DC-UFRPE/Licenciatura Plena em Computação/Educação à Distância/Desenho pedagógico na EaD

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Introdução[editar | editar código-fonte]

O desenho pedagógico ou Design instrucional é um termo utilizado para se referir à engenharia pedagógica, sempre sendo pensado a partir de uma estrutura didática educacional. Geralmente, o design instrucional trata de um conjunto de técnicas, métodos e recursos distintos que tem como objetivo aprimorar processos de ensino e melhorar a experiência de aprendizagem por parte de alunos e usuários. Em termos práticos, o design instrucional está diretamente ligado ao desenvolvimento de aulas, cursos e à construção de materiais didáticos como videoaulas, materiais impressos, softwares, ambientes virtuais de aprendizagem (AVA) ou qualquer outro objeto de aprendizagem que possa ser usado para melhorar a experiência de aprendizagem de alunos.

Funções do Designer instrucional[editar | editar código-fonte]

A função do Designer Instrucional, resumidamente, é a de projetar e desenvolver experiências de aprendizagens e exercícios. Ele certifica-se de que o aluno está realmente aprendendo o conteúdo que está sendo ensinado. Dependendo da instituição que o DI irá atuar, suas funções podem ser variadas. Algumas funções desejadas são:

  • Estabelecer um cronograma para planejamento e execução de um projeto pedagógico;
  • Conhecer o perfil dos discentes e o seu contexto de aprendizagem;
  • Apoiar o professor nas definições dos objetivos, dos conteúdos, das atividades propostas e das avaliações da aprendizagem;
  • Adaptar, ao planejamento, as tecnologias disponíveis, equilibrando, atividades individuais e colaborativas;
  • Revisar todo os conteúdo e os enunciados das atividades propostas, propondo uma linguagem dialógica para facilitar o aprendizado;
  • Propor mídias diversificadas de acordo com o tipo de conteúdo, em especial aos conteúdos considerados mais complexos;
  • Acompanhar a disciplina e/ou o curso, do momento do seu planejamento até a sua avaliação.

Tipos de design instrucional[editar | editar código-fonte]

Os DIs podem exercer atividades bem diferentes, podem contribuir na geração de um curso completo, tanto como apenas de um componente curricular ou uma mídia, como um vídeo, história em quadrinhos, animação ou uma charge. Há três tipos de Design instrucional: fixo, aberto e contextualizado.

  • Fixo - baseia-se na separação entre as fases de concepção (design) e execução (implementação), envolvendo o planejamento e a produção de cada componente curricular

antes da ação de aprendizagem. Em geral, o produto gerado é rico em conteúdos bem estruturados, mídias selecionadas e feedback automatizado.

  • Aberto ou Design on-the-fly - envolve, em suas ações, um princípio mais artesanal, no qual o designer privilegia os processos mais do que os produtos da aprendizagem. Em geral, os artefatos são criados, refinados ou modificados durante a execução da ação educacional. Esse tipo propõe uma aprendizagem mais flexível e dinâmica, por meio de um ambiente menos estruturado. Também implica menor qualidade de mídias, devido à escassez de tempo necessário para produzi-las.
  • Contextualizado - É aquele cuja ação de planejar, desenvolver e aplicar situações didáticas específicas parte da intenção de incorporar, tanto na fase de concepção como durante a implementação, mecanismos de contextualização e flexibilização.

Referências[editar | editar código-fonte]

SILVA, Andreza Regina Lopes da; DIANA, Juliana Bordinhão; SPANHOL, Fernando José. Designer instrucional: da formação múltipla a atuação interdisciplinar. 2016.

PEIXOUTO, 2013, DESIGNER INSTRUCIONAL EM FOCO: Instruções e reflexões sobre um novo campo de ensinar e de saber. Espírito Santo: Ifes, 2013.