Ensino de Sociologia e uso de TICs

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Recursos Educacionais Abertos e a disciplina de Sociologia no Ensino Médio[editar | editar código-fonte]

Logotipo Recursos Educacionais Abertos (Versão em Português do Logotipo Global)

Linha Temática: Ensino de Sociologia e uso de TICs

Colaboradores nessa iniciativa: Renata Miranda Oliveira, Maria Cecília Dias de Miranda --MCeci.

Trabalho de final de curso apresentado na disciplina Sociedade e Tecnologias Digitais.

Professor responsável: Henrique Parra. Unifesp - Guarulhos - Curso de Ciências Sociais. 2o. semestre 2014. Disciplina aberta ao Programada de Extensão Universitária.


Introdução[editar | editar código-fonte]

Uso de tecnologias digitais na Educação

Para Castells (1999), uma revolução tecnológica centrada nas TICs está remodelando a base material da sociedade numa velocidade acelerada. Há um movimento intenso e crescente de redes interativas de computadores, criando novas formas e canais de comunicação. Essas transformações sociais são tão drásticas quanto os processos de transformação tecnológica e econômica.

A evolução das tecnologias de informação e de comunicação (TIC) viabilizam novas abordagens no campo da educação. O uso de materiais educacionais digitais voltados à abordagem de conteúdos curriculares na forma de imagens digitais, vídeos, hipertextos, animações, simulações, objetos de aprendizagem, páginas web, entre outros (TORREZZAN & BEHAR,2009) tem sido incorporado no cotidiano do Professor.

Segundo Galvão (2013) [1] "as TICs quando corretamente aplicadas no ambiente educacional,agregam valor ao aprendizado por meio da promoção dos seguintes aspectos: possibilidade de fornecimento de contexto real para a aprendizagem; possibilidade de conexão com especialistas externos ao ambiente de aprendizagem; fornecimento de ferramentas de visualização e análise; fornecimento de facilidades para solução de problemas; estabelecimento de oportunidades de feedback, reflexão e revisão dos saberes."


Educação em Direitos Humanos e a disciplina de Sociologia


Os Direitos Humanos são direitos fundamentais da pessoa humana. Esses direitos são considerados fundamentais porque, sem eles, a pessoa não é capaz de se desenvolver e de participar plenamente da vida. Respeitar os Direitos Humanos é promover a vida em sociedade, sem discriminação de classe social, de cultura, de religião, de raça, de etnia, de orientação sexual. Para que exista a igualdade de direitos é preciso respeito às diferenças. Nessa proposta procuramos contemplar o direito à educação e o direito à informação como direito Humano.

Os direitos humanos visam salvaguardar a dignidade de todas as pessoas, em todos os momentos e em todas as suas dimensões. São normas jurídicas adotadas por Estados no âmbito de organizações internacionais como as Nações Unidas (ONU), o Conselho da Europa (CoE), a União Africana (UA) e a Organização de Estados Americanos (OEA). Para promover a sua realização e monitorizar a sua violação, inúmeros órgãos têm vindo a ser criados desde meados do século XX, no seio dessas mesmas organizações internacionais.


A Educação em Direitos Humanos é compreendida como um processo que orienta a formação do sujeito de direito, articulando valores, atitudes e práticas sociais que expressem a cultura dos direitos humanos; a formação de uma consciência cidadã capaz de se fazer presente nos níveis cognitivos, sociais, éticos e políticos; o desenvolvimento de processos metodológicos participativos e de construção coletiva; o fortalecimento de práticas individuais e sociais geradoras de ações e instrumentos a favor da promoção, da proteção e da defesa dos direitos humanos, assim como da reparação de suas violações (Brasil, 2006:25).[2],

Justificativa[editar | editar código-fonte]

Entendemos que o Ensino de Sociologia é importante para formação de indivíduos críticos na nossa sociedade. Porém, há uma crise institucional em relação à educação que parece produzir um desinteresse cada vez maior dos estudantes em relação à escola. Dessa forma, professores de educação básica enfrentam desafios diários para conseguir estimular seus alunos e obter resultados satisfatórios, que representem realmente um processo válido de ensino e aprendizagem.

É por isso que acreditamos que a associação de tecnologias digitais a essa dinâmica pode contribuir para a superação desses desafios. Esses recursos são usados cotidianamente pelas novas gerações e oferecem grandes possibilidades para despertar o interesse dos estudantes e facilitar a transmissão e também a produção de conhecimento.

Além disso, percebemos que os professores apresentam dificuldades para elaborar seus planos de trabalho para o Ensino Médio, e também exploram de forma muito limitada novas ferramentas de ensino. Essa espécie de compilação que pretendemos realizar poderá resultar numa ferramenta prática para a elaboração de aulas a partir de conteúdos já produzidos com essa finalidade.

Também consideramos que existe uma emergência na criação de uma intervenção caracterizado por oferecer um suporte teórico-metodológico que ofereça aos professores ferramentas que contribuam nas práticas de ensino, diminuindo a distancia entre o proposto pela universidade e o disposto nos currículos para o ensino médio, contribuindo dessa forma com a produção do conhecimento, bem como para a elaboração e implementação de projetos colaborativos de mudanças sociais.

Objetivo[editar | editar código-fonte]

Nossa proposta é pesquisar conteúdos digitais relacionados à disciplina de Sociologia no ensino médio. Para tanto, teremos como base alguns temas presentes nas aulas de sociologia e, a partir deles, buscar em repositórios de Recursos Educacionais Abertos (REA) materiais que consideramos pertinentes à prática didática. Nesse trabalho, será importante avaliar o quanto esses recursos podem representar em termos de avanço para o trabalho docente e para o aprendizado final do aluno.

Já existem projetos de mapeamento de recursos educacionais abertos (REA) realizados no Brasil, e dentro desse universo, faremos uma espécie de filtragem, buscando aqueles mais apropriados para a abordagem dos temas sociológicos. 

Objetivos Específicos

  • Compartilhar na plataforma Wikiversidade os resultados obtidos na busca de objetos educacionais em Direitos Humanos em repositórios de REA.
  • Organização de rotas de navegação para o acesso aos diversos tipos de objetos educacionais abertos na temática dos Direitos Humanos como: textos, livros, filmes, vídeos, slides, infográficos, etc;

Metodologia[editar | editar código-fonte]

  • Identificar Recursos Educacionais Abertos na temática dos Direitos Humanos em dois repositórios:
Banco Internacional de Objetos Educacionais
objetoseducacionais2.mec.gov.br/

Currículo + Secretaria do Estado da Educação de São Paulo
http://curriculomais.educacao.sp.gov.br 


  • Acessar e Analisar os objetos educacionais abertos nos repositórios selecionados;
  • Compartilhar na plataforma Wikiversidade os resultados da busca sistematizada "REA em Direitos Humanos"


Etapas de organização da pesquisa[editar | editar código-fonte]

ETAPA 1. Realização de pesquisa bibliográfica

   Ação 1 - Palavras-chave da pesquisa bibliográfica - REA, Licença Creative Commons, Direitos Humanos 
   Encaminhamento: Leitura do material bibliográfico, seleção de conceitos, metodologias apontadas na bibliografia.
 

ETAPA 2. Busca sistematizada em repositórios de REA sugeridos na pesquisa "Mapeamento REA Brasil" (parceria entre a Wikimedia Foundation e a Ação Educativa).

  Ação 1 - Definir os termos de busca nos portais para identificar objetos educacionais abertos na temática dos Direitos Humanos
  Encaminhamento:  Buscar por conteúdos utilizando filtros de seleção: Sociologia, Ensino Médio, Direitos Humanos.  
                  
  Ação 2 - Acesso e Seleção de REA em Direitos Humanos
  Encaminhamento: Identificar a forma de organização de conteúdos no interior do repositório. 


ETAPA 3. Compartilhar na plataforma Wikiversidade a lista de links para acesso a Recursos Educacionais Abertos (REA) na temática dos Direitos Humanos.

 Ação 1 - Compartimentação  de links para acesso a objetos educacionais na temática Direitos Humanos em licenciamento alternativo.
 Encaminhamento: Elaborar tabelas na Wikiversidade com a organização  dos diversos tipos de materiais educacionais identificados 
 na temática dos Direitos Humanos: textos, livros, filmes, vídeos, slides, etc.
 Ação 2 - Identificar as licenças nas quais os objetos educacionais foram compartilhados.

Desenvolvimento da pesquisa[editar | editar código-fonte]

ETAPA 1. Pressupostos Teóricos[editar | editar código-fonte]

Recursos Educacionais Abertos (REA)[editar | editar código-fonte]

REA-apresentação

Recursos Educacionais Abertos são materiais de ensino, aprendizado e pesquisa em qualquer suporte ou mídia, que estão sob domínio público, ou estão licenciados de maneira aberta, permitindo que sejam utilizados ou adaptados por terceiros. O uso de formatos técnicos abertos facilita o acesso e o reuso potencial dos recursos publicados digitalmente. Recursos educacionais abertos podem incluir cursos completos, partes de cursos, módulos, livros didáticos, artigos de pesquisa, vídeos, testes, software, e qualquer outra ferramenta, material ou técnica que possa apoiar o acesso ao conhecimento (UNESCO; COMMONWEALTH OF LEARNING (COL), 2011).

Ao utilizar um REA quatro permissões são concedidas aos usuários desses recursos:

Usar: compreende a liberdade de usar o original, ou a nova versão por você criada com base num outro REA, em uma variedade de contextos;

Aprimorar: compreende a liberdade de adaptar e melhorar os REA para que melhor se adequem às suas necessidades;

Recombinar: compreende a liberdade de combinar e fazer misturas e colagens de REA com outros REA para a produção de novos materiais;

Distribuir: compreende a liberdade de fazer cópias e compartilhar o REA original e a versão por você criada com outros. Fonte: <http://www.rea.net.br/site/faq/#a4>.

CC-logo

Licença Creative Commons[editar | editar código-fonte]

O verbete na Wikipedia: As licenças Creative Commons foram idealizadas para permitir a padronização de declarações de vontade no tocante ao licenciamento e distribuição de conteúdos culturais em geral (textos, músicas, imagens, filmes e outros), de modo a facilitar seu compartilhamento e recombinação, sob a égide de uma filosofia copyleft.

As licenças criadas pela organização permitem que detentores de copyright (isto é, autores de conteúdos ou detentores de direitos sobre estes) possam abdicar em favor do público de alguns dos seus direitos inerentes às suas criações, ainda que retenham outros desses direitos. Isso pode ser operacionalizado por meio de um sortimento de módulos-padrão de licenças, que resultam em licenças prontas para serem agregadas aos conteúdos que se deseje licenciar.

Os módulos oferecidos podem resultar em licenças que vão desde uma abdicação quase total, pelo licenciante, dos seus direitos patrimoniais, até opções mais restritivas, que vedam a possibilidade de criação de obras derivadas ou o uso comercial dos materiais licenciados.

Os diferentes tipos de Licença Creative Commons

Tipo de Licença e Descrição das liberdades ícone relacionado
Atribuição - CC BY Esta licença permite que outros distribuam, remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito pela criação original. É a licença mais flexível de todas as licenças disponíveis. É recomendada para maximizar a disseminação e uso dos materiais licenciados.
CC-BY icon
Atribuição-Compartilha Igual - CC BY-SAEsta licença permite que outros remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito e que licenciem as novas criações sob termos idênticos. Esta licença costuma ser comparada com as licenças de software livre e de código aberto "copyleft". Todos os trabalhos novos baseados no seu terão a mesma licença, portanto quaisquer trabalhos derivados também permitirão o uso comercial. Esta é a licença usada pela Wikipédia e é recomendada para materiais que seriam beneficiados com a incorporação de conteúdos da Wikipédia e de outros projetos com licenciamento semelhante
CC-BY-SA icon
Atribuição-Sem Derivações - CC BY-ND Esta licença permite a redistribuição, comercial e não comercial, desde que o trabalho seja distribuído inalterado e no seu todo, com crédito atribuído a você.
Cc-by-nd icon
Atribuição-Não Comercial - CC BY-NC Esta licença permite que outros remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho para fins não comerciais, e embora os novos trabalhos tenham de lhe atribuir o devido crédito e não possam ser usados para fins comerciais, os usuários não têm de licenciar esses trabalhos derivados sob os mesmos termos.
Cc-by-nc euro icon
Atribuição-Não Comercial-Compartilha Igual - CC BY-NC-SA Esta licença permite que outros remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho para fins não comerciais, desde que atribuam a você o devido crédito e que licenciem as novas criações sob termos idênticos.
Cc-by-nc-sa icon
Atribuição-Sem Derivações-Sem Derivados - CC BY-NC-ND Esta é a mais restritiva das nossas seis licenças principais, só permitindo que outros façam download dos seus trabalhos e os compartilhem desde que atribuam crédito a você, mas sem que possam alterá-los de nenhuma forma ou utilizá-los para fins comerciais.
Cc by-nc-nd euro icon

ETAPA 2. Busca sistematizada em repositório de REA[editar | editar código-fonte]

Em Questão 11 - Recursos Educacionais Abertos

Repositórios REA são bancos de dados onde REA são depositados e indexados. Muitos repositórios permitem funções, como a criação e recombinação de REA. Um software usado para esse fim é o Conexxions. (Fonte: http://www.rea.net.br/site/) Existem ferramentas de busca REA. Os objetos de aprendizagem são classificados e descritos através de metadados, que funcionam como palavra-chaves para a recuperação do material. Alguns repositórios são organizados de modo a favorecer a localização de conteúdos por temas, nível de escolaridade, tipo de licença, etc.

Para estabelecer parâmetros mais específicos para a pesquisa nos portais, definimos alguns indicadores que podem facilitar ou direcionar a busca, estabelecendo uma espécie de formulário sobre cada site analisado, como segue abaixo:

Parâmetros para busca de REA em repositórios:

- Nível de ensino: Ensino Médio

- Disciplina: Sociologia

- Tema: "Direitos Humanos".

- Licenciamento: Tipo de licença Creative Commons

- Tipos de recursos: textos, planos de aula, infográficos, imagens, videos, etc.

- Repositórios de REA pesquisados Foram selecionados dois repositórios de REA sugeridos na pesquisa "Mapeamento REA Brasil" (parceria entre a Wikimedia Foundation e a Ação Educativa). Disponível em:<https://pt.wikiversity.org/wiki/Mapeamento_REA_(Brazil_Program)>

Banco Internacional de Objetos Educacionais
objetoseducacionais2.mec.gov.br/
Currículo + Secretaria do Estado da Educação de São Paulo
http://curriculomais.educacao.sp.gov.br 

ETAPA 3 - Resultados da Pesquisa[editar | editar código-fonte]

REA na temática dos Direitos Humanos[editar | editar código-fonte]

Foi realizada uma busca sistematizada nos repositórios de REA sugeridos no [REA (Brazil Program)] https://pt.wikiversity.org/wiki/Mapeamento_REA_(Brazil_Program)


  1. REA em Direitos Humanos - Banco Internacional de Objetos Educacionais (clique no link para acesso à página)

Repositório Banco Internacional de Objetos Educacionais[editar | editar código-fonte]

Artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos Nome do repositório: Banco Internacional de Objetos Educacionais

Instituição responsável: Ministério da Educação, Ministerio de Ciência e Tecnologia

Endereço Eletrônico: <http://objetoseducacionais2.mec.gov.br/>

Descrição: O Banco Internacional tem o propósito de manter e compartilhar recursos educacionais digitais de livre acesso, mais elaborados e em diferentes formatos - como áudio, vídeo, animação, simulação, software educacional - além de imagem, mapa, hipertexto. Este repositório está integrado ao Portal do Professor do Ministério da Educação.

Organização de Temas em Sociologia nos repositórios Identificação de conteúdo pertinente à pesquisa Artigo Declaração Universal dos Direitos Humanos Vídeos selecionados
1Cultura e diversidade cultural Questão Indígena Artigo relacionado: Quando Deus visita a aldeia. (Índios no Brasil)
2 Estrutura e Estratificação Social Escravidão Contemporânea Artigo 1o. Todos os seres humanos nascem livres e iguais, e assim devem ser tratados. Aprisionados por promessas a escravidão contemporânea no campo brasileiro
3 Estudo das Sociedades Humanas Cotas Raciais Artigo Direito à Educação [Raça humana ]

A pesquisa na base Curriculo +[editar | editar código-fonte]

Organização de Temas em Sociologia nos repositórios Identificação de conteúdo pertinente à pesquisa Declaração Universal dos Direitos Humanos Artigos relacionados Objeto educacional selecionado
1Diversidade de gênero Homofobia Artigos 2, 12 : [1]
2 Identidade de gênero e diversidade sexual História dos direitos LGBT Artigos 2, 12, 16 [2]
3 Cidadania e participação política Liberdade de expressão e repressão política Artigos 5,9,10,19 [[3]]
4 Trabalho: divisão do trabalho e as transformações no mundo do trabalho Direitos trabalhistas no Brasil Direitos trabalhistas no Brasil Artigos 23, 24 Infográfico: [[4]]
5 Movimentos sociais contemporâneos Cidadania e participação política Mobilizações políticas populares Artigos 19,20 Infográfico: [[5]]
6 Desigualdade racial Movimento negro nos EUA e Brasil Artigos 1,2,3 Infográfico: [[6]]
7 Cidadania e participação política Cassações políticas Artigo 21 Infográfico: [[7]]
8 Desigualdade social Exclusão de direitos Artigos 1,3, 5, 25, 26 Vídeo: [[8]]
9 Desigualdade social Acesso à direitos Artigos 25, 26 Vídeo: [[9]]
10 Movimentos Sociais contemporâneos. Cidadania e participação política Mobilizações políticas populares Artigo 19, 20 Infográfico: [[10]]
11 Desigualdade Racial Movimento Negro nos EUA e no Brasil Artigo 1,2,3 Infográfico: [[11]]
12 Cidadania e participação política Cassações políticas Artigo 21 Infográfico: [[12]]
13 Desigualdade social Exclusão de Direitos Artigos 1,3, 5, 25, 26 Vídeo:[[13]]
14 esigualdade social Acesso à Direitos Artigos 25, 26 Vídeo:[[14]]

Instituição responsável: Secretaria da Educação do Estado de São Paulo

Endereço Eletrônico: http://curriculomais.educacao.sp.gov.br/

Seleção sobre o tema direitos humanos

Busca por meio de filtros do sistema:

Nível de ensino: Ensino Médio

Disciplina: Sociologia

Tema curricular: Cidadania e Participação política

Subtema: Direitos civis, sociais, políticos e humanos

Tipo de mídia: Todos


A iniciativa CurriculoMais é uma plataforma digital de acesso a conteúdos educacionais lançada pela Secretaria de Estado da Educação de São Paulo criada no início do ano de 2014. Podemos dizer que ela consiste numa espécie de repositório, formado a partir de sugestões de recursos pedagógicos complementares. Trata-se de um site que reúne materiais de diferentes linguagens (imagens, textos, vídeos, infográficos, etc.) que não foram produzidos exclusivamente para a finalidade educativa, mas que se relacionam aos conteúdos da proposta curricular do estado. Seu objetivo é oferecer uma diversidade de recursos aos professores para que estes possam melhorar a dinâmica de suas aulas, além de disponibilizá-los também para os alunos como mais uma fonte de estudo.

O projeto propõe que a plataforma seja construída de maneira coletiva e colaborativa, porém há uma equipe oficial de curadoria, formada por 60 professores coordenadores de núcleo pedagógico das diretorias de educação do estado, responsáveis diretamente pelas indicações e disponibilização dos recursos, que devem seguir parâmetros estabelecidos. Sendo assim, talvez o termo “colaboração” não seja o mais apropriado para definir a construção do site. No atual contexto de uso das tecnologias digitais, projetos colaborativos estão muito relacionados à ideia de iniciativas espontâneas e com liberdade e abertura para grupos atuantes. Outras pessoas até podem fazer sugestões de conteúdos para o portal, mas estas passarão pela análise dessa equipe de curadoria, que verificará se a indicação segue os critérios necessários para sua disponibilização. Caso o recurso seja aceito, alegam que haverá a indicação da pessoa que o sugeriu. Vale ressaltar que durante nossa consulta sobre o tema direitos humanos, encontramos apenas recursos indicados pelos membros da equipe oficial, o que talvez demonstre que ainda há pouca apropriação por parte de professores e demais envolvidos na educação básica, desse e de outros recursos que estimulam a atuação colaborativa. Mas também é possível que a existência dessa equipe curadora signifique um entrave, ao barrar iniciativas, ou por representar uma estrutura hierarquizada num projeto que talvez fosse mais adequado se construído com uma organização horizontal, como é o caso de vários exemplos de movimentos sociais da atualidade.

Da maneira como está configurado atualmente, o Curriculomais não é uma experiência de troca ou produção de conhecimento, mas sim uma plataforma de busca. Os conteúdos são relacionados aos temas escolares, o que de certa forma facilita a pesquisa dos interessados, mas trata-se de materiais já publicados em outras fontes, e que poderiam ser encontrados e acessados com o uso de outras ferramentas também. Foram estipulados critérios técnicos e conceituais para a seleção dos materiais. Eles não podem apresentar defeitos de funcionamento ou problemas de qualidade na apresentação (baixa resolução, falhas, etc.). Devem ser compatíveis com sistema operacional Linux e Windows. As imagens devem estar relacionadas aos conteúdos, e não apenas como enfeites. Os conceitos teóricos abordados devem estar corretos, serem pertinentes a proposta curricular de São Paulo e não apresentar nada que possa estar em desacordo com a lei.

Licenças no repositório Curriculo +[editar | editar código-fonte]

Sobre o tipo de licença dos materiais, são disponibilizados recursos de acesso gratuito com licenças abertas ou protegidos pelos termos da lei de direitos autorais. Também mencionam a possibilidade de materiais produzidos pelos educadores ou aqueles cujo direito pertence à secretaria de educação. Cada recurso indicado possui um link em que é possível ver sua ficha técnica. Ela contém uma série de informações: nível de ensino, disciplina, tema curricular, ano/série, autor, licença de uso, acessibilidade e idioma. Há também na mesma página um resumo e o link de acesso. A maioria do material consultado estava protegida pela lei de direitos autorais. O site ressalta que ele apenas faz uma indicação do material, que é acessado de sua fonte original, e que o uso adequado é de responsabilidade do usuário. Como boa parte dos conteúdos é protegida por lei, e se ela for respeitada rigorosamente, isso implica numa série de impedimentos e limitações de utilização, o que também é um problema para a concepção do projeto, apesar da plataforma do Curriculomais em si possuir licença aberta do tipo CC BY, a menos restritiva de todas.

Ferramentas de busca sistematizada[editar | editar código-fonte]

Existem algumas possibilidades de busca no portal Curriculo +. Há a busca aberta, feita por meio de palavras chave sobre o tema procurado. Uma busca simples, feita por meio de filtros já predeterminados pelo site e uma busca combinada, através de um formulário com vários filtros para refinar a busca. Os filtros dessa busca são: nível de ensino, disciplina, tema curricular, subtema e o tipo de mídia. No que tange a sociologia, essa busca pode ser limitante, pois ainda são poucos os temas e subtemas presentes nos filtros, o que indica que a construção colaborativa da plataforma não se desenvolve rapidamente, talvez até mesmo pelo modelo proposto. A busca aberta pode ser mais interessante, pois produz resultados mais amplos, com recursos associados a outras disciplinas e temas, mas que podem ser pertinentes à sociologia.

REA e Curriculo+[editar | editar código-fonte]

A plataforma Curriculomais, em seus textos de apresentação e explicação sobre seu funcionamento, não menciona, em momento algum, o termo recursos educacionais abertos. A análise das licenças de seus conteúdos (a maior parte protegida pela lei de direitos autorais) já demonstra que o site não foi concebido em confluência com os debates acerca das vantagens e da importância de desenvolvimento de materiais educacionais abertos e livres, os chamados REA. Esse aspecto sugere alguns questionamentos sobre o projeto, que por ser tão atual, poderia incentivar a divulgação e até mesmo a produção desse tipo de conteúdo.

Além das possibilidades de utilização produzidas pelos princípios essenciais dos REAs (usar, aprimorar, recombinar e distribuir), uma política de educação dentro dessa perspectiva pode ser interessante por representar uma concepção que compreende o conhecimento produzido pela humanidade como um bem público, ao qual todos tem direito de acesso e uso. Também seria interessante no sentido de produção e adaptação de materiais que possam se adequar a contextos regionais específicos. O fato dos recursos indicados serem protegidos implica limitações para sua utilização. Nos termos de uso da plataforma é ressaltado que a responsabilidade pelo uso dos materiais sugeridos é do usuário. Dessa forma, a maior parte deles não pode ser reproduzida, exibida publicamente, entre outras ações pertinentes à realidade da escola. Ainda que a fiscalização não seja estritamente rigorosa, isso pode acarretar problemas para o usuário, além de também restringir o desenvolvimento de práticas educativas que poderiam ser compartilhadas e repetidas.

As tecnologias digitais precisam ser incorporadas na educação básica pois podem produzir bons resultados na relação de ensino e aprendizagem. Sem dúvida, elas são bastante atraentes para as gerações mais atuais de estudantes, que já utilizam esses recursos no seu cotidiano. Também oferecem facilidade e amplitude de acesso ao conhecimento. Porém, sua utilização só será significativa se for explorada nas suas potencialidades inovadoras, para transformar a concepção de educação que temos atualmente. 

Caixa de areia[editar | editar código-fonte]

https://ensinosociologia.milharal.org/recursos-de-referencia/material-didatico/

https://ensinosociologia.milharal.org/recursos-de-referencia/multimeios/

http://www.livrorea.net.br/livro/livroREA-1edicao-mai2012.pdf

https://www.diigo.com/user/henriqueparra/rea

Recursos Educacionais Abertos - <http://www.rea.net.br/site/>

Referências[editar | editar código-fonte]

BENKLER, Yochai. A economia política do commons. In: SILVEIRA, Sérgio Amadeu et al (org.). A comunicação digital e a construção dos commons: redes virais, espectro aberto e as novas possibilidades de regulação. São Paulo: Editora Perseu Abramo, 2007.SANTANA, Bianca; ROSSINI, Carolina; PRETTO, Nelson de Lucca. Recursos Educacionais Abertos: práticas colaborativas e políticas públicas. 1. ed., 1 imp. – Salvador: Edufba; São Paulo: Casa da Cultura Digital. 2012. 246 p. Disponível em: <http://www.livrorea.net.br/livro/livroREA-1edicao-mai2012.pdf>. Acesso em 23 jun 2014.

_______________. A Riqueza das Redes – Como a produção social transforma os mercados e a liberdade. London: Yale University, 2006. Disponível em: <http://cyber.law.harvard.edu/wealth_of_networks/A_Riqueza_das_Redes_-_Cap%C3%ADtulo_1> . Acesso em 29/10/2014.

BENAKOUCHE, Tamara . Tecnologia é Sociedade: contra a noção de impacto tecnológico. Cadernos de Pesquisa, no. 17, Setembro 1999. <http://pimentalab.milharal.org/files/2013/11/Tamara_Benakouche_Tecnologia_eh_Sociedade.pdf

CASTELLS, Manuel. A Sociedade em Rede. 11. ed. São Paulo, 2008.

GALVÃO,2013 Maria Cecília Alves Galvão; e cols. Análise da Dimensão Didático-Pedagógica em Ambientes Virtuais de Aprendizagem. Meta: Avaliação | Rio de Janeiro, v. 5, n. 13, p. 12-28, jan./abr. 2013.

LEVY, Pierre. Os três tempos do espírito: a oralidade primária, a escrita e a informática. In. As Tecnologias da Inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. São Paulo: Ed. 34, 1993.

RAYMOND, Eric. A catedral e o bazar, 1998. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=8679. Acesso em: 13/05/12.

RIFKIN, Jeremy. A era do acesso. São Paulo: Pearson-Makron Books, 2001.

SANTOS, Andreia Inamorato dos.Recursos Educacionais Abertos no Brasil: o estado da arte, desafios e perspectivas para o desenvolvimento e inovação. São Paulo, Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2013. Disponível em: <http://cetic.br/publicacoes/2012/rea-andreia-inamorato.pdf>. Acesso em 23 jun 2014.

SANTOS, Laymert G. Paradoxos da propriedade intelectual. In: VILLARES, Fábio (org.) Propriedade Intelectual: tensões entre o capital e a sociedade. São Paulo: Paz e Terra, 2007.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria da Educação. Proposta curricular do Estado de São Paulo: Sociologia. Coord. Maria Inês Fini. São Paulo: SEE, 2008.

SIMON, Inre & VIEIRA, Miguel Said. A propriedade intelectual diante da emergência da produção social. In: VILLARES, Fábio (org.) Propriedade Intelectual: tensões entre o capital e a sociedade. São Paulo: Paz e Terra, 2007.

UNESCO, COMMONWEALTH OF LEARNING com colaboração da Comunidade REA-Brasil (2011). Disponível em: <http://rea.net.br> Acesso em: 25 de mar 2013.

VENTURINI, Jamila. Recursos Educacionais Abertos no Brasil: o campo, os recursos e sua apropriação em sala de aula. Em Questão, vol.11. São Paulo: Ação Educativa, 2014. Disponível em:< http://www.acaoeducativa.org/images/stories/pdfs/EmQuestao11_site.pdf>. Acesso em 21 out 2014. 


Sobre As Licenças Creative Commons: https://creativecommons.org/licenses/?lang=pt_BR. Acesso em 08/11/2014

  1. GALVÃO,2013 Maria Cecília Alves Galvão; e cols. Análise da Dimensão Didático-Pedagógica em Ambientes Virtuais de Aprendizagem. Meta: Avaliação | Rio de Janeiro, v. 5, n. 13, p. 12-28, jan./abr. 2013.
  2. BRASIL. Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Ministério da Educação, Ministério da Justiça, UNESCO, 2009. Disponível em:<http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&task=doc_download&gid=2191&Itemid>. Acesso em: 20 abr 2014.