Práticas Corporais 2015/Aula 8

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Editores Aula 8: Joyce e Renato

I. Tema e objetivos da aula:[editar | editar código-fonte]

Tema: Artes corporais chinesas: Filosofia e Fisiologia.

Objetivos: Retomar as práticas de automassagem e Lian Gong anterior, com atenção especial aos movimentos da prática do Lian Gong em 18 terapias, para melhor execução e aperfeiçoamento.

II. Materiais e espaços utilizados:[editar | editar código-fonte]

Espaços: A primeira parte da aula foi realizada na sala de ginástica do Clube de Regatas Saldanha da Gama e a segunda parte foi realizada na sala 104, na UNIFESP- Unidade da Ponta da Praia.

Materiais: A primeira parte da aula foi prática e para isso utilizamos o tatame e um rádio com áudio contendo as 18 terapias de Lian Gong anterior. A segunda parte foi teórica utilizamos somente um projetor.

III. Método didático:[editar | editar código-fonte]

A aula foi dividida em dois momentos, a primeira parte prática e a segunda teórica.

  • Prática:
  1. Automassagem e Lian Gong em 18 terapias (sendo este último o foco maior, através da explicação dos movimentos pelo Prof. Vinícius Terra).
  • Teórica:
  1. Apresentação do texto obrigatório (LEE, M. L. Lian Gong em 18 terapias: forjando um corpo saudável: ginástica chinesa do Dr. Zhuang Yuen Ming. 5 ed. São Paulo: Pensamento, 2006.), por nós (Joyce e Renato), responsáveis pelo registro do dia, e discursão das dúvidas levantadas.
  1. 2. Apresentação das aulas postadas na Wikiversidade dos grupos responsáveis pelas aulas 3,6 e 7.

IV. Descrição das atividades:[editar | editar código-fonte]

Automassagem- I

Toda a atividade da aula prática foi ministrada pelo Prof. Vinícius Terra.


AUTOMASSAGEM (Todos os movimentos foram realizados em decúbito dorsal)

Automassagem- IX

1 – Tronco e Cabeça (Despertar os sentidos):

  • Iniciando pelo tronco foi pedido para colocar a porção tenar e hipotenar da mão sobre o osso esterno de maneira a realizar uma espécie de encaixe. Com os dedos da mão esquerda estendidos sobre o peitoral direito e a mão direita posicionada sobre a mão esquerda. Devendo deslizar até aproximadamente quatro dedos abaixo do umbigo, entretanto a subida é aérea, ou seja, sem contato com a pele. Realizando o movimento por nove vezes, com prioridade na fricção e tensão, de modo a causar vermelhidão na pele.
  • Para fazer circular a energia em torno do umbigo, realizaram-se massagens circulares, também com a palma da mão pressionando, na barriga, em espiral expandindo (espiral de dentro para fora) e contraindo (espiral de fora para dentro). As mulheres colocando a mão direita embaixo e começando pelo sentido horário (espiral para fora), e os homens colocando a mão esquerda embaixo e iniciando pelo sentido anti-horário.
  • Fricção das mãos até a produção de calor, em seguida pousa-se a região tenar e hipotenar das mãos sobre os olhos, durante um minuto. Perceber o calor e a pressão produzida pelo contato.
    Automassagem- III
  • Com as pontas dos dedos voltadas para a cabeça inicia-se o movimento de massagear o couro cabeludo como se tivesse penteando os cabelos, em seguida puxa-se o coro cabeludo como se tivesse puxando uma peruca.
  • Com movimentos em pinça realizaram-se massagens nas orelhas percorrendo a partir do lóbulo, todo perímetro da orelha e aos poucos iniciaram o movimento de puxar, como se quisesse arrancá-la.
    Automassagem
  • Com o indicador tampar os ouvidos e ficar por um tempo. Devendo prestar atenção na respiração e no corpo. Em seguida, massagearam as narinas.
  • Depois, realizaram movimentos como se estivessem mastigando chicletes, sendo indicado repetir esse movimento por 60 vezes, em seguida realizaram um movimento chamado "dragão revolve os mares", cujo objetivo é passar a língua entre os dentes e a gengiva, na parte frontal da boca, como se estivesse limpando os dentes, nove vezes em sentido horário e nove vezes em anti-horário. Devendo guardar a saliva para, no final desta fase, realizar a hiperextensão da cervical e em três goles, ingerir a saliva.
Lian Gong em 18 terapias- I

2 – Membros Superiores:

  • Friccionaram as mãos até a produção de calor, em seguida, com as mãos em formato de "concha" deslizaram sobre o antebraço da parte proximal para distal, sobre a porção lateral do rádio, seguido da ulna, sendo realizado nos dois antebraços, um de cada vez.

3 – Membros Inferiores:

Lian Gong- IV
  • Com as mãos em formato de concha, o movimento de fricção continua nos membros inferiores, começando pela tíbia seguida da fíbula, sendo que ainda em decúbito dorsal, devemos achar a maneira mais confortável para a realização deste movimento. Respeitando a condição física e a limitação individual. Essa sequência deve ser realizada nas duas pernas, uma de cada vez.
  • Massagearam em volta do Hálux, onde é o ponto de apoio da base do pé. A massagem deve ser realizada com o centro da mão em cem movimentos circulares rápidos e vigorosos no sentido horário.
Lian Gong
  • Com os pés paralelos apoiados no tatame, projetar o calcanhar para o teto, como se quisesse estender a perna, procurando evitar tirar o quadril do chão. Por fim, colocaram as mãos no umbigo com os olhos fechados.
Lian Gong em 18 terapias II


LIAN GONG EM 18 TERAPIAS- Parte anterior (Todos os movimentos foram realizados em pé)

Um exercício completo é executado em uma contagem de 8 tempos.

Lian Gong em 18 terapias- VII
  • Movimentos do pescoço: Posição inicial, em pé com postura ereta, pés juntos e mãos paralelas ao corpo. O primeiro exercício começa com as mãos na cintura e o olhar para o horizonte. O primeiro movimento é girar a cabeça e olhar à esquerda (Lembrando que todos os movimentos começam para
    Lian Gong em 18 terapias- VI
    esquerda), voltar à posição inicial; o segundo movimento é girar a cabeça e olhar à direita, voltar à posição inicial; o terceiro movimento é levantar a cabeça para cima, voltar a posição inicial; o quarto movimento é inclinar a cabeça e olhar para baixo, voltar à posição inicial e simultaneamente soltar os braços ao longo do corpo.
    Lian gong em 18 terapias- III
  • Arquear as mãos: Posição inicial, pés separados na largura dos ombros, cotovelos soltos e palmas das mãos formando um triângulo com os indicadores e polegares de fronte do rosto. Olhar para frente, afastando ambos os braços para os lados, cerrando as palmas das mãos, olhando para mão esquerda até os antebraços ficarem paralelos ao tronco e perpendiculares ao chão. Primeiro movimento é olhando para o horizonte por cima do punho esquerdo; voltar a posição inicial, abrindo as palmas e olhando para mão esquerda; O segundo movimento é igual ao primeiro mas só que agora olhando para o lado direito. A posição final é abaixando os braços ao longo do corpo depois dessa sequencia que perfazem dois movimentos para cada lado.
  • Estender as palmas para cima: Posição inicial, pés separados na largura dos ombros, braços flexionados junto ao corpo e punhos posicionados ao lado dos ombros; olhar a frente. O primeiro movimento é olhar para punho esquerdo; estender os braços para cima abrindo as mãos e olhando para a palma esquerda; braços esticados próximos das orelhas e palmas estendidas acima da cabeça e voltadas para frente. Olhar para palma esquerda; recolher os braços, fechando as mão e olhando para a palma esquerda; punhos posicionados nos ombros. Segundo movimento, é olhando para o lado direito. Posição final é abaixar os braços ao longo do corpo.
    Lian Gong- V
  • Expandir o peito: Posição inicial, pés separados na largura dos ombros, palmas cruzadas na frente do corpo e olhar à frente. O Primeiro movimento é levantar os braços estendidos à frente do corpo, mantendo as mãos cruzadas e olhando o dorso das mãos; as palmas acima da cabeça se mantém cruzadas com os braços próximos das orelhas e a cabeça levantada olhando as mãos; abaixar os braços, traçando uma nova curva pela lateral do corpo por trás da linha dos ombros, acompanhando a palma esquerda com olhar; voltar a posição inicial. O segundo movimento é com enfoque do lado direito. E voltar a posição inicial.
  • Despregar as asas: Posição inicial, pés separados na largura dos ombros e braços soltos ao longo do corpo. O primeiro movimento começa com olhar para frente; flexionar os braços direcionando os cotovelos para trás e para cima mantendo as mãos próximas ao corpo; aproxime o dorso das mãos abaixo do queixo com os cotovelos acima do nível das sobrancelhas, acompanhado o cotovelo esquerdo com o olhar; mãos soltas abaixo do queixo e cotovelos acima do nível das sobrancelhas. Olhar a frente; abaixar os cotovelos, estender as palmas e empurrá-las para baixo; voltar a posição inicial. Segundo movimento é com enfoque no cotovelo direito; voltar a posição inicial.
  • Levantar o braço de ferro: Posição Inicial, pés separados na largura dos ombros e braços abaixados ao longo do corpo. Primeiro movimento é levantar o braço esquerdo pela lateral com a palma voltada para baixo. O braço direito flexionado para trás está com dorso da mão direita pressionando do lado esquerdo da cintura. Olhar a palma da mão; próximo ao topo da cabeça a palma vira para cima; a palma esquerda voltada para cima com os dedos voltados para trás, olhar para cima; abaixar lateralmente o braço esquerdo, com a palma voltada para baixo acompanhando o movimento com o olhar; a posição da mão esquerda nas costas acima da mão direita. segundo movimento é com enfoque na palma direita. Abaixar os braços ao longo do corpo voltando a posição inicial.
    Passos Marciais
  • Empurrar o céu e inclinar para o lado: O primeiro movimento é levantar os braços com os dedos entrecruzados até a altura do queixo com as palmas voltadas para cima; a seguir virar as palmas para baixo e para fora impulsionando-as acima da cabeça esticando bem os braços. Acompanhar o movimento das mão com o olhar; endireitar a cabeça olhando para frente; vergar o tronco lateralmente à esquerda e logo a seguir retornar à posição inicial; abaixe os braços pela lateral do corpo olhando a mão esquerda. O segundo movimento é com enfoque no lado direito, a seguir retornar à posição inicial; abaixe os braços pela lateral do corpo olhando a mão direita.
  • Girar a cintura e projetar as palmas: Posição inicial, pés separados na largura dos ombros e punhos posicionados na altura da cintura. O primeiro movimento é empurrar a palma direita para frente, estendendo o braço, e puxar o punho esquerdo, levando o cotovelo para trás em uma linha reta com a palma direita; girando o tronco e a cabeças para esquerda olhando para trás no horizonte; girar o tronco a frente recolhendo o braço direito girando e fechando a palma direita; voltar a posição inicial. é com enfoque do lado direito, e voltar a posição inicial.
  • Rodar a cintura com as mãos nos rins: Posição inicial, pés separados na largura dos ombros, mãos posicionadas na região lombar com os dedos voltados para dentro; primeiro movimento é girar o quadril para esquerda, girar o quadril para frente, girar o quadril para direita e girar o quadril para trás. O segundo movimento é repetir no outro sentido e voltar a posição inicial ao final abaixando os braços ao longo do corpo.
  • Abrir os braços e flexionar o tronco: Posição inicial, pés separados na largura dos ombros com as palmas cruzadas na altura do baixo-ventre e olhar a frente. O primeiro movimento é erguer os braços à frente do corpo, levantando as palmas cruzadas até acima da cabeça e o olhar acompanha as palmas, girar o quadril à direita curvar-se com as costas estendidas até o plano horizontal, virando as palmas para baixo e fixar o olhar em um ponto à frente no chão; cruzar as palmas na frente do corpo, procurando tocar o chão com a ponta dos dedos; suspender os braços mantendo as palmas cruzadas, quando passar na altura das orelhas suspender simultaneamente o tronco e os braços, voltar a posição vertical.
  • Espetar com a palma para o lado: Posição inicial, pés separados na largura dos dois ombros, punhos posicionados na altura da cintura e braços flexionados com os cotovelos puxados para trás; apoiar no calcanhar esquerdo e virar a ponta do pé para esquerda 90 graus girando o tronco para esquerda e abrindo o punho direito; impulsionando-o para frente e puxando o punho esquerdo para trás; esticar a perna direita e flexionar a esquerda, estendendo a palma direita obliquamente na lateral esquerda e o cotovelo esquerdo no sentido oposto; virar a ponta do pé esquerdo à frente, girando o tronco, fechando e recolhendo o punho direito; apoiar-se no calcanhar direito e virar a ponta do pé para direita em 90 graus, girando o tronco para direita e abrindo o punho esquerdo impulsionando-o para frente e puxando para o punho direito para trás.
  • Tocar os pés com as mãos: Posição inicial, pés juntos, corpo ereto e braços soltos ao longo do corpo. O primeiro movimento é cruzar os dedos das mãos na altura do abdômen; erguer as mãos com os dedos entrelaçados até a altura do queixo com as palmas viradas para cima; a seguir girar as palmas para baixo de para fora impulsionando-as para cima, erguendo a cabeça; flexionar o tronco na altura da virilha, mantendo as costas e braços estendidos até o nível horizontal. A cabeça levemente suspendida permite olhar o dorso das mão; abaixar os braços e tocar os pés com as mãos; suspender o tronco reto e cabeça levemente erguida com as mãos ao lado corpo; cruzar os dedos das mãos na altura do abdômen.
  • Rodar os joelhos à direita e à esquerda: Posição inicial, pés separados na largura dos ombros. Dedos das mãos entrelaçados na altura do abdômen. Olhar à frente. Primeiro movimento é rodar joelho à esquerda e a frente; rodar o joelho à direita e voltar a posição inicial.
  • Flexionar as pernas e girar o tronco: Posição inicial, pés separados na largura de dois ombros, mão segurando a cintura e olhar à frente. O primeiro movimento é flexionar a perna direita mantendo a esquerda esticada, girando o tronco em 45 graus à esquerda; voltar a posição inicial estendendo a perna direita. Voltando a posição final - abaixar os braços ao longo do corpo, juntar os pés.
  • Flexionar e esticar as pernas: Posição inicial, pés juntos, braços ao longo do corpo. Primeiro movimento é flexionar à frente e colocar as mãos sobre os joelhos estendidos olhando a frente; agachar, ficando de cócoras. As mãos permanecem sobre os joelhos, porém girando os cotovelos para fora de modo que os dedos fiquem voltados um de frente para o outro; colocar as palmas sobre os peito dos pés. Pressionar os pés com as mãos esticando os braços e as pernas e projetando as nádegas para o alto; volta posição inicial erguendo o tronco com as mãos do lado do corpo.
  • Tocar os joelhos e levantar as palmas : Posição inicial, pés separados na largura de um ombro e meio e braços ao longo do corpo. O primeiro movimento é flexionar o tronco à frente e tocar o lado medial do joelho esquerdo com os dedos da mão direita. Assentar a bacia flexionando as pernas e erguendo o tronco ereto, levantar o braço esquerdo esticado pela frente do corpo com a palma voltada para baixo; a palma esquerda ao chegar acima da cabeça vira para cima com as pontas dos dedos voltado para trás. Acompanhar o movimento com o olhar. Assentar a bacia flexionando as pernas e erguendo o tronco ereto; levantar o braço direito esticado pela frente do corpo com a palma voltada para baixo. A palma direita ao chegar acima da cabeça vira pra cima com as pontas dos dedos voltadas para trás. Acompanhar o movimento com olhar; esticar as pernas flexionando o tronco à esquerda, cruzando como direito, tocando o joelhos direito com os dedos da mão esquerda.
  • Abraçar o joelho contra o peito: Posição inicial, pés juntos, braços soltos ao longo do corpo. O primeiro movimento é dar um passo à frente com o pé esquerdo deslocando o peso para perna esquerda, enquanto a perna direita estica e levanta o calcanhar direito. simultaneamente os braços se erguem à frente do corpo com as palmas voltar para a outra até acima da cabeça a qual se ergue olhando para cima. Abaixar os braços lateralmente erguendo o joelho direito. Abraçar o joelho direito com ambas as mãos e segurando-o, abraçando-o contra o peito; pousar o pé direito atrás erguendo os braços e a cabeça; deslocar o peso para a perna de trás e abaixar os braços lateralmente, juntando o pé esquerdo ao direito. voltando a posição inicial.
  • Passos marciais: Posição inicial, pés juntos, mãos segurando a cintura. O primeiro movimento é um avanço de um passo com o pé esquerdo deslocando o peso para perna esquerda e levantando o calcanhar direito; sentar na perna de trás, flexionando-a e levantando a ponta do pé da frente; avance um passo com pé direito deslocando o peso para a perna direita levantando o calcanhar; sentar na perna de trás erguendo a ponta do pé direito.

A sequência de Lian Gong foi realizada sem que houvesse correções em primeiro momento. Depois houve um aprofundamento nas explicações dos movimentos, sendo repetido a sequência logo após.

Dúvidas?

V. Discussões e dúvidas dos alunos:[editar | editar código-fonte]

Após a apresentação do texto a aluna Gabriela Borba levanta questionamentos em relação a dor que os movimentos causam durante a prática, sendo que o Lian Gong tem a premissa de tornar o corpo saudável e sem dor, entretanto concluímos que essas dores relatadas pela aluna pode ser fruto de outras atividades que a mesma pratica ou até mesmo a ausência da prática de Lian Gong. Levando em consideração que a prática de Lian Gong é o trabalho persistente e prolongado de treinar e exercitar o corpo físico com: o objetivo de transformá-lo de fraco para forte e de doente para saudável.

Também foram levantadas dúvidas sobre o Qi que é tão citado durante a aula e o mesmo fica sendo muito subjetivo, quanto a essa questão não conseguimos um consenso satisfatório para sanar essa dúvida.

VI. Temas Interdisciplinares:[editar | editar código-fonte]

Essa prática que podemos ter um pouco de contato, o Lian Gong, traz uma visão distinta da que estamos acostumados a lidar em relação ao conjunto corpo e mente. Geralmente, dividimos o estudo e função do organismo em diversas partes para aprender sobre, e por vezes acabamos esquecendo que tanta especificidade nos limita na compreensão do todo, afinal o corpo é um só.

É interessante ler a bibliografia sugerida, o livro: Lian Gong 18 terapias – Forjando um corpo saudável – Ginastica chinesa do Dr. Zhuang Yuen Ming, onde ele (Dr. Zhuang criador da prática) divide o corpo em várias partes (como na medicina ocidental), mas defende que todas elas têm a mesma importância e que o equilíbrio é fundamental para a longevidade (como na medicina oriental). Elementos nos são apresentados como o QI, o Zhen QI, bem como a técnica raiz das práticas chinesas o Dao-In.

O criador desse método é um ortopedista com formação em medicina ocidental e oriental (chinesa) e com tais elementos a sua disposição consegue fazer a junção de ambas. A melhor ligação com os contextos que vivemos durante a graduação parece ser com os eixos de Inserção Social (IS) e Trabalho em Saúde (TS), onde sempre discutimos sobre a formação social, a forma de intervir em saúde respeitando a cultura local e a individualidade, sem impor o nosso e sim adaptando nosso conhecimento para o modo de vida que estamos ali para ‘’ajudar’’. Claro que por ser uma prática corporal podemos relacionar com outros módulos mais específicos da Educação Física como a ginástica e a dança, e ainda os eixos biológicos comuns como Módulo dos Tecidos aos Sistemas (MTS) e específicos como Doenças Crônicas uma vez que o Lian Gong é concebido para se ter um corpo mais fechado as doenças. Por se tratar de uma cultura que não estamos inseridos, é importante entrar nesse território sem nossas concepções e estar aberto ao novo, como discutimos em IS e TS em consonância com este módulo que agora desenvolvemos.

VII. Fichamento de texto:[editar | editar código-fonte]

Livro: LEE, M. L. Lian Gong em 18 terapias: forjando um corpo saudável: ginástica chinesa do Dr. Zhuang Yuen Ming. 5 ed. São Paulo: Pensamento, 2006.

"Lian Gong em 18 terapias: forjando um corpo saudável." (LEE, 2006)

Maria Lucia Lee

A obra nos mostra a ginástica Lian Gong (onde podemos traduzir como Trabalho Persistente) que foi desenvolvida na China em 1974, pelo Dr. Zhuang Yuen Ming, médico ortopedista da Tradicional Medicina Chinesa. Sendo divulgada no Brasil pela professora Maria Lúcia Lee em 1987. É uma prática corporal especialmente projetada para a prevenção e o tratamento de dores no corpo.

Dr. Zhuang em um primeiro momento, criou um conjunto de 18 exercícios que atuassem no corpo humano, focando nas articulações, da coluna cervical aos dedos dos pés. A técnica tem como base o Dao-In, partilhando de algumas posições, e com essa mescla de conhecimento da cultura chinesa com os conhecimentos de hoje ele diz que assim cria-se mais um elo para ajudar a humanidade.

Todos os exercícios são feitos na postura em pé, acompanhados por uma música específica feita para a prática e utilizando uma respiração natural. A característica dos exercícios é a junção de movimentos de alongamento com de força, controlado pelo praticante, dentro de suas características. Esta ginástica age de forma suave sobre os sistemas circulatório e articular, mobiliza o tônus muscular e estimula as articulações.

Ele defende que o Lian Gong seja praticado até como uma forma complementar de tratamento em conjunto com tratamentos tradicionais, por se tratar de movimentos de fácil execução e que respeita os limites individuais, como suas amplitudes, dor, moléstias e etc.

A ideia central é que todo excesso traz consequências ao corpo e a saúde, seja por não o utilizar ou utilizar em demasia. A prática parte do global, entretanto se houver um problema especifico percebido pelo praticante em seu corpo, essa região deve receber uma atenção específica com os movimentos propostos para tal localidade, trazendo assim o equilíbrio entre o todo.

Questionamentos levantados na leitura do texto:

  1. O QUE É O Qi?
  2. QUAL A DIFERENÇA ENTRE O Qi E O Zhen-qi?

VIII. Material relacionado:[editar | editar código-fonte]

Entrevista com Maria Lúcia Lee: https://www.youtube.com/watch?v=jk2U4mcCWCI

Lian Gong- Anterior: https://www.youtube.com/watch?v=FgQkYSAmJ6o

Lian Gong- Posterior: https://www.youtube.com/watch?v=rbXOUiVFLDo

Associação Brasileira de Lian Gong em 18 terapias: http://www.associacaobrasileiralg18terapias.org/#!sobre-nos/c66t

Aluna entrevistada.

IX. Relato de um aluno na aula[editar | editar código-fonte]

Relato feito pela aluna Mariana Martins:

"Gostei dessa aula, porque me ajudou muito a melhorar o meu diário de práticas, e melhorou muito minha flexibilidade, pois tenho encurtamento de ísquio. Senti algumas dores depois das correções feitas, mas conforme a continuidade da prática tende-se a acostumar".

X. Conclusão:[editar | editar código-fonte]

Concluímos que a prática de Lian Gong parece ser uma prática corporal aplicável na população em geral, tal prática pode ser uma das alternativas para a saída do sedentarismo que tanto assola a população contemporânea. Hoje, essa prática já é oferecida por algumas prefeituras pelo Brasil, na cidade de Santos, por exemplo, existe uma boa aderência da população que busca alguma atividade física. Por ser de fácil aplicação, necessitar de um profissional treinado na prática, espaço e aparelho de som para a música específica, pensamos que se trata de uma alternativa que merece atenção para ser utilizada como prevenção e promoção de saúde pelos aparelhos de saúde, principalmente nas Unidades Básicas de Saúde que estão mais próximas da população.

XI. Referências Bibliográficas:[editar | editar código-fonte]

LEE, M. L. Lian Gong em 18 terapias: forjando um corpo saudável: ginástica chinesa do Dr. Zhuang Yuen Ming. 5 ed. São Paulo: Pensamento, 2006.

MANUAL DO LIAN GONG – Prefeitura de Campinas. <http://www.campinas.sp.gov.br/governo/recursos-humanos/lian-gong.php>

XII. Crítica sobre a documentação da aula 7[editar | editar código-fonte]

A aula sete ficou bem descrita com detalhes do que foi proposto durante a aula, com uma sequência clara, bem como a descrição de cada fase dos movimentos executados. Como apoio o grupo ainda dispôs de vídeos e fotos para elucidar de forma mais clara o que foi feito. Assim o fichamento da aula ficou sendo um importante material para retomarmos o assunto quando necessário.

Avaliação do Professor do Caderno Colaborativo Aula 8[editar | editar código-fonte]

NOTA 10,0 (AVALIAÇÃO REALIZADA EM 23/11)

A avaliação do caderno será feita conforme os seguintes critérios e valores:

1) apresentar as leituras obrigatória e complementar em sala de aula, comentá-las e destacar os seus principais conceitos (2,0/2,0)

2) postar a leitura para a turma na wikiversidade e inserir perguntas e comentários pertinentes que a relacionam com as aulas (2,0/2,0)

3) registrar a aula daquele dia, utilizando-se recursos multimídia e postá-la na wikiversidade (2,0/2,0)

4) aprofundar pesquisa sobre o tema da aula e inserir links para publicações de slides, áudio, vídeo e redes sociais (2,0/2,0)

5) revisar a aula publicada pelo grupo anterior ao seu e fazer comentários (1,0/1,0)

6) cumprir o prazo de uma semana para realizar todas as etapas, ou seja, publicar tudo até a aula seguinte (1,0/1,0)

Comentários do professor:

Documentação da aula ótima. Marece destaque o cuidado formal e a organização do conteúdo na página, bem como a disposição visual das fotografias. A apresentação do texto foi ok, demonstrou uma cuidadosa leitura e estudo com afinco. Sugere-se apenas mais cuidado com o tempo (Jóice não esteve presente no dia de apresentar a Wikiversidade). O material relacionado foi selecionado de forma precisa e consistente. Temas interdisciplinares pertinentes, assim como demais referências.