Mapeamento REA (Brazil Program)/Apresentações e participações em eventos

Fonte: Wikiversidade
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Nesta página encontram-se informações sobre a apresentação da pesquisa "Recursos Educacionais Abertos no Brasil: o campo, os recursos e sua apropriação em sala de aula" em eventos relacionados ao tema.

Curso Educação, Direitos Humanos e Tecnologias[editar | editar código-fonte]

Apresentação de Jamila Venturini no curso Educação, Direitos Humanos e Tecnologias

10/maio - Ação Educativa

Participação no terceiro encontro do Curso Educação, Direitos Humanos e Tecnologias promovido pela Ação Educativa com o apoio da Wikimedia Foundation. Apresentação sobre Recursos Educacionais Abertos com discussão sobre alguns resultados preliminares da pesquisa. Participação gerou um debate interessante sobre a importância do licenciamento como garantia de direitos para os autores/as, assim como para os usuários/as de REA.

Leitura

Seminário Educação Aberta, Sociedade e Tecnologia[editar | editar código-fonte]

Apresentação de Jamila Venturini no seminário Educação Aberta, Sociedade e Tecnologia

15/maio - Universidade de São Paulo (USP)

Participação na mesa “Educação Aberta na América Latina” de seminário promovido pelo Centro de Estudos Sociedade e Tecnologias e pelo eMundus. Objetivo da mesa era apresentar as iniciativas relacionadas ao mapeamento de REA que estão em curso no país atualmente. Na ocasião foram apresentados os resultados preliminares da pesquisa e os seguintes pontos para a reflexão:

  • Importância de se aprofundar o debate sobre licenciamento e suas consequências práticas dentro da própria comunidade, inclusive sobre o impacto de licenças com restrição Não Comercial, por exemplo;
  • Necessidade, para além do amadurecimento desse debate, de políticas públicas que fomentem um ambiente de fato aberto.

A mesa foi compartilhada com: Débora Sebriam, Priscila Gonzalez e Paula Carolei. O debate sobre o conceito de aberto foi um dos destaques na mesa e o grupo pareceu concordar de sua importância inclusive para além dos conteúdos. Uma das perguntas levantadas pelos/as presentes foi relativa ao uso de hardware aberto, por exemplo. Por outro lado, a apresentação de Paula Carolei enfatizou a necessidade da abertura enquanto linguagem e questionou a ideia de uma "interatividade reativa" no caso dos games, também do ponto de vista da abertura.

A recepção da pesquisa foi positiva e, durante todo o dia, o público se aproximou para pedir mais informações e, principalmente, a Lista de repositórios de recursos educacionais disponíveis online analisados no contexto do mapeamento. A lista foi enviada para duas pessoas que fizeram o pedido pessoalmente e que foram também convidadas a colaborar com a inserção de outros repositórios.

A participação foi interessante por trazer a questão do licenciamento para o centro do debate, já que este tema não foi tratado nas outras mesas - apesar do conceito de "aberto" e "livre" ter sido retomado durante a apresentação de Wayne Mackintosh da OER Foundation, da Nova Zelândia.

Durante as demais mesas foram apresentadas experiências de busca, criação ou uso de REA em diferentes contextos (Brasil, América Latina e Nova Zelândia). Questões como a importância das políticas públicas e a necessidade de uma mudança cultural para o sucesso das iniciativas de educação aberta tiveram destaque nos debates que se seguiram.

Algumas das experiências apresentadas durante o evento: