Saltar para o conteúdo

WikiConecta/Introdução/Conhecimento livre: potenciais e vantagens de usar os projetos Wikimedia

Fonte: Wikiversidade
Logo do WikiConecta

Conhecimento livre: potenciais e vantagens de usar os projetos Wikimedia

Conteúdo

Imagine um mundo no qual cada pessoa do planeta tenha livre acesso à soma de todo o conhecimento humano

Essa é a visão que anima os apaixonados pelo universo Wikimedia ao redor do globo, mas poderia facilmente ser um ideal compartilhado entre educadores.

Se há algo que nos une enquanto profissionais da educação é a paixão por criar possibilidades para a construção do conhecimento. Acreditamos que somente o acesso a informações de qualidade e uma percepção crítica do mundo que nos rodeia podem criar cidadãos responsáveis e comprometidos com o bem comum. Não é mesmo?

E é por isso que os ideais dos educadores estão intimamente relacionados ao ideal dos wikimedistas (nome referente aos editores e apaixonados pelos projetos Wikimedia): todos lutamos em prol da construção do conhecimento. Contudo, não nos referimos a qualquer conhecimento, mas especificamente ao conhecimento livre.

Paradoxalmente, vivemos em um mundo globalizado onde as distâncias são relativas, as redes são ampliadas pelas conexões digitais, e o tempo e o espaço se expandem com as infinitas possibilidades de armazenamento e acesso. Mas há barreiras sociais, econômicas e culturais que impossibilitam o acesso de forma equânime. Os conteúdos estão guardados a "sete chaves digitais", acessíveis apenas àqueles que podem pagar por eles. As informações estão majoritariamente disponíveis em inglês, língua historicamente associada às pessoas de alta renda no Brasil e demais países do Sul Global. As mesmas mídias que possibilitam o acesso a uma infinidade de conhecimento, exigem uma expertise própria e não familiar aos mesmos extratos excluídos pelas barreiras mencionadas anteriormente. Por fim, essa mesma parcela da sociedade se vê impossibilitada de usufruir de todos os benefícios da produção científica e das ligações em rede dada a falta de acesso a equipamentos e internet de qualidade. Sim, somos a sociedade com a maior produção de conhecimento e com as maiores possibilidades de conexão, mas apenas a mesma parcela segue tendo acesso e podendo fazer uso deste produto.

Precisamos libertar o conhecimento.

Nós, educadores, temos acesso a uma enorme gama de fontes de informação e, através do vínculo universitário, possibilitamos que nossos estudantes usufruam deste conhecimento na busca pela formação acadêmica. O acesso ao ensino superior oferece aos cidadãos uma enorme possibilidade de usufruir da soma do conhecimento produzido na Academia e na sociedade, e, ainda assim, é algo restritivo e fechado dentro dos muros da universidade. A sociedade, que contém e mantém as universidades, deveria poder usufruir do conhecimento que ali é produzido e que ali circula. Mas como?

Há várias formas e possibilidades de abrir as portas da universidade e do conhecimento para a sociedade. Uma delas é através da extensão universitária. Além de oferecerem aos estudantes o aprendizado de novas habilidades e competências complementares ao currículo obrigatório da graduação, os projetos e atividades de extensão destinam-se também à comunidade em geral, sendo uma abertura para a troca de experiências e aprendizados entre a Academia e a sociedade a qual ela deveria servir.

Cada universidade pode ter entendimento e regras próprias para a extensão universitária, seja para a criação ou realização de programas dentro desta nomenclatura, por exemplo. Contudo, apesar das particularidades, os projetos de extensão têm em comum o objetivo de criar interações dialógicas e gerar transformação social ampliando a formação dos estudantes, de forma interdisciplinar e interprofissional, e gerando impacto social.

Ao longo deste curso, defendemos que os projetos Wikimedia são um ótimo espaço para desenvolver os seus projetos de extensão e criar conhecimento livre para circular amplamente e impactar a sociedade de forma positiva. Estas são plataformas sem fins lucrativos que congregam uma comunidade de bilhões de editores voluntários espalhados globalmente, e possibilitam o acesso de forma livre e gratuita à soma de todo o conhecimento já disponibilizado pelos seus editores. São bilhões de verbetes enciclopédicos em mais de 300 idiomas diferentes, milhões de arquivos multimídia, bilhões de dados e metadados estruturados, além de uma enorme gama de livros, artigos e documentos. E tudo facilmente acessado por dispositivos móveis e com baixo uso de dados.

Apesar da enormidade de conteúdo agregado nos mais de vinte anos de existência da Wikipédia e demais projetos Wikimedia, ainda há desertos de informação e representatividade que precisam da sua ajuda e dos seus estudantes para serem disponibilizados de forma livre para qualquer pessoa interessada.

Por isso, que tal transformar os trabalhos finais da disciplina em atividades de criação de conhecimento livre e permitir que seus estudantes contribuam de forma significativa para o bem social? O que acha de reunir um grupo de estudantes e trabalhar em cima de uma lacuna de conhecimento ligada à temática do seu programa de extensão? Ou, quem sabe, ajudar a retratar uma região do Brasil sub-representada na internet? Tudo isso enquanto trabalha com os estudantes habilidades fundamentais para os dias de hoje, como alfabetização midiática, informacional, digital e computacional.

Há várias formas de usar os projetos Wikimedia para gerar impacto social e nada melhor do que usar os cérebros que estão com a literatura acadêmica fresca e o viés crítico afiado para disponibilizar esse conhecimento para ainda mais pessoas, indo além dos muros da universidade.

Os seus estudantes podem transformar o mundo, um clique por vez.

Venha entender como no "WikiConecta: a Wikipédia em toda a sua extensão".

Bom percurso!

Conteúdos audiovisuais

Depoimento de Lilian Viana, Bibliotecária na Universidade de São Paulo e Wikimedista.

Discussão