos[editar | editar código-fonte]

Quais seriam os melhores tipos de exercício no Pilates, que promoveriam mais benefícios: no solo ou com aparelhos?

Só o curso de educação física proporciona o conhecimento necessário para ministrar aulas de Pilates de qualidade?

Todos os profissionais de saúde (educação física, assistente social, fisioterapia, nutricionista, etc) podem mesmo trabalhar com Pilates?

XVIII. Temas Interdisciplinares[editar | editar código-fonte]

Além da área anatômica, cinesiológica e biomecânica que já vimos durante o curso, a professora Clarisse falou sobre a importância de se saber e aplicar também conhecimentos do módulo de MTS, já que é preciso saber um pouco sobre fisiologia humana. A ginástica também pode ser englobada nessa modalidade, bem como a dança, já que os dançarinos foram os primeiros à se interessarem pelo Pilates. Além disso, a prática pode ser utilizada no tratamento de doenças, que estudamos melhor em Doenças Crônicas. A professora nos deu o exemplo de idosos com osteoporose e osteopenia, que podem e devem fazer esse método de exercícios, segundo ela.

XIX. Material Relacionado[editar | editar código-fonte]

Studio Clarisse Kabbach

Página no Facebook do Studio Clarisse Kabbach

Formação em Pilates

Vídeo animado da história do Pilates

Técnicas sendo aplicadas por Joseph Pilates

XX. Conclusão[editar | editar código-fonte]

O Pilates é uma modalidade que engloba exercícios que podem trazer diversos benefícios mentais e corporais para o praticante, que vivencia novas experiências com o seu corpo, sendo aberto para todos os públicos. O conteúdo teórico possibilitou um maior conhecimento sobre o método e a prática possui um grande valor no aprendizado e ensino. Concluímos que é uma excelente prática corporal, desde que acompanhada por um profissional capacitado.

XXI. Comentários sobre a última aula[[5]][editar | editar código-fonte]

O grupo dividiu bem as partes da aula, deixando mais claro como foi o andamento da aula, comentando cada parte com suas particularidades. Fez uma boa associação com alguns módulos vistos até aqui (MAL, MTS) nos dando uma maior correlação prática dessas áreas de conhecimento com o módulo de Práticas alternativas e integrativas. Isso ficou mais claro no fichamento do texto “TOCAR: O Significado Humano da Pele – A mente da pele”, já que mostrou melhor a relação da nossa prática nessa aula com o conhecimento fisiológico que nos foi passado. O relato da vivência foi um trecho interessante, que mostrou mais o lado de como foi a experiência subjetiva da pessoa em questão, possibilitando comparações com a experiência de outros alunos e as nossas próprias, à partir da mesma aula.

Avaliação do Professor do Caderno Colaborativo Aula 6[editar | editar código-fonte]

NOTA 10

A avaliação do caderno será feita conforme os seguintes critérios e valores:

1) realizar a leitura obrigatória de modo aprofundado (1,0)

2) apresentar a leitura no começo da aula conforme roteiro de orientação enviado (2,0)

3) apresentar perguntas sobre a leitura para a turma (1,0)

4) registrar sua leitura/apresentação/perguntas na plataforma colaborativa wikiversidade (1,0)

5) registrar a aula daquele dia (relatório multimídia) (1,0)

6) publicar a aula daquele dia na plataforma colaborativa wikiversidade em forma de texto + imagens e inserir links para publicações de slides, áudio e vídeo em sites de compartilhamento (como youtube) (2,0)

7) revisar a aula publicada pelo grupo anterior ao seu e fazer comentários (1,0)

8) cumprir o prazo de uma semana para realizar todas as etapas, ou seja, publicar tudo até a aula seguinte (1,0)

Referências[editar | editar código-fonte]

Predefinição:References

  1. Kabbach C. Pilates Clarisse Kabbach blog [Internet]. Santos: Clarisse Kabbach. 2013 Fev – [Citado em 2014 September 29]. Disponível em: https://pilatesclarissekabbach.wordpress.com/
  2. 2,0 2,1 2,2 2,3 2,4 2,5 2,6 2,7 PANELLI, C.; de MARCO, A. Método Pilates de condicionamento do corpo: um programa para toda vida. São Paulo: Phorte Editora, 2006.
  3. 3,00 3,01 3,02 3,03 3,04 3,05 3,06 3,07 3,08 3,09 3,10 CAMARÃO, T. Pilates no Brasil: corpo e movimento. Rio de Janeiro: Elsevier, 2ª Ed., 2004.
  4. PILATES, J. H.; MILLER, J. W. Return to life trough contrology. New York: Presentation Dynamics, 1998. In: PANELLI, C.; de MARCO, A. Método Pilates de condicionamento do corpo: um programa para toda vida. São Paulo: Phorte Editora, 2006.
  5. SILER, B. The Pilates body: the ultimate at-home guide to strengthening, lengthening and toning your body: without machines. New York: Broadway Books, 2000. In: PANELLI, C.; de MARCO, A. Método Pilates de condicionamento do corpo: um programa para toda vida. São Paulo: Phorte Editora, 2006.
  6. HALL, D. W. The effects of Pilates based training on balance and gait in na elderly population. Thesis (Master of Science in Exercise Physiology) – San Diego State University, San Diego, 1998. In: PANELLI, C.; de MARCO, A. Método Pilates de condicionamento do corpo: um programa para toda vida. São Paulo: Phorte Editora, 2006.