DC-UFRPE/Licenciatura Plena em Computação/Educação à Distância/Gestão da aprendizagem na EaD/Fundamentos e Modelos de Gestão da EAD

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Gestão da Educação a Distância: Origens e Desafios[editar | editar código-fonte]

Segundo MILL(2009), a gestão educacional é um campo de extrema importância para compreender o conjunto de processo de ensino-aprendizagem na educação básica ou superior e, também, na educação presencial ou a distância. Onde o objetivo deste trabalho é analisar a prática da gestão educacional na educação a distância, partindo das raízes e origens deste campo do conhecimento e passando pela gestão empresarial e educacional até os processos de gestão no âmbito da EaD. A discussão deste texto parte de duas premissas importantes e básicas:

  • o termo gestão pode ser tratado com distinção ou como uma evolução do termo administração, mas estão intimamente articulados e relacionados e
  • a educação é composta necessariamente por quatro elementos fundamentais (gestão, docência, discência e tecnologias comunicacionais)
Sobre as origens da gestão e da administração educacional[editar | editar código-fonte]

Os processos de gestão ou administração institucional são extremamente complexos e organizados:

  • conceber/planejar,
  • sistematizar/organizar,
  • coordenar/dirigir, e
  • supervisionar/controlar, e
  • outros verbos da área foram objeto de estudos de vários pensadores até hoje.

Segundo MILL(2009) para Chiavenato a revolução industrial trouxe consigo possibilidades de evolução do campo da administração, assim como, afirma que as organizações militares também influenciaram diretamente nas transformações existentes na administração industrial e na existência da administração científica. Onde a administração científica tem o objetivo de racionalizar a produção e aumentar a produtividade.

São apresentados quatro tipos principais de processos administrativos:

  1. Planejamento: abrange decisões sobre objetivos, ações futuras e recursos necessários para realizar objetivos.
  2. Organização: compreende as decisões sobre a divisão da autoridade, tarefas e responsabilidades entre pessoas e sobre a divisão dos recursos para realizar as tarefas.
  3. Direção ou coordenação: significa ativar o comportamento das pessoas por meio de ordens, ajudando-as a tomar decisões por conta própria.
  4. Controle: compreende as decisões sobre a compatibilidade entre objetivos esperados e resultados alcançados.

Sistemas de gestão no contexto educacional

MILL(2009) relata que a educação educacional é baseada na administração científica. Onde deve ser levar em consideração que a gestão da educação não apresenta a mesma natureza da educação científica, sob pena de não ser eficaz ou efetiva. Tendo em vista que, toda instituição, tem como base uma ideologia que reage e estabelece as características de suas relações, que vai definir sua cultura organizacional. Onde todos os fatores envolvidos na gestão devem ser pensados e analisados de maneira crítica, focando não apenas no ponto de vista da instituição e do consumidor(aluno), mas também dos professores envolvidos nas suas condições de trabalho.

Gestão na educação a distância: considerações finais

A gestão na educação a distância assim como na presencial se refere a ação de:

  • planejar,
  • organizar,
  • coordenar,
  • e controlar: espaço, tempo, dinheiro, instalações, pessoas e informações não perdendo de foco o pedagógico.

O gestor da EaD não deve perder de vista o caráter pedagógico das suas decisões a ações, mas ele deve ter clareza de que os processos de ensino e aprendizagem são distintos. Onde por exemplo, na EaD há maior fragmentação do trabalho, o que exige atenção especial do gestor para que exista adequadas articulações entre as partes envolvidas. Assim como a gestão educacional pode ser considerada mais viva do que a gestão em empresas com fim lucrativo, a gestão na EaD é ainda mais viva (e complexa) do que a gestão na educação presencial.

Fundamentos e Modelos da Gestão EAD[editar | editar código-fonte]

Aqui serão mostrados as origens em diferentes países dos modelos de gestão na educação à distância .

Open University[editar | editar código-fonte]

Financiada essencialmente pelo governo, foi fundada em 1971 com o objetivo de difundir o acesso ao ensino superior e proporcionar uma segunda oportunidade aos que não conseguiram adquirir uma formação superior. Teve uma grande procura durante sua criação e aumentou ainda mais no século XXI.

Duas situações de ensino e aprendizagem se destacam nessa instituição:

  1. O ensino visa a conclusão que tem por base os cursos de EAD impressos e estruturados, desenvolvidos por equipes qualificadas;
  2. Os cursos de extensão, que introduziram o trabalho com pacotes de estudos que contêm material de trabalho, áudio, vídeo e se necessário, softwares didáticos para computador.

Empire State College[editar | editar código-fonte]

Fundada no ano de 1971 em New York, EUA, seu objetivo foi de ampliar o acesso à formação superior para minorias étnicas, donas de casa e adultos profissionalmente ativos. O principal objetivo era concentrar-se no estudante individual, para desafiá-lo e motivá-lo ao estudo autônomo e bem fundamentado. Assim, o fundamento mais relevante para o ensino-aprendizagem passou a ser o diálogo, o aconselhamento e a ajuda no estudo auto-dirigido. Para isso, um contrato é elaborado envolvendo estudantes, professores e a universidade.

Para a execução bem-sucedida do ensino autônomo a seguinte sequência de fases deve ser percorrida:

  • Exploração preparatória

Um diálogo prévio entre o professor assessor e o candidato a vaga acadêmica para verificação das qualidades necessárias por parte do candidato.

  • Orientação

Seminário para orientação dos candidatos e apresentação de metodologias de trabalho da universidade.

  • Enquadramento

Uma verificação dos conhecimentos, competências e habilidades dos candidatos para adaptação e melhor planejamento das atividades destes estudantes.

  • Desenvolvimento do contrato de estudo

Instrumento de acordo entre estudante e instituição sobre expectativas e obrigações.

  • Estudo autônomo

As atividades relacionadas com o estudo dirigido, como verificação de bibliografia, participação nos cursos EAD, seminários e etc.

  • Avaliação

Avaliação contínua do desempenho dos estudantes e do próprio curso em períodos determinados

Segundo Peters(2001), o perfil do docente que gerenciará o estudo autônomo precisa ser lapidado no sentido de que:

  • A construção do conhecimento à distância do acadêmico deve ser assessorada;
  • O aluno deve ser motivado por um interlocutor presente;
  • Intermediar a ligação entre estudantes e organização de Ensino

Todas estas habilidades exigem comunicação, e esta é processada não apenas no sentido tradicional do ensino-aprendizagem, mas no sentido interpessoal focada no aconselhamento intensivo, entretanto isto depende muito da iniciativa dos estudantes

Univerty of The Air[editar | editar código-fonte]

Fundada no ano de 1983 no Japão, tinha como objetivo:

  • desenvolver uma escola superior para o aprendizado permanente, flexível e para todos;
  • servir de oportunidade aos formando de escolas secundárias não admitidos nas universidades presenciais;
  • desenvolver uma formação acadêmica que correspondesse às exigências da contemporaneidade.

O acesso não era livre, pois se exigia o certificado de conclusão do ensino médio. Contudo, os estudante que não tivesse concluído ainda o o ensino médio poderia se inscrever como estudante especiais e após completarem 16 créditos (o que corresponde a aproximadamente um ano), poderia matricular-se como aluno regular.

Tinha como característica marcante a fundamentação baseada em rádio e televisão, complementada por uma material impresso.

Peters (2001) destaca que o comportamento gerencial dos professores era caracterizado por:

  • planejar cursos e preleções em colaboração com especialistas do National Institute of Multi Media Education;
  • apresentar as preleções diante da câmara e do microfone;
  • redigir um grupo de estudantes na sala do centro de estudos;
  • corrigir trabalhos enviados;
  • aconselhar por escrito;
  • atender e corrigir os trabalhos de conclusão.

Vale ressaltar que as habilidades gerenciais e comunicacionais dos docentes são extremamente marcadas pela necessidade de aprender a:

  • planejar cursos;
  • preparar preleções;
  • apresentar os conteúdos diante da câmara e microfone.

São habilidades que vão da profissão de roteirista até a profissão de ator, um contexto e objetivo de fazer a mediação multimidiática do conhecimento no contexto educacional.

Referência[editar | editar código-fonte]

MILL, Daniel; BRITO, Nara D.. Gestão da Educação a Distância Origens e Desafios: São Carlos, SP, 2009.